Slide 1 Slide 2 Slide 3

CONFISSÕES DO DIVÃ






Os textos apresentados nesta seção buscam ilustrar situações, angustias, problemas e experiências vivenciadas por homens gays. Não são uma representação literal de histórias reais e sim textos fictícios que tem por finalidade apresentar possibilidades de enfrentamento para as questões representadas.


O Dr. Alexandre é formado em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atua como psicólogo clínico no Espaço Recontar na região de São José / SC. Fundamenta seu trabalho pelos princípios da Psicologia Sistêmica. Compreender os fenômenos psicológicos sistemicamente significa, literalmente, “colocá-los” dentro de seu contexto, estabelecendo a natureza das suas relações.


Você pode fazer perguntas e sugerir temas que nosso psicólogo responderá com todo prazer.

Bem, vamos ao tema de hoje.



Namoro à distância... Isso pode dar certo?


Alexandre de Souza Amorim, Psicólogo
alexandresouza.psicologo@gmail.com






Em novembro eu conheci o Iuri, eu moro em uma cidade turística do Litoral Catarinense e ele veio com a família passar três meses de férias. Foi em uma balada que ficamos pela primeira vez e a partir dali começamos a sair todos os dias. Ficamos durante os três meses, que com certeza foram os melhores dias da minha vida. Antes de ele ir embora nós decidimos namorar. Ele mora em Minas Gerais, bastante longe para que possamos nos ver com freqüência e estou bastante inseguro sobre o futuro da nossa relação. Eu já namorei antes, mas nunca à distância. Eu estou completamente apaixonado e gostaria muito de fazer a relação dar certo. Mas sou do tipo que só aceito relacionamento monogâmico e com toda essa distância isso é possível?

                                                                                                   
Willian, 25 anos 




Os relacionamentos à distância funcionam para algumas pessoas, para outras, eles funcionam apenas por um período de tempo, depois do qual a relação precisa se reorganizar e tornar-se fisicamente mais próxima. Fazer ‘dar certo’ depende de muitas coisas, entre elas do vinculo emocional do casal e da expectativa de cada um.


O fato é que esse tipo de relacionamento foge um pouco das experiências que você já teve de namoros presenciais, por conta disso é comum ter um frio na barriga. Algumas coisas são totalmente novas e não há histórias parecidas nas suas experiências anteriores com as quais você possa comparar. Você esta aprendendo/vivenciando um nova maneira de se relacionar e para sobreviver à distância é preciso fazer alguns ajustes. Os diferentes meios de comunicação disponibilizados pela tecnologia hoje oferecida são um recurso primordial para amenizar um pouco a distância e mantê-los participativos na vida cotidiana do parceiro.


O maior fantasma dos relacionamentos à distância é o medo da traição. O que acontece é que a distância aumenta nossa sensação de ‘facilidade’ para uma traição. Parece que o caminho está livre para isso. Porém é a qualidade da relação do casal que determina esse acontecimento e não à distância. Se esse fantasma te assombra, você terá que lidar com ele abertamente. Converse com seu parceiro e explique como se sente e o que precisa e espera dessa relação. Ouça o que ele tem a dizer também e busque sustentar essa relação com confiança e respeito. Manda o fantasma embora!



Assumir um relacionamento à distância ainda é um grande desafio. No entanto, lembre-se que você pode namorar alguém que mora na sua rua e ainda assim se sentir muito mais sozinho. O importante é que os dois se sintam confiantes diante do compromisso estabelecido e se empenhem juntos para manter a “proximidade afetiva”. Tentem estar próximos fisicamente sempre que possível e ajudem-se em relação à paciência, confiança no parceiro, cumplicidade e partilha.







Poderá gostar também de:
Postado por Mac Del Rey | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...