Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Igreja precisa de nova linguagem, diz arcebispo na Irlanda após referendo.



Milhares de pessoas comemoram a aprovação do casamento entre pessoas do mesmo sexo na Irlanda, na esplanada do Castelo de Dublin.

A Igreja católica irlandesa admitiu neste domingo (24) que necessita de uma "nova linguagem" para falar com seus fiéis, depois da vitória do "SIM" no referendo sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo, que limitou sua influência no país.

Enquanto os partidários do "SIM" se recuperavam da festa da vitória, que durou até a madrugada, muitos católicos foram à missa como todo domingo para escutar as palavras do pároco após o referendo de sexta-feira (22).

"A Igreja tem que encontrar uma nova linguagem que possa ser entendida e ouvida pelas pessoas", disse à imprensa o arcebispo Diarmuid Martin, uma das figuras mais importantes da instituição, ao sair da missa na catedral de Santa Maria de Dublin.

"Temos que ver por que os ensinamentos da Igreja sobre o matrimônio e a família não estão chegando nem aos seus próprios fiéis", afirmou. O arcebispo disse que a Igreja precisa se reconectar com os jovens.

O "SIM" ganhou com 62% dos votos, frente ao 38% para o "NÃO", em um país onde ser LGBT foi um crime até 1993.

A maioria dos irlandeses se considera católica, mas a influência da Igreja tem diminuído nos últimos anos, vítima da secularização e da revelação de numerosos casos de abusos sexuais de crianças no seio da instituição.

 Mais uma vez: Parada do Orgulho Gay é proibida em Moscou.


Desde 2006, evento não consegue autorização

Programada para 30 de maio, a Parada do Orgulho Gay de Moscou não vai acontecer. A prefeitura da cidade anunciou a proibição do evento, na quinta-feira, 21.

“Advertimos os organizadores sobre o fato de que a manifestação não será autorizada” e “nós os alertamos sobre os riscos”, caso desrespeitem a interdição – declarou Alexei Maiorov, da prefeitura de Moscou, citado pela agência de notícias russa RIA Novosti.

Segundo a Agência France-Presse, o governo não justificou a decisão. A autorização para a marcha tem sido negada aos militantes LGBT desde o primeiro ano e que foi pedida, em 2006.

Aliado LGBT: Grupo militante comemora escolha de Edson Fachin para o STF.


Fachin foi indicado por Dilma

O combativo Grupo Dignidade, de Curitiba, publicou nota elogiando a escolha de Edson Fachin nesta terça-feira, 19, como ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). Para a entidade, “Edson Fachin fará coro aos aliados e às aliadas das pessoas LGBT no Supremo Tribunal Federal. "Ele defende os direitos humanos da comunidade LGBT”.

Confira na íntegra:

NOTA DE CONGRATULAÇÃO

Ao Ministro do STF Edson Fachin

O Grupo Dignidade, organização da sociedade civil fundada em Curitiba em 1992, que tem por missão promover e defender os direitos humanos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT), vem congratular a presidente Dilma Rousseff pela indicação, e o Senado Federal pela indicação, nesta terça-feira (19/05), do jurista Luiz Edson Fachin como ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), com votação de 52 votos a favor, 27 votos contra e nenhuma abstenção. Edson Fachin fará coro aos aliados e às aliadas das pessoas LGBT no Supremo Tribunal Federal. Ele defende os direitos humanos da comunidade LGBT. Defende a união estável entre pessoas do mesmo sexo. Defende o respeito à comunidade LGBT e é favorável à criminalização da homofobia. Foi derrotado o fundamentalismo religioso, mesmo acuado e sem ter tido uma sabatina decente – pareceu mais como uma inquisição –, Fachin manteve o brilho e defendeu as causas populares.Todos os brasileiros e todas as brasileiras estamos orgulhosos (as) pelo saber jurídico e pela garantia de que com certeza nos orgulhará no Supremo Tribunal Federal.

Toni Reis
Diretor Executivo do Grupo Dignidade

 Brasil entra na lista de países onde os gays são mais felizes.


Na foto acima, o grupo de funk gay Bonde das Bonecas, que faz sucesso nas favelas cariocas.

Um levantamento do site Planet Romeo acaba de revelar o Índice da Felicidade Gay, que lista os países em que os homossexuais são mais felizes. Ao todo, foram consideradas 137 nações, inclusive o Brasil, que está na 39ª posição do ranking.

De acordo com o estudo, o país que mais oferece qualidade de vida para os gays em todo o mundo é a Islândia, seguido pela Noruega e Dinamarca, respectivamente. Do outro lado desta lista, aparecem Uganda, na África, que é o território onde os gays se sentem mais infelizes.

Na América do Sul, nosso vizinho Uruguai é o país mais bem colocado, assumindo a quinta posição mundial. A Argentina vem em seguida, com o 15º lugar. Peru tem a pior colocação na região, ficando em 56º lugar no mundo.

O estudo contou com a participação de 115 mil homossexuais em todo o mundo. O índice levou em consideração a forma como os habitantes de cada país encaram os homossexuais e o grau de satisfação dos próprios gays com sua vida e com o nível de aceitação dos conhecidos sobre sua orientação.

A partir dos resultados, os responsáveis pelo estudo calculam que existam no mundo cerca de  sete milhões de homossexuais que mantêm casamentos com pessoas do sexo oposto, 13 milhões de gays que foram expulsos de casa devido a sua orientação sexual, 22 milhões que perderam o emprego ou foram prejudicados no local de trabalho pelo mesmo motivo e, pior, mais de quatro milhões de gays, só no último ano, que foram vítimas de violência homofóbica.
Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...