Slide 1 Slide 2 Slide 3

MINHA VIDA GAY


'Sou homossexual e tenho medo sobre meu futuro', diz criança em foto que comove a web.




“Sou homossexual e me dá medo pensar no futuro e na rejeição das pessoas”. Essa frase, que na boca de qualquer adulto certamente seria dolorosa, adquire contornos trágicos se a atribuirmos a um menino de dez anos. E se além disso o autor dessas palavras se atreve a dar o passo de compartilhar sua inquietação no Facebook e os responsáveis pela rede social decidirem censurar seu drama, o escândalo não pode ser maior. Foi isso o que aconteceu na tarde de sexta-feira na célebre página Humans of New York, uma das mais populares do Facebook. Essa balbúrdia digital seguida por 13 milhões de usuários há anos publica imagens de nova-iorquinos anônimos que desejam compartilhar algum detalhe de sua vida. E na sexta foi em torno de um garoto – cujo nome não foi divulgado por razões óbvias – e do medo que lhe causam as consequências de sua condição sexual.

Por alguma razão ainda desconhecida, os responsáveis pelo Facebook pensaram que a foto e o comentário que a acompanhava violavam as políticas de privacidade e integridade moral da rede social e decidiram censurar a publicação. Imediatamente, Brandon Stanton, criador da Humans of New York, relatou o fato em sua conta e mostrou seu desacordo: “Parece que o Facebook decidiu apagar a corajosa declaração do garoto e, além disso, me avisaram que não deveria subir outros comentários semelhantes. Só espero que tudo isso seja um mal-entendido”. A reação dos seguidores da página não demorou e logo demonstraram toda sua raiva pelo que consideraram um acontecimento lamentável.

A verdade é que a imagem não tinha nus nem palavras capazes de ofender ninguém com pelo menos dois neurônios. Pelo contrário, uma imagem assim só desperta sentimentos de compaixão e amor. De fato, antes que a imagem fosse apagada, a própria Hillary Clinton deixou uma mensagem carinhosa de apoio ao menino: “Seu futuro vai ser incrível. Você vai acabar se surpreendendo com tudo que vai ser capaz de conseguir. Cerque-se sempre de pessoas que gostem de você e acreditem em você – vai encontrar muitas delas”.

A fúria provocada pela intervenção do Facebook atingiu um nível tão alto que poucas horas depois do lamentável incidente a imagem foi republicada. Ninguém consegue explicar a falta de raciocínio da empresa de Mark Zuckerberg, especialmente por ela ter sido a primeira a aderir nesta semana à celebração do Orgulho LGBT e à legalização do matrimônio igualitário nos Estados Unidos. Mas, como sempre, não há mal que não venha para o bem: a enxurrada de apoio recebida pelo menino na página Humans of New York com certeza lhe serviu para perceber que apesar de tudo há um exército de pessoas zelando para que sua felicidade esteja assegurada no futuro.

A candidata democrata à Casa Branca, Hillary Clinton, foi autora de uma das 50 mil mensagens de apoio enviadas ao programa ‘Humans of New York’.

A imagem publicada no Facebook pelo fotógrafo Brandon Stanton, na conta de seu projeto "Humans of New York", comoveu a rede mundial, gerando reações de milhares de pessoas, inclusive da pré-candidata à Presidência dos Estados Unidos. A foto de um garoto chorando, com a legenda "Sou homossexual e tenho medo do que será meu futuro e de que pessoas não gostem de mim" fez com que Hillary Clinton, pré-candidata à corrida presidencial americana, publicasse uma mensagem de apoio de seu próprio punho.

"Previsão de um adulto: seu futuro será incrível. Você vai se surpreender com as coisas do que você é capaz e com as coisas incríveis que você fará. Encontre pessoas que te amam e que acreditam em você - serão muitos", postou a ex-secretária de Estado e ex-primeira-dama dos Estados Unidos, acrescentando um "H", que indica que foi ela mesmo quem escreveu, e não sua equipe de comunicação.

O "Humans of New York" é um projeto de Brandon Stanton que funciona como uma espécie de censo fotográfico da cidade de New York, onde ele registra os cidadãos locais, traçando perfis deles por meio de citações destes personagens. O blog onde iniciou o projeto deu origem a um livro - a conta do Facebook tem mais de 13 milhões de seguidores.

A foto do garoto homossexual gerou um tráfego incomum na conta do "Humans of New York", com mais de 597 mil "likes" e mais 56 mil compartilhamentos. Além de Hillary Clinton, quem também manifestou apoio ao garoto no post foi a comediante norte-americana Ellen DeGeneres. "As pessoas não vão apenas gostar de você, eles vão te amar. Eu só ouvi falar de você e já te amo", afirmou, na área de comentários da mensagem por meio sua conta oficial.

História liberada: Em carta de 1928, Mário de Andrade comenta rumores sobre sua homossexualidade.




Documento de 1928 era destinado ao poeta Manuel Bandeira e foi liberado pela CGU nessa semana com base na Lei de Acesso à Informação. Na carta, o autor de “Macunaíma” aborda as especulações em torno de sua sexualidade; confira
Na quinta-feira (18), a Fundação Casa de Rui Barbosa liberou para consulta a íntegra de uma carta enviada pelo escritor Mário de Andrade ao poeta Manuel Bandeira no dia 7 de abril de 1928. O documento já havia sido publicado em um livro de 1966, mas teve um trecho removido, no qual o autor de “Macunaíma” comentava os rumores sobre sua sexualidade.

Ao escrever ao colega, Mário reclama das especulações sobre sua possível homossexualidade e diz que procura evitar os comentários em torno disso. “Mas se agora toco neste assunto em que me porto com absoluta e elegante discrição social, tão absoluta que sou incapaz de convidar um companheiro daqui, a sair sozinho comigo na rua (veja como eu tenho a minha vida mais regulada que máquina de previsão) e si saio com alguém é porquê se poderia tirar dele um argumento para explicar minhas amizades platônicas, só minhas”, diz um trecho (mantida a grafia original).

Leia abaixo a parte da carta que antes havia sido omitida, mas foi liberada nessa semana por determinação da Controladoria Geral da União (CGU), com base na Lei de Acesso à Informação.

“Mas em que podia ajuntar em grandeza ou milhoria pra nós ambos, pra você, ou pra mim, comentarmos e eu elucidar você sobre a minha tão falada (pelos outros) homossexualidade? Em nada. Valia de alguma coisa eu mostrar o muito de exagero que há nessas contínuas conversas sociais? Não adiantava nada pra você que não é indivíduo de intrigas sociais. Pra você me defender dos outros? Não adiantava nada pra mim porquê em toda vida tem duas vidas, a social e a particular, na particular isso só me interessa a mim e na social você não conseguia evitar a socialisão absolutamente desprezível duma verdade inicial. Quanto a mim pessoalmente, num caso tão decisivo pra minha vida particular como isso é, creio que você está seguro que um indivíduo estudioso e observador como eu, ha-de estar bem inteirado do assunto, ha-de te-lo bem catalogado e especificado, ha-de ter tudo ‘normalisado’ em si, si é que posso me servir de ‘normalisar’ neste caso. Tanto mais, Manú, que o ridículo dos socializadores da minha vida particular é enorme. Note as incongruências e contradições em que caem.: O caso da ‘Maria’ não é típico? Me dão todos os vícios que, por ignorância ou por interesse de intriga, são por eles considerados ridículos e no entanto assim que fiz duma realidade penosa a ‘Maria’, não teve nenhum que não [palavra não estava riscada no original] caçoasse falando que aquilo era idealização pra desencaminhar os que me acreditavam nem sei o quê, mas todos falaram que era fulana de tal.

Mas si agora toco neste assunto em que me porto com absoluta e elegante discrição social, tão absoluta que sou incapaz de convidar um companheiro daqui, a sair sozinho comigo na rua (veja como eu tenho a minha vida mais regulada que máquina de previsão) e si saio com alguém é porquê se poderia tirar dele um argumento para explicar minhas amizades platônicas, só minhas. Ah, Manú, disso só eu mesmo posso falar, e me deixe que ao menos pra você, com quem apesar das delicadezas da nossa amizade, sou duma sinceridade absoluta, me deixe afirmar que não tenho nenhum sequestro não. Os sequestros num caso como este onde o físico que é burro e nunca se esconde entra em linha de conta como argumento decisivo, os sequestros são impossíveis.

Eis aí uns pensamentos jogados no papel sem conclusão nem sequência. Faça deles o que quiser”.

Crianças explicam o que é casamento gay com respostas geniais.




Muitos pais questionam como explicar aos filhos o casamento gay, mas será que eles realmente sabem o que os pequenos pensam sobre o assunto?
O apresentador de TV Jimmy Kimmel decidiu ouvir algumas crianças americanos e saber o que eles pensam sobre esse tipo de união. O quadro foi feito depois que a Suprema Corte americana aprovou o direito do casamento gay em todos os 50 estados americanos.

No vídeo, a primeira garota é questionada sobre o que é o casamento gay: “É quando dois homens ou duas meninas se casam”, disse ela. A menina parece entender bem, quando é perguntam o porquê eles decidem se casar: “Porque eles se amam e sentem uma conexão”, respondeu.

Para uma das entrevistadas algumas crianças têm dificuldades de entender o casamento gay. O último garoto, de camisa verde, disse que o casamento gay só acontece entre homens porque entre mulheres isso se chama “lesbianismo”.

O garoto finaliza respondendo que não pretende casar porque para isso precisaria dividir dinheiro. Mas, ao ser questionado se os gays podem casar, ele fala: “Sim, porque se eles querem eles deveriam ter esse direito.”

Canal Chico Rezende: Casamento gay.



Humor: Manicure



Trilha Especial: Will Young em "Thank You"



Clipe LGBT: Elizabeth Rose em "Division"




 
Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...