sexta-feira, setembro 12, 2014

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Dilma reconsidera




O setorial LGBT do PT, partido da candidata e presidente Dilma Rousseff, anunciou que no dia 20 de setembro a candidata lançará seu programa para a comunidade LGBT. Com presença da presidenta em encontro com líderes do movimento gay, as propostas devem marcar o novo casamento de Dilma com a comunidade gay, de quem ela se afastou em seu governo cedendo a pressão de grupos evangélicos que agora debandaram para o lado de Marina Silva. A sinalização é clara para explorar as diferenças entre as candidatas, já que Marina vem perdendo votos por conta de sua imagem de antiquada e dogmática, ao se declarar contra o casamento gay.
Dilma quer se mostrar uma candidata moderna e atenta às futuras gerações, já que se por um lado a rejeição ao casamento gay é alta entre os mais velhos e ignorantes, ela é muito menor entre as futuras gerações e pessoas estudadas. E é para o futuro que se governa...


Marina é contra




O pastor da Assembéia de Deus Luiz Gonzaga de Lima, 57 anos, conselheiro espiritual desde os anos 90 de Marina Silva, ex presidente da Assembléia de Deus no Acre, onde Marina nasceu, que testemunhou a conversão de fé da candidata a presidência, afirma que a Marina é "inflexível, mas coerente". Ele diz ainda que Marina defender o casamento gay seria "totalmente, completamente" contra os princípios dela. "Ela tem como fundamento que casamento é entre um homem e uma mulher. Isso é bíblico e constitucional. Marina leva isso ao pé da letra", afirmou o pastor que afirma que a candidata o procurou em 2010 antes de se candidatar à presidência pela primeira vez e recebeu o indulto e apoio da Igreja. Em entrevista ao jornal O Tempo, o pastor de Rio Branco, Acre, revelou um pouco mais sobre a misteriosa candidata.

Marina vaiada




A candidata Marina Silva sofreu vaia e foi hostilizada em Porto Alegre e Belo Horizonte por conta de seu recuo em seu programa de governo na questão LGBT. Acusada de fanática, de ceder a pressão do Pastor Silas Malafaia e a ser publicamente contra o casamento gay (chegou a dizer que casamento é entre homem em mulher) e a criminalização da homofobia por meio do PLC 122, além de retirar a proposta de um programa contra a homofobia nas escolas, Marina vem enfrentando resistência na comunidade LGBT. Sua segurança de campanha está em alerta e até o momento não houve nenhum excesso. Em Belo Horizonte, suas propostas eram ironizadas por gritos de "Se o Malafaia deixar".


Em “Selfie Anti-homofobia”, Silas Malafaia é alvo de protesto na Internet




Catraca Livre

Conhecido por suas declarações de cunho homofóbico, o pastor pentecostal da Igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo, Silas Malafaia, voltou a ganhar destaque nas mídias sociais. Desta vez, não por suas palavras, mas pela reação causada por elas.

Em um voo comercial, o líder religioso foi fotografado pela jovem Muriele Facure, protagonizando o que se pôde chamar de “Selfie Anti-Homofobia” e trazia os dizeres “Abra sua mente, gay também é gente”, lembrando a música “Robocop Gay” da banda Mamonas Assassinas.

Recentemente, Malafaia manifestou sua opinião contrária a questões ligadas aos direitos da comunidade homossexual. Na ocasião, por meio da sua conta no twitter, o pastor questionou o programa político da candidata à presidência Marina Sliva , em relação a propostas de apoio ao casamento gay e à criminalização da homofobia.


 Ninguém é perfeito.



A candidata pró LGBT à presidência Luciana Genro pediu desculpas por ter dito que todos os homofóbicos eram gays enrustidos no Facebook. A Candidata do Psol admitiu o erro, pediu desculpas e reiterou o comentário de uma seguidora que defendeu que exemplarmente "É o mesmo que dizer que uma pessoas para ser homofóbica necessarsiamente estaríamos falando de uma pessoa que precisaria ser gay", afirmou a eloquente trans paulista Daniela Andrade, que recebe aqui nossos elogios.

"Tens razão Daniela, minha intenção não foi isentar ninguém. Além disso, as generalizações são sempre injustas. Vamos seguir a luta! Obrigada pela contribuição ao meu discurso. Vou ser mais cuidadosa.", disse a candidata gaúcha.

O importante é que a candidata percebeu o erro e se desculpou.


Dignidade já!


Candidato a deputado estadual, professor Odair revela propostas para a comunidade LGBT


Seguindo com a visibilidade aos candidatos LGBT, chegou a vez de o professor Odair (PSOL) - que concorre ao cargo de deputado estadual em São Paulo (50955) - falar sobre suas propostas à comunidade.
O paulistano, que leciona no ensino da rede pública e particular, é formado em Matemática e especialista em Educação. Atualmente mora na Praia Grande, litoral de São Paulo.
Ele afirma que, por ser descendente de cigano, luta pelas minorias e participa dos movimentos LGBT. Dentre a sua luta, considera a criminalização da homofobia imprescindível e o debate sobre a diversidade nas escolas necessário.
Confira as propostas:
- Como professor, defendo a inserção do estudo da "diversidade", em todos os seus âmbitos, no currículo escolar.
- Exigimos tratamento digno à comunidade LGBTT, em todos os sistemas públicos, a começar pela Segurança Pública
- Pela defesa dos locais e guetos frequentados pela comunidade LGBTT
- Em SP, combateremos a homofobia, exigindo punições e combate do Estado a fim de extirpar essa arbitrariedade. Lutar em Brasília para que a homofobia seja um crime inafiançável e imprescritível.
- Queremos que 35% da arrecadação estadual seja para a educação
- Inserir em todas as escolas do estado de SP, que o combate a homofobia seja incluso nos projetos político-pedagógicos
- Descriminalização do Aborto
- Virada Cultural voltada ao povo LGBTT
- Criação da Delegacia Especial dos Crimes contra a comunidade LGBTT junto a Secretaria estadual de Segurança Pública


USA- Ato hediondo


Britânico que deu marteladas na cabeça de colega gay é sentenciado a 14 anos de prisão.


Joseph Williams, de 21 anos, foi sentenciado a 14 anos de prisão por ter dado marteladas na cabeça do ex-colega de apartamento, Connor Huntley (foto), de 18. O ex-amigo é assumidamente gay.

O ataque ocorreu em maio de 2013 em Margate, no Estado de Kent. Ele foi julgado pela Corte de Old Bailey, no Reino Unido.

De acordo com o jornal The Mirror, Joseph fez a agressão enquanto o ex-colega ainda dormia. Connor foi encontrado com o martelo na cabeça, ensanguentado e ainda com vida. O resultado foi a perda da parte do crânio e fraturas que impedem a movimentação.

A defesa alega que Joseph sofre de problemas mentais e que receberá um tratamento em um hospital durante parte da sentença. Já a família classifica o ataque como "ato hediondo" e, por meio de comunicado, disse que ninguém merece ser atacado.

"Ninguém merece ser tão violentamente atacado de uma maneira tão mal, independente da raça, idade, sexo ou sexualidade".

Nenhum comentário:

Postar um comentário