Slide 1 Slide 2 Slide 3

CONTOS DO LEITOR



Amor de primo





Meu nome é Alex, sou moreno, magro, tenho 1,80 de altura. Morávamos todos na casa de minha avó. Meu primo Josué e eu estávamos sempre juntos, nas brincadeiras, nas travessuras, nos banhos.

Lembro-me de uma vez em que estava chovendo muito, vários raios cortavam o céu, trovões faziam grande barulho e o vento soprava forte. Corri para o quarto de minha mãe que estava trancado, bati mas ela não abriu me disse para voltar para a cama, na certa estava com algum namorado escondido lá. Voltei e logo na entrada do quarto vejo lá fora pela janela um clarão em seguida o barulho do trovão corro para a cama de meu primo e me escondo debaixo dos lenções tremendo de medo. Josué me abraça de conchinha e diz que e apenas chuva, raios e trovões que esta lá fora a casa e segura nada de mal iria me acontecer que eu poderia dormir sossegado que ele me protegeria. Acho que foi o sono mais tranquilo que tive por muitos anos, me senti protegido, amparado, dormi tranquilo.

Desse dia em diante passei a olhar Josué diferente e um sentimento novo começou a brotar.

Josué é dois anos mais velho que eu, corpo normal, moreno, muito bonito sempre atraiu olhares. As garotas da escola ficavam assanhadas para seu lado e safado como ele só, dava moral para todas enquanto eu ficava morrendo de raiva. Josué insistia para que eu também entrasse na onda e tinha garotas querendo ficar comigo, mas eu não queria, meu desejo era que ele me desse atenção como antes ficasse assistindo tv comigo, jogar bola, videogame agora ele só queria ficar atrás de garotas eu estava tendo ciúmes do meu primo.

O pai de Josué arrumou um emprego em outra cidade então nos separamos e só nos reencontramos anos depois. Eu estava com 19 anos e Josué 21. Ele estava mais bonito que nunca, veio passar as férias aqui na minha avó.

Assim que eu o vi meu coração disparou. Uma imensa alegria tomou conta de mim. Corri e o abracei forte, senti seu perfume. Nossa como meu primo estava cheiroso!


_ Saudades sumido a quanto tempo!
_ Saudades também, estava louco para vir antes mas só consegui agora, mas teremos tempo, passarei 20 dias aqui.
_ Entra vem, a vó foi no supermercado logo volta, quer comer algo?
_ Uma água para beber e um banho para relaxar da viajem.

Josué entrou no banheiro. Eu disse que esperaria ele terminar o banho para pormos a conversa em dia, mas meu primo disse para irmos conversando enquanto ele tomava banho. Eu disse que ficaria na porta.

_ Entrai primo qual é sou eu. Vergonha de mim uma altura dessas? Esqueceu que sempre tomávamos banho juntos?

Entrei sentei no vaso enquanto Josué tirava a roupa. Meu corpo se arrepiou todo, um calor irradiava de dentro de mim, meu coração disparado. Josué não estava mais com aquele corpo de menino, estava com corpo de homem não musculoso, mas desenvolvido. Eu tentava desviar o olhar, pensar em outra coisa, mas era impossível. Normalmente, Josué tomou seu banho conversando comigo. Eu tentava responder naturalmente, mas as vezes me perdia viajando naquele corpo moreno que parecia ter sido esculpido a mão.

Depois do banho, Josué comeu um lanche, minha avó chegou e depois foi descansar um pouco. Foi minha chance de ir ao banheiro e me acabar em uma punheta cheia de desejo cheirando a cueca do meu primo. Gozei litros de porra. Até o momento, foi a maior gozada da minha vida. Pensei em roubar a cueca para mim, mas como eu iria explicar aquele sumiço? Josué ficaria por vinte dias, até sua partida eu conseguiria dar um jeito.

A tarde saímos, meu primo e eu para darmos uma volta no bairro, cumprimentar e rever os amigos. Foi aquela festa, muita risada, muitas historias do passado e atuais do que cada um fez neste período longe. Mas nem tudo foi festa, pelo menos não para mim, as garotas que já davam em cima de Josué antes agora com ele ainda mais bonito e homem feito o ataque foi ainda mais forte. Tentei me conter, não ligar, levar na brincadeira, mas não deu ver aquelas garotas pegando, passando a mão, abraçando, beijando meu primo, meu, meu meeeeuuuu!!!!! Meu sangue ferver, fiquei cego de ciúmes e o pior era que nada eu podia fazer ou falar. Deixei Josué com as garotas e fui para casa, entrei no chuveiro abri a água e agachado com a água caindo, chorei.

Minutos depois escuto bater na porta do banheiro e me perguntar se estava tudo bem, era meu primo. Digo que estava bem, ele pede para entrar. Digo que estou tomando banho. Josué diz não ligar e diz que se eu não abrir vai arrombar. Lavo o rosto, abro a porta e meu primo me pergunta porque eu estava chorando. Desvio meus olhos e digo que não foi nada. Josué tira a camisa pede para eu olhar para ele, viro o rosto para o outro lado. Ele então delicadamente posiciona meu rosto na frente do dele.

_ Ciúme?
Abro meus olhos com espanto.
_ Não, não e nada disso!

Estendo meus braços, minhas mãos tocam em seu peito. Josué segura em meus braços eu tremo inteiro. Meu primo me puxa para seu lado e me beija.

Aqueles lábios macios, o toque de suas mãos em meu corpo, seu perfume, seu corpo quente me deixam fora de mim. Meu primo tira minha roupa, eu já não resisto. Ele termina de tirar suas roupas me vira para a parede e encosta seu corpo contra o meu com seu pau duro entre minhas pernas e diz em meu ouvido.

_ Sempre achei especial nossa ligação, percebia que me olhava diferente, mas não sabia o que era. Conheci alguns rapazes e então percebi que eles tinham o mesmo olhar que você, mas ainda assim não queria acreditar .Tive a confirmação hoje, mas quero ouvir de você. É isso que você quer?

Disse meu primo esfregando seu corpo no meu.

_ Si si simm
Respondi com voz tremula de medo e desejo.

Josué cuspiu na mão e lubrificou meu buraco virgem até então, e começou a pincelar meu rego com seu pau duro e melado. Estava tão gostoso que empinei a bunda bem quando a cabeça do pau do meu primo estava no centro e como ela era mais fina que o resto entrou. Travei o cu por instinto, estava gostoso sentir aquela coisa quentinha na minha bunda. Meu primo parado beijava meu pescoço e mordiscava minha orelha. Meu cu piscava feito louco, aos poucos Josué ia colocando mais pau dentro de mim até que começou a doer um pouco. Dei um gemidinho de dor, meu primo tirou quase tudo e voltou a colocar e focou nesse vai e vem me pedindo para rebolar. Quando dei por mim já estava abocanhando com o cu todo o cacete de Josué, sentindo seus pentelhos tocarem minha bunda. Foi então que meu primo segurou firme em minha cintura e acelerou nos movimentos de vai e vem.




Eu gemia sem me importar se alguem chegaria, nunca havia sentido nada igual. Eu via estrelas, um calor de dentro para fora, até que a respiração de Josué ficou mais ofegante, seu pau inchou ainda mais dentro de mim. Meu cu o pressionou, senti sua porra quente me invadir. Minhas pernas bambearam. Tive que sentar no vaso para me recuperar.

_ Você esta bem?
_ Nunca estive melhor.

Josué sorriu, me beijou e foi tomar banho. Eu, me recuperava contemplava seu corpo enquanto a água o banhava, percorria toda aquela delicia que acabara de me dar um intenso e delicioso prazer.

Lavando seu pau, logo ficou duro e Josué me chamou para mamar. Caí de boca sem pensar. Meio desajeitado no começo, mas logo peguei o jeito tirando gemidos de prazer de meu primo, que não se demorou para encher minha boca de prazer.

Mesmo tendo outro quarto, pois só estava morando na casa minha vó e eu, Josué disse que preferia dormir no meu quarto com a desculpa de matar a saudade e colocar o assunto em dia. Foram dezenove noites dormindo de madrugada após muito sexo. Fiquei triste no vigésimo dia ao ver meu primo partindo, mas Josué me prometeu não mais perder contato. Disse que iria retornar em breve e também me convidou a ir em sua casa.

Faz três dias que Josué voltou para onde está morando. Conversamos muito todos os dias, mesmo assim já estou morrendo de saudade do meu primo aqui comigo, dormindo agarradinho, seu toque, seu cheiro, me dando muito prazer. Espero ansioso por nosso próximo encontro.

Autor: Mrpr2


Poderá gostar também de:
Postado por Mac Del Rey | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...