Slide 1 Slide 2 Slide 3

MINHA VIDA GAY


Sean Conroy: Beisebol ganha seu 1º atleta  profissional a sair do armário.


Atleta joga em equipe pequena e disse querer ser um exemplo


O jogador Sean Conroy se tornou o primeiro atleta profissional de beisebol nos Estados Unidos a se declarar publicamente gay.

Conroy, de 23 anos, joga numa pequena equipe, Sonoma Stompers, e disse querer ser um exemplo.

“Não é que eu quisesse ir a público, mas eu não me importava se a informação vazasse. É quem eu sou”, disse.

“Eu estou definitivamente surpreso que ninguém tenha saído do armário no beisebol ainda”, afirmou. O atleta assumiu-se primeiro para sua equipe. Quando se declarou publicamente, seus companheiros de time, usavam meias e faixas arco-íris para apoiá-lo.

Aceitação: Menino gay de oito anos ganhou apoio da mãe e desfilou na Parada de NY.




Você já era consciente de que era gay aos 8 anos? Pois a mãe do garoto da foto acima disse que seu filho tem o direito de ser o que é desde pequeno – e a atitude da dupla ganhou o mundo entre as milhares de pessoas que desfilaram na parada gay de Nova York neste fim de semana.

O garoto de oito anos dançou no evento todo colorido e, embora sua mãe tenha preservado sua identidade, ela não hesitou em contar para quem passava por lá o que achava do filho: “Ele sempre preferiu bonecas a figuras de ação. Ele vai para a aula de balé e adora dançar. É um garoto tímido, mas muito inteligente e está começando a se apaixonar por meninos. Isso é muito bonito! Meu papel é de mãe e pai ao mesmo tempo e censurá-lo pode não ser apropriado”.

Pensa que acabou? “Acho que ele tem idade e é inteligente o suficiente para saber que estaria marchando na parada do orgulho gay em frente a milhares de pessoas e fez tudo isso porque quis. Na verdade, eu pensei que ele iria parar depois de 10 quadras, mas ele se sentiu tão bem com aquela roupa, sendo quem ele é de verdade e dançando, que continuou por todo o percurso”, ela disse.

Para encerrar, a mãe do pequeno disse que estava orgulhosa porque o filho fazia o que queria e encerrou o tema: “Tudo o que as crianças querem é o mesmo amor, respeito e aceitação”. Lindo, não?

Casamento gay entre médico e universitário será celebrado por ex-padre em Vitória.




O casal se conheceu em São Paulo há dois anos. Romário Freitas, de 50 anos, é médico e capixaba, e conheceu Danillo Melo, de 22 anos, estudante de arquitetura, durante a viagem

O amor de um capixaba e um pernambucano será celebrado na noite do próximo sábado (27), em Vitória. A celebração será ministrada por um ex-padre, que foi excomungado pela Igreja Católica, há mais de dois anos por falar sobre aceitação a homossexualidade.

O casal se conheceu em São Paulo há dois anos e já moraram juntos. Romário Freitas, de 50 anos, é médico e capixaba, e conheceu Danillo Melo, de 22 anos, estudante de arquitetura, durante a viagem.



De origem católica, o casal Romário e Danillo procurou o ex-padre Beto em busca de uma bênção para a união. “Ao conversar com ele, ficamos muito alegres, pois ele disse que não daria apenas uma bênção, e sim realizaria nosso casamento”, comenta um dos noivos.

Mesmo excomungado, o ex-padre, que é da cidade de Bauru, em São Paulo, afirma que não deixou de ser casamenteiro. "Com a excomunhão eu não perdi minha vocação. E eu sempre entendi que padre é aquele que está a serviço do ser humano", explicou ele.

"Os casais que me procuram para celebrar o casamento não são ligados a esta ou aquela religião ou instituição religiosa. São pessoas que tem a sua fé, gostam do jeito como falo em nome de Deus e só querem receber a benção na união", completa o padre.

Romário, que é capixaba e tem a família toda no Espírito Santo, fala da expectativa do matrimônio. "A festa vai ser muito bacana. Para celebrar a união. Vou receber, também, convidados especiais, como a Silvetty Montilla e a Chica Chiclete. Estamos ansiosos", diz.


Em São Paulo, Beto é conhecido por celebrar missas alternativas com os ritos da celebração tradicional da Igreja Católica, como a realização de primeira e segunda leitura, a consagração e distribuição da hóstia. Mas deixou de fora alguns ritos que só existem na celebração católica: a leitura do salmo responsorial e a profissão de fé, por exemplo. “A celebração já é a profissão de fé”, conclui.

Policial faz sucesso nas redes ao dançar com participante da parada gay de NY.




Em uma parada gay não faltam personagens dispostos a atrair os olhares do público. Mas, na edição do evento em Nova York neste domingo, uma pessoa roubou a cena como ninguém: um policial. No meio do expediente, ele se juntou a ativistas e fez uma dança sensual com um homem que está fazendo sucesso no YouTube.

O vídeo foi filmado por Paige Ponzeka, uma integrante do grupo de esportes LGBT Big Apple Softball League. Ela e seus colegas caminhavam pelo desfile, quando um colega chamado Aaron Santis resolveu testar as habilidades de dança do policial. O que ninguém imaginava é que ele responderia "à altura".

- O policial estava totalmente imóvel - disse Ponzeka ao "BuzzFeed News". - Assim que Aaron começou a dançar, rebolando para ele, o policial tentou ficar parado, mas depois acabou entrando na dele. A multidão adorou. Foi um momento incrível.


Santis disse ao mesmo site que estava tentando, sem sucesso, dançar com policiais durante todo o dia.

- Não esperava que ele chegaria a tanto como fez - disse Santis em relação ao policial. - A multidão simplesmente adorou e acho que isso o fez querer dançar mais.

De outro ângulo


Obviamente, o vídeo viralizou nas redes sociais e já tem mais de 2 milhões de acessos.

Clipe Especial: Hayley Kiyoko em "Girls Like Girls".




Trilha-Clipe Especial: Years & Years em "Shine".


Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...