sábado, setembro 20, 2014

CONFISSÕES DO DIVÃ





Os textos apresentados nesta seção buscarão ilustrar situações, angústias, problemas e experiências vivenciadas por alguns homens gays. Não existem experiências universais, comuns a todos os homens gays, cada um de nós é constituído e atravessado por diversas características que tornam a sua experiência única.  Nossa principal idéia aqui é pensar em possibilidades de enfrentamento para as questões aqui representadas, que em menor ou maior grau podem ser semelhantes com alguma das histórias vivenciadas por você. Essas histórias não são uma representação literal de histórias reais e sim textos fictícios.


O Dr. Alexandre é formado em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atua como psicólogo clínico no Espaço Recontar na região de São José / SC. Fundamenta seu trabalho pelos princípios da Psicologia Sistêmica. Compreender os fenômenos psicológicos sistemicamente significa, literalmente, “colocá-los” dentro de seu contexto, estabelecendo a natureza das suas relações.


Você pode fazer perguntas e sugerir temas que nosso psicólogo responderá com todo prazer.

Bem, vamos ao tema de hoje.



Sobre o Gouinage, Cock Docking e Frotting: Outras formas de prazer

Alexandre de Souza Amorim, Psicólogo
alexandresouza.psicologo@gmail.com





           

Estou me sentindo bastante chateado nos últimos tempos. Talvez esteja muito próximo de um quadro de depressão. Eu simplesmente não consigo me relacionar com ninguém. O “problema” é bastante simples: Eu não gosto de sexo com penetração anal. Não gosto de ser passivo e nem ativo. Eu gosto de trocar carinhos, de sentir o cheiro, o calor e chegar ao gozo de outra maneira. Mas toda vez é a mesma coisa, eu conheço um cara, nós nos interessamos um pelo o outro, mas quando eu falo que não gosto de penetração eles pulam fora. Já pensei em me submeter ao sexo convencional, mas tenho a certeza que não serei feliz assim e não conseguirei sustentar a situação por muito tempo. Sinto-me ainda mais sozinho que qualquer outro gay e fico pensando se o problema sou eu. O que posso fazer para sair dessa situação?
Ângelo, 22 anos

           
Ola Ângelo. Quero começar dizendo que não gostar de sexo com penetração não é um problema. Eu entendo que você esteja se sentindo muito sozinho, mas você não é o único que gosta e busca por outras formas de prazer.   

           
Existem algumas práticas sexuais que embora sejam pouco mencionadas, possuem um grande numero de praticantes. Vou citar algumas delas:      

           
O Gouinage: Explicando de maneira bem simples, é um sexo sem penetração anal. O prazer é alcançado por meio do que é comumente conhecido pelas “preliminares”. As carícias, o sexo oral e a criatividade são os instrumentos utilizados para conquistar a satisfação sexual. Sem ativos ou passivos. Alguns gouines relatam que livres da ausência da pressão, do desconforto e da tensão que sentem com a penetração, eles acabam encontrando o prazer que sempre buscaram.


O Cock Docking: Uma prática sexual com um tipo de penetração diferente. Um dos parceiros usa seu pênis para penetrar o prepúcio do outro. A masturbação durante o ato auxilia na obtenção do orgasmo.      

           
O Frotting: Também conhecido como Frottage, é a popularmente conhecida “luta de espadas”. Prática que consiste no roçar os pênis mutuamente.                       

           
Essas são apenas algumas de muitas outras práticas sexuais diferentes do sexo com penetração anal e que possuem muitos adeptos.       

           
Não há nada de errado em optar em buscar o prazer sexual por meio de uma delas ou mais delas. São apenas outras formas de prazer. Entende?    


Talvez buscar por pessoas que assim como você buscam por outras formas de prazer, possa ser o caminho. E com as inúmeras possibilidades proporcionadas pela internet, você pode buscar fazer essas novas amizades. Sempre com o cuidado que se deve ter com o uso das redes sociais.     

             


A sexualidade e o ato sexo para serem prazerosos precisam ser vivenciados à sua maneira. Não se submeta a práticas que te violentam. O sexo tem que ser consensual para te dar prazer. Permita-se explorar todos os seus sentidos. Você pode encontrar alguém que também prefira o cheiro, o sabor, o toque e o calor de outra forma de prazer.        









6 comentários:

  1. Uau! Eu não conhecia nada disso. Perdi alguma coisa? Me sentindo parado no tempo e só tenho 24 anos. Muito informativo. Muito legal. E é isso, viva a sua maneira. Não é possivel viver só para satisfazer as vontades da outra pessoa. Não tem como ser feliz.

    ResponderExcluir
  2. Ângelo tb sou adepto desse tipo de relação. Pra mim dá mais prazer- demora mais. se conhece mais a pessoa. E creio que se ter mais momentos prazerosos. Pena que são raras as pessoas que querem o outro como complemento, mas so por prazer e as vezes momentâneos.

    ResponderExcluir
  3. Também cheguei a pensar um dia que eu era o único do mundo e estaria condenado à rejeição. Somos a minoria da minoria e arcamos com consequências amargas. Mas hoje com 27 anos, já pude aceitar melhor a ideia. Simplesmente não me atrai a penetração, seja ativa ou passiva. As vezes que fiz foi por pressão e foi insignificante pra mim. Quero poder passar a vida inteira fazendo o que curto: beijos, sexo oral e explorar o corpo do outro de toda forma que se puder imaginar, sem ser cobrado pela "obrigação" da penetração.

    ResponderExcluir
  4. Gente que assunto quente! Me esparramando aqui de vontade de fazer tudo isso. Ângelo? Psicólogo? Alguém? To afim.

    ResponderExcluir
  5. Tmb sou adepto dessa prática. As vezes que tentei o sexo convencional, não me senti confortável.

    ResponderExcluir
  6. Eu pensava que era o único que não curtia a penetração.
    Muito boa a matéria, já conhecia esses métodos apesar de nunca ter feito sexo (tenho 21).

    ResponderExcluir