Slide 1 Slide 2 Slide 3

MINHA VIDA GAY

Eu pela metade.



Por: MVG

Mais um relato de um leitor, o Fe, narrando situação bastante semelhante à vivida pelo Sid, do post “Transou comigo mas é hétero. Isso é possível?”.

Primeiramente gostaria de parabenizá-los pelo blog, conheci recentemente e já estou gostando muito!

Bom, gostaria de pedir-lhes um conselho, não sei se vocês lerão esta msg ou se irão me responder, mas pelo menos escrevendo consigo falar um pouco sobre isso, pois não tenho ninguém para me abrir.

Então, tenho 23 anos e eu sei que sou gay, mas por diversos motivos não me assumi e nem sei se um dia pretendo, até porque não acho q isso deve ser rotulado na testa de ninguém, porque quem é hetero também não rotula, certo?

Pelo motivo acima, tive pouquíssimas experiências gays (sexo nunca) e fico com meninas normalmente, pois não aparento ser gay e ninguém sabe sobre isso.

Meu problema é que tenho um amigo (21 anos) muito próximo do trabalho, que desde que nos conhecemos temos um nível de intimidade bem alto, nos falamos todos os dias pelo Whatsapp e tals… ocorre que eu fiz a cagada de começar a gostar dele, não foi minha culpa, eu não queria, ele não é muito bonito, nem forte, é pequeno, atraente só para algumas meninas… mas por ele ser muito gente boa, engraçado, talvez eu tenha nutrido esse sentimento.

Como amigos que somos, sempre falamos besteiras e tals, e ele já até me mandou foto do pênis pelo Whats, pq eu pedi de zoeira… A partir dali eu comecei a pensar q talvez ele também fosse um pouco gay, mas tbm as vezes acho q ele só mandou pq eu pedi e somos amigos.

Justamente por esse sentimento, tenho sentido muito ciúmes dele, principalmente no que se refere a garotas. Ele entende bem isso, pensa que é ciúmes de amigo. Mas no final do ano ele foi passar as festas em outro estado com a família e acabou transando com uma mina de lá, e n bastasse isso, voltou no carnaval e ficou com ela de novo… quase morri de ciúmes, meu coração apertou de verdade, até passei mal.

Daí na volta, eu fiquei uma semana sem falar com ele no trabalho, ele me mandou uma msg no Whats falando “vai ficar de cú doce até quando” e eu respondi q estava chateado pq ele fazia coisas q eu n gostava… Ele mesmo n entendendo o motivo da minha chateação me pediu desculpas.

O pior disso é que no ápice dessa minha fase de ciúmes, me trocaram de lugar e eu fui sentar bem na frente dele… eu odiava quando ele falava com alguma menina no telefone ou abaixava a cabeça pra responder alguém no Whats q eu n fosse eu.

Eu sabia q isso q eu tava sentido era doentio e errado, por isso todos os dias desejava q me trocassem de lugar de novo e foi o q aconteceu, fui sentar do lado do gerente, mas pelo menos aquela sensação ruim de ciúmes a toda hora iria passar.

Esqueci de comentar, que depois que eu vi a foto dele, só aumentou minha vontade, então no meio das brincadeiras pedia outras fotos e até dei a entender q queria coisas pessoalmente. E que também ele já pediu foto pra um amigo nosso em comum, que comentou numa conversa que estava nós três. Ele desconversou e saiu andando.

Meu problema maior é que recentemente ando percebendo que ele está mais ríspido comigo e sem paciência para meus ciúmes, até que dias atrás, por algum motivo, ele me disse que nunca sairia comigo sozinho, só com nossos amigos em comum, e eu perguntei o motivo, ele disse que era porque eu era viado.

Por estar dizendo pelo Whats, n pude saber se era pra me ofender ou só a forma que ele pensava mesmo (esqueci de mencionar que ele é evangélico).

Isso pra mim foi uma facada no coração, por 2 motivos, um por ter me chamado de viado (coisa q eu não pareço ser) e outra que ele é um cara q eu gosto mto, acima de tudo como amigo, e me dizer isso, pra mim é praticamente dizer q não quer mais minha amizade.

Até porque que amizade existe só com conversas online ou com encontros só em grupo, sem poder chamar pra alguma coisa sozinho?

Disse que não era gay e mesmo que fosse, não sabia que ele era tão preconceituoso assim… ele me disse que não era preconceituoso, só não sairia com gays sozinho (preconceituoso do mesmo jeito).

Eu entendo que por causa da religião dele, talvez tenha medo da gente sair e tentar alguma coisa (vontade não me falta rs).

E recentemente, na última sexta, discutimos novamente por Whats, pois ele disse que eu era apenas um amigo comum, que não éramos tão amigos assim quanto eu pensava e que eu me iludia com nossa amizade. Sei que não é verdade, pois várias vezes nos “declaramos” muito amigos um pro outro e na prática somos mesmo, por isso, achei muita maldade dele falar isso pra mim, pareceu que foi de propósito só pra me ferir.

Desde então, já faz uma semana, e eu não falo mais com ele. Nos cruzamos nos corredores da empresa e eu nem o olho e no Whats ninguém chama ninguém. Isso me faz sofrer muito, mas não posso relevar tudo que ele faz como se nada tivesse acontecendo.

Então, diante da história que eu contei e da experiência que vocês do canal tem, gostaria de saber se fui eu mesmo que causei essa situação e devo aceitar, ou se devo me afastar dele, pq pelo que parece nem a ameaça de perder minha amizade fez ele mudar de ideia (ficamos sem nos falar uns dias), ou se ele esta errado pela forma que agiu… ou outra hipótese que eu ñ tenha mencionado.

Desde já agradeço imensamente pela atenção!

Só de escrever já me deu um pouco de alívio.

E por favor, se puderem, me respondam.

Abraços,

Fe.

Ponto de vista do MVG:

Oi Fe, tudo bom?

Mais uma vez, só para esclarecer, por trás aqui do Blog MVG tem apenas uma pessoa, eu, Flávio, ok? Pode parecer mentira, mas todos esses conteúdos e esse tempo destinado a assuntos de nosso universo (e nem tão do universo assim) foi de apenas uma pessoa.

Como comentei no e-mail que te respondi, a “solução” para seus problemas é idêntica ao que dei ao leitor Sid, do relato “Transou comigo mas é hétero. Isso é possível”. A diferença são as nuances do seu envolvimento por seu colega de trabalho.

Você evidencia um aspecto homoafetivo muito forte por seu amigo, da coisa do envolvimento emocional mesmo. Mas está vendo apenas o seu lado, quase fantasioso e não está se dando conta que o cara – até bem pouco tempo atrás -, nem desconfiava que você era gay.

Mas você acredita, com todas as forças, que para ele é extremamente claro que você é gay, que está perdidamente apaixonado por ele e que ele tem certa obrigação de respeitar suas crises de ciúmes, note, que acontece porque você está amarradão nele!

Oi?

Não, Fe… ele não tem obrigação nenhuma de te corresponder porque, até então, o relacionamento afetivo com ele acontece somente dentro da sua cabeça! Até então você era hétero pra ele… e por que até então? Explico mais abaixo…

“Ah, mas MVG… ele gosta de mostrar o pau pra mim!”. E daí? Homens héteros adoram saber lances de tamanhos, formas e etc de seus “concorrentes”. Principalmente quando se tem 20 e poucos anos, que provavelmente é o caso de vocês dois.

A diferença definitiva entre seu caso e o caso do Sid, é que o amigo dele sabe que ele é gay. No seu caso, não! Ou melhor, demorou um tempo para cair a ficha de seu amigo e, agora que ele desconfia que você seja (justamente por suas cobranças), ele resolveu se distanciar. A mim é a situação mais provável. Ele tem “medo que você seja viado”? Provavelmente. Ele não desconfiava que você era? Quase certeza. Ele está vendo com desconfiança suas crises emocionais? Certamente! Com isso ele está inseguro com você? SIM, PRATICAMENTE ISSO! Que relacionamento funciona com segurança? Nem amizade…

Para o Sid eu sugeri jogo aberto: como o amigo sabe que ele é gay e mesmo assim o fica provocando, a questão entra num nível de infantilidade e cafajestagem por parte do fulano. Nada mais justo que aprender a por limites.

No seu caso, como o caldo já entornou e seu amigo se encheu de desconfianças, ainda seria mais honesto você abrir o jogo. Mas como você morre de medo de perder a amizade, ou talvez morra de medo do repúdio que por ventura ele possa assumir (e nesse contexto teria certa legitimidade), a minha sugestão é você liberar esse MONTE de desejo homoafetivo e sexual em outro gay! Um gay real, gay… que gosta de homem. Sabe? Esqueça esse “amigo” porque, de fato, você quer ou queria, muito mais do que amizade. Não tem amizade porque faltou honestidade. Sem querer foi assim…

Percebe que as histórias são bem parecidas, mas as posturas são bem diferentes? No caso do Sid ele consegue por limites porque o jogo sempre foi aberto. No seu caso não entra nessas questões porque, sem querer, quem pode ter passado dos limites sem ter se dado conta foi você! É o seu amigo que está dando o gelo.

De qualquer forma, o pensamento final é o mesmo: se envolvam por caras com esse perfil se souberem bancar. Se souberem onde estão pisando. Não adianta nada, depois, julgar tais homens por serem “escrotos”, “filhas da puta” ou etc. se, no caso do Sid ele ter dado trela e no seu caso você ter fantasiado um relacionamento homoafetivo que existiu APENAS na sua cabeça.

Seu amigo, Fe, pode estar desconfiando que você seja gay de um jeito muito chato, desagradável e invasivo. Desconfiança é insegurança. Como contornar? Mais fácil pular fora e perder contato. Mas não seria mais maduro trazer para a conversa e mostrar pra ele o quanto você não soube por limites em si mesmo?

Fica aí a sua escolha, mas a história já está meio melada, sacou? Te faltou postura.

No final a vida ensina. Taí.

Emocionante: vídeo defende mudança de visão e respeito aos transexuais.


Este é um daqueles vídeos em que se aplica a máxima: “uma imagem vale mais do que mil palavras”.
Publicado na página do “Quebrando o Tabu”, a produção já obteve milhões de visualizações, likes e compartilhamentos. Os autores da página descrevem o vídeo em apenas uma palavra: “Emocionante.”




Apesar do boom surgir agora nas redes sociais, o trabalho foi publicado originalmente em 2014. A música “The Light” e o vídeoclipe em questão pertencem ao primeiro álbum da banda francesa HollySiz, cuja vocalista é a cantora e atriz Cécile Cassel.  

Os protagonistas do videoclipe realizado por Benoît Pétré são Marie Denarnaud, Alexis Manenti e Kolia Abiteboul. Em meio ano no Youtube o vídeo apenas gerou 600 mil visualizações.

Video incentiva famílias a votarem "sim" pelo casamento igualitário na Irlanda.


Os amigos indo juntos para votar no plebiscito sobre casamento igualitário na Irlanda

A votação acontece no dia 22 de maio e o video da campanha pelo SIM emociona. Assista

A questão na Irlanda é a seguinte: no dia 22 de maio, o plebiscito pelo casamento igualitário vai decidir se a população LGBT terá direito de se casar no país. A campanha pelo voto SIM produziu um video que mostra pai, mãe, avó, tia e amigos largando tudo o que estiverem fazendo para ir às urnas apoiar a causa.

Nós já amamos as cenas emocionantes do video, que mostra o clima de amor e de tolerância que move as pessoas dispostas a votarem SIM.

A assinatura da campanha diz o seguinte: "Votando SIM no dia 22, nós vamos mudar para sempre o que significa ser LGBT na Irlanda. Leve sua família para essa jornada com a gente".

Assista ao video:




Humor: SEXO CONJUGAL


 

Trilha Especial: Birdy - "Wings"



Trilha Especial: Brandon Flowers - "Still Want You"





Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...