sexta-feira, agosto 01, 2014

MINHA VIDA GAY

Relato Gay – Vida de galinha




POR: MVG

“TG”, leitor do Minha Vida Gay mandou seu relato por e-mail. Contou das dificuldades que tem em criar vínculos com os meninos que conhece por aí, nas noites de balada, e trocamos uma breve ideia sobre suas questões.

Relato de TG:

Olá MVG, meu nome é TG, tenho 19 anos, sou leitor assíduo do blog e tô precisando de uma ajuda.

Tenho uma vida sexual ativa desde meus 14 anos, não sou assumido para os meus pais, mas para o resto das pessoas sim (eles devem saber que sou haha). Nesses quase seis anos ficando com homens nunca mantive um relacionamento por mais de 1 mês. Recentemente comecei a sair com um garoto da minha idade, gosto bastante dele, ficamos algumas vezes e a relação estava começando a ficar séria quando fiz o que sempre faço nessa situação: fui pra balada e fiquei com 3 caras, fui pra cama com um.

E eu não sei o por quê, mas sempre faço isso, mesmo que eu goste de alguém, quando vejo que tá ficando sério travo e tento fugir daquilo rápido. Fico com vários homens, me divirto, mas acaba ali. O problema é que me sinto bem com essa falta de compromisso, mas fico terrível por magoar quem gosta de mim.

Aguardo resposta. Obrigado.

Resposta do MVG:

Oi TG, tudo bom?

Antes de mais nada, você se sente bem assim de ser galinha? Porque não tem problema nenhum em ser assim hoje em dia.

Claro que você precisa tomar um cuidado redobrado com as DST’s no momento que você opta por essa vida de parceiros tão rotativos! Você pode ser um transmissor ativo. Vale sempre lembrar…

O fato de você magoar alguém não é legal e pelo visto você tem uma preocupação diferente por esse menino. Agora, dizer porque com ele existe esse sentimento, só você mesmo para descobrir.

Sobre a sua trava, de sempre que começa algo sério você se esquiva e resolve fugir de um compromisso mais sério, saiba que isso acontece com milhares de outras pessoas, gays e heterossexuais.

Os motivos são os mais diversos e particulares, mas tenha certeza que é fruto de algum tipo de medo ou insegurança. Pode ser algo relacionado ao fato de você ser ainda enrustido, pode ser algo relacionado à sua autoaceitação como gay, pode ser a sua necessidade de seguir o ritmo da meninada que hoje em dia adora contabilizar ficadas e você não quer se sentir deslocado e pode ser um monte de mais coisas que somente o tempo, suas experiências (ou uma boa terapia) poderão te ajudar a esclarecer.

Se você começou a se sentir mal por ser assim, se você se sente limitado por não conseguir se entregar em um relacionamento, é hora de você começar a buscar a se entender melhor, olhar para você mesmo e tentar descobrir porque canaliza tanta energia nesse tipo de curtição.

Normalmente as pessoas entram nesse ritmo de vida por pura baixa autoestima, mas raramente querem encarar ou aceitar tal realidade.

Só que você tem apenas 19 anos e muita gente da sua idade precisa viver tais provações. Faz parte também da adolescência. Estranho será se você seguir por esse modelo quando tiver 24, 32, 40 anos! Porque se você seguir assim é sinal que não vai querer crescer mentalmente e isso pode ser um grande problema no futuro.

Acredite: existem centenas de homens, gays e heterossexuais, que já são velhos mas querem continuar com a mentalidade de adolescente “aprontando” como você.

Mas aí que está: cada cabeça a sua sentença e quem gosta de rolo vai atrair rolo e não vai poder reclamar muito não!

Ok?

(PS: vou postar seu relato e meu comentário no Blog).

Um abraço,
MVG


Filha de Alec Baldwin e Kim Basinger sai do armário e causa polêmica




O ator Alec Baldwin, que teve seu programa de entrevistas “Up late with Alec Baldwin” este ano, depois de ter sido acusado de lançar comentários preconceituosos contra um fotógrafo, vai ter que enfrentar mais uma vez seus medos. Sua filha, a modelo Ireland Baldwin, saiu do armário neste final de semana, ao postar no sábado, 26, fotos com a rapper Angel Haze.
 
Em entrevista publicada no mesmo dia, a namorada contou tudo: “Nós transamos e amigos não transam. Uma vez que a vejo dessa forma, somos mais que amigas". O casal estaria junto desde fevereiro, quando se conheceram na Semana de Moda de Nova York. Ela destaca ainda que um casal interracial é algo mais chocante do que um casal gay para as pessoas. O pai estaria bravo com a situação mas a mãe, eterna diva, esta numa boa, dizem os tablóides.
 
O mundo dá voltas mesmo. Baldwin, que disse não ser homofóbico, vai ter uma boa chance de provar isso ao mundo...


Sem medo de ser quem é: fotógrafo retrata adolescentes gays dos Estados Unidos


Catraca Livre

Objetivo da série Queer Kids é dar visibilidade e voz que as gerações anteriores não tiveram
 
O fotógrafo Michael Sharkey, radicado em Nova York, criou a série Queer Kids, que consiste em fotografar e coletar depoimentos de adolescentes e jovens adultos gays dos Estados Unidos.
 
Segundo Michael Sharkey, a ideia é dar voz e visibilidade para os jovens. Uma vez que a geração do fotógrafo, nos anos 80, não teve a mesma oportunidade.
 
O autor do projeto conta que apanhou no colégio por ser gay e queria captar o medo e insegurança dos jovens. Porém, ele se surpreendeu ao encontrar uma geração segura e confiante, que não tem vergonha de ser homossexual.




Andy, 18, e Tanner, 16. Orinda, Califórnia. “Eu descobri que era gay quando alguém me disse o que a palavra gay significava. Isso foi na quinta ou sexta série”- Andy. “Eu me revelei aos 13 anos, mas já sabia aos 11? – Tanner.



Jonathan, 20, San Angelo, Texas. “Eu tive problemas algumas vezes com a questão de gênero na minha vida. Eu vejo como algo bem fluído e fácil de manipular”
 


Patrick,22. “Eu descobri que era ‘veado’ esse ano. ‘Gay ‘ é muito amigável e legal. ‘Veado’ está na chama a atenção . É não ter vergonha. E isso combina mais comigo”


Brandon, 18. Miami, Florida. “Minha avó é a pessoa mais importante para mim. Ela está sempre comigo, me ama diariamente e aceita quem eu sou”.


Homo Receita: "Gelatina arco-íris"




Trilha Especial: SILVA - "Okinawa" (ao vivo) feat. Fernanda Takai


Nenhum comentário:

Postar um comentário