Slide 1 Slide 2 Slide 3

RELATOS PESSOAIS



Rafael Nova ou Nova Rafael – A história de um escritor trans
(FINAL)
 
Eu e meus sobrinhos que eu amo: Leo (13) e Gabi (15) 


Somente há poucas semanas começou a nascer em mim a vontade de me abrir com minha família. Isso cresceu com a minha definição sobre quem sou. Convoquei (e com isso assustei) minhas irmãs, cunhados, sobrinhos e mãe (o pai já é falecido, certamente veio no Astral participar), e falei abertamente sobre tudo o que passo, passei, e como é. E a reação foi super além do que podia imaginar! Uma pequena parte de mim estava preparada para fugir para as montanhas (risos), porém ao invés disso encontrei apoio, abraços e aceitação. Eles já tinham percebido minhas mudanças, e não queriam me invadir, e ficaram felizes por eu confiar e me posicionar.

Eu não pensava que isso podia fazer diferença pra mim, mas fez e muita. Me senti mais leve e confiante. Sei que muitas pessoas não têm essa sorte que eu tive, mas é bom poder contar com sua família. (Eu falei para eles: "é uma droga, tive de sair do armário duas vezes!" — espero não ter uma terceira, haha).


  Em uma das aulas da pós eu desenhei minha família na época em que eu era criança


No lado amoroso, não posso dizer que esteja tão contente. Antes quando era "homem" eu não conseguia me encontrar. Depois tentei me encaixar no papel de "mulher" e isso foi desastroso. Como sou hoje ainda não tive ninguém, e me sinto meio fechadx para isso.

Conforme um amigo conversou comigo estes dias, está na hora de eu mudar a ideia de alguém gostar de mim "apesar de eu ser trans" para alguém gostar de mim "porque eu sou trans". Pesquisando, descobri que o termo melhor para alguém que poderia gostar de mim como sou é androginossexual. Desabafando, dói muito em mim a ideia de alguém que eu amo sentir falta de um homem ou mulher "cis" (termo para quem se sente em conformidade com seu sexo biológico e gênero associado).
 


 Um hábito: rascunhar nos meus cadernos. Na imagem um casal.


Eu realmente não sei se é possível que um dia alguém venha olhar para mim e gostar de tudo que eu sou, se apaixonar, sentir desejo (pelo corpo e pela alma), justamente pelo fato de eu ser diferente. Que isso lhe seja estimulante e bom. Entretanto, este é meu desafio atual: mudar minha cabeça para crer que sim, mesmo não acreditando mais tanto no amor quanto deveria.

Percebo também que o que me atrai é a masculinidade, não necessariamente um homem no sexo biológico (embora tenha sido o que vivi até hoje). Comecei a desconfiar que gay já não se aplicava bem pelo fato de não me ver como homem. Descobri que o melhor termo para minha Orientação Sexual é o que designa a atração pelo masculino simplesmente: "androssexual".



  E eu amo gatos! Esse é o da minha mãe, o Doddy! 


Quando decidi escrever esse texto, pensei que minha aventura poderia ajudar alguém que não conseguisse se encaixar, ou alguém que estivesse tentando entender tudo isso. Na adolescência como gay e há pouco como Transgênero, não sabia que podiam existir tantas combinações, que eu poderia ser um(a) Andróginx como meu ídolo Andrej Pejic (hoje Andreja assumidamente Transexual), e que existia a possibilidade de fazer um tratamento para adequar minha aparência a como me sinto por dentro. Me faltava informação, a qual agora tento oferecer do meu jeito.

Passei a escrever histórias e desenhar mais pessoas Transgênero. Uma das melhores coisas desse processo todo foi os contatos e amizades com caras e meninas trans, e tudo que li e aprendi para tentar me ajudar, pois hoje é o que me dá base para ajudar os outros. Meu olhar se tornou muito mais de acolhimento e de aceitação diante das diferenças alheias. (E meu cabelo está ficando como sempre sonhei tá).
  


Minha foto mais recente como a pessoa feminina que sou


Algo que aprendi é que sua opinião sempre precisa ser aquela que conta mais, e não aceitar o que não faz sentido pro seu coração. Talvez as pessoas, e nem sempre por mal, um dia dirão a você que a coisa mais importante pra você é uma bobagem, ou que deveria desistir. Todavia, no final da noite, na sua cama, é você quem sempre vai dormir com você. Ao sentir seu corpo e se olhar no espelho, é você com você. Estando feliz ou triste é sua vida. Da mesma forma os outros terão o direito de não aceitar ou não concordar, e isso não quer dizer que não devem respeitá-lo. Apenas, torne-se independente e escolha o bem para si mesmo.

Costumava me sentir mal por eu ter nascido o único filho homem do meu pai que era o único filho homem do meu avô, e com isso (antigamente) eu seria a pessoa a continuar o "nome" da família. Tinha a impressão de que o garoto que esperavam não tinha nada a ver com aquele que foi entregue pela cegonha... Muitas vezes quis me adequar, e era impossível. Então sempre se chega a uma escolha: ou é uma vida "fake" e ruim ou é você e seu bem-estar.

  Um desenho que fiz: "Abandonando Sonhos",
pois os sonhos que valem a pena são aqueles
que têm a cor do seu coração!
 


Tive depressão aos 20 anos. E com isso descobri que quem tem depressão no fundo tem é uma intensa vontade de viver, só não sabe como chegar lá, perdeu-se de si, do caminho. Não sei se naquela época tudo isso já interferia em mim, mas sei que estava sempre fugindo. Cortava meus braços e pernas, tratava-me mal. Hoje quase nos 30 (1 mês para o dia D), distante daquilo, sei que preciso gostar e cuidar muito bem de mim, e que ainda que tudo não seja como desejo, é aqui que eu ainda posso fazer alguma coisa e por isso viver é um presente.

Por meu pai ter cometido suicídio, acho que isso mostrou a quem convivia com ele o quanto danoso é uma perda. Um ser humano é insubstituível. Com minha visão espiritualista, acho que não conseguiria me matar. Mas confesso que houve momentos que pensei que seria bom não estar aqui, que olhei pro lado, pra quem nunca passou pelo que passei, para quem tem essa vida "normal" de sair com os amigos e se preocupar com o estudo só, que quem se olhava no corpo que tinha e estava ok com ele... E me senti cansadx. Só que a teimosia taurina me valeu nessas horas.
  


Volte ao início do post e compare, 01 ano de tratamento.


O incrível é que até nessas situações de olhar para os outros eu fui conseguindo mudar meu pensamento. Porque não dá para comparar você com eles... E, hei, pra ser sincerx eu adoro ser essa "salada de frutas" ambulante em todos os sentidos, e mesmo tendo passado por muitas coisas doloridas ao longo da vida, acho que ela é a minha cara e não a trocaria por nada.

Eu me orgulho de ser Transgênero! Amo essa ideia, amo essa letra "T". Infelizmente vejo poucos andróginos se manifestando, e gostaria que isso crescesse.

Se não na mídia, pelo menos no mundo dos animes e mangás eu encontrei modelos... Yuki de The Betrayal Knows My Name que é o personagem que define como me sentia na vida (e sua relação com Luka que me fazia sonhar). Izumi de Love Stage!! e as confusões que se mete com sua aparência andrógina. O soturno Nezumi da ficção científica No. 6 com seus momentos de atuação no teatro decadente em que se veste de mulher. No quesito Transexual o filme Ma Vie En Rose ou Meninos Não Choram que vi ainda criança são fascinantes. Igualmente, o clipe de "We Exist" do Arcade Fire com o Andrew Garfield travestido é bastante inspirador.


  Eu durante um curso

O que posso dizer a vocês é que esse caminho teve seus percalços, mas sempre que decidi ficar do meu lado, me apoiar, fazer o melhor para eu me sentir melhor, tudo ficou a meu favor. Tive e tenho dias bons e ruins, e mesmo assim - reafirmo - nenhum que não tenha valido a pena. Não há nada que pague o valor de encontrar a si mesmo. Pode ser que no futuro eu mude ainda mais, ou não, o que sei é que hoje ser Nova e ser reconhecidx assim por clientes, amigos, família, conhecidos, desconhecidos, me faz sentir literalmente o máximo.

O que me faz olhar para trás e sentir que tudo valeu a pena é perceber como hoje eu sinto que faço parte do mundo, não mais do lado de fora. Estou "junto". Não me sinto menos que os outros caras, nem meninas, nem ninguém, e tampouco me sinto alguém melhor (todos somos especiais). Olho para mim e consigo me reconhecer. Gosto de mim, amo minhas qualidades masculinas e femininas (inclusive a "TPM" mensal - sim eu tenho desde antes da TH).
 
  Se você é diferente, não desista da vida, e nem de você. Confie em você, goste de você, e o mundo com o tempo te trará as pessoas e situações que também demonstrarão confiar e gostar de ti. Espero que essas palavras tenham feito alguma diferença no seu dia, e agradeço seu tempo em ler tudo isso.


Bandeira que representa as pessoas Trans! 


Estou em construção!!!


Contato: rafael@novarafael.com. (sem o último ponto)
Skype: rafaelnova0
Blog espiritualista: ponto0.wordpress.com
Facebook: fb.com/novasite
YouTube: www.youtube.com/corolarium


FIM


Poderá gostar também de:
Postado por Mac Del Rey | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...