Slide 1 Slide 2 Slide 3

CONTOS DO LEITOR



Felicidade completa - A certeza
 (FINAL)



Descobri que não tinha mais dinheiro para continuar a obra, mas fui surpreendido novamente pelo apoio e carinho de Denis que resolveu investir em minha ideia com suas economias, mais que isso, se tornou sócio do meu investimento. Toquei novamente a obra que já estava em seu estagio final, arrumei um emprego de meio período para ajudar nas despesas e ser um plano B. Eu estava tão feliz com Denis que finalmente decidi terminar com Aline, que apesar de nossa última discussão ter dito que não queria mais, ao ver que a nossa separação estava consolidada não aceitou muito bem me xingando, tacando coisas, gritando. Fui embora com ela sendo segurada pelo pai.
No outro dia Aline, veio em minha casa. Eu atendi apenas de cueca. Com resistência ela entrou e deu de cara com Denis vindo apenas de cueca da cozinha me perguntando:
_ Amor já atendeu a porta? Quem era... Aline? Eu... eu...
_ O que esta acontecendo aqui? É serio isso, vocês dois são viados? É isso Fabrício? Você me enganou esse tempo todo que estávamos juntos?
_ Não Aline, claro que não aconteceu, eu estava aqui com a cabeça cheia de coisas e você em vez de me apoiar ficou só brigando comigo.
_ A tá e por isso você resolveu pegar meu primo é isso? Uma discussãozinha e meu noivo resolve comer meu primo? Se ele não tivesse vindo quem seria, meus irmãos?
_ Não foi isso que aconteceu, nos envolvemos sim, mas não foi por conta de uma discussãozinha, foi por coisas em comum, pensamentos em comum, gostos, e apoio sim, apoio de quem viu que minhas ideias eram boas; de quem viu como eu estava insatisfeito no meu emprego; de quem percebeu que eu poderia ter meu próprio negocio.
_ Então a ideia toda foi dele? Você sair do emprego, essa bosta de salão de festas? Que belo primo eu fui arranjar. Eu ajudo você a encontrar um lugar para dormir e você destrói meu casamento e rouba o meu noivo?
_ Não Aline, as ideias foram dele, do Fabrício, eu apenas concordei porque realmente faziam sentido. Eram boas ideias e nunca quis rouba-lo de você. Sempre que brigavam, pode perguntar a ele, eu sempre dizia que era só uma faze, que vocês dariam certo. Eu nunca quis isto.
_ Se fazendo de santo, ajudando e me apunhalando pelas costas???? Sua bicha loira dos infernosssssssssss!!!
Aline partiu para cima de Denis, eu a segurei. Ela se debatia, gritava. Eu a coloquei para fora, disse para ela ir embora e nunca mais voltar a minha casa descontrolada daquela forma; que me respeitasse, respeitasse as minhas decisões e principalmente as pessoas que estavam comigo e se ela continuasse a gritar na porta da minha casa eu chamaria a policia.
Denis assustado com a situação veio, me abraçou e chorou em meus braços. Estava tremendo e repetindo que nunca queria isso. Eu tentava dizer a ele que não era culpa dele, mas parecia que continuava se sentindo culpado. O beijei. Foi um beijo salgado com a mistura de suas lágrimas. O levei para o banheiro.
_ Nada melhor que um bom banho para livrar pensamentos ruins.



Nos beijamos e nos acariciamos com a água caindo sobre nós. Denis me chupou, deixando meu cacete pulsante de tão duro. O virei de costas, empinei sua bunda e o penetrei. Fudemos muito naquele banheiro. Levantei uma de suas pernas e me inclinei um pouco. Delícia de cu. Ah como eu amo fuder meu anjinho loiro!
O tempo passou, Denis ficou preocupado com a reação de sua família, mas tudo continuou como se nada tivesse acontecido. Não entendi também, afinal Aline não era alguém que guardasse segredos e não havia razões para não acabar com a reputação minha e do primo.
Finalmente chegou o grande dia, eu estava tremendo de ansiedade. Denis chegou, me deu um beijo na boca e disse em meu ouvido me dando um de seus deliciosos abraços:
_ Você merece, eu te amo!
A inauguração do meu salão de festa foi uma grande festa. A partir daí, agenda lotada de quarta a domingo. Seis meses depois eu já não trabalhava mais, estava pagando os empréstimos de Denis e meu, nossas contas e gerando lucro. Aline ficou sabendo por meio de amigos em comum do sucesso do meu empreendimento e me procurou. Denis pediu para que eu não fosse sozinho, mas em nome de tudo que passamos juntos resolvi aceitar o convite para jantar, desde que ela prometesse ser sem escândalos.
Chegando no restaurante, Aline me elogiou dizendo que eu estava muito bonito e eu retribui o elogio. Ela disse que pensou muito e ainda não acreditava que eu era gay, como? Quando? Isso tinha acontecido? Eu disse que foi como eu tinha dito a ela, aconteceu quando nosso relacionamento afundou eu estava precisando de apoio, carinho e na intenção de me ajudar, um sentimento entre Denis e eu cresceu além da amizade. Não foi proposital nem por mim nem por ele. Eu nunca tinha pensado em me relacionar com um homem antes. Aline então disse que estava certa. Minha resposta só serviu para deixa-la ainda mais certa que o culpado de tudo era Denis. Disse que chegou a essa conclusão após uma viajem a casa da mãe de Denis.
Logo que brigamos e descobriu meu envolvimento com seu primo, nem voltou para casa. Foi direto para a rodoviária e chegou na casa de sua tia. Iria contar tudo, mas quando a viu tão meiga, idosa pedindo desculpas por não poder vir ao nosso noivado, mas que prometia ir ao nosso casamento. Não consegui contar a ela o que seu filho tinha feito. Olhei a casa simples, o local, uma pequena cidade sem muito o que oferecer e entendeu o que tinha acontecido. Denis tinha se aproveitado de minha generosidade em hospeda-lo, meu coração bom e resolveu se beneficiar disso. Percebendo a fraqueza dela de não me dar apoio, fez o que ela deveria ter feito e usando de sua carinha de anjo, seu jeito prestativo acabou fazendo com que eu pensasse que as ideias dele fossem minhas, sabotando nosso casamento, me afastando de você. Ele apostou em um projeto que era bom, mas que ela não tinha visto porque pensava que após nosso casamento juntos construiríamos algo para nós.
Então ela me diz que tudo o que planejamos ainda poderia acontecer; que só não veio até mim antes, pois sabia que eu estava magoado com ela, e sob a influencia e manipulação de Denis, apenas para se dar bem na vida, sair daquele lugar sem esperança e ter algo.
Ela esperou tudo dar certo, pois tinha certeza que daria e torcia para que Denis mostrasse suas verdadeiras intenções. Como ele é muito esperto, ela resolveu me contar e me livrar dessa loucura. Que nos casaríamos, teríamos nossa família longe dali. Continuaríamos com o salão, mas o administraríamos de longe em uma vida feliz juntos como sempre sonhamos.
Deixei que Aline falasse tudo que queria. Depois que ela terminou, ela me perguntou se eu não falaria nada. Eu disse que ela estava completamente errada, que tudo aquilo que ela me disse era loucura da cabeça dela.
O que aconteceu entre mim e Denis não foi um plano maquiavélico de alguém querendo se dar bem. Foi puramente o reflexo do que teria acontecido se tivéssemos casado. Até aquele momento você me queria, pois eu fazia tudo o que você queria. Na primeira vez que fiz algo que você descordou, você surtou, passou a implicar e a menosprezar tudo o que eu queria para se mostrar superior e se não fosse a ajuda, o carinho e apoio de Denis não teria conseguido.
Espero que você encontre alguém que a faça feliz. Com relação a meu envolvimento com Denis, fique a vontade, conte para quem você quiser ou não, a consciência se é que você tem uma, é sua.

Cheguei em casa, Denis me abraçou e beijou e perguntou como foi, o que tinha acontecido. Olhei para ele e disse:
_ Apenas tive certeza que tomei a decisão certa, eu te amo!


Fomos para o quarto, nos beijamos muito. Deitei na cama e Denis veio para cima de mim. Fizemos um maravilho 69. Alternava entre chupar seu pau e fazer-lhe um cunete, chupando e dedando seu cu. Depois Denis montou em cima de mim, se encaixou em meu pau e começou a cavalgar. O fodi de frango assado, de lado, nos amamos muito até cansarmos e ficarmos abraçados nos acarinhando.
Aline acabou contando que Denis tinha me roubado dela. Foi uma bomba para a família. Fomos a casa da mãe dele e explicamos tudo. A mãe de Denis já sabia que o filho poderia ser gay, pois até aquela idade nunca tinha visto-o com mulheres e outros sinais que só mãe percebe. Ela nos deu sua benção. O resto da família se virou contra nós.
O tempo passou e o dinheiro entrando, logo fiz mais dois salões menores mais voltados para pequenas reuniões e festas pequenas.
Os negócios indo bem e meu relacionamento com Denis cada dia melhor. Estamos ainda mais unidos, mais apaixonados sem nos preocupar com ninguém. Eu amo esse meu anjinho e tenho certeza que ele me ama também, e isso realmente é o que importa!

Fim

Poderá gostar também de:
Postado por Mac Del Rey | (4) Comente aqui!

4 comentários:

  1. Da pra montar um filme rs com todos acontecimentos familiares.

    ResponderExcluir
  2. tenho vários grupos de putaria quer entrar me add 11998267544

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...