Slide 1 Slide 2 Slide 3

MINHA VIDA GAY

Jogador de futebol português confirma homossexualidade para programa de TV, mas pede anonimato.




“Sou jogador com carreira na primeira liga portuguesa de futebol desde muito novo. Soube que era homossexual na adolescência e desde então reservei-me ao máximo pois os balneários são espaços de masculinidade e onde existe algum gozo e crítica do que é diferente.” O depoimento foi feito à reportagem “Fora de Jogo – A homossexualidade no futebol”, exibida no programa “Linha da Frente”, da RTP. VEJA AQUI: http://www.rtp.pt/play/p1764/e196764/linha-da-frente

Num testemunho inédito, este jogador, que preferiu participar na reportagem com uma declaração escrita, conta porque não dá a cara: “Tenho medo que a minha carreira acabe caso descubram a minha tendência sexual. Por isso nem sequer me passa pela cabeça assumir ser homossexual”, refere, contando mais à frente que “gostava de estar num meio profissional que me permitisse assumir a minha orientação sexual sem qualquer receio”. Também o sexólogo Júlio Machado Vaz reforça que este não é um caso isolado: “Ao longo de 40 anos de profissão ouvi jogadores de futebol que eram homossexuais e que o escondiam cuidadosamente.”

A reportagem conta ainda a história de Justin Fashanu, o primeiro jogador inglês que assumiu ser homossexual anos 90 e que acabou por suicidar-se. “Não quero voltar a ser uma vergonha para os meus amigos e família”, escreveu então Justin Fashanu na carta de despedida.

Abel Xavier (ex-jogador), António Serzedelo (Opus Gay), Miguel Vale de Almeida (ex-deputado), Manuel Sérgio (filósofo), Fátima Duarte (CIG) e Ricardo Porém (Sporting) foram também entrevistados para este trabalho. Benfica, Porto e Liga Portuguesa de Futebol não quiseram participar nesta reportagem de Filipa Simas (jornalista), Mário Raposo (imagem) e Sara Cravina (edição).

A reportagem completa está no link: http://www.rtp.pt/play/p1764/e196764/linha-da-frente

REINO UNIDO: Ministro da Educação afirma ser homossexual.




Um ministro conservador britânico causou alvoroço na imprensa do país. Ele se declarou gay e disse que vai se casar com o companheiro.

A legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo recentemente conseguido na Grã-Bretanha levou ao “coming-out” do ministro.

Nick Gibb, Ministro das Escolas, revelou ao jornal “The Times” que está há 29 anos junto com o companheiro, Michael Simmonds, e que pretendem oficializar a união. Ele mantinha um relacionamento que teve início nos anos oitenta em segredo, com a alteração da lei decidiu dar os primeiros passos para torná-la pública.

“Nós nos conhecemos em uma época diferente em que você ficava trancado no armário e se sentia confortável com isso’, contou à publicação.

Partilhar com a família e os amigos a sua relação, com o apoio do irmão partilhou também com a sua mãe cuja a idade, disse, levou a uma reação inicial menos positiva mas que depois afirmou que o importante é que o seu filho seja feliz e que viver com uma família amorosa é o mais importante.

“Eu acho que minha mãe inicialmente ficou chocada – é uma coisa da idade – mas depois se mostrou apoiadora e o que ela quer para mim é me ver feliz”, disse.

Gibb, membro do partido conservador que votou favorável à alteração da lei do casamento, elogiou Cameron pela introdução da igualdade no casamento na legislação, vem agora anunciar que se vai casar com o seu parceiro, agora menos incógnito, Michael Simmonds.


Para os dois era mais simples manter a relação discreta e em segredo, mas a alteração da lei alterou também a sua forma de pensar e por isso avançaram para torná-la pública e anunciar o seu casamento.

“Nós nunca fomos a favor das parcerias civis, sempre sentimos que deveria haver a mesma abordagem para nós que havia para os restantes casais, e por isso decidimos esperar”.

Esta abertura do Ministro da Educação é tão mais importante se nos recordarmos que até 2003 havia uma lei em Inglaterra que proibia as escolas de "promover a homossexualidade" e de apresentarem casais de gays e lésbicas como uma relação familiar "aceitável".

Youtuber americana Ingrid Nilsen declara em vídeo que é gay.




Jovem dá dicas de beleza em canal com 3,3 milhões de seguidores. Chamada de 'missglamorazzi', ela acumula 255 milhões de reproduções.

A youtuber americana Ingrid Nilsen, conhecida como "missglamorazzi", anunciou em um vídeo publicado nesta terça-feira (9) que é gay.

Ingrid, que dá dicas de maquiagem e penteados, é acompanhada por mais de 3,3 milhões de seguidores no YouTube e seu canal acumula mais de 254 milhões de visualizações.



"Existe algo que eu queria que vocês soubessem... e isso é, sou gay", contou em vídeo que, às 18h30 desta terça (9), já somava mais de 90 mil marcações de "Gostei" no YouTube. "Isso não é algo que eu escolhi, é algo que é parte de mim".

No depoimento, ela diz que era "algo que ela sempre soube desde as memórias mais antigas" e chorou ao citar seu mais recente namorado, ou o "último homem", nas palavras dela.

Além do canal no YouTube, Ingrid é jurada do programa "Project Runway: Threads", do canal da TV americana Lifetime. O reality show é dedicado a jovens estilistas.

Humor: SERÁ QUE ELE É?



Trilha Especial: Bestie em "Excuse Me"



Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...