Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

UK: Apos pressao, Conferência sobre cura gay  é cancelada em Londres.


Evento era organizado pela Igreja Adventista do Sétimo Dia


Uma convenção sobre cura gay que aconteceria entre os dias 21 e 25 de abril em Londres foi cancelada.

O evento, que traria três “ex-homossexuais” – Mike Carducci, Wayne Blakely e Danielle Harrison – para palestrar, era organizado pela Igreja Adventista do Sétimo Dia.

O motivo principal do cancelamento foi uma petição aberta no site Change.org que amealhou mais de 33 mil assinaturas contra o evento.

“A Igreja Adventista reconhece que os indivíduos convidados para falar na Santa Conferência da Sexualidade têm histórias de vida convincentes para partilhar, mas igualmente aprecia que há aqueles que têm um ponto de vista diferente”, disseram, em comunicado.

“Estamos desapontados que, em uma sociedade que valoriza a liberdade de expressão e de divergência de opinião existam aqueles cujo desejo é de silenciar indivíduos que possuem um ponto de vista diferente do seu”, concluíram.

Presidente do Chile assina lei  que autoriza união civil gay.


Presidente do Chile assina lei  que autoriza união civil gay.


Casais gays terão passam a ter direito a herança e plano de saúde conjunto

O presidente do Chile, Michelle Bachelet, assinou, na segunda-feira, 13, a lei que garante a união civil entre pessoas do mesmo sexo.

A nova legislação foi aprovada em janeiro pelo Congresso do país com 86 votos a favor, 23 contra e duas abstenções.

“A lei de união civil é uma reivindicação na luta pelos direitos da diversidade sexual”, declarou Michelle ao assiná-la.

Direitos de herança, planos de saúde conjunto e benefícios de pensão estão dentre as garantias da nova lei. Ela, no entanto, não tem o mesmo status de um casamento (como no Brasil, Argentina e Uruguai, por exemplo) e o país não permite a adoção por casais homossexuais.

NEW YORK: Taxista é condenado a pagar R$ 45 mil  por impedir beijo lésbico.


Casal disse que foi apenas um selinho que gerou ira no taxista


 Os homofóbicos estão pagando o preço de seu preconceito. No caso de Mohammed Dahbi, R$ 45 mil.

Esse é o valor aproximado da multa (US$ 15 mil) a que o taxista foi condenado a pagar a um casal de lésbicas por tentar impedir um beijo entre elas em seu veículo há mais de três anos.

Segundo o jornal Extra, quando a produtora de TV Christina Spitzer e a namorada, a atriz Kassie Thornton, trocaram a carícia, o motorista disse que tinha uma política de não-beijo no veículo.

“Guardem isso para um quarto ou saiam do táxi”, gritou Dhabi para o casal, que seguia da Columbus Circle para a Sunset Park Brooklyn, em Nova York. O taxista ainda xingou as passageiras na hora do pagamento. As duas entraram na justiça.

Em uma audiência no mês passado, Dhabi disse que Christina e Kassie estavam indo além de apenas um beijo no carro. As duas, no entanto, o desmentiram e disseram que trocaram apenas um selinho. A produtora revelou ainda que havia acabado de fazer uma cirurgia na boca e, por isso, estava evitando beijar a namorada”.

Se as pessoas não fizerem o que é certo, nada vai mudar”, disse Christina para o New York Post. De acordo com as mulheres, o episódio quase afetou o relacionamento delas.

Bolsonaro é condenado a pagar R$ 150 mil  por declarações homofóbicas.


Homofóbico disse que vai recorrer à decisão


O deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) foi condenado a pagar R$ 150 mil pela 6ª Vara Cível do Fórum de Madureira do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.

O motivo foram as declarações homofóbicas que ele proferiu durante entrevista ao programa “CQC”, da Band, em 2011 (veja o vídeo abaixo).




Para a juíza Luciana Santos Teixeira, o parlamentar abusou do direito de liberdade de expressão ao “agredir e humilhar” homossexuais, ferindo os princípios da igualdade e isonomia.

A ação foi movida pelos grupos Diversidade Niterói, Cabo Free de Conscientização Homossexual e Combate à Homofobia e Arco-Íris de Conscientização moveram.

Bolsonaro vai recorrer e disse que leva o caso até o Supremo Tribunal Federal se precisar. “Tudo o que eu falei lá, vou continuar falando”, afirmou ao portal UOL.


Sandra Faraj: Deputada evangélica vai fazer  gibis contra direitos LGBT.


Deputada tem como chefe de gabinete ex-administrador exonerado por feitura de gibis


A cruzada da fundamentalista religiosa e deputada distrital Sandra Faraj (SD) contra LGBT vai continuar. Seu próximo passo no trabalho contra o respeito ao nome social e à identidade transgênero em espaços públicos, tais como banheiros, será edição de gibis contra esse direito LGBT.

O que chama atenção no caso é  o fato de seu chefe de gabinete, Manoel Carneiro, ter se envolvido em escândalo em 2012 e sido exonerado do cargo de administrador de Águas Claras depois de gastar cerca de R$ 1 milhão para confeccionar 250 mil gibis e CDs infantis sobre sustentabilidade.
Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...