Slide 1 Slide 2 Slide 3

MINHA VIDA GAY

Garota trans conta como foi sua mudança visual e defende o respeito a outras crianças transgêneros.




A ativista transgênero Willa Nayor, 7 anos, gravou um vídeo pedindo que as crianças transgêneros sejam ouvidas e tenham seus direitos respeitados.

Em Malta, país em que Willa vive, foi aprovada uma lei, em abril deste ano, dedicada à menina, que reconhece a identidade de pessoas transgênero.

No vídeo, Willa conta como se sentia na pele de um garoto e como foi seu processo de transição –desde a aceitação dos pais até se vestir como garota em casa e na escola. "As crianças transgêneros precisam ser respeitadas e ouvidas. Nós não temos uma doença e não vamos mudar", afirmou.



Fantástico mostra família cria filhxs sem gênero definido nos Estados Unidos.




Crianças escolhem se querem ser meninas ou meninos. Portland, no Oregon, é conhecida como a capital dos americanos mais liberais.

O Fantástico mostrou uma família nos Estados Unidos, que cria xs filhxs de uma forma nada comum, porém bem correta. As crianças é que escolhem se querem ser meninas ou meninos, não importa a genitália de nascimento.

Fotos de modelo transexual masculino faz sucessos na web.


Laith Ashley faz trabalhos voluntário para um grupo LGBT em Nova York.


Laith Ashley, um modelo transexual que faz sucesso e já desfilou na campanha “Brothers, Sisters, Sons & Daughters” da Barneys, está bombando nas redes socais. Além de fazer sucesso nas passarelas, Laith também faz trabalhos voluntário para um grupo LGBT em Nova York.

Juiz que assumiu-se publicamente gay após tentativa de suicídio vai apitar final da Copa do Mundo de rugby.




O grande duelo decisivo da Rugby World Cup 2015, entre Nova Zelândia e Austrália, que acontece neste sábado, às 13h, acaba de ganhar mais um fator de grandeza: o galês Nigel Owens, o único árbitro abertamente gay no rugby, irá apitar a final.

A escolha de nomeá-lo para a tarefa de tamanha importância, porém, não pode ser considerada surpreendente. Em sua terceira Copa do Mundo, Owens é reconhecido como um dos melhores há muito tempo. Se sentindo "humilde e honrado", agradeceu a escolha e o apoio que recebeu em seuTwitter.

Apontado como juiz internacional em 2005, ele, desde então, teve uma proeminente carreira. É um dos dois únicos árbitros a atuar em duas finais de Heineken Cup seguidas, em 2008 e 2009. A competição é uma espécie de Champions League do rugby e foi substituída pela European Rugby Champions Cup em 2014. Owens ainda esteve numa terceira decisão, em 2012.

Ele estreou em Mundiais em 2007, numa partida entre Argentina e Georgia. Meses antes, ele havia revelado sua orientação sexual e, como contou em entrevistas na época, esperava que sua carreira tivesse um fim ali, mas aconteceu o oposto. Apoiado de todos os lados dentro do rugby, ele reconhece que foi a melhor decisão que poderia tomar.

"Minha vida mudou, minha arbitragem mudou. Se tem uma coisa que apitar exige, é que você esteja completamente concentrado nos 80 minutos. Se algo está mexendo com a sua cabeça, atrapalha. Um árbitro feliz é um árbitro bom."

Desde então, além da notoriedade dentro de campo, Nigel virou uma celebridade fora dele, se tornando também apresentador de programas de televisão no País de Gales e sendo nomeado, em 2007, "Personalidade Gay do ano nos esportes" pelo grupoStonewall, que luta pelos direitos LGBT.

O QUASE SUICÍDIO



Hoje um exemplo a ser seguido, Owens já passou por momentos difíceis, dos quais ele próprio diz se arrepender, antes de sentir-se seguro o suficiente para conversar sobre sua sexualidade até com sua família.

Em 1997, aos 26 anos, o galês chegou perto suicídio. "Eu estava ‘definhando' muito rápido, indo para um lugar de trevas e sem saída. Eu fiz algo uma noite do qual vou me arrepender pelo resto da vida: escrevi um bilhete de despedida para os meus pais, dizendo que não podia mais continuar vivendo, mas sem contar o porquê", contou ele em entrevista recente a BBC.

"Deixei minha casa aquela noite com uma espingarda carregada, algumas caixas de paracetamol (remédio analgésico e antitérmico) e uma garrafa de whisky, e simplesmente dei uma volta na vila de Mynydd Cerrig uma última vez."

Por sorte, Nigel acabou "apagando" com a combinação de remédio e bebida, e sendo hospitalizado. "Se eu não tivesse entrado em coma, eu teria apertado aquele gatilho."

A experiência de quase morte, seja pelo suicídio, ou seja pelo coma, mexeu com o árbitro. Revelando primeiro à mãe e depois ao pai que era gay, ele comemora o fato de sempre ter recebido apoio, inclusive dos companheiros de profissão no esporte.

"Eu tinha uma escolha, poderia continuar vivendo uma mentira e continuar apitando, ou revelar tudo. Eu não estava feliz com a minha vida, e não estava arbitrando direito. Havia feito algumas partidas internacionais e não tinha ido bem. Tomei a decisão certa, pois sabia que do jeito que estava, não daria certo com juiz.

Casal gay se divorcia pra colocar outro homem na relação.




Com o avançar dos diretos gays pelo mundo, sempre surgem curiosidades inéditas, principalmente no campo dos relacionamentos. No Canadá, por exemplo, dois homossexuais se divorciaram legalmente, para que pudessem incluir um terceiro homem na relação. “Nós apenas queremos dizer que o amor é o amor e que deve ser multiplicado, não dividido”, disse Adam Grant ao Daily Mail.



Em 2012, Grant e seu parceiro, Shayne Curran, conheceram Sebastian Tran numa balada. Desde então, eles passaram a se relacionar e, um ano depois, os dois concordaram em ter um relacionamento aberto para incluir o novo parceiro. “Adam e eu queríamos ter um pouco mais de diversão, por isso decidimos experimentar com múltiplos parceiros”, afirmou Curran.


“Nós nunca pretendíamos ter nada sério, nós certamente nunca penamos em ter um terceiro parceiro em tempo integral, por qualquer motivo. Foi apenas pouco de experimentação sexual”, disse ao jornal.






Quando eles conheceram o Tran, ambos ficaram apaixonados e passaram a discutir como poderiam incluir o fofo no relacionamento. A ideia mais óbvia era o divórcio seguido de um ménage à três sem encanações.

A poligamia não é legalizada no Canadá, mas os três constrataram advogados fodidos para resolver a papelada, declarando que os três são ligados intimamente um ao outro e aos olhos da lei. “Sebastian só aumentou a nossa relação”, disse Curran.


E engana-se quem acredita que é tudo “putaria”. O trio pretende formar uma família de fato e já convenceram suas irmãs a doarem óvulos e servirem como barriga de aluguel para seus futuros filhos. “Minhas irmãs realmente discutiram sobre qual delas vai gerar nosso bebê primeiro “, afirmou Curran.

“A irmã de Sebastian provavelmente vai doar seus óvulos também para que possamos mantê-lo na família. Queremos misturar nossos genes suficientemente para que os nossos filhos sejam geneticamente parecidos com nós.”

Mães descobrem mensagens safadinhas nos app de pegação dos filhos.




Aí você deixou seu telefone desbloqueado na mesa, sua mãe pegou e começou a fuçar. De repente, ela abre o Grindr, Tinder, Hornet e se depara com as mensagens safadinhas que você troca com os boys.

Nudes de caras bem dotados, convites para fazer dupla penetração, gang bang e fisting fuck. Como explicar isso para sua mãe? Acredite, o Põe na Roda promoveu esse encontro!




Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...