Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Alerta sueco usa propaganda gay para sacanear possíveis submarinos espiões russos.




A Sociedade de Arbitragem e Paz da Suécia (SPAS) criou um divertido e inusitado sinalizador subaquático para alertar submarinos russos de que a Suécia é um país gay. A “propaganda gay” é uma crítica à Rússia mas também um recurso barato para um problema diplomático que surgiu em outubro do ano passado quando um submarino supostamente russo foi avistado em águas suecas no Mar Adriático. 

Se uma embarcação se aproximar do “Marinheiro Cantor”, nome dado ao dispositivo que traz uma imagem de um homem de sunga em neon, ela receberá uma mensagem em código morse: "Bem-vindos à Suécia. Gay desde 1944. Venha nesta direção se você for gay". O sinal parte de uma placa iluminada, com os dizeres em russo e inglês. Daniel Holking, da SPAS afirmou ainda que os russos que passarem pela placa são bem vindos à Parada do Orgulho de Estocolmo, no dia 1º de agosto.

A brincadeira chama atenção para dois problemas reais: a lei grotesca da Rússia sobre menções à homossexualidade e a falta de respeito do país aos vizinhos.

Motorista do aplicativo Uber é suspenso  após discriminar casal gay.


Empresa disse que não tolera qualquer discriminação


Um casal gay de Londres foi expulso pelo motorista de um carro contatado pelo Uber depois que ele notou a orientação sexual de ambos.

“Meu amigo e eu estávamos de mãos dadas e eu me inclinei para beijá-lo”, contou Neil Shah ao site Pink News. “O motorista disse ‘Nada de gays, nada de beijos’, parou o carro e nos disse para sair. Nós ficamos chocados, mas saímos do carro.”

Os dois entraram em contato com o aplicativo e o motorista foi banido. A empresa informa que não tolera qualquer tipo de discriminação no Uber.

 USA: Transexual de 15 anos se suicida  após sofrer bullying.


Adolescente sofria com bullying no colégio, disseram seus pais


Cameron Langrell, de apenas 15 anos, se suicidou apenas poucos dias depois de se assumir, na internet, como transgênero.

Seus pais, Jamie e Eric Olender, contaram que ele era vítima de bullying na Horlick High School, no Estado norte-americano de Wisconsin e que davam apoio ao filho.

“É preciso haver mais dentro da escola, não apenas ajuda fora dela”, disse Jamie ao jornal “WISN 12 News”. “Precisa ser ensinado na escola.”

O site LGBT “Advocate” lembrou que houve ao menos 10 suicídios de jovens transexuais no último ano nos Estados Unidos.

Irlanda do Norte: Gay fã de meninos magrinhos é  acusado de pornografia infantil.




Um ex-assistente social teve sua vida arruinada após a polícia confundir um gíria gay como pedofilia, em Bangor, na Irlanda do Norte.

Mike Whitla foi preso dois anos atrás sob suspeita de possuir 71 imagens que variavam de gravidade em relação a pornografia infantil.

“Eu acho que se um dos oficiais que me prenderam fosse gay, eu nunca teria sido colocado neste pesadelo, mas eles vivem em um mundo social diferente de mim”, disse Whitla ao site Belfast Live.

Em outubro de 2013, a polícia chegou com um mandado de busca na casa de Whitla após receber uma denúncia. Eles vasculharam a casa e levaram seu computador, telefones e iPad.

Pesquisas que o homem fez em pornôs gays fizeram aparecer aquelas tradicionais pop-ups, que ficaram armazenadas no computador e confundiram a polícia achando que estavam tratando com um pedófilo.

Whistla pediu insistentemente para ver as tais imagens das quais ele era acusado até que conseguiu. Eram meninos descritos como “twinks”. O termo, na gíria gay, significa meninos jovens, entre 18 e 20 e poucos anos, magrinhos e com certo jeito afeminado.

Os policiais insistiram que os meninos das fotos tinham cerca de 13 anos e que iam levá-lo a júri e que eles iriam concordam que se tratava de pornografia infantil. Whistla insistiu que os “garotos” das imagens deviam ter cerca de 24 anos.

O processo todo durou um ano e meio até chegar o seu julgamento em que ele foi inocentado de todas as acusações, no último 28 de abril.



Neste tempo todo, a vítima perdeu o emprego e quase todos os amigos. Whistla alega que se fizer uma pesquisa no Google com seu nome só há referências a ele como um “pervertido”, um “demônio”.

“Eles precisam ser educados sobre as comunidades gays e a linguagem que usamos. Isso poderia ter evitado a minha ruína e salvado uma enorme quantidade de tempo, esforço e dinheiro levando um homem inocente para o tribunal”, conclui o homem que agora quer refazer sua vida.

Novo Hamburgo (RS): Clube é condenado a pagar R$ 15 mil a casal  gay por agressão de segurança do local.


Caso ocorreu no carnaval de 2012



Um clube de Novo Hamburgo (RS) foi condenado a pagar R$ 15 mil por danos morais ao jornalista Bernardo Guedes, de 37 anos. Ele e o namorado foram vítimas de agressões físicas e verbais, por parte de seguranças do local por serem homossexuais.

O caso ocorreu em fevereiro de 2012. Num baile de carnaval, na Sociedade Ginástica de Novo Hamburgo, Bernardo alega que ao abraçar o namorado, um segurança o empurrou e xingou os dois. “Do nosso lado tinha um casal hétero, se amassando, e para eles estava tudo bem”, contou a vítima ao portal G1.

Segundo Guedes, o segurança ameaçou expulsá-lo do clube caso seguisse abraçando o namorado em público. O casal continuou na festa, mas foi impedido novamente pelo mesmo segurança de acessar a área VIP do clube, onde estava acontecendo a escolha da Rainha do Carnaval.

O jornalista relata que tentava ajudar um colega cinegrafista a conseguir credencial para entrar no espaço reservado, pois trabalhou como jornalista na cobertura do evento em anos anteriores.

“Ele disse que ali não entrava ‘viado’ e me empurrou. Eu caí no chão, me machuquei”, relata, acrescentando ainda que foi agredido com socos e pontapés.

Ele conta ainda que ouviu deboches e piadas de outros seguranças. Em seguida, o namorado e uma amiga tentaram intervir. “Eles [seguranças] disseram que iam me levar para uma sala para me bater até eu vai virar homem” recorda.

O casal relata que foi expulso da festa. Ambos prestaram queixa na 3ª Delegacia de Polícia de Novo Hamburgo logo depois. “A gente pensa que nunca vai acontecer uma coisa dessas com a gente. Mas eu fui atrás e procurei meus direitos”, afirma.

O caso foi parar na Justiça e a sentença saiu no último dia 30 de abril. “Não foi por dinheiro. Mas a sentença foi um alívio. Foi como eu tirasse um peso das minhas costas. Eu sabia que não estava errado”, diz.

Na decisão, a juíza Juliane Pereira Lopes diz que “além de situação vexatória, constrangedora e humilhante, houve ofensa à integridade física do autor”, ao referir-se aos socos e pontapés, registrados em fotos por um amigo do casal. “A sociedade está se modificando aos poucos, mas ainda tem bastante preconceito”, analisa a advogada Janete Klein, que defendeu Guedes na ação.

Ao G1, o gestor executivo do clube Marcos Bock afirmou que o departamento jurídico está avaliando se recorrerá ou não da decisão.

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (1) Comente aqui!

Um comentário:

  1. Eu ri do caso entre Rússia e Suécia, kkk. Mas vocês falaram que a zoeira ocorre no Mar Adriático, só que esse mar banha a Itália, no sul do continente!

    Fiquei muito consternado com o suicídio do garoto transexual. Vê-se que só o apoio dos pais não basta, ainda que seja essencial. A sociedade precisa parar maltratar os diferentes apenas por serem diferentes.

    E que pesadelo vivido pelo fã de twinks acusado de pedofilia simplesmente porque as autoridades não sabiam o que são twinks... Lamentável.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...