sábado, agosto 02, 2014

LIVROS DA ESTANTE


LANÇAMENTO:


Kinshi na Karada - O Corpo Proibido

Josiane Veiga







Josiane Veiga talvez seja a maior autora no gênero Yaio no mundo. Yaio é um gênero de publicação que tem o foco em relações homossexuais entre dois homens. O termo se originou no Japão e inclui mangá, anime, novelas e  dōjinshis


Autora de livros consagrados como a Saga Jishu (Redenção, Rendição e Remissão) entre os mais vendidos na Amazon, Josiane inova nesse livro, Kinshi na Karada, embora ambientado no Japão no período da 2a. Grande Guerra, não se trata de um livro que retrata a guerra em si, apesar do excelente trabalho de resgate histórico, que o torna impecável nesse sentido, registrando as passagens mais marcantes do que acontecia no mundo exterior ao mundo de Kinshi.


O personagem central de Kinshi na Karada não tem sofisticação nem riqueza; pelo contrario, é um menino pobre, miserável, que tem seu corpo vendido a troco de migalhas a homens sem escrúpulos, atraídos por sua extrema beleza. Esse menino, Shiro, pobre de posses, mas rico em virtudes, tem o poder de mudar os rumos de todos que convivem com ele. Shiro é a flor de Liz de Kinshi, belo e delicado. Jogado ao mundo, explorado, estuprado, usado, vê na mão que lhe estende um ponto de luz. A Casa Ai passa a ser seu mundo. Aiko, seu ídolo e Nana, a velha prostituta, sua mãe perdida. Nem todo o sofrimento que acompanhou sua infância e parte da adolescência consegue macular sua pureza. De aparência frágil, porém de uma tenacidade sem tamanho, capaz de tornar pó o coração de pedra de seu amado. Mas ele é marcado pela dor, que mesmo nos seus melhores momentos, insiste em fazer-lhe companhia. E nesse ritmo alternado, ele é a própria partitura dessa sinfonia de altos e contrabaixos.


Se você busca emoção, então convido você e se tornar um habitante do mundo de Kinshi. Ria, chore, ame e odeie, garanto que passar incólume você não passará, e a aventura valerá a pena. Kinshi na Karada é sem dúvida o livro do ano no gênero Yaio.


Ah, um detalhe, a autora gentilmente me convidou e eu escrevi o Prefácio do livro.

E no primeiro dia de lançamento Kinshi na Karada atingiu a marca dos 100 mais vendidos pela Amazon.




SINOPSE


Japão, 2º Guerra Mundial. Apesar do começo promissor, o exército japonês, um dos mais bem armados e fortes de sua época, viu-se acuado, pronto para a derrota. Na terra do Imperador, o medo parecia acompanhar, como um guardião, cada habitante do país. Nas ruas, a Kempeitai – Corpo de Soldados da Lei – impunha sua vontade com brutalidade e até a morte. O Japão iniciava a década de 40 dividido entre a esperança e o medo dos dias vindouros. Shiromiya Kazue cresceu nas ruas, órfão, acompanhado do irmão que o vendia a troco de arroz. Desde pequeno, sua aparência feminina contribuía para que o preço de sua carne fosse o bastante para que ambos pudessem sobreviver aos dias cruéis. Porém, num ambiente em que sobravam pessoas famintas e faltava dinheiro, ser jovem e bonito já não mais bastava. Foi assim que ele precisou se transformar em mulher. Ryo era um poderoso comerciante, dono de uma frota de barcos pesqueiros. Viveu o período turbulento com relativa calma. Comprava a paz que necessitava, assim como o corpo daquelas com quem queria se deitar. Mas a vida ainda haveria de ensinar-lhe que, nem sempre, o coração de alguém está à venda e nem tudo é o que parece. Kazue e Ryo se cruzam num momento difícil de suas vidas e não sabem o que fazer perante o que entre eles surge. Como Kazue, acostumado à dor e ao abuso, poderia entregar o coração a alguém que o via apenas como mercadoria? E como Ryo poderia amar um homem? Kinshi na Karada pode ser traduzido como o Corpo Proibido para o português, e a história retrata a sociedade japonesa na primeira metade da década de 40. A honra e a vergonha se cruzam, mostrando o que, de fato, existe em cada um de nós, humanos.


O livro pode ser adquirido no formato impresso ou e-book nos seguintes endereços:











Quem desejar, pode ler os 1º Capítulos de alguns e seus livros, inclusive Kinshi na Karada, na página da autora:





BOA LEITURA !!!


Um comentário:

  1. Eu comprei o livro, e logo nos primeiros capítulos, já estou sentindo toda a carga de sentimento presente em Kinshi. A autora escreve muito bem. Ela sabe como prender o leitor. Espero que ele se mantenha assim nos capítulos seguintes - ele é bem volumoso.

    ResponderExcluir