sexta-feira, julho 26, 2013

HOMOSSEXUALIDADE

Sabadão tem!
Primeira luta gay do UFC será nesse sábado com brasileira no octógono.




A brasileira Jessica Andrade, de 21 anos, entrará para a história nesse sábado (27) em Washington, nos EUA, ao protagonizar a primeira luta inteiramente gay do Ultimate Fighting Championship (UFC), contra a americana Liz Carmouche.

Jessica, que é natural do Paraná, também se tornará a quarta pessoa mais jovem do mundo a competir no UFC.

A paranaense começou a lutar há apenas dois anos. O início foi com o judô na escola, passou para o jiu-jitsu, experimentou o muay-thai e logo começou a fazer sucesso no MMA por misturar todas essas artes marciais.

Jessica estreou no MMA no final de 2011. Com uma sequência incrível de onze lutas e nove vitórias, foi chamada em cima da hora para enfrentar Carmouche.

Coincidentemente, a americana também é lésbica assumida e ativista da causa LGBT.
A brasileira, que tem o apelido de “Bate Estaca” no octógono, fala abertamente sobre a sua orientação sexual e assume no Facebook que é casada com Ana Carolina Celeri.

"Todos os lutadores me respeitam. Apenas uma vez, em uma entrevista, algumas pessoas me falaram algumas coisas. Mas não foi nada se comparado com o que a comunidade (gay) tem que lidar", contou ela.
A jovem diz não ter medo do embate desse sábado. "Acho que vai ser uma luta mais explosiva e vou focar no erro dela", aposta Jessica.


A Liga: veja o programa que mostrou os mundos opostos de uma drag queen e um pastor ex-gay!




Homossexuais casados obtêm direito de serem enterrados no mesmo jazigo nos EUA




Juntos há 20 anos e casados há duas semanas, Jonh Arthur e James Obergefell obtiveram o direito de serem enterrado juntos (quando vierem a falecer) em Ohio, nos EUA. A decisão foi anunciada depois que um juiz decretou inconstitucional a recusa do estado  em reconhecer o casamento dos dois americanos.

Anunciada um mês depois da decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos (que rejeitou uma lei federal que definia o casamento como a união apenas entre um homem e uma mulher), esta nova decisão representa uma esperança para os defensores dos direitos dos homossexuais de obter a igualdade total perante a lei.

Em 2011, John foi diagnosticado com uma esclerose lateral amiotrófica, chamada de Mal de Charcot, uma doença neurodegenerativa e fatal. Atualmente ele se encontra internado. O marido, James, não possui nenhuma doença fatal, mas compartilha da mesma vontade do companheiro. Os dois querem ser enterrados no mesmo jazigo quando vierem a falecer. E para ter esse direito, os dois precisavam ter reconhecida essa união antes da morte de qualquer um dos dois.
No início do mês, os amigos e familiares do casal ajudaram a pagar um jato particular com equipamento médico para que os dois pudessem ir para um estado onde o casamento fosse reconhecido. A união oficial aconteceu em 11 de julho, no aeroporto de Maryland, e no mesmo dia os dois voltaram para Ohio.

O casal quer ser enterrado junto no jazigo da família de Arthur, mas o cemitério só permitia que os descendentes ou cônjuges sejam enterrados no local. Por isso recorreram à justiça.

"Não se trata de um caso muito complicado", escreveu o juiz Timothy Black. "Ao longo da história de Ohio, a lei tem sido clara: um casamento realizado fora de Ohio é válido em Ohio se for válido no local onde foi realizado".

Black afirmou ainda que a proibição do casamento gay no estado viola a garantia constitucional da igualdade de todos os cidadãos ante a lei.

Primeira feira de games para público LGBT acontece em São Francisco



O projeto ganhou força em 2012, quando a dupla abriu uma campanha no site de crowdfunding Kickstarter. Em três dias, eles bateram a meta de US$ 25 mil e ao fim da campanha arrecadaram US$ 91 mil, com patrocinadores como EA, Xbox, The Trevor Project (ONG que tenta prevenir o suicídio entre os jovens homossexuais), dot429 e a Straight But Not Narrow.

"Não é fácil crescer como uma gay geek gamer", disse Coon ao site Mashable. "Eu sofri muito bullying. Ser um gay geek é duplamente difícil de lidar".

Segundo Conn, o objetivo do evento é levar a discussão para um patamar maior. "Há muito bullying e homofobia na comunidade gamer. Parte de nossa missão é ajudar nessa mudança", explicou. "Estamos fazendo quase tudo que uma convenção normal faz. "Quando começamos, não tínhamos nem ideia se o Kickstarter funcionaria".

?Até o momento, a GaymerX já vendeu cerca de 2 mil entradas. A EA e a Xbox Live já publicaram vídeos em apoio ao evento, e um documentário, chamado Gaming in Color, será focado em entrevistar os visitantes.

Os ingressos custam US$ 45, US$ 60 (na porta) e US$ 135. Esse último inclui camiseta, kit com presentes e acesso às festas do evento. Entradas também podem ser adquiridas pelo site gaymerconnect.com.

2 comentários:

  1. Digam-me se isso não é amor? Eles vivem juntos há 20 anos, um deles está com uma doença fatal e o outro ao lado, dando o maior carinho e apoio. E o desejo de serem enterrados juntos, perpetuando a união. Muito lindo isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se eh amor, eu não faço ideia. Até pq nem me inteirei sobre a história... vim soh te dizer q gostei da photo =) !

      Excluir