terça-feira, setembro 23, 2014

NOTICIAS DO MUNDO GAY

A união faz a força: Conheça os candidatos LGBT e vote!




Os candidatos LGBT buscam seu voto para combater os conservadores que impedem o avanço dos nossos direitos igualitários. Nestas eleições, encontramos 18 candidatos LGBTS (lésbicas, gays,bissexuais e transgêneros - travestis e transexuais) para os pleitos a candidato estadual e federal. As mulheres, incluindo as mulheres trans, são a maioria. Não temos candidatos gays assumidos para os cargos de senador e governador na Região Sul (O Ceará é o único que tem), e muito menos à presidência.
 
A importância de candidatos eleitos gays é para fazer frente à dominação de bancadas homofóbicas por todo o Brasil. Outros grupos articulam e conseguem, infelizmente são poucos exemplos de candidatos LGBT eleitos no Brasil. Ser gay não é garantia de que será um bom candidato para a comunidade, como mostrou o falecido Clodovil, conservador ao extremo. Mas podemos eleger candidatos interessados em levantar as nossas bandeiras, que fará frente e contraponto à homofobia na política, como o bom exemplo de Jean Wyllys (Psol – RJ).
 
Confira os nomes e mais informações no Facebook e sites dos candidatos abaixo:

Paraná
 
Para Deputado Estadual
Anaterra Viana 13.040 PT
Alex Julio Barbosa 50.174 PSOL
Leandro Dias 50.050 PSOL
Mauri Gauer 50.050 PSOL
Toni Reis 65.123 PC DO B
Xênia Mello 50.069 PSOL
 
Para Deputado Federal
Mel Campus 5055 PSOL
Letícia Lanz 5070 PSOL
Professora Marlei  1313 PT
Thiago Bagatin 5050 PSOL


Santa Catarina

Para Deputado Estadual
Leonel Camasão 50.500 PSOL
Georgia Martins Faust  50.050 PSOL
 
Para Deputado Federal
Angela Albino 6565 PC DO B

Rio Grande do Sul

Para Deputado Estadual
Luisa Stern 13.163 PT
Fernanda Melchionna 50.500 PSOL
 
Para Deputado Federal
Everlei 4000 PSB
Lucas Maróstica 5050 PSOL
Tiago Tessari 1452 PTB

RJ e SP:

Jean Wyllys para federal tem o número 5005; Em SP, Siveltty Montilla para estadual é 43077, Para federal tem o André Pomba 4396, o Léo Áquilla 1789 e o Bill 5019


Brasil quer que ONU fiscalize direitos dos gays




O governo do Brasil apresentará um projeto para manter de forma definitiva a defesa dos direitos dos homossexuais na agenda da Organização das Nações Unidas (ONU). A ideia é de que a ONU seja instruída a revisar de forma permanente violações contra homossexuais, o que criaria constrangimento em diversos governos do mundo que criminalizam esse comportamento.

O jornal "O Estado de S. Paulo" teve acesso a um rascunho do projeto de resolução que o Itamaraty pretende submeter às Nações Unidas - e promete dividir os representantes nacionais. Pela proposta, a organização seria obrigada a apresentar um informe da situação dos homossexuais no mundo a cada dois anos, algo que governos que hoje criminalizam o assunto rejeitam.

Uma votação está sendo prevista para o fim deste mês - em que ocorre a assembleia geral. Mas o projeto recebe forte oposição dos países muçulmanos e africanos, liderados por Paquistão e Arábia Saudita. O próprio Itamaraty admite que está tendo "sérias dificuldades" para negociar o texto da resolução, apesar de contar com o apoio de vários países sul-americanos e ocidentais.

Na prática, uma aprovação da resolução introduziria de uma vez por todas o assunto na agenda de direitos humanos da ONU. Para a Human Rights Watch, a iniciativa promete ser "polêmica", mas "é fundamental" para fazer avançar a defesa desse grupo.

No documento proposto pelo Brasil, a resolução ainda expressa "a grave preocupação com atos de violência e discriminação, em todas as regiões do mundo, cometidas contra indivíduos por orientação sexual".

E não é a primeira vez que o governo brasileiro tenta apresentar o projeto à ONU. Em 2003, o Itamaraty apresentou a primeira resolução sobre o assunto. Mas foi pressionado pelos países árabes a abandonar a ideia, antes mesmo de uma votação. Naquele momento, o texto apenas dizia que pessoas não poderiam ser discriminadas por sua orientação sexual. Na época, o governo do Paquistão chegou a discursar na assembleia, alertando que esse "problema de comportamento" não era "mundial" e se tratava de um "problema interno" de algumas sociedades.

Árabes e Vaticano

O governo de Luiz Inácio Lula da Silva acabou abandonando a ideia, diante da ameaça dos governos árabes de boicotarem a ideia do Itamaraty de realizar uma cúpula entre Oriente Médio e América do Sul. O Vaticano também fez um forte lobby contra a ideia.

Em 2011, o governo sul-africano apresentou uma nova proposta, pedindo apenas que a ONU fizesse um levantamento das violações. A resolução passou. Mas apenas com os votos ocidentais.

Agora, governos da Organização de Cooperação Islâmica garantiram à reportagem que vão fazer lobby contra o projeto brasileiro, insistindo que não existe lugar na ONU para estabelecer tal ideia como um princípio válido para todas as culturas. Desta vez nem o governo sul-africano tem apoiado o projeto, pressionado por parceiros africanos com uma população de maioria muçulmana.

Antes da votação, os países sul-americanos ainda aguardam para saber qual será a posição do Vaticano, que pode ter uma influência importante no debate. Até agora, a Santa Sé tem se mantido em silêncio sobre a proposta brasileira. Mas, segundo ONGs, não tem feito um lobby contra a resolução, ao contrário do que ocorreu em 2003. Ao voltar do Brasil, o papa Francisco abalou as estruturas do Vaticano ao dizer claramente: "Quem sou eu para julgar os gays".


PARAÍBA- Crime homofóbico
Vítima da homofobia, jovem gay de 17 anos é encontrado morto com tiro na cabeça




Wanderson Silva, de 17 anos, é mais uma vítima da homofobia. Ele foi encontrado nessa quarta-feira (17) em um matagal, em Bayeux, na Paraíba.

O jovem foi brutalmente espancado e levou um tiro na cabeça. Próximo ao corpo, estava um saco com o cabelo da vítima, que foi rapado.

Amigos e familiares declaram que o crime foi motivado por homofobia, uma vez que Wanderson era querido por todos da cidade e que não houve roubo.

A polícia ainda investiga o caso.

A morte de Wanderson remete ao recente caso de João Donati, que foi assassinado na última semana em Goiás e que mobilizou a comunidade LGBT.

Além de João, pelo menos outras quatro mortes de gays ocorreram no Brasil na última semana.


BH- Intolerância
Jovem é atacado e tem cabelo queimado durante ritual de purificação de gays, em BH.




Um homem de 19 anos foi atacado e torturado em Betim, região metropolitana de Belo Horizonte, para um "ritual de purificação". De acordo com o jornal "O Tempo", ele teve a barba e os cabelos queimados, os braços machucados e chegou a perder a consciência.

Em depoimento, o jovem relatou que na última quarta-feira (17), e em plena luz do dia, foi abordado na rua por dois homens que estavam dentro de uma Kombi branca - os mesmos que o agrediram cinco dias antes.

"Eles estavam com facas e me obrigaram a entrar no veículo", afirma o jovem que recebia agressões no abdômen e ao mesmo tempo escutava orações. "Eles pediam perdão pelos meus pecados, pediam que eu fosse salvo".

Depois, os agressores enrolaram um objeto feito de lã no braço da vítima e atearam fogo. "Desmaiei. Não sei se pelo cheiro da fumaça, pela dor ou pelo estresse do momento", afirma ele, que teve a barba e os cabelos queimados.

A vítima foi abandonada em uma rua próxima do local onde foi abordado e foi socorrido pelo namorado e um amigo. Ao seu lado foi encontrada uma carta, que dizia fazer uma "limpeza em Betim e trazer o fogo da purificação a cada um que andar nas ruas declarando seu 'amor' bestial".

O caso foi registrado na 4ª Delegacia de Polícia de Betim e é investigado como tentativa de homicídio e crime religioso.


 Suposta carta de fundamentalistas cristãos homofóbicos e ataque com ritual de purificação com fogo assustam gays de Betim




Os gays da cidade mineira de Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais, estão assustados depois que na quarta-feira da semana passada um grupo três homens teria abordado um rapaz gay de 19 anos e tacado fogo em seu braço. Segundo o rapaz que alega ter sido torturado, depois de sequestrado e colocado em uma Kombi branca, ele foi agredido por cerca de 40 minutos, quando os homens enrolaram um pano em seu braço e tacaram fogo nee. O rapaz alega ainda que os homens deixaram um bilhete em sua calça.

O rapaz alega que foi agredido principalmente no abdômen enquanto eram feitas orações. “Desmaiei. Não sei se pelo cheiro da fumaça, pela dor ou pelo estresse do momento”, afirmou ele que depois ligou para o namorado que o socorreu. O crime aconteceu por volta das 14h da tarde.

O caso foi registrado na 4ª Delegacia de Polícia de Betim que investiga a denúncia. O mesmo rapaz havia sido vítima de homofobia na semana anterior e ele afirma que eram os mesmos agressores, desta vez munidos de facas. Por conta do segundo ataque, ele teve o braço e parte da barba queimados. O rapaz denunciou o fato em seu Facebook e o portal Betim On Line divulgou o conteúdo da carta apresentada pelo rapaz à polícia. A carta diz que grupo promovera uma “limpeza em Betim” e cita Jesus Cristo e critica a homossexualidade em tom religioso.
 
Confira o teor da carta:
 
"Faremos uma limpeza em Betim
 
A cada um desses que andam pelas ruas declarando seu "amor" bestial traremos o fogo santo da purificação para que quando fizermos nosso papel de apresentá-lo ao senhor Jesus Cristo elas possam passar pela sua provação
 
Esse foi apenas o primeiro na cidade a passar pela purificação
 
Todos os que tivermos acesso passarão também
 
E esse é o recado que o nosso salvador transmite através de nós seus servos.
 
Que acabe a abominação da homossexualidade
 
Que acabe sua sujeira nesse mundo
 
Amém"


Homofobia no DF: jovem é agredido com chutes e socos na rua.


Depois de ser enforcado e de levar cotoveladas na cabeça,
o jovem ficou fraco e sem condições de se levantar


R7

Vítima acusa amigo de uma prima de ser homofóbico, que teria se vingado

Um jovem homossexual foi agredido com chutes e socos ao chegar em casa. A vítima, o atendente Rodrigo Valdonado foi abordada por um homem no Guará (DF). A vítima conseguiu se levantar e correr depois de ser derrubada, mas foi seguida pelo agressor, que o derrubou novamente e continuou com as agressões. As cenas foram filmadas por câmeras de segurança do local.

— Eu estava pegando as chaves de casa na mochila quando comecei a ser agredido.

As agressões continuaram até vizinhos interferirem. Depois de ser enforcado e de levar cotoveladas na cabeça, o jovem ficou fraco e sem condições de se levantar. Diante das pessoas que estavam na calçada onde ocorreram as agressões, o jovem sofreu agressões verbais.

Segundo Valdonado, o agressor seria amigo de sua prima, que esteve por perto durante a agressão. Ainda de acordo com o atendente, ele e a prima teriam se desentendido no dia anterior. Ela, então, teria chamado o amigo para agredi-lo. O agressor teria se motivado pelo fato de a vítima ser gay.

— Ele é homofóbico e aceitou me bater porque sou gay.

O jovem foi socorrido por uma ambulância, que chegou cerca de 20 minutos depois de ser acionada. A polícia também foi ao local. O atendente foi encaminhado para o Hospital Regional de Taguatinga. O caso é investigado pela 4ª Delegacia de Polícia do Distrito Federal, mas segundo a Divisão de Comunicação da Polícia Civil, na ocorrência registrada, não consta que houve crime de homofobia.

Ministra dos Direitos Humanos fala sobre Invisibilidade Lésbica e estupro corretivo em artigo




A ministra dos Direitos Humanos, a catarinense Ideli Salvatti, publicou na coluna de Opinião do Jornal O Globo no final do mês passado o texto “Um Brasil livre de preconceito”. Por conta do dia da visibilidade lésbica, 29 de agosto, a ministra falou sobre o tema e destacou o quanto as mulheres lésbicas são vítimas de lesbofobia e do machismo.

A “invisibilidade lésbica” “reflete a repressão histórica imposta às mulheres, subjugadas em sua sexualidade e reduzidas ao papel de meras reprodutoras. As mulheres trabalhadoras são ainda mais suscetíveis à violência, sofrendo a opressão intensificada pela exploração cotidiana. Os chamados “estupros corretivos” baseiam-se na ideia de que a homossexualidade feminina pode ser “curada” e que seria uma ameaça constante na vida de milhares de lésbicas. Esse crime é uma das piores consequências da combinação do machismo com a lesbofobia”, afirma a ministra que revela que 37,6% das vítimas do Dique 100, contra a homofobia, são lésbicas.

“De 2011 para 2012, as denúncias aumentaram 166%. E os denunciantes mudaram. Em 2011, eram, em grande parte (41,9%), as próprias vítimas. No ano seguinte, 47,3% eram desconhecidos, sugerindo que a sociedade cada vez mais denuncia as violações de direitos humanos da população LGBT. A maioria das vítimas (60%) não era branca, ou seja, racismo e homofobia andam juntos, sugerindo uma triste realidade: o preconceito se manifesta de forma tão mais explícita quanto for elevada a vulnerabilidade percebida da vítima”, ponderou a ministra que destacou ainda a necessidade de combater a homofobia.

“É preciso dar um basta à violência homofóbica — entendida como a violência praticada contra qualquer pessoa pelo motivo de sua orientação sexual real ou percebida. É fundamental que o país seja chamado à reflexão e que todos se mobilizem. A democracia brasileira não pode mais conviver com a intolerância, o preconceito”, afirmou ela.

( A religiao e´a desgraça da humanidade. Em todos os periodos da historia humana, a religiao serviu para oprimir as pessoas; o povo , atraves de um suposto deus. Guerras, odio e intolerancia acontecem desde o principio da humanidade ate os dias de hoje. E´so assitir os acontecimentos do Oriente Medio, e o cristianismo fundamentalista. A religiao serve apenas como um instrumento de dominaçao das massas para alcançar os objetivos de suas lideranças, e nao para levar conforto e esperança, que atualmente, ja e´ coisa do passado).

3 comentários:

  1. Obrigado pela matéria sobre os candidatos aqui na região sul, desde já fico muito grato. Infelizmente o voto ainda é obrigatório, vejo um vislumbre de mudança, quando o voto se tornar facultativo, por enquanto vivemos nessa democracia disfarçada. Obrigado pelo trabalho de voces. Sempre.

    ResponderExcluir
  2. Marcelo, obrigado pela visita. Iemos postar candidatos pro-LGBT, assim que surgirem.
    E´importante votar em candidados o de `pro-Lgbt, para diminuir a influencia evangelica no governo. Como voce deve ter visto em campanhas, o numero de ```pastores ` evangelicos fundamentalistas aumetaram consideravelmente.. Temo que o Brasil torne-se em um pais
    evangelico , em lugar ao PAIS LAICO. Chega de teocracia fundamentalista !!

    ResponderExcluir
  3. A religiao e´a desgraça da humanidade. Em todos os periodos da historia humana, a religiao serviu para oprimir as pessoas; o povo , atraves de um suposto deus. Guerras, odio e intolerancia acontecem desde o principio da humanidade ate os dias de hoje. E´so assitir os acontecimentos do Oriente Medio, e o cristianismo fundamentalista. A religiao serve apenas como um instrumento de dominaçao das massas para alcançar os objetivos de suas lideranças, e nao para levar conforto e esperança, que atualmente, ja e´ coisa do passado. Nao sei quem sao os mais doentes mentais,: os religiosos fundamentalistas com seu odio, intoleranca, ,fanatismo, surtos de poder e dinheiro ou os homossexuais com seu Amor.

    ResponderExcluir