Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Equador aprova união  civil homossexual.


União será considerada um quinto estado civil no país


Com 89 votos a favor e apenas um contra, o Congresso do Equador aprovou a união de facto (ou união civil) estável que vale para homossexuais e heterossexuais e terá quase os mesmos direitos que o casamento. No Brasil, conhecemos como união estável.

Essa união passa a ser, agora, no país, um quinto estado civil, junto aos já conhecidos: solteiro, casado, viúvo e separado.

“Não haverá um simples registo, como é hoje, mas também incorpora muito do que é o casamento”, disse o presidente da Comissão de Justiça, Mauro Andino.

A nova lei foi aprovada, na quinta-feira, 23, já que este debate teve de esperar cerca de seis meses para ser retomado depois que foi suspenso em setembro de 2014.

O presidente Rafael Correa tem 30 dias para aprovar ou vetar a lei. Apesar de ser evangélico, ele já declarou, em 2014, que é a favor da legislação.

Maioria dos conservadores dos EUA  iria a um casamento gay.



Judiciário dos EUA está decidindo se união homo é ou não legal


Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos mostrou que a maioria dos eleitores conservadores (que vota no Partido Republicano) compareceria a uma cerimônia de casamento se um amigo próximo ou parente homossexual se casasse.

O estudo, conduzido pela agência de notícias Reuters, identificou que 56% dos republicanos tomariam essa atitude. Já dentre os liberais (votantes do Partido Democrata), 80% iria a uma cerimônia de união gay.

Dentre os independentes (que não votam nem nos republicanos nem nos democratas), 70% compareceria. A média dentre todos os pesquisados deu 68%.

O assunto é quente no país já que o Supremo Tribunal Federal está decidindo se legaliza ou não o casamento gay em todos os Estados.

Irlanda do Norte rejeita  casamento gay pela 4ª vez.


Com uma margem apertada, Assembleia Legislativa do país não aprovou a união homossexual


O Parlamento da Irlanda do Norte rejeitou, pela quarta vez, um projeto de lei que autorizaria o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Na segunda-feira, 27, o projeto, apresentado pela legenda de esquerda Sinn Féin, perdeu por 49 votos a 47.

O diretor da Anistia Internacional para a Irlanda do Norte, Patrick Corrigan, disse: “Por suas palavras e ações, muitos dos políticos da Irlanda do Norte estão tornando as pessoas gays cidadãos de segunda classe no seu próprio país.”

O país é o único do Reino Unido que continua ignorando os direitos homossexuais no casamento. Inglaterra, País de Gales e Escócia já legalizaram o assunto.

Em 22 de maio, há uma grande expectativa em torno da vizinha Irlanda (que não pertence ao Reino Unido). Haverá um plebiscito sobre o tema e parece que a população aprovará a união gay.

Bairro gay- Jovens são perseguidos  e agredidos em Madri.


Mesmo tendo chamado a polícia, jovens continuaram sendo agredidos


Na madrugada do domingo, 26, quatro amigos viveram um pesadelo no bairro mais gay de Madri, o Chueca.

Eles passavam pela Gran Vía, uma das avenidas mais icônicas da capital espanhola, quando ouviram gritos de “viados”. Dois homens os agrediram e eles saíram correndo.

Os quatro chegaram até a porta de uma casa noturna e quando perceberam lá estavam os agressores logo depois voltando a agredi-los verbal e fisicamente.

Todos correram novamente e encontraram uma viatura policial. Os policiais anotaram os dados dos agressores, mas os deixaram ir embora.

O que aconteceu? As vítimas foram até a uma delegacia de polícia e quem estava perto esperando por eles? Os homofóbicos, que desta vez agrediram mais violentamente um dos jovens. Foram, ao todo, três agressões em menos de uma hora vindas das mesmas pessoas!

As vítimas estão sendo assistidas pela Arcópoli, entidade LGBT espanhola, que chegou a levá-los ao hospital e os ajudará a levar as denúncias à Justiça.


Exército não poderá mais  barrar portadores de HIV.


Comando do Exército pagará multa se não cumprir as novas regras


O Tribunal Regional Federal da 1ª Região decidiu que o Exército não poderá mais barrar portadores de sífilis e HIV.

Caso as regras não entrem em vigor já a partir de possíveis editais que estejam em andamento, o Comando do Exército terá que pagar uma multa diária de R$ 5 mil.

Outras exigências que deixarão de existir para integrar as Forças Armadas são a de altura mínima e de ter ao menos 20 dentes naturais.

Caso polêmico: Verônica Bolina diz ter  sido sodomizada na prisão.


Transexual relata vários casos de agressão nos primeiros dias em que foi presa


Aos poucos, o caso Verônica Bolina começa a ser elucidado. A transexual, presa em São Paulo no dia 12 após agredir uma vizinha de 73 anos, disse que foi, sim, agredida, várias vezes, desde os primeiros momentos de sua detenção. Contou, inclusive, que foi sodomizada com um cabo de vassoura.

O militante LGBT Julian Rodrigues disse, em seu perfil no Facebook, na segunda-feira, 27, o que Verônica relatou em conversa com ele e com o ativista Dimitri Sales ao acompanhar a conselheira Cheila Olalla em visita à detenta, a pedido de Rildo Marques de Oliveira, presidente do CONDEPE-SP (Conselho Estadual de Defesa da Pessoa Humana).

Segundo Rodrigues, Verônica afirma que apanhou pela primeira vez quando tentou tirar a algema ao ser levada ao 78º DP (Jardins). Lá, ela assinou papéis sem ler e depois foi levada ao 2º DP (Bom Retiro), onde ficou numa cela com 11 presos.

Verônica diz que teve um comportamento inadequado na cela, mas que não foi a masturbação, como foi publicado em vários jornais. No dia seguinte, o carcereiro mandou que os presos saíssem e sozinho com ela, a xingou, e a agrediu com chutes e socos. Nesse momento, foi que aconteceu luta corporal e ela lhe arrancou a orelha.

A terceira agressão que Verônica sofreu foi quando a levaram ao pátio e foi vítima novamente de chutes e socos, principalmente no rosto.

“Havia 2 policiais com ‘armas grandes’, uma com cabo de madeira. Nesse momento, também teve um cabo de vassoura introduzido no ânus. As fotos divulgadas no Facebook se referem a esse momento”, relata Rodrigues sobre o ocorrido.

Depois, a transexual foi levada ao hospital, onde também houve maus tratos. Ela ficou dois dias “cega” por causa das agressões no rosto.

Verônica não esclareceu o porquê de sua agressão à vizinha. Ela disse que não usa drogas e que sentiu como que possuída por “demônio”.

Agora, ela está melhor fisicamente, fora do convívio carcerário. Verônica está sendo tratada pelo nome social, sem peruca (por causa das normas de segurança) e representada pela defensora pública Juliana Berloque.
Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...