Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Corajoso! Obama defende direitos  gays em país homofóbico.


Mesmo advertido por políticos locais, Obama falou sobre a homofobia no Quênia


Em visita à terra de seu pai, o Quênia, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, defendeu no sábado, 25  direitos iguais aos homossexuais e comparou com os direitos dos afro-americanos em seu país e com a homofobia que sofreu nos EUA.

Obama afirmou também que é errado que os cidadãos cumpridores da lei tratem de forma diferente quem eles amam por causa de uma lei.

A atiObama defende direitos gays em país homofóbicotude foi considerada ousada, pois a homossexualidade é ilegal no Quênia e pode evar a até 14 anos de prisão. Jornalistas que cobrem política internacional divulgaram que havia sido pedido por políticos locais que Obama não tocasse nesse assunto durante sua visita ao país.

Jamaica terá primeira  parada do orgulho LGBT.


Homossexualidade é crime no país e LGBT sofrem bastante por lá


Um dos países mais homofóbicos das Américas, a Jamaica realizará nesta semana sua primeira parada do orgulho LGBT.

O evento é organizado pelo Fórum de Lésbicas, Todas as Sexualidades e Gays da Jamaica e acontecerá na capital, Kingston.

A homossexualidade é considerada crime n0 país e rende pena de prisão. LGBT sofrem violência em quaisquer lugares. Em março, um homossexual foi apedrejado até a morte nas ruas.

Parada gay em São  Petersburgo é proibida.


Autoridades citaram a lei que proíbe 'propaganda gay' no país


Ativistas LGBT anunciaram na segunda-feira, 27, que o governo de São Petersburgo, na Rússia, proibiu a realização de uma parada do orgulho gay prevista para 2 de agosto

“As autoridades justificam como pretexto a lei que proíbe propaganda homossexual perto de crianças, que este evento poderia violar”, explicaram os ativistas da ONG GayRussia em um comunicado.

Segundo a Agência France-Presse, os organizadores já haviam apresentado um pedido para a realização de uma parada do orgulho gay em 25 de julho, em São Petersburgo, que também foi rejeitado pela administração da cidade “pelas mesmas razões”, segundo o comunicado.

Metade dos participantes de  parada gay da Suécia é hétero.


Evento realizará 18ª edição nesta semana


Uma pesquisa mostrou que os participantes da parada do orgulho gay de Estocolmo, na Suécia, têm um perfil um pouco diferente de vários eventos similares no País.

O estudo, realizado pela Universidade de Gotemburgo, durante o evento de 2014, revelou que 40% dos participantes da parada eram héteros e que 60% eram mulheres.

Segundo a pesquisa, há uma fatia considerável (42%) era de pessoas mais velhas – 30 a 49 anos, enquanto os mais jovens (até 29 anos) foram minoria (35%).

A pesquisa foi divulgada na semana em que Estocolmo realiza a 18ª edição do evento (de 27 de julho a 1º de agosto).

Judeu ortodoxo esfaqueia 6 pessoas  durante parada gay de Jerusalém.


O suspeito, Yishai Schlissel, já havia sido preso por ataque semelhante dez anos atrás


Um homem judeu ultra-ortodoxo esfaqueou seis pessoas e feriu gravemente duas delas durante a Parada do Orgulho Gay de Jerusalém, na quinta-feira, 30.

Segundo a Agência Reuters, o homem surgiu, possivelmente vindo de dentro de um supermercado, para a rua que concentrava 5 mil pessoas.

“Nós ouvimos pessoas gritando, todos correram para se proteger, e havia pessoas sangrando no chão”, disse Shai Aviyor, uma testemunha entrevistada pelo Canal 2 de Israel.

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu chamou de “um crime de ódio desprezível”, e o presidente Reuven Rivlin advertiu que a intolerância social poderia significar um desastre para Israel.

A polícia prendeu um suspeito, chamado Yishai Schlissel, e afirma que ele já havia sido preso por esfaquear três pessoas no mesmo evento em 2005.

Homofobia e a transfobia devem ser julgadas como crime de racismo, diz Janot.




O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, em parecer enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF)  em junho, afirma que a homofobia deve ser considerada crime, conforme o racismo, como diz a lei a Lei 7.716/89/89 (Lei de Racismo). O parece é sobre o pedido de ação direta de inconstitucionalidade por omissão (ADO 26/DF), feita pelo Partido Popular Socialista (PPS). O Supremo deve se manifestar em breve sobre a questão.
 
Segundo o pedido, por inércia do Congresso Nacional para criminalizar a homofobia, o Supremo pode decretar Mora Legislativa e o Congresso terá que legislar sobre a questão, caso contrário ficará valendo a decisão do Supremo, no caso da sugestão de Janot, a mesma da ação, que os crimes de homofobia e transfobia sejam equiparados ao racismo. A criminalização da homofobia é discutida no Congresso desde 2001 e se trata de questão de direito constitucional não assegurado pelo Estado, segundo o procurador, que se absteve da obrigatoriedade de indenização por parte do Estado à ausência de proteção às vítimas da homofobia, por entender que a questão não cabe ao Supremo necessariamente.

“A homofobia decorre da mesma intolerância que suscitou outros tipos de discriminação, como aqueles em razão de cor, procedência nacional, religião, etnia, classe e gênero”, afirma o procurador geral em seu parecer, criando o vínculo da interpretação jurídica do texto.

Em 2014, o Procurador já havia se manifestado sobre o assunto, em recurso movido pela Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT) no mandado de injunção (MI) 4733, que pedia a criminalização da homofobia.

Paranaguá mobilizada em defesa de travesti personalidade local que foi agredida.




A travesti e atriz Micheli Matuzzi, 38, ícone cultural da cidade de Paranaguá, desde os anos 90, quando passou a desfilar no Carnaval da cidade, foi brutalmente espancada na manhã desta segunda-feira, próximo ao terminal rodoviário e o estádio da cidade. De boa família e aceita pela alta sociedade de Paranaguá, ela é estrela do teatro local e a agressão mobilizou os fãs e amigos que pedem Justiça.
 
Todos acreditam que o crime foi de homofobia, já que Micheli é uma pessoa pacata e notoriamente humilde. Ela rejeitou o atendimento do SAMU por vergonha e não se pronunciou ainda sobre o que aconteceu. A cidade quer encontrar os culpados pela covardia contra Matuzzi, que encanta com suas peças e é uma personalidade local. No facebook foi criada a hashtag #forçamatuzzi.
Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...