Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Em vídeo, casal gay é hostilizado e agredido ao andar de mãos dadas na Rússia.


Dois homens passeiam de mãos dadas por Moscou em vídeo que já foi visto mais de 1,7 milhão em 24 horas
Com câmera escondida, canal de vídeo ChebRussia TV decidiu gravar a reação das pessoas ao se deparar com dois homens andando de mão dadas em Moscou.

O mais novo vídeo de "experimento social" fazendo sucesso na internet mostra um casal gay andando de mãos dadas no centro de Moscou e sofrendo graves ofensas homofóbicas.

Os dois jovens passam de mãos dadas por algumas das paisagens mais conhecidas da capital russa. Mas não é uma passeio agradável. Eles são bombardeados com insultos, que culminam em um confronto agressivo com um homem que parece pronto para bater neles.

Ativistas de direitos homossexuais usam a internet com frequência para se opor a políticas russas. Mas esse não é um vídeo de ativistas: foi feito por um grupo de pegadinhas popular na Rússia.

O vídeo feito pelo ChebuRussiaTV foi assistido mais de 5 milhões de vezes desde que foi postado, na segunda-feira:



"Fiquei chocada com as reações. Foram loucas. A cada cinco minutos recebíamos uma reação ruim", disse ao BBC Trending Nikita Rozhdesev, uma das realizadoras do vídeo. "Não sabíamos que tantas pessoas assistiriam, mas sabíamos que as pessoas que assinam o canal se interessariam pelo tema."

Rozhdesev disse que o grupo filmou por duas ou três horas em locais turísticos no centro da cidade. O casal (dois atores que, na vida real, não são gays e não são um casal) podem ser vistos andando pela Praça Vermelha. Ela diz que os atores ficaram com medo ao serem confrontados por estranhos. Mas ela diz ainda que o abuso teria sido muito pior se eles tivessem visitado bairros mais conservadores.

O vídeo levou a um grande debate online, principalmente na Rússia. Houve mais de 20 mil comentários no vídeo do YouTube. "Ótimo vídeo! Recomendo", disse um usuário de Moscou. "A Rússia é um país fascista", disse outro.

Mas outros discordaram veementemente, tanto com a premissa do vídeo quanto com a ideia de direitos homossexuais: "Os gays não são um problema, mas o fato de vídeos assim serem filmados. Não há problema de homofobia na Rússia. Há um problema de propaganda gay", disse o usuário Arseniy Dmitriyev.

"A Rússia vai ser o único país normal em que uma criança terá um pai e uma mãe em vez de 'pai 1' e 'pai 2' como será no resto desse mundo louco", disse outro usuário no YouTube.

A maior parte dos vídeos do ChebuRussiaTV está apenas em russo, mas o vídeo sobre os gays tem legendas em inglês. Rozhdesev disse que elas foram adicionadas após os realizadores perceberem que o vídeo estava sendo bem acessado fora da Rússia.

Ele ficou entre os mais assistidos do mundo no YouTube e no Top 10 de vários países ocidentais como Estados Unidos, França e Austrália.

Há um grande debate em curso sobre direitos dos homossexuais na Rússia. Mas Rozhdesev nega que o grupo tenha escolhido o tema apenas pelo seu potencial de viralizar mundialmente. "Não fazemos um tema social só para ter cliques", diz. "Temos uma ideia e, se nos sentimos apaixonados por ela, fazemos".

O grupo apoio os direitos dos homossexuais. "É ruim que na Rússia as pessoas reajam assim", diz.

Abusos homofóbicos nas ruas não são um fenômeno apenas russo. Um vídeo semelhante foi feito em Nova York no ano passado e teve resultados parecidos.

E uma experiência feita pela BBC com dois repórteres homens dando as mãos na cidade inglesa de Luton no início do ano provocou insultos parecidos.

Nenhum dos dois, porém, mostram o mesmo nível de violência visto na Rússia.

Contradição: 'Casamento é entre homem e mulher',  diz presidente da Alemanha.


Presidente faz diferença entre héteros e homossexuais em relação ao casamento

A presidente alemã Angela Merkel foi contraditória ao dizer que defende todos os direitos aos homossexuais mas, ao mesmo tempo, disse que casamento é só entre homem e mulher.

“Eu sou alguém que é favorável a eliminarmos toda discriminação”, disse Angela a Florian Mundt, estrela alemã do YouTube.

“Percorremos um longo caminho; Lembro-me de quando, há 25 anos, muitas pessoas não se atreviam a dizer que eram gays ou lésbicas. Felizmente nós superamos isso; você pode entrar em uma parceria, uma parceria civil”, disse.

Intolerância: ONU divulga comunicado contra  homofobia na Turquia.


Manifestações pró-LGBT têm sido coibidas no país

A Organização das Nações Unidas – ONU está preocupada com a violência e a discriminação sofrida pelos LGBT na Turquia.

Em comunicado divulgado na terça-feira, 14, a organização pede que se combate a homofobia no país. Ela alerta para os cartazes que se espalham pela capital, Ancara, que incitam ataques à comunidade LGBT.

No fim do mês passado, a polícia impediu que os manifestantes realizassem a 13ª edição da parada gay de Istambul, atacando-os com bombas de gás lacrimogêneo.

“Para mim, pessoalmente, o casamento é um homem e uma mulher vivendo juntos. Esse é o meu conceito, mas eu apoio as parcerias civis “, continuou ela.

“Para mim, ainda há uma diferença. Não é o mesmo, mas eles [os casais do mesmo sexo] querem o mesmo. Todo o resto é uma exclusão para mim “, disse o entrevistador.

Ela respondeu: “Eu não quero discriminação e [quero] a igualdade, mas eu faço a diferença em algum momento”, explicou Merkel.

Seu entrevistador rebateu rapidamente: “Então, você poderia dizer: ‘Não a discriminação, mas vamos manter a diferenciação entre os dois’”.

“Não discriminação”, respondeu Merkel. “O casamento como um homem e uma mulher vivendo juntos.”

A Alemanha oferece regime de parceria civil entre homossexuais e até agora não aprovou o casamento gay.
Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...