Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Ideias tradicionais: Papa Francisco diz que crianças  precisam de pais héteros.


Pontífice disse que Bíblia ensina que paternidade foi baseada na diversidade do masculino e do feminino


O Papa Francisco disse ano domingo 14 que as crianças precisam de pais héteros. Para o pontífice, a Bíblia ensina que a paternidade foi baseada na diversidade do seres masculinos e feminino e que isso é a “primeira e mais fundamental diferença constitutiva do ser humano”.

Francisco comparou um casamento de longa duração com um bom vinho, onde marido e mulher fazem a maioria das diferenças de gênero. “Eles não estão com medo das diferenças!”, disse ele a 25 mil seguidores da diocese de Roma.

“As crianças amadurecem vendo seu pai e sua mãe assim; sua identidade amadurece ao ser confrontada com o amor que o pai e a mãe têm, confrontados com esta diferença”, disse.

Câmara do DF aprova Plano de Educação  sem questões de gênero e sexualidade.


Intolerantes se manifestaram a favor das emendas que modificaram redação original do plano


A Câmara Legislativa do Distrito Federal aprovou, na noite de terça-feira, 16, o projeto de lei nº 428/2015, que trata do Plano Distrital de Educação (PDE).

Dentre as principais mudanças no texto original do plano está a exclusão de referências a questões de gênero e sexualidade – o que gerou amplo debate em plenário.

O PDE é um instrumento de planejamento, gestão e integração do sistema de ensino do Distrito Federal que vai valer pelos próximos 10 anos. De acordo com informações do site da Câmara, o plano é composto por 21 metas, cada qual com estratégias específicas, além de conter diagnósticos e informações para o monitoramento e a avaliação do cumprimento das metas.

Manifestantes se posicionaram na galeria da Câmara a favor das emendas que retiraram questões de gênero da redação original do plano.

Dntre os itens suprimidos estão a previsão de “Educação em Gênero e Sexualidade” e a menção ao Plano Nacional de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos LGBT. A supressão foi decidida por 16 votos favoráveis, sete contrários e uma ausência.

Vendas para o Dia dos Namorados têm queda em geral e alta no 'O Boticário'.




Comercial com casais do mesmo sexo teve campanha de boicote com efeito inverso.

As vendas do comércio para o Dia dos Namorados recuaram 5% em 2015, comparadas ao ano anterior, de acordo com a Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). É a primeira queda na data comemorativa desde 2009. Porém com O Boticário as coisas foram diferentes.

As vendas na empresa aumentaram 3%. De acordo com o Sindicato do Comércio Varejista, as causas para aumento podem ter sido a campanha em favor da empresa feita pelo movimento LGBT.

Há duas semanas do dia dos namorados, o Boticário divulgou uma propaganda para a data com casais do mesmo sexo. Em pouco tempo o vídeo já estava sendo compartilhado em todas as redes sociais, com a grande maioria defendendo a campanha que mostra casais indo comprar presentes e se preparando para uma noite especial, tanto homens quanto mulheres destacando uma fragrância unissex, o Egeo.

Do dia 24 de maio, quando lançou seu filme publicitário, atá 17 de junho, o vídeo da empresa no YouTube teve 3,4 milhões de visualizações, nove vezes mais do que as publicações da quinzena anterior, segundo um estudo elaborado pela SGC Conteúdo. Além disso, foram 383 mil avaliações positivas no período e 192 mil avaliações negativas.

Entre aqueles que ficaram contra a atitude da marca está o pastor Silas Malafaia, que fez um vídeo pedindo o boicote à marca e teve 519 mil visualizações no Youtube.

Mesmo com as críticas e pedido de boicote, a imagem do Boticário não ficou abalada; pelo contrário, os consumidores aprovaram a campanha. A pesquisa mostra que a palavra “gostei” foi uma das mais repetidas no Twitter entre as 31 mil publicações com o termo “Boticário” de 2 a 6 de junho, à frente de termos como “gays” e “Malafaia”; e uma campanha no Facebook a favor do Boticário ganhou 190 mil adeptos.

Para o diretor geral da SGC Conteúdo, Sílvio Guedes Crespo, quem assume uma postura pioneira sabe que terá um custo e espera obter um benefício. “No caso de O Boticário, as redes sociais ajudaram a empresa a reduzir o primeiro e a aumentar o segundo”, afirma.

Ele explica que ao tratar casais do mesmo sexo iguais de heterossexuais, a empresa foi muito inovadora e a longo prazo será reconhecida como uma organização com valores à frente do seu tempo. “A conquista de direitos por parte da população LGBT é uma tendência de longo prazo em sociedades ocidentais, embora no meio do caminho haja eventuais retrocessos. As empresas, especialmente as grandes corporações, tendem a acompanham esse movimento, e a sociedade como um todo tende a aceitar cada vez mais essa diferença”, explica.

O Boticário não é a primeira a apostar na diversidade sexual para se posicionar no mercado, muitos outros exemplos de comerciais que usam casais do mesmo sexo ou promovem a diversidade sexual exibirM seu anuncio.

Mercado gay: Público LGBT cresce em potencial de compras no Brasil e se torna alvo de marcas conhecidas.




O casal Ricardo Fernandes, de 33 anos, e Carlos Eduardo Nagliatti, de 41, chamado de Cadu pelo companheiro, está junto há uma década. O tradicional sonho de casar de branco, com cerimônia pensada detalhadamente e direito a jogar o buquê sempre esteve na ideia dos dois. De tudo isso, o que o casal já realizou foi a compra da aliança da Tiffany&Co., contou Ricardo, agente de viagens.

Este ano, pela primeira vez em 178 anos de existência, a Tiffany inseriu a imagem de um casal de homens numa de suas propagandas. Embora não façam pedido de casamento ou mostrem alianças, fica explícita a mensagem de que a joalheria americana se atualizou.

"O amor entre duas pessoas assume muitas formas. Já não há apenas um caminho tradicional para o casamento. Os casais retratados na campanha representam a diversidade de pessoas que visitam a Tiffany todos os dias para encontrar o anel perfeito, símbolo da união e a expressão máxima do amor", diz Luciana Marsicano"" diretora da marca no Brasil.

Segundo Luciana, a joalheria está expandindo suas coleções masculinas. O icônico anel de noivado com um diamante solitário, criado em 1866, custa no Brasil a partir de R$ 60 mil.

"Cada vez mais empresas estão apresentando seus produtos nas chamadas propagandas plurais, mostrando casais formados por dois homens ou duas mulheres, para falar aos novos arranjos familiares", observa Reinaldo Bulgarelli, professor da Fundação Getulio Vargas de São Paulo e sócio da Txai Consultoria, que trabalha o tema da diversidade com empresas desde 1998.
Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...