sábado, setembro 27, 2014

CONFISSÕES DO DIVÃ




Os textos apresentados nesta seção buscarão ilustrar situações, angústias, problemas e experiências vivenciadas por alguns homens gays. Não existem experiências universais, comuns a todos os homens gays, cada um de nós é constituído e atravessado por diversas características que tornam a sua experiência única.  Nossa principal ideia aqui é pensar em possibilidades de enfrentamento para as questões aqui representadas, que em menor ou maior grau podem ser semelhantes com alguma das histórias vivenciadas por você. Essas histórias não são uma representação literal de histórias reais e sim textos fictícios.


O Dr. Alexandre é formado em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atua como psicólogo clínico no Espaço Recontar na região de São José / SC. Fundamenta seu trabalho pelos princípios da Psicologia Sistêmica. Compreender os fenômenos psicológicos sistemicamente significa, literalmente, “colocá-los” dentro de seu contexto, estabelecendo a natureza das suas relações.


Você pode fazer perguntas e sugerir temas que nosso psicólogo responderá com todo prazer.

Bem, vamos ao tema de hoje.


Sou caseiro, e daí?  






Alexandre de Souza Amorim, Psicólogo
alexandresouza.psicologo@gmail.com

           

Estou cansado de ferver nas noites de São Paulo há muito tempo. Eu até curtia sair para balada quando eu recém havia saído do armário. Mas logo me dei conta que não havia nada lá para mim. O barulho me incomoda, a pegação me incomoda, os descamisados suados me incomodam, quase tudo me incomoda. Descobri um novo eu. Um cara caseiro, que gosta de cozinhar, de assistir filmes e seriados, de ir malhar na academia, de pegar a bike e pedalar pela cidade. E estou muito feliz assim, embora recentemente algumas coisas tenham me incomodado. A primeira delas foi o afastamento dos meus “amigos” e as criticas que eles têm feito por eu não querer mais acompanhá-los nas noitadas. A segunda coisa é que tenho achado bastante difícil encontrar um cara como eu. Não sei nem argumentar para defender as vantagens de namorar um cara caseiro e por conta disso estou solteiro há dois anos, mesmo tempo que parei de sair na noite. Devo voltar a freqüentar baladas, para não perder meus amigos e conseguir um namorado?
Alisson, 25 anos






           
Olá Alisson. Antes de falarmos sobre a sua pergunta vou convidá-lo para pensar algumas questões. Combinado?


Primeiro vamos pensar nas “vantagens” que você disse não conseguir identificar. Eu consigo enumerar algumas.


A primeira delas é a economia. Programas caseiros, ou ainda saídas ao cinema ou teatro, podem ser muito mais econômicas do ir para balada de quinta a domingo todas as semanas. Faz as contas e tenho certeza que você vai perceber que seus gastos diminuíram pela metade.


Outra vantagem está associada à qualidade das relações. Seja com os seus amigos ou com um namorado. Isso porque os programas caseiros podem ser mais intensos, intimistas e românticos. Você disse que descobriu que gosta de cozinhar. Comprar alguns ingredientes e fazer um jantar em casa é uma maneira de passar um bom tempo com quem a gente gosta. Em casa ou na casa da(s) pessoa(s) em questão. Sem o barulho das baladas, vocês poderão conversar mais e conseqüentemente se aproximar mais. Pode ser muito mais gostoso e essa é uma grande vantagem.


Agora vamos a sua pergunta. Algumas pessoas confundem um pouco sobre o que o psicólogo pode fazer por elas. Explicando de maneira bem simples: o psicólogo não decide nada por você. Ele não diz o que você deve fazer. As decisões são tomadas por você. O psicólogo pode ajudar você a pensar e clarear as possibilidades que você não esta conseguindo ver. Ajuda você a pensar sobre as conseqüências de seguir esse ou aquele caminho. E pode ajudá-lo a entender algumas coisas que acontecem com você que você não compreende muito bem.  

             
Sendo assim, eu não sei se você deve voltar a freqüentar as baladas. Você acha que isso te faria bem? Pergunto isso, porque pela minha experiência sei que viver para atender exclusivamente as necessidades das outras pessoas tem um preço muito caro.


Você disse que está muito feliz. Se esta muito feliz, por que deveria mudar? Vou ser piegas e ousar dizer que se esses amigos gostassem mesmo de você eles te entenderiam. Eles apoiariam a sua escolha, já que você esta feliz com ela. Talvez você devesse pensar se essas relações merecem esse sacrifício. E quanto a encontrar alguém... Você já pensou em como você esta se empenhando para que isso aconteça? Acho que existem muitos gays que como você, são caseiros e talvez seja só uma questão de procurar nos lugares certos. Com certeza não será nas baladas que você irá encontrá-los.  

            
Pense um pouco sobre tudo isso e tome a decisão que acreditar ser a melhor para você. Certo? Forte abraço.  
           






9 comentários:

  1. Eu também sou caseiro... curto o mesmo que vc curte e realmente é complicado encontrar alguém como a gente. Estou só a quase 4 anos. Não posso dizer que estou infeliz, mas me sinto incompleto.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. brow só o que posso te dizer é que pra encontrar alguém que também curta ser caseiro ou algo semelhante você deve fugir de baladas e tals. Pessoas assim você encontra em determinados círculos sociais, como faculdade, igreja, reunião de moradores, etc. São locais onde caseiros se sentem a vontade para compartilhar e participar sem o glamour das baladas, onde quem está principalmente está atrás de sexo e mais nada. Faça uma avaliação ai ao seu redor, veja o que você pode encaixar no seu dia a dia dessas opções ou semelhantes. Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Se eu já não fosse casado e super feliz, eu te procuraria. Somos iguais. E meu gato também.

    ResponderExcluir
  4. Tem muita gente caseira por aí. Se vc se interessa por conteúdo e não por embalagem, vc encontra fácil pessoas como vc e dificilmente vc procuraria outro, porque já haveria tanta afinidade que sabendo conversar, dura uma vida.

    ResponderExcluir
  5. Procura não se preocupar tanto em encontrar alguem, isso pode levar até ao desespero se não conseguir. Relaxa e curte a tua condição temporária de estar só, ter liberdade de sair com quem quiser, qualquer tipo de pessoa, considere de primeira uma boa amizade, foque nas pessoas, procure ver beleza nas pessoas sem interesse sexual, gostar de gente é fundamental. Esqueça-se um pouco de si mesmo, mas principalmente ame-se bastante.

    ResponderExcluir
  6. Alisson eu estou aqui, quero exatamente isso kkkkkkkkk bacana teu prfil fera, pena que moramos longe ja ia me candidatar... forte abraço! Jean

    ResponderExcluir
  7. se o Alisson fosse do RS seria mais fácil encontrá-lo, pena q mora longe :/

    ResponderExcluir
  8. através de jogos online tbm é possível, o que me surpreendeu mto ...

    ResponderExcluir