Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

ONU: Papa chama casamento gay de  'modelo de vida anormal'.


Francisco discursou em Nova York


O Papa Francisco deu um show de intolerância aos arco-íris em discurso na ONU, nos Estados Unidos, na sexta-feira, 25,

“Algumas pessoas procuram promover uma colonização ideológica através da imposição de modelos e estilos de vida anormais, estranhos à identidade dos povos e, em última instância, irresponsáveis”, disse.

O líder da Igreja Católica Apostólica Romana ainda apelou para que a ONU reconhecesse a “lei moral inscrita na própria natureza humana, que inclui a distinção natural entre homem e mulher e o absoluto respeito pela vida em todas as suas fases e dimensões”.

Quase lá! Senado alemão aprova  casamento gay.


Agora, projeto de lei vai para a Câmara dos Deputados alemã


O casamento gay ficou mais perto da Alemanha. Na sexta-feira, 25, o Senado do país aprovou um projeto de lei que reconhece a união entre casais homossexuais.

A vitória foi por causa da maioria dos governos regionais de social-democratas e de esquerda. Agora, o PL que propõe reformar o Código Civil da nação, vai para a Câmara dos Deputados.

No entanto, ainda que passe na Câmara é necessário que a chanceler Angela Merkel o assine. Ela tem dado declarações contraditórias. A política diz que para ela casamento é a união entre um homem e uma mulher, mas já declarou que é preciso igualar os direitos dos homossexuais.

Desde 2001, a Alemanha dá direito ao regime de parceria civil entre casais homossexuais.

Justiça: Americano é condenado à prisão  perpétua por espancar gay até a morte.


Crime ocorreu na Geórgia, Sul dos EUA

Um homem de 25 anos foi condenado à prisão perpétua por espancar um homossexual até a morte. A selvageria fez parte de um ritual de iniciação a uma gangue no Estado norte-americano da Geórgia.


Darrius Aderhold: monstro condenado à prisão perpétua

Segundo a polícia, Darrius Aderhold, que se declarou culpado, estava junto com outros dois homens, Jonathan Ray e Christopher Foreman. Os três atraíram a vítima, Robert Ross, de 46 anos, a um quarto de motel.

Lá, eles o amarraram a uma cadeira e bateram tanto no homem que quase todos os ossos de sua cabeça e rosto quebraram.

De acordo com os promotores, a vítima foi escolhida porque eles perceberam que se tratava de um homossexual. Os outros dois acusados já foram condenados à prisão perpétua após fazerem um acordo com a promotoria. O Estado da Geórgia possui pena de morte.

Facebook e Netflix oferecem cirurgia de  redesignação sexual a empregados.


Facebook se junta a centenas de empresas que já oferecem o benefício


Facebook e Netflix são duas das mais recentes empresas a oferecerem a cirurgia de redesignação sexual dentre os benefícios a seus empregados.

Uma pesquisa da Human Rights Campaign, maior entidade arco-íris dos Estados Unidos, mostrou que já são 780 as companhias no país que oferecem esse benefício aos funcionários transgêneros.

De acordo com a entidade, o número dobrou desde 2012 e há seis anos, em 2009, eram apenas 49 as empresas que tinham essas ações. Algumas das empresas que também oferecem o benefício são Google, eBay, Boeing, Dell e Nike.

Analistas dizem que a inclusão desse procedimento dentre os benefícios de seguros médicos é mais uma maneira de uma empresa demonstrar sua inclusão, sem ter que se preocupar muito com custo. Embora os procedimentos muitas vezes possam custar cerca de US$ 30.000 nos Estados Unidos, poucos funcionários (possivelmente 1 a cada 15 mil) requerem o benefício.

Câmara aprova Estatuto da Família sem considerar relações homossexuais.


Conceito de família, para os deputados, considera unicamente relacionamentos entre homens e mulheres


A comissão especial da Câmara aprovou o Estatuto da Família nesta quinta-feira (24), informou O Globo, sem considerar relações entre homossexuais como parte do conceito de família, que leva em conta apenas a união entre homem e mulher.

O debate teve cinco horas e bate-boca. Parlamentares contrários ao conceito disseram que o relatório de Diego Garcia (PHS-PR), ligado a grupos religiosos, é retrógrado, intolerante e incompatível com a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que reconheceu relações entre gays. Os que apoiaram o conceito dizem que o STF atropelou prerrogativas do Congresso.




A votação do estatuto terminou na comissão. Agora, só será levado ao plenário para ser revisto se algum deputado recolher 51 assinaturas de colegas.

"Quanto mais essa comissão caminha, mais tenho convicção de que está sendo tramado um golpe no país. Temos que ter liberdade nas nossas relações. Que lógica é essa que impede a relação de um com o outro. Esse estatuto nasce morto. Será barrado no STF", disse Erika Kokay (PT-DF), contrária ao texto. Nesta quinta, afirmou ela, a Câmara "mergulhou nas trevas".

"A senhora não vem de dois homens nem de duas mulheres. Homem com homem não geram. Mulher com mulher não geram", rebateu Takayama (PSC-PR). Ele também bateu boca com manifestantes.

"Quando fui candidato fui para as portas das minhas bases. Disse que a base da família é um homem e uma mulher. Não se trata de um golpe. A sociedade é quem decidiu que família é assim. E a sociedade elege seus representantes para defender aqui seus pensamentos", argumentou Gilvado Carimbão (PROS-AL), ligado à Igreja Católica, favorável ao texto.

Enquete questionada

fraudes e possível uso de "robôs" em votação sobre o Estatuto da Família.

Criada em 2014 e encerrada em 21 de agosto deste ano, a enquete registrou 10,2 milhões de votos; suspeita-se que ao menos 1,6 milhão de votos foram fraudados.

A enquete sobre o estatuto perguntava: "Você concorda com a definição de família com núcleo formado a partir da união entre homem e mulher, prevista no projeto que cria o Estatuto da Família"? Ao ser encerrada, ela registrou 5,3 milhões de votos contrários à proposta (51,6%). Os votos a favor da proposta somaram 4,9 milhões (48,09%). (Com informações da Agência Brasil, Agência Câmara e Estadão Conteúdo).

Ministro diz que Estatuto da Família aprovada em comissão fere a constituição.


O ministro aposentado, Carlos Ayres Britto, diz que o texto fere a constituição

Projeto restringe o conceito de família ao núcleo formado a partir da união entre um homem e uma mulher.

Em reunião tumultuada, a comissão que discute o Estatuto da Família aprovou nesta quinta-feira (24) o texto principal do projeto que define família como união entre homem e mulher. A comissão aprovou o relatório por 17 votos favoráveis e 5 contrários.

Após a conclusão da votação, a regra é que o projeto siga para o Senado sem necessidade de ser votado pelo plenário da Câmara. Deputados podem, entretanto, apresentar recurso para pedir que o texto seja votado pelo plenário antes de ir para o Senado. A deputada Érika Kokay (PT-DF), contrária ao projeto, já adiantou que fará isso e argumentou que o Supremo Tribunal Federal (STF) já decidiu favoravelmente à união homoafetiva, e que o projeto vai negar, a esse tipo de união, o direito a uma especial proteção do Estado.

Para o ministro aposentado, Carlos Ayres Britto, o texto fere a constituição. "A redação do acórdão do Supremo Tribunal Federal é claríssima, não deixa nenhuma duvida interpretativa. Foi uma afronta direta à decisão do supremo e por consequência um desrespeito frontal a constituição federal no tema".

Os deputados, Erika kokay e Maria do Rosário (PT), Glauber Braga (PSOL), Jô Morais (PC do B) e Barcelar (PTN) votaram contra.

Dilma e outras paginas no Facebook que apoiam todos os tipos de famílias.


Onda de apoios vem após aprovação do Estatuto da Família em Comissão na Câmara Federal.

A comissão especial do Estatuto da Família (PL 6583-13) aprovou o projeto, ressalvados 4 destaques, conforme o relatório do deputado Diego Garcia (PHS-PR), que define a família como a união entre um homem e uma mulher. O texto foi aprovado com 17 votos favoráveis e cinco contrários.

Cinco deputados, Erika kokay e Maria do Rosário (PT), Glauber Braga (PSOL), Jô Morais (PC do B) e Barcelar (PTN), se revezaram na apresentação de requerimentos para adiamento de discussão e de votação da matéria, por serem contrários ao projeto, mas foram vencidos.

A aprovação do Estatuto da Família fez com que paginas no Facebook, na sua maioria de instituições públicas, mostrassem que são a favor de todos os arranjos familiares. Aproveite para curtir, compartilhar e comentar todas. Confira:



Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (2) Comente aqui!

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. ONU: Papa chama casamento gay de modelo de vida anormal

    Velho babaca! Anormal e fuder criancinhas e isso vocês fazem !

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...