Slide 1 Slide 2 Slide 3

FILMES TEMATICOS GLS



FILMES DA QUARTA-FEIRA (WEDNESDAY´S MOVIES)


FILME(INEDITO): BETONIYO (FINLAND-2013-LONGA RMVB-LEGENDADO EM PORTUGUES)


VEJAM O TRAILER NO FIM DO  POST


SINOPSE: Simo, um garoto de 14 anos que ainda não tem um senso próprio de si e nem a capacidade de se proteger apropriadamente do mundo que o cerca, e seu irmão mais velho, Ilkka, são filhos de uma mãe solteira indefesa e imprevisível. Seu lar caótico é localizado nas profundezas do coração de uma selva de pedra em Helsinki. Ilkka tem um dia de liberdade antes de começar a cumprir sua pena na cadeia, portanto a mãe convence Simo a passar a última noite com o seu irmão. Certas coisas acontecem neste intervalo de um dia e noite em Helsinki, e Simo testemunha incidentes que ele preferia não ver. Simo, que não tem a capacidade de distorcer o que vê ou de se iludir, vê as coisas exatamente como elas são. Quando não filtrado, o mundo parece insuportável.

SINOPSIS: Simo, un niño de 14 años de edad, que no tiene su propio sentido de sí mismo y no la capacidad de proteger adecuadamente el mundo de él, y su hermano mayor, Ilkka alrededor, son hijos de una madre soltera indefenso e impredecible. Su hogar caótico está situado en el corazón de una selva de cemento en Helsinki. Ilkka tiene un día de libertad antes de comenzar a cumplir su condena en la cárcel, por lo que la madre convence Simo para pasar la última noche con su hermano. Ciertas cosas suceden en este intervalo de un día y noche en Helsinki, y Simo presencian incidentes que prefería no ver. Simo, que no tiene la capacidad de distorsionar lo que se ve o se engaña, ve las cosas tal como son. Cuando no filtrado, el mundo parece insoportable.

SYNOPSIS: Simo, a 14-year-old who does not have their own sense of self and not the ability to properly protect the world around him, and his older brother, Ilkka, are children of a helpless and unpredictable single mother. Its chaotic home is located deep in the heart of a concrete jungle in Helsinki. Ilkka has a day of freedom before begin serving his time in jail, so the mother convinces Simo to spend the last night with his brother. Certain things happen in this interval of a day and night in Helsinki, and Simo witness incidents that he would rather not see. Simo, who does not have the ability to distort what you see or deceive, see things exactly as they are. When unfiltered, the world seems unbearable.



OPÇAO2: https://equipegd1.app.box.com/s/yrqniz9yqp45gl2kum0e


OPÇAO3: TORRENTZ

http://www.torrents.net/torrent/5057223/Betoniyo%CC%88-%282013%29/



LEYENDA ESPANOL: http://depositfiles.org/files/ix5d9j5u1

ENGLISH SUBTITLE: http://depositfiles.org/files/e8cdps1k4


FILME(INEDITO): LO CONTRARIO AL AMOR (SPAIN-2011- LONGA RMVB- LEGENDADO EM PORTUGUES)


VEJAM O TRAILER NO FIM DO POST


SINOPSE: Mérce é uma garota reflexiva que vive de rodeios. Há um ano solteira não pensa em novos relacionamentos. Mas em uma visita a uma vidente com sua irmã ela recebe o aviso que o homem de sua vida está chegando. Depois de ficarem presas num elevador, Mérce conhece Raúl, um bombeiro. Logo acabam se apaixonando, mas Mérce tem medo de repetir seu comportamento paranóico e obsessivo de outros relacionamentos, enquanto Raúl sente medo de ter sua vida podada pelos caprichos de mais uma namorada. Onde isso vai parar?

SINOPSIS: Merce es una chica reflexiva rodeos vivir. Hay un solo año no piensa en nuevas relaciones. Pero en una visita a un psíquico con su hermana que ella reciba el aviso de que el hombre de su vida está por llegar. Después de conseguir atrapados en un ascensor, Merce sabe Raúl, un bombero. Pronto se enamoran, pero la misericordia tiene miedo a repetir su comportamiento paranoico y obsesivo de otras relaciones, mientras que Raúl tiene miedo de tener su vida podado por otro capricho novia. ¿Dónde se detendrá?

SYNOPSIS: Merce is a reflective girl living rodeos. There is a single year does not think in new relationships. But on a visit to a psychic with her sister she receives notice that the man of your life is coming. After getting stuck in an elevator, Merce know Raúl, a firefighter. Soon fall in love, but mercy is afraid to repeat his paranoid and obsessive behavior of other relationships, while Raul is afraid of having his life pruned by yet another girlfriend whim. Where will it end?


OPÇAO1: http://bee-files.com/ixqdsdolue2q/Lo_Contrario_al_Amor.rmvb


OPÇAO2: TORRENTZ

http://www.torrents.net/torrent/6069788/Lo.Contrario.Al.Amor.DVD.XviD.%5Bwww.DivxTotaL.com%5D.avi/



ENGLISH SUBTITLE: http://depositfiles.org/files/5k83wxkcv


FILME(REPOSTAGEM): BEAUTIFUL BOXER (THAILAND-2004-LONGA RMVB- LEGENDADO EM PORTUGUES)


VEJAM O TRAILER NO FIM DO POST


SINOPSE: ELE LUTA COMO UM HOMEM PARA SE TORNAR UMA MULHER!!!!! É a história verídica de Nong Toom, um famoso lutador de Muay Thai que se tornou atleta para conseguir juntar dinheiro para ajudar a sua família (oriundo de um meio extremamente pobre) e submeter-se a uma operação de mudança de sexo (daí o título sugestivo, Beautiful Boxer).

SINOPSIS: HE pelea como un hombre para convertirse en mujer !!!!! Es la verdadera historia de Nong Toom, un famoso luchador de Muay Thai que se convirtió en atleta para conseguir suficiente dinero para ayudar a su familia (que viene de un ambiente extremadamente pobres) y para someterse a una operación de cambio de sexo (de ahí el título sugerente, Beautiful Boxer).

SYNOPSIS: SE battre comme un homme de devenir une femme !!!!! Ce est l'histoire vraie de Nong Toom, un célèbre combattant de Muay Thai qui est devenu athlète à obtenir assez d'argent pour aider sa famille (provenant d'un environnement extrêmement pauvres) et à subir une opération de changement de sexe (d'où le titre suggestif, Beautiful Boxer).

SYNOPSIS: HE FIGHT LIKE A MAN TO BECOME A WOMAN !!!!! It is the true story of Nong Toom, a famous Muay Thai fighter who became athlete to get enough money to help his family (coming from an extremely poor environment) and to undergo a sex change operation (hence the title suggestive, Beautiful Boxer).




OPÇAO2: TORRENTZ

http://www.torrentdownloads.me/torrent/490102/Beautiful+Boxer%282003%29DVDripXvid%28Thai%29+BlacKKnight


LEGENDA PORTUGUES: http://depositfiles.org/files/rusq75at6

LEYENDA ESPANOL: http://depositfiles.org/files/72klzs68k

LÉGENDE FRANÇAISE: http://depositfiles.org/files/no9ivulhl

ENGLISH SUBTITLE: http://depositfiles.org/files/1v4hoin3u


FILME(REPOSTAGEM): PERFMANCE ANXIETY (USA-2012-CURTA AVI-LEGENDADO EM PORTUGUES)


ASSISTAM AO FILME LEGENDADO ABAIXO


SINOPSE: Dois atores heterossexuais ensaiam para uma cena de amor gay. Eles não estão confortáveis com isso no começo, mas como eles lidam com táticas diferentes, parece que eles podem dar mais do que o que eles haviam originalmente planejado.


SYNOPSIS: Two heterosexual actors rehearse for a gay love scene. They are not comfortable with it at first, but as they deal with different tactics, it seems that they can give more than what they had originally planned.

 


http://bee-files.com/g29cn9b9ntzg/Performance_Anxiety_(2012).avi.html

 

1.Como legendar os filmes

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (2) Comente aqui!

2 comentários:

CONTOS DO LEITOR


Ébano e Marfim, uma combinação além dos teclados de um piano – 

Parte 16







Davi apenas levantou o rosto para olhar o amado bem fundo nos olhos após ele dizer que o amava também, e antes dele falar Kadu disse:

_ Nunca mais meu nego peça algo que não tenciono fazer... Afastar você da minha vida, é como se eu largasse mãos da minha felicidade... lembra que um dia disse a você que amei e por motivos ilusórios e descabidos eu deixei esse amor ir embora sem que uma única luta fosse travada por mim para poder conservar esse amor? Então amor, pode ficar certo de que isso não vai acontecer novamente... Eu te amo Davi Lima e Silva...


E Kadu avançou para os lábios do amado com vontade e começou a chupá-lo com um desejo crescente que o fez agarrar o corpo de Davi não apenas para fazê-lo sentir-se seguro, mas também para poder sentir toda a força, calmaria, tesão e entrega, desejo, querer que só esse garoto lindo despertava nele.

_ Passeia pelo meu corpo amor, me conhece por inteiro... Pediu Kadu.


Davi começou pela boca do amado e sua língua macia e quente... O ex jogador relaxou mais ainda em cima da cama e ficou completamente ereto com as chupadas e lambidas que já começavam a lhe deixar extasiado... O garoto desceu seus lábios grossos e famintos pelo pescoço do amado e lentamente marcou com sua língua um caminho reto que lhe fez chegar nos mamilos de Kadu, que ao sentir a áspera língua do seu amado, colocou as mãos atrás da cabeça e disse com todo o tesão que sua voz pôde dizer:

_ Tudo seu amor... chupa forte... lambe meu peito todo... Aaahhhhh meu nego que delicia...


A voz do ex jogador, teve um efeito mágico no garoto que passou a caprichar mais ainda no que fazia...

_ Morde amor... Me marca... Aaaahhhhhhhh...

Poderá gostar também de:
Postado por Mac Del Rey | (0) Comente aqui!

0 comentários:

DICAS DE SAÚDE


Ressaca, como Curar?

Adaptado do artigo do Gastroenterologista

Bruno Rasmussen





O consumo de álcool aumenta em quantidade significativa durante os jogos do Brasil na Copa. O produto de maior saída é, disparada, a cerveja. A venda aquecida representa, na verdade, um aumento no número de bebedores.


O médico gastroenterologista Bruno Daniel Rasmussen Chaves alerta que consumidores eventuais de bebidas alcoólicas acabam sofrendo mais pelo mal-estar causado por bebidas que pessoas que bebem costumeiramente.


Ao contrário do que se pensa, no caso de bebedeiras esporádicas, o órgão mais atingido não é o fígado, mas o estômago. “No caso de uma ingestão continuada de álcool, o órgão que sente mais é o fígado. Já em um episódio agudo de bebedeira, o maior prejudicado é o estômago. Chamamos de gastrite alcoólica e o estômago fica irritado”, explica o especialista.


Segundo ele, a forma que o organismo encontra para se defender é colocar o que está irritando o estômago para fora, por isso o vômito. “Podemos reparar que pessoas habituadas a beber são mais resistentes e dificilmente vomitam. Já quem não costuma ingerir álcool, este será o primeiro efeito colateral”.



Poderá gostar também de:
Postado por Mac Del Rey | (1) Comente aqui!

1 comentários:

Paquera


Oi pessoal tudo bem?

O relato de hoje foi enviado pelo Lucas e ele que a opinião de vocês sobre uma possível paquera e de como lida com essa situação.

"É aí que eu peço a ajuda de vocês. Primeiro, de fato acham, pelo que escrevi, que ele estava me paquerando, mesmo sem ter sorrido ou falado algo? Fui grosseiro ao sair de forma brusca e sem ter tentado me comunicar? Se fui grosseiro, ainda posso ter chances ? O que eu deveria fazer caso o encontre novamente? Como saber se ele também curte homens? Se a gente se comunicasse, como eu deveria proceder pra tentar levar isso adiante na discrição? "


Titulo sugerido:


Paquera 





Olá, pessoal. 

Frequento o Blog a bastante tempo, desde os primórdios, mas nunca participei nem escrevi um comentário sequer. Sempre entrei pra ver fotos, dicas de filmes e em raras ocasiões ler algum relato. Bem, aconteceu algo comigo essa semana, talvez até bastante trivial para a maioria das pessoas e principalmente para alguém da minha idade (29),  mas que me encorajou a escrever pela primeira vez aqui: uma simples paquera. 

Sou gay, não tenho dúvidas quanto a isso, mas não sou assumido.  É difícil se descrever mas podemos dizer que sou um cara bacana, bonito, boa pinta, tenho corpo legal, curto esportes, tecnologia, carros, tenho alguns bons amigos e vários conhecidos, sou discreto e relativamente tímido. 

Aquele amigo que sempre está no ponto pra socorrer alguém e ajudar. 

Ficava bastante com mulheres, o que tenho feito com menos frequência porque na verdade eu fazia isso sem sentir prazer mas simplesmente pra fingir pros outros.  Apesar de ainda morar com os pais, tenho boa condição financeira. Segundo meus velhos, se eu ainda não casei, pra que sair de casa?  Resumindo, se alguém olha pra mim por fora poderia presumir que eu sou um cara feliz e de bem com a vida. Infelizmente, essa não é a realidade e isso tem um simples motivo: apesar de saber que sou gay desde adolescente quando já sentia atração por homens, nunca saí com um cara. Sim, com homem, ainda sou virgem. Eu nunca toquei, nunca beijei um cara. Pior é que isso foi uma decisão minha.  Eu sei que poderia tentar encontrar alguém através da internet, como no bate papo Uol, aplicativos de celular e, em último caso, poderia até sair com um GP, mas eu decidi que iria viver assim e nos momentos de desejo, aliviar o tesão vendo vídeos na internet. Achava (ou enganava-me?) que poderia aguentar. 

Bom, essa semana aconteceu algo até de certa forma rotineiro, mas que mexeu comigo: 

uma provável paquera. Eu sempre vou correr em um parque na minha cidade. Moro em uma capital de um estado intermediário. Nem dos mais ricos, nem dos mais pobres.  Creio também que já fui paquerado inúmeras vezes (o anonimato me permite me fazer essa descrição honesta sem parecer afobado ou arrogante - sou um cara bonito, atleta, boa pinta), mas dessa vez senti algo diferente. Antes, se alguém olhava pra mim no que eu interpretava ser uma paquera, seja durante as corridas, lutas, caminhadas ou até mesmo na academia, eu logo baixava ou virava rosto. Não permitia aquilo ir adiante. Na última terça feira, porém, eu acho que fui paquerado e pela primeira vez continuei olhando, não virei rosto, olhei direto nos olhos do cara, paquerei de volta. Nós vinhamos correndo em sentidos opostos e quando cruzamos ele me deu uma olhada firme e eu retribuí. Depois daí corri mais alguns metros e parei.  Ele continuo o percurso. Não tem como eu descrever, mas eu senti uma atração muito forte. Era uma mistura de medo e desejo. Meu coração estava acelerado e não era da corrida. Resolvi ir logo pra casa, tentar tomar um banho e esquecer, mas não foi o que aconteceu. Passei a noite e o dia seguinte só pensando no cara. Eu queria ver aquele cara novamente. Na quarta feira voltei pra pista no mesmo horário do dia anterior, que não costuma ser meu horário normal, geralmente mais cedo. Fui com o objetivo de tentar vê-lo novamente mas não o encontrei. Na quinta, tive sorte, ele estava lá. 

Logo quando cheguei, ainda aquecendo, eu o avistei. Resolvi correr novamente no sentido contrário ao dele para permitir um cruzamento, o que ocorreu. De novo, ele me deu uma olhada direta, firme, coisa que também o fiz e continuou correndo. Eu fiquei nervoso e depois de algumas passadas resolvi parar, fingi que estava amarrando os cadarços mas na verdade estava tomando fôlego. Quando menos espero, eu ainda agachado, ele passa por mim novamente. Deve ter dobrado logo depois do nosso cruzamento e passou a correr no meu sentido. Eu queria correr pra ficar olhando pra ele de perto mas não conseguia.


Poderá gostar também de:
Postado por Estagiario | (8) Comente aqui!

8 comentários:

MINHA VIDA GAY



Os caminhos de Ruan.




Bom dia MVG! Há mais ou menos 1 ano, descobri esse site maravilhoso mas até então tinha me mantido neutro, curti a página do Facebook, leio os posts aqui e lá, curto alguma foto ou compartilho outras mas nada de compartilhar algo pessoal, tenho a vida meio corrida e quando gosto de escrever gosto de detalhar tudo para que nada saia errado, hoje resolvi contar um pouco sobre mim e meu relacionamento.

Fui um cara que me descobri cedo, no colégio mais ou menos com 8, 9 anos de idade, olhava pros garotos, sentia desejo por eles e muitas vezes ia pro banheiro pra vê-los, achava aquilo natural, no início da pré-adolescência que as coisas começaram a se encaixar, sempre fui um menino hiperativo e meio rebelde, pisciano nato, frequentei por longos anos a terapia, terapia essa que me ajudou muito a me tornar o que sou hoje em dia. Por volta dos meus 16 anos minha família descobre que sou gay, como? Simples! Era de MSN e ICQ, gravaram o histórico, leram e tudo estava feito! Me indagaram e me colocaram na parede, tive que confessar… rs!

Fui criado pelos meus avós por parte de pai e pela minha tia ao qual chamo de Mãe, uma mulher maravilhosa… mas não, eles não me aceitaram e nem aceitam. Passei por diversas fases, inclusive algumas fases as quais você passou e relatou no Blog eu passei mais novo; primeiro eu tinha aquela vontade grande de que me aceitassem e de me assumir pra todos… o tempo foi passando, as coisas mudando, eu sempre buscando estudos, vida espiritual e a experiência com o outro. Hoje me coloco diferente disso, hoje busco o respeito, nada mais.

É estranho e totalmente errado querermos impor algo nas pessoas ou na sociedade, o gay é mal visto muitas vezes por isso, por essa atitude radical de aceitação extremista. Problema sério de muita militância hoje em dia. Agora o respeito, é fundamental, diz uma amiga e cabeleireira “respeito é bom e mantém os dentes na boca”.

Respeitar é ser humano, é saber que o outro possui o seu espaço, sua vida e suas ideologias, é acreditar que não existe uma verdade absoluta e sim a verdade de cada um, é meio complicado, mas é bem por aí.

Sempre me relacionava rápido com qualquer cara, nunca pensava em namorar, na verdade eu não tinha saco para tal coisa, mas vivi o meu tempo tentando não ser precoce nas descobertas, passei a sair de casa apenas depois dos 18, sem aquela loucura dos amigos de falsificar a identidade e ter histórias pra contar na semana seguinte no Ensino Médio. Perdi a virgindade, digamos, tarde também e graças a Deus, sempre fui bem resolvido para mim, que era o que importava. Minha sexualidade eu deixava na cama, em 4 paredes, no dia a dia, é normal para mim ser gay… é fácil, as pessoas que complicam!

Na época da faculdade, em 2010, sempre sonhei e quis fazer História, prestei Vestibular pra isso e para Administração de Empresas, não tive sucesso com o vestibular de História. Quando me deparei, estava na faculdade numa aula qualquer de TGA e essas teorias chatas de Administração… o tempo passou, perdi meu Avô, que sempre foi muito mais que um Pai, era um Rei, era daqueles homens que podia está triste, chateado, que mesmo assim abria aquele sorriso e se doava pra qualquer um.

Arrumei meu primeiro emprego, me destaquei logo de início (quem disse que gay não se destaca numa empresa?) e recebi uma proposta da minha antiga chefe de trabalhar na área contábil com ela, foi aí que resolvi mudar, fiz um técnico de contábeis, na faculdade mesmo que eu estudava e abandonei Administração.

Confesso que fiz por impulso e incentivo daquela mulher que eu passei a admirar como chefe e amiga.

Mais uns poucos meses se passaram e eu perdi a minha avó, exatamente no dia do meu aniversário, 7 meses depois que meu avô tinha ido, alguns dizem que ela não aguentou de saudades e foi ficar com ele, aquelas coisas de consolar o outro sabe?

Afinal, eram 53 anos de casado, com uma bodas de ouro linda, 5 filhos, 8 netos , 1 bisneta e muito legado e história pra contar, um casamento lindo. Tive que dar a volta por cima rápido, e continuei a viver, munido do meu pensamento lá na frente, do meu sorriso no rosto, das minhas piadas, do bom humor e da minha fé que nunca me abandonou.

Minha religião foi muito importante em todo esse processo. No final de abril de 2013, conheço meu atual namorado, estávamos numa festa de aniversário, ele lá com algumas colegas e eu com os meus; os olhares se encontravam a todo momento, ele mais assanhado dava entendimentos que queria falar comigo, eu mais fechado e linha dura, fingia que não estava vendo… deixei passar, no final da festa ele não se aguentou e veio falar comigo diretamente, conversamos um pouco e ele foi embora.

Confesso que fui pra casa e não conseguia esquecer, ele vinha e ia na minha mente toda hora, dormi mal por estar pensando numa pessoa que nunca tinha visto na vida, mas que estava mexendo comigo. Não resisti e graças ao advento da internet, achei ele no facebook e o adicionei, após isso foram mais 24 horas de agonia para ele me aceitar e enfim começarmos uma conversa. Eu estava saindo com alguns caras na época mas me coloquei a disposição para largar tudo e ficar com ele, até quando eu descubro o quê?

Ele tinha namorado! Rs!

Não era um namorado de datas, era um tal cara que ele estava ficando há 1 mês, e esse cara para minha surpresa estava na festa e eu não sabia nada! rs! Pois bem, 3 dias depois marcamos de nos ver, batermos um papo e bebericar algo; a princípio ele me dizia que tinha seus 19 anos, que tinha carro, moto e etc… coisas para me impressionar, já eu quase formado, sempre gostei de roupas de marca, lugares interessantes, um bom papo e uma boa música de fundo. Não me importava pelo o que ele dizia que tinha, estava me encantando pela pessoa que ele era, engraçado que ele não tinha papo, conversa, nada! Mas eu estava me encantando, eu, que tinha saído com caras formados, mestres e etc estava me encantando por um menino de 19 anos… o amor é cego, viu?

O tempo passou, ele terminou com tal cara pra ficar comigo, ficamos, ficamos e ficamos, ele fazia de tudo pra me ver, moramos um pouco longe, eu sou do Rio de Janeiro, da cidade do RJ, Zona Norte, e ele de Petrópolis, região serrana do Rio, mesmo assim ele descia de carro, me pegava na faculdade num lindo meio da semana e eu? Estava encantado com tudo isso! E o tempo foi passando…

…fui apresentado a Mãe dele, a Avó, Avô, Tios e Irmão, de início me olhavam desconfiado, são uma família simples, humilde e me olhavam bem vestido, diferente! Mas conquistei eles, e com o passar do tempo eles me conquistaram também e hoje nosso relacionamento é maravilhoso, principalmente com minha sogra.

Só que nem tudo são flores, estamos há 1 ano e 7 meses juntos, nosso relacionamento é praticamente cheio de idas e vindas… idas e vindas essas que sofri muito e tive que perdoar muito! Primeiro, com 3 meses de namoro, eu confiando nele plenamente, sem cobranças ou perturbações, mesmo ele morando longe e eu o vendo todo final de semana, descobri algumas conversas (eram muitas) no facebook dele com muitas caras, muitas conversas em tom de perversão, e com até promessas de futuros encontros… meu mundo tinha caído, tudo que eu sempre quis estava ali, perdido, nunca tinha chorado por homem nenhum, mas a lágrima caiu… foi caindo… rolou… terminei com ele, e em menos de 2 semanas, o perdoei e voltamos, o tempo passou… descobri que ele não tinha 19 anos… ele tinha 17, o aniversário dele que passei com ele ao qual pensei q ele estava fazendo 20, na verdade ele estava fazendo 18! Incrível não?

Descobri que ele não tinha estudado mais, que ele tinha parado no ensino fundamental, que ele não tinha carteira de motorista (afinal, ele tinha 17, rs) que o carro que ele usava para me pegar na faculdade na verdade era da Avó dele e a moto que ele dizia que tinha era de sua mãe! Nossa! Outro baque! Outra porrada… e lá vai eu, forte, maleável, apaixonado, quase amando já e sempre querendo promover o diálogo conversar com ele, o mesmo me relatou em prantos que quando me conheceu, viu que eu era o tipo de cara que nunca deu a bola pra ele, playboyzinho como ele sempre me achou, ele achava que meu mundo, de faculdade, estudos, dono do meu próprio nariz, com dinheiro e “cartão de crédito” não era compatível com o mundo dele, por isso as mentiras, por isso as histórias, pois ele queria passar pra mim algo que eu gostasse, e o pior de tudo, eu nem ligava!

Queria saber dele, e não de carro… e outras coisas. Queria alguém que na maior dificuldade da minha vida, estivesse comigo. Perdoei ele, nesse caso entendi o seu lado e passei a tentar entender o porque ele era assim, carente de figura materna, sempre teve a mãe e a avó, apenas! E essa carência de Pai se refletia na rua, ele gostava de sair com caras bem mais velhos, perdeu a virgindade cedo, saia com homens casados, pais de família e unindo tudo isso a cabeça fraca e personalidade frágil, ele chegou a usar drogas largando depois quando adentrou ao espiritismo.

Isso tudo antes de eu conhecê-lo, lembrando que eu o conheci com 17 anos! Rs! O tempo passou…e mais um vez eu o peguei com conversas, dessa vez no Whatsapp… li coisas horríveis e vi também e mais uma vez eu terminei com ele… passei um tempo só, e com todas as promessas dele, eu iludido voltei. O tempo passou novamente… e eu como sempre fazendo de tudo por ele, confesso, ele faz de tudo por mim, quando estamos juntos tudo é perfeito entende? O lance acontece quando estamos longe, ai sim vem a desconfiança, a insegurança, a mentira ora ou outra… e tudo isso é complicado pra mim, eu que sempre fui um cara certo nas minhas coisas, determinado, organizado e é claro, sempre gostei de viver numa zona de conforto, estar bem sabendo que as coisas ao meu redor estão bem.

Com o passar do tempo, hoje contabilizo 3 vezes que eu terminei com ele por conversas em Whatsapp… ainda não entendo o porque ele procura isso… o porque dele gostar disso, se ele diz que me ama, faz de tudo por mim e demonstra isso acima de tudo! A última vez que brigamos, fiquei 1 mês separado dele, ele passou mal, teve princípio de infarto e ficou internado, e eu como sempre mesmo machucado, acabado, fui e fiquei no hospital num momento como acompanhante.

As vezes acho que o problema está em mim, que faço algo de errado para que ele busque isso e minhas expectativas também no relacionamento é o que me frustra.

Nasci e cresci numa família onde todos são em casados, vivem casamentos duradouros, eu mesmo citei o de meus avós que são os grandes exemplos pra mim, eu só queria ter essa oportunidade também entende? Sim, acredito que eu me encaixe no gay conservador, que pensa em casar, comprar uma casa, ter cachorro, adotar filhos e etc… entende?

Entendo que estamos no século XXI e esse modelo da vovó e do vovô tende a mudar e estar mudando… mas será que preciso acompanhar essa mudança também? Hoje com todos os nossos problemas estamos bem, vivo com uma desconfiança 24 horas por dia, fora da minha zona de conforto, aquela que eu disse que sempre gostei de viver. Tudo é complicado, que por mais que eu diga as vezes um basta, em momentos de raiva, eu o amo, e ele me ama também, a gente se corresponde nisso 24 horas por dia… e como vou deixar alguém que amo e gosto? Hoje em dia vivo num dilema, vivo a ponto de qualquer momento pegar outra história de conversas… caras e fotos… é complicado!

Gostaria de uma sugestão, uma crítica, uma palavra amiga, algo que possa ajudar a me colocar no eixo. Se assim necessitar, pode relatar minha história, sem nomes fictícios ou outra coisa, okay?!

Leio o blog todos os dias! Todos! Muito obrigado por essa oportunidade de falar… desabafar! Bom dia!

Comentários do MVG:

Oi Ruan, tudo bom?
Eu só vou comentar porque você pediu alguma sugestão. Mas pelo o que eu sinto de você, atrás do seu texto, é que você vai saber se virar muito bem sozinho!

Primeiramente, desculpe pela demora de resposta. Final de ano é um caos na empresa e, como vou passar 15 dias fora, tive que programar mais de 60 posts no Facebook! Tá certo que institui o “Reprise 2014″ mas, para selecionar e ficar agendando não é mole não. Fora os textos do Blog dedicados ao Natal e Ano Novo, como faço sempre…

Percebi em seu depoimento muito dos conceitos e valores que busco transmitir aqui no MVG. Você apresentou o Ruan que é muito além das questões da homossexualidade. O Ruan da família, dos estudos, da profissão, da espiritualidade, etc. e acho isso bastante válido. Até parece que você é meu “aluno”! rs.

Veja Ruan, vira e mexe, falo sobre as caixinhas. É claro que você não tem que seguir um modelo fechado, acreditando que o jeito “vovô e vovó” findou. Na verdade não findou. Só deixou de ser uma regra majoritária, permitindo que outros formatos e padrões se estabeleçam. Em pleno século XXI, as pessoas são menos reativas a outros modelos de relacionamento. Veja que a Rita Lee e o Roberto de Carvalho são casados, moram no mesmo prédio mas em apartamentos separados.

Você tem a plena liberdade para construir com seu parceiro um jeito saudável e bom para o casal, mesmo que tal modelo seja o “quadradinho”, do “felizes para sempre”. Quem disse que não dá? Basta ter a vontade forte e continua entre o par.

Sobre o seu namorado, fica evidente que o contexto cultural de vocês é bastante diferente. E não é só o contexto mas, principalmente, a mentalidade. Será que somos realmente capazes de organizar a vida do outro? Será que temos a capacidade de colocar em ordem e construir a autoestima alheia? Eu tenho uma máxima comigo, que tem exceções (claro), mas, na maioria das vezes, quem trai tem um problema sério de baixa autoestima. Precisa ficar se provando a todo momento, por pessoas diferentes, que é desejado.

Assim, uma das grandes questões do seu namorado, Ruan, no meu ponto de vista, tem um nome: baixa autoestima. Fui casado com um rapaz que, inicialmente, precisou inventar “dotes materiais e intelectuais” para sentir segurança que eu não iria deixá-lo. Mas pare e pense comigo: quem acabava dando valor para o material era eu ou ele? Porque o problema, das questões de classe que corrói a nossa sociedade, não é somente daquele que se acha “mais” ou “maior” por poder ter, por exemplo, um carro. O problema é também daquele que se sente inferior por não poder. Ambos supervalorizam o material e o status. Se o seu namorado não valorizasse o conceito de status, no sentido de dar relevância ao tema para não se sentir julgado, ele não inventaria história nenhuma, concorda?

Porque quando a gente não valoriza o poder material (seja o que pode e o que não pode) nossa abordagem, questões e demandas são outras.

Tudo indica, Ruan, assim como foi meu caso com meu ex-marido, é que seu namorado tem problemas quanto ao seu nível social. Ele comprou, em algumas medidas, a ideia de que ele é “menos”, “menor” e “inferior” à outras pessoas por fazer parte de uma família mais humilde. E te afirmo: não tem namorado maravilhoso, nem Cristo, nem Deus que fazem uma pessoa se enxergar diferente disso, de se sentir rebaixado desse jeito, se ele mesmo não tomar consciência.

As diversas vezes que você o perdoou te dignifica. Mas será que ele aprendeu? Me parece que ele ainda não está pronto. Em outras palavras, você quer ensinar, mas será que ele consegue, hoje, aprender?

Exemplo: ninguém recorre a um psicólogo quando acha que não tem problema, quando acha que terapia é coisa para louco ou quando se tem um orgulho que cega, entende? Se perceber alguém digno que não seja por bens materiais ou pela permissividade com outros caras é algo dele com ele mesmo. Ninguém ensina, mas se aprende.

Mudar, Ruan, normalmente dói, dói até quando estamos viciados em maus hábitos, em pensamentos superficiais. É a caixinha que estamos acostumados. Será que ele está preparado? Será que ele quer mudar?

Enquanto alguns poucos se esforçam para construir e reconstruir modelos, que nos tira de uma zona de conforto, outros (a maioria) tende a se apegar as caixinhas. Bom ou ruim é apenas o julgamento do olho de quem vê.

Um abraço e felicidades!
MVG

Clipe LGBT Especial: Zeppelin, com Eli Lieb.





Clipe LGBT Especial: "Little Game", com Benny.




Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

FOFOCAS DE CELEBRIDADES- GOSSIPS




Eminem se declara gay em cena de “A Entrevista”




MixMe

Eminem se declarou gay, mas só de mentirinha! Ele deu uma entrevista fake para o filme de comédia “A Entrevista”.

Estrelado por James Franco e Seth Rogen, o longa deu o que falar nos últimos dias. A estreia do filme em cinemas dos Estados Unidos e Canadá foi cancelada após hackers ameaçarem atacar as salas. “A Entrevista” fala sobre um plano fictício da CIA para assassinar Kim Jong-Un, líder da Coreia do Norte. A ameaça dos hackers foi divulgada em sites de compartilhamento de arquivos, e fez menção ao atentado de 11 de setembro, afirmando ainda que “o mundo seria tomado pelo medo”.

No final das contas, a Sony Pictures decidiu lançar o polêmico filme na internet na última quarta-feira (24). A comédia entrou no ar no YouTube, Google Play, Xbox Video e no site SeeTheInterview.com.

O enredo do filme por si só já chama bastante atenção. No entanto, a cena de Eminem revelando que é gay fez sucesso entre o público. Todo mundo que conhece a obra do rapper está habituado a ouvir comentários homofóbicos em suas letras. Durante a entrevista fake no longa, ele declarou: “Quando falo coisas sobre os gays, ou quando as pessoas pensam que minhas músicas são homofóbicas – isso é por que sou gay”.

Como se já não tivesse chocado o suficiente, Slim Shady continua: “Estou mais chocado pelas pessoas não terem percebido.” Logo depois, ele lê um trecho “Medicine Ball”, de 2009. “Eu praticamente fui deixando um rastro de migalhas de homossexualidade”, completou.

Confira a cena:




Christina Aguilera tem ataque de diva e arma barraco na Disney.




A cantora Christina Aguilera comemorou seus 34 anos de vida na Disneylândia da Califórnia, mas parece que ela não ficou muito feliz.

Diz que a ex-garota do Clube do Mickey, passou o maior nervoso no "lugar mais feliz da Terra" como legendou uma foto dela e de sua equipe nos parques temáticos.

De acordo com o TMZ, Aguilera armou o maior barraco com Mickey Mouse. Sério! Tudo porque o rato mais importante da humanidade estava dando uma pausa quando Christina quis fazer a foto.

Geniosa, a loira não curtiu saber que teria de esperar pelo ratinho e chegou a mandar um "Você sabe com quem está falando" para uma funcionária da Disney. A discussão foi grande, segundo a fonte da publicação, e até um segurança foi chamado para manter a integridade física de Mickey Mouse. Dá pra acreditar?


Estátua em homenagem a Cristiano Ronaldo chama atenção por pacotão.




O artista que moldou a estátua em homenagem ao jogador português Cristiano Ronaldo, inaugurada esta semana em Funchal, na Ilha da Madeira, com certeza se empolgou. O jogador aparece de pênis marcado, o que chamou a atenção da imprensa na estátua de quase 4m de altura. Após conquistar o título de campeão mundial interclubes pelo Real Madrid, o gato recebeu a grandiosa homenagem que foi inaugurada pelo atleta nesta segunda-feira.


Show de Lady Gaga e Tony Bennett é o mais caro do Réveillon.





Fique sabendo que o Ano Novo de Lady Gaga e Tony Bennett em Las Vegas vai ser caro. Pencas de caro! A apresentação da dupla de jazz no The Chelsea está sendo considerada a mais cara, segundo levantamento da Forbes. Pra você ter uma ideia, o preço médio do ingresso é US$ 648 e a entrada mais barata custa US$ 239.

Se a gente for comparar, os ingressos para o show de réveillon da Britney Spears no Planet Hollywood, como parte da temporada “Piece of Me”, por exemplo, têm preço médio de US$ 199. Os do John Legend e do Maroon 5, também em Las Vegas, saem um pouco mais caro, mas ainda assim mais acessíveis que Gaga & Bennett: respectivamente US$ 420 e US$ 367 as médias de preço.

Esse show de Gaga e Tony vai marcar o início de uma miniturnê, que começará de fato em 2015. Os dois já confirmaram apresentações nos EUA, Dinamarca, Holanda, Bélgica e Inglaterra.




Donatella Versace revela que tentou aproximar Madonna e Lady Gaga.




Fique sabendo que a toda poderosa Donatella Versace, que é grande amiga das duas mais importantes artistas pop do mundo - no caso Lady Gaga e Madonna, que foram os rostos das últimas campanhas de sua grife - bem que tentou aproximar as duas cantoras, mas isso não aconteceu por causa da Rainha do Pop.

Pois é menino. Diz que a veterana não estaria interessada nessa amizade, segundo relato da própria estilista em recente entrevista ao jornal "Corriere Della Sera".

"Eu tentei! Uma vez eu fiz Jennifer Lopez se reconciliar com Courtney Love. Lady Gaga adoraria, mas... Madonna é Madonna. Vivo a dizendo: 'Você é terrível!'", disse Donatella à publicação.

Além disso, a italiana falou sobre os problemas com Lady Gaga durante os ensaios fotográficos da campanha para a Versace: "Com Lady Gaga, foi um pouco mais complicado. Houve uma grande briga por causa disso. Mas, por outro lado, ela está sempre focando em suas transformações e se arriscando nisso. Com a Madonna, isso não aconteceu. Ela fez tudo sozinha em um estúdio em Nova York", revelou.


Anitta e Lorena Simpson fazem cover impressionante de Britney Spears no VMA.




Na última sexta-feira (26), as cantoras Anitta e Lorena Simpson fizeram uma super performance conjunta durante a festa "Chá da Alice", que rolou na Fundição Progresso, Rio de Janeiro.

No palco, as lindas cantaram o clássico “I’m a Slave 4 U”, da pra sempre soberana Britney Spears. Inspirada na apresentação da americana no VMA 2001, o samba contou até com uma cobra de verdade, que ficou enrolada no pescoço de Anitta.

Confira no vídeo!




Cena antológica de “Alto Astral” revive Christiane Torloni e Silvia Pfeiffer em explosão de shopping.




REVISTA LADO A

Há 16 anos, o primeiro casal lésbico da teledramaturgia da Rede Globo era morto em uma explosão de um shopping, em “Torre de Babel”, de Silvio de Abreu. Condenadas à morte pela rejeição do público, foi apenas um dos diversos casais do mesmo sexo censurados pela emissora nos anos seguintes. Neste sábado, o autor da trama de 1998, que revisa a obra “Alto Astral”, de Daniel Ortiz, conseguiu dar paz às personagens junto com o autor, ou pelo menos se desculpar publicamente pelo casal Leila (Silvia Pfeiffer) e Rafaela (Christiane Torloni).
 
Novamente um shopping iria explodir, as atrizes vivem na novela duas mulheres, apesar de não serem um casal e nem lésbicas na nova trama, a referência à Leila e Rafaela aparece claramente. A paranormal Samanta (Claudia Raia) com um megafone alerta que o local irá explodir.  Úrsula (Silvia Pfeiffer) janta quando Maria Inês (Christiane Torloni) a alerta da explosão. “Desta vez não” diz Maria Inês (Christiane Torloni). As duas fogem mas se perdem e são salvas por Samanta.
 
Apensar de singela e simbólica, a cena consegue fazer justiça ao casal de mulheres vítimas da homofobia da época que era bem mais acentuada.
Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

ALEGRIAS DO ANO NOVO





















Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (3) Comente aqui!

3 comentários:

HOMOSSEXUALIDADE



Playboy diz para leitor homofóbico: "Não sentiremos a sua falta"




Um leitor de Florianópolis da revista Playboy se achou cheio de razão para criticar a entrevista do estilista Alexandre Herchovitch na edição de novembro e escreveu: “Não é possível! Como uma revista com o gabarito da Playboy pode realizar uma entrevista com Alexandre Herchovitch? Gay cheio de frescura e que se acha o rei do estilo? Não vou mais comprar essa revista”. Eis que a publição respondeu na edição de dezembro: “Caro Jair Catalão, não sentiremos sua falta”. Maravilhoso.


 Brasil concentra mais da metade dos assassinatos de LGBTs no continente segundo OEA que prepara relatório.




A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), órgão autônomo da Organização dos Estados Americanos (OEA), monitorou a violência contra as pessoas lésbicas, gays, bissexuais, trans e intersex (LGBTI) na América nos últimos 15 meses (entre 1º de janeiro de 2013 e 31 de março de 2014) e constatou em seu Registro de Violência pelo menos o assassinato de 594 pessoas LGBT, ou percebidas como LGBT, e 176 vítimas de ataques graves, embora não letais, à sua integridade, aparentemente relacionados com sua orientação sexual, identidade de gênero e/ou expressão de gênero. O relatório será emitido em janeiro de 20150 mas nesta quinta-feira, em Washigton, foi emitido os dados proliminares da pesquisa que vem acompanhada com a preocupação do órgão em combater a homofobia no continente. A CIDH é um , cujo mandato emana da Carta da OEA e da Convenção Americana sobre Direitos Humanos. A Comissão DIDH é integrada por sete membros independentes que são eleitos pela Assembléia Geral da OEA a título pessoal e não representam seus países de origem ou de residência.

“O denominador comum dessa violência é a percepção do autor do delito de que a vítima transgrediu normas de gênero aceitas (em função de sua identidade/expressão de gênero ou orientação sexual)”, afirma o comunicado. A tarefa é árdua, uma vez que “a maioria dos Estados membros da OEA não coleta dados sobre a violência contra pessoas LGBT. Neste contexto, com poucas exceções entre os Estados que apresentam alguma informação, a CIDH precisou preencher essa lacuna recorrendo a outras fontes complementares, como reportagens jornalísticas, relatórios de organizações da sociedade civil e outras fontes de monitoramento”.

“Muitos dos casos de violência contra as pessoas LGBT não são denunciados, pois as vítimas têm medo de represálias, relutam em se identificar como LGBT ou não confiam na polícia ou no sistema de Justiça. A subnotificação de ocorrências nos casos de violência contra as pessoas LGBT é óbvia nos ataques não letais, poucos dos quais são, de fato, relatados às autoridades, monitorados por organizações ou informados pela mídia” alerta o documento.

No total, a Comissão Interamericana recebeu informações sobre 770 atos de violência contra pessoas LGBT em 25 Estados membros da OEA (Argentina, Barbados, Belize, Bolívia, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Cuba, República Dominicana, Equador, El Salvador, Guatemala, Guiana, Haiti, Honduras, Jamaica, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Estados Unidos, Uruguai e Venezuela). A falta de informações sobre os outros Estados membros da OEA não deve ser tomada como indicativa de ausência da violência vivida por pessoas LGBT nesses países. A CIDH observa também que as informações relativas a alguns países podem ser mais acessíveis do que as de outros, mas isso não significa que o número de atos de violência nos países em que se tem acesso a elas seja maior. De acordo com as informações gerais recebidas, casos de violência letal e não letal contra pessoas LGBT ocorrem nos 35 Estados membros da OEA, mas nem sempre são denunciados ou divulgados pelos meios de comunicação.
 
De acordo com o Alto Comissariado das Nações Unidas para Direitos Humanos, a violência contra pessoas LGBT constitui “a forma de violência baseada em gênero, movida pelo desejo de punir os que são vistos como desafiadores das normas de gênero”. Em muitos casos, acrescenta o Alto Comissariado, “até mesmo a percepção de homossexualidade ou de identidade de transgênero coloca as pessoas em risco”.

Os dados coletados pela CIDH deixam claro que muitos dos casos de violência contra pessoas LGBT foram cometidos por meio de violência verbal direcionada à orientação sexual ou à identidade de gênero percebidas das vítimas. Isso é particularmente evidente nos casos de violência não letal. Na mesma linha, a CIDH encontrou casos de ataques de multidões ou de grandes grupos contra pessoas percebidas como gays, lésbicas ou trans. Em outros casos, casais do mesmo sexo foram atacados simplesmente por exibirem publicamente seu afeto recíproco, inclusive por se darem as mãos; ou pessoas trans foram mortas ou atacadas quando os autores do delito perceberam que elas eram trans.

Outros pontos observados foram os altos índices de crueldade nesses crimes, além de casos de abuso policial, como tortura, tratamento desumano e degradante e ataques verbais e físicos. A Comissão também constatou casos de violência praticados por parceiros íntimos. O alvo da grande maioria dos assassinatos foram homens gays e mulheres trans, ou pessoas percebidas como tais. É mais comum as mulheres trans e as pessoas trans que se expressam como mulheres serem mortas por armas de fogo, sendo seus corpos encontrados nas ruas ou em espaços públicos, algumas vezes em situações relacionadas ao trabalho sexual; já no caso de homens gays, ou de pessoas percebidas como tais, a probabilidade maior é de morte por armas brancas e em espaços privados, como a casa da vítima. O documento aponta subnotificação em todos os casos e invisibilidade da violência contra bissexuais.

Segundo a CIDH a expectativa de vida das mulheres trans nas Américas é entre 30 e 35 anos de idade, 80% das mulheres trans assasinadas tinham 35 anos de idade, ou menos. A violência contra as pessoas trans, em particular as mulheres, é o resultado de uma combinação de fatores: a exclusão, a discriminação e a violência na família, na escola e na sociedade em geral; a falta de reconhecimento de sua identidade de gênero; envolvimento em ocupações que as colocam em grupos de risco mais elevado de violência; e a alta criminalização.

Já as mulheres lésbicas correm o risco particular de violência devido à misoginia e à desigualdade de gênero na sociedade. Por meio de seus diversos mecanismos de monitoramentos, historicamente, a CIDH tem recebido informações sobre a vulnerabilidade das mulheres lésbicas a atos de violência sexual, ou de violência intrafamilar; no entanto, é grande a subnotificação de informações sobre esses atos. Dos 770 atos de violência (letais e não letais) contra pessoas LGBT, 55 foram contra mulheres lésbicas, ou percebidas como tais. Mulheres lésbicas foram vítimas de “estupro corretivo”, ou estupro para puni-las, com a intenção de “mudar” sua orientação sexual; de espancamentos coletivos por causa de manifestação pública de afeto; de ataques com ácidos; e de entrega forçada a centros que se oferecem para “converter” sua orientação sexual.

O documento aponta ainda violência médica contra pessoas transexuais e intersex, em especial a intervenção médica para “normalizar” seus corpos, particularmente os genitais, é o resultado de protocolos médicos aprovados pelo Estado, e não são divulgados pela imprensa nem denunciados pelas famílias ou por organizações civis.

A violência familiar e a autolesão também são abordadas no documento, que constatou casos de suicídio, deflagrados, em sua maioria, de acordo com as fontes que documentam essa violência, por rejeição familiar, desaprovação dos pais oubullying na escola. Ainda de acordo com as informações recebidas, as pessoas jovens LGBT são mais propensas à autolesão e a cometer suicídio pela falta de aceitação de sua orientação sexual ou identidade de gênero por parte da família e da sociedade como um todo.

A Comissão observa que certa cobertura dos meios de comunicação incluía linguagem que poderia ser interpretada como desrespeitosa ao ser humano ou à dignidade das pessoas LGBT. Com relação a esta tendência, a CIDH lembra o Princípio 6 da Declaração de Princípios sobre Liberdade de Expressão da CIDH, adotada em 2000, que estabelece que a atividade jornalística “deve ser orientada pela conduta ética, que em nenhum caso deve ser imposta pelo Estado”. Neste sentido, a CIDH observa que os códigos profissionais voluntários de conduta dos meios de comunicação e da classe jornalística podem desempenhar um papel fundamental no combate à discriminação e na promoção dos princípios de igualdade, mostrando-se alerta ao perigo da discriminação ou de estereótipos negativos de indivíduos e grupos promovidos pela mídia, e divulgando reportagens factualmente precisas e sensíveis (OHCHR, “Plano de Ação Rabat”, 2012),

A Comissão Interamericana de Direitos Humanos lembra ainda que os Estados membros da OEA devem implementar todas as medidas necessárias para aplicar a devida diligência na prevenção, investigação, punição e reparação no que tange à violência contra pessoas lésbicas, gays, bissexuais, trans e intersex. A CIDH insta os Estados membros da OEA a que tratem das causas subjacentes da violência, baseadas em preconceitos associados à orientação sexual, identidade de gênero ou expressão de pessoas que desafiam normas de gênero socialmente estabelecidas. Isso inclui a aprovação de políticas e campanhas públicas para promover a conscientização e o respeito pelos direitos humanos de pessoas LGBT, em todos os setores, inclusive na educação e nos estabelecimentos familiares, como um meio de combate aos preconceitos que fundamentam a violência relacionada com a orientação sexual e a identidade de gênero e expressão. Finalmente, a CIDH pede aos Estados a que adotem medidas urgentes e eficazes para prevenir e responder a essas violações de direitos humanos e a que garantam que as pessoas LGBTI possam efetivamente desfrutar de seu direito a uma vida livre de violência e discriminação.

Para grau comparativo, dos 594 assassinatos, no continente, 336 foram registrados no país.
Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (4) Comente aqui!

4 comentários:

NOTICIAS DO MUNDO GAY


Egito: Justiça reduz pena de condenados  por participar de união gay.


Familiares se decepcionaram com nova decisão, que ainda pode ser apelada


Um tribunal de apelação egípcio reduziu, no sábado, 27, de três anos de prisão para um, as penas impostas a oito homens acusados de produzir um vídeo de um casamento gay.

Os oito homens foram detidos em setembro e condenados em novembro pela “publicação de imagens indecentes”, mas não por “incitação à libertinagem”, a outra acusação feita contra eles.

Segundo a agência AFP, o novo veredito foi anunciado por um responsável judicial às famílias dos condenados, que esperavam angustiadas em uma sala do tribunal do Cairo.

Os familiares, que contavam com uma absolvição, choraram ao saber do veredito, que ainda pode ser apelado.

O vídeo, compartilhado entre diversos internautas no Facebook, Twitter e YouTube, mostra dois homens trocando alianças em um barco no Cairo, cercados por amigos que cantavam.

Os advogados asseguram que seus clientes não são homossexuais e acusam o tribunal de haver cedido à pressão popular, em um país conservador onde a homossexualidade é mal vista.


Marrocos: Homens são condenados a 3 anos de  prisão por 'práticas homossexuais'.


País tem aplicado penas constantes contra homossexuais


Um tribunal marroquino condenou, na terça-feira, 23, dois homens a três anos de prisão por “práticas homossexuais”. Essa é a pena máxima que gays podem enfrentar no país africano.

Segundo relatos da imprensa local, os dois foram detidos após terem relações sexuais em 13 de dezembro e compareceram ao Ministério Público no mesmo dia.

Em julho, outros seis homens foram condenados a penas de um a três anos de prisão pelo mesmo motivo e ainda receberam a ordem de após o cumprimento das penas de nunca mais voltarem ao seu país.


Florian Philippot: Revista francesa é multada  por revelar que político é gay.


Político namora um 'jornalista da televisão', segundo a publicação


O Tribunal de Grande Instância de Paris condenou, na quarta-feira, 24, a revista “Closer” a uma multa de 20 mil euros (cerca de R$ 65 mil) por publicar fotos que mostravam Florian Philippot na companhia de um homem, apresentado como seu namorado.

Philippot é a segunda pessoa mais importante do partido Frente Nacional (FN), que tem como uma de suas bandeiras a luta contra os direitos LGBT.

A Justiça considerou que a publicação cometeu um “atentado contra a vida privada” do político, e determinou ainda a revista ao pagamento de 3.500 euros de custas judiciais.

A revista também foi condenada a publicar a sentença na capa de sua próxima edição. O valor decidido pela justiça foi menos da metade dos 50 mil euros pedidos por Philippot.


Taco Bell- Rede de fast food elogia anúncio gay  da marca que não foi feito por eles.


Anúncio é tão bem feito que empresa quer conhecer os responsáveis


A rede de fast food Taco Bell ficou surpresa com um anúncio de sua marca protagonizado por um casal gay e que não foi feito por eles.

Na propaganda, que caiu na internet na semana passada, dois homens aparecem em momentos fofos, como abraçados num parque, se divertindo numa roda gigante e se casando.

A empresa afirmou que não é responsável pelo filme, mas gostou tanto da qualidade do anúncio que quer conhecer os responsáveis para futuros trabalhos juntos.




Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...