Slide 1 Slide 2 Slide 3

HOMOSSEXUALIDADE

Hackers postam mensagens a favor da causa LGBT no Twitter da Igreja Universal.




A conta oficial da Igreja Universal no Twitter foi invadida nesta quarta-feira (17) e postou uma série de mensagens a favor da comunidade LGBT.

A conta da Universal foi suspensa e os posts não estão mais disponíveis, mas diversos usuários compartilharam reproduções das mensagens.



Segundo reportagem do Brasil Post, a Igreja Universal afirmou que está apurando a situação.

Ricardo Boechat humilha e dá recado a  Malafaia: 'Vá procurar uma r***!


Boechat dirigiu uma série de insultos ao pastor em programa ao vivo.


O jornalista Ricardo Boechat e o pastor Silas Malafaia perderam a linha nesta sexta-feira (19). A briga entre os dois começou porque Boechat comentava a agressão sofrida por uma menina de 11 anos devido a intolerância religiosa em seu programa na rádio BandNews FM. A criança foi apedrejada na cabeça porque é praticante do candomblé. Malafaia, incomodado, publicou em seu Twitter um desafio para o jornalista: "Avisa ao jornalista Boechat, que está falando asneira, dizendo que pastores incitam os fiéis a praticarem a intolerância. Verdadeiro idiota. Desafio Boechat para um debate ao vivo. Falar asneira no programa de rádio sozinho, é mole, deixa de ser falastrão. Não incite o ódio", escreveu o religioso. Ao vivo, Boechat leu o tuíte e já respondeu botando a boca no trombone.



"Ô Malafaia, vai procurar uma r*, vai. Não me enche o saco. Você é um idiota, um paspalhão. Um pilantra. Tomador de grana de fiel, explorador da fé alheia. E agora vai querer me processar. Você gosta muito de palanque, não vou te dar palanque porque você é um otário. Não vou fazer debate nenhum com você porque não quero te dar essa confiança. O que eu falei e repito é que num âmbito de igrejas neopentecostais estão acontecendo atos de incitação à tolerância religiosa, mais do que em outros ambientes. Em nenhum momento, pode pegar minhas falas que estão gravadas, eu disse algo que generalizasse as coisas. Até porque, diferente de você, não sou um idiota", começou Boechat.
 
"Você é um homofóbico, uma figura execrável, horrorosa, que toma dinheiro das pessoas. Você é rico porque toma dinheiro das pessoas pregando salvação depois da morte. Meu salário, meus patrimônios, vêm do meu suor, não do suor alheio. Você é um charlatão, cara. Que usa o nome de Deus e de Cristo para tomar dinheiro dos fiéis. Você é um tomador de grana. Você e muitos outros. Não medo de você não, seu otário! Vai procurar uma rola".
 
Depois, para mostrar que não está generalizando a questão, Boechat citou a história de um outro religioso, o padre João Melo, que demonstrou apoio à criança apedrejada e sua família. Malafaia postou 34 tuítes sobre o assunto e publicou um vídeo de resposta no Youtube, em que ameaça Boechat de processo.
 
No Twitter, ele ameaçou contar tudo para o seu amigo João Saad, dono do grupo Bandeirantes de comunicação. "O jornalista Boechat fez uma acusação leviana e séria, de maneira generalizada, dizendo que os pastores nos seus cultos ou na igreja incentivam a intolerância. Eu respondi através do meu Twitter que ele estava tremendamente equivocado e ainda desafiei ele para um debate. Ele, no programa que você vai ouvir daqui a pouco para ver a baixaria, o nível que é esse cidadão, perdeu a linha, me xingou, me difamou.
 
Eu vou dar uma oportunidade a ele na Justiça de provar, diante do juiz, o que ele falou de mim na rádio", começa Malafaia, inflamado. "Ele, como é um cara parcial, fala de intolerância, eu não vi ele falar sobre intolerância na Parada Gay de São Paulo contra os evangélicos, contra os cristãos. Ficou quietinho, não falou nada. Boechat, o povo vai saber quem é você. Não tenho medo de você, e tá desafiado".

Importante destacar que a imensa maioria das pessoas estão defendendo Boechat, argumentando que ele falou tudo que as pessoas gostariam de falar para o Pastor Silas Malafaia.



Gêmeos gays criam novo site de emprego para pessoas LGBT.




Uma dupla de gêmeos gays criaram o primeiro site social voltado a profissionais que buscam contratar homossexuais, bissexuais e transexuais talentosos. O MyGwork é um recrutador global e uma rede social voltada a promoção da diversidade sexual no mercado de trabalho e a inclusão de novos profissionais em um serviço longe de homofobia.
Não é nenhuma novidade que os LGBT (Lésbicas, Gays, Bisexuais, Travestis e Transexuais) sofrem com a discriminação e o preconceito no mercado de trabalho, com o aumento da homofobia no mundo todo, vemos pessoas LGBT que não tem oportunidades de empregos ou até perdem o emprego por terem chefes preconceituosos. O intuito da criação dessa nova rede social é tornar o mercado de trabalho mais aberto para novos profissionais LGBT e que por muita vezes perdem oportunidades de trabalho por causa da LGBTFobia.

Com sede em Londres, a rede social foi criada pelos irmãos Pierre e Adrien Gaubert, no espaço virtual é possível criar o seu perfil, enviar o Currículum, compartilhar as suas experiências e procurar por novos empregos e oportunidades. Além disso, os profissionais tem acesso a uma lista de eventos voltados para adicionar mais experiências profissionais, e ter novas experiências com outros profissionais, criando o seu Networking.

Os irmãos disseram em entrevista que a inspiração veio de sua falecida mãe, que  estava sempre preocupada que ser gay poderia prejudicar as suas perspectivas de carreiras. Algo que poderia ser verdade, com base nos relatórios da Out Now Consulting no qual descobriram que 46% dos funcionários LGBT tinham visto ou ouvido comentários discriminatórios no trabalho.

“Esperamos que o My G Work ajude a remover o medo de se assumir no trabalho , pois sabemos que , por sua vez , isso leva a melhorar a moral , a produtividade e a retenção de pessoal, fatores que beneficiam a todos no ambiente de trabalho” disse Pierre em entrevista para a revista americana “Diva”. -

No Brasil um projeto se assemelha muito a esse, o “Trans Emprego”, um site especializado em busca e divulgação de empregos para pessoas transexuais em todo o Brasil tem ganhado bastante visibilidade e respeito tanto das pessoas transexuais que se cadastram para procurar um emprego, como pelos empregadores. No Trans Emprego já estão sendo ofertadas vagas muito importantes como design, assessoria de imprensa e até engenharia ambiental.
O grande problema é que no Brasil como ainda não há muitas políticas públicas voltadas para a inserção do LGBT no mercado de trabalho e que possam diminuir os desrespeitos sofridos diariamente por pessoas LGBT no ambiente do trabalho, isso junto com a não criminalização da LGBTfobia e o crescimento do fundamentalismo religioso só aumentam os casos de discriminação dentro das diversas empresas e espaços de trabalho.

“Eu trabalho como vendedor de uma empresa de telefonia móvel, quando percebi que uma outra funcionária não gostava de vender junto comigo.  Em uma discussão por causa disso, ela me chamou de “viadinho”, depois foi falar com o supervisor e pedir para trocar de equipe, quando na verdade eu que deveria ter feito isso.” disse Luciano Tozzy, jovem trabalhador homossexual em João Pessoa-PB.

A LGBTfobia no mercado de trabalho é enorme e precisa ser combatida, os primeiros passos para o respeito às pessoas LGBT no mercado de trabalho estão sendo dados tanto no Brasil, como no resto do mundo. É possível ver um mundo melhor em um futuro não muito distante, um mundo onde LGBT trabalha com o que gosta e não sofre discriminações nem dentro e nem fora do trabalho.

Vivo lança campanha para o dia dos namorados com casal lésbico; assista.




A operadora de telefonia Vivo lançou uma campanha (assista o vídeo a baixo) para o dia dos namorados usando a canção ‘Exagerado’ de Cazuza como música tema. No comercial, que tem apoio da Sociedade Viva Cazuza, um cupido é chamado para unir casais em crise ou pessoas que se paqueram. Em um certo momento, a campanha apresenta um casal lésbico em um show. O cupido, então, une as jovens.

O vídeo já tem mais de 1 milhão de visualizações no YouTube e milhares de comentários parabenizando a operadora. Assista:


Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...