Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Estado Islâmico joga cinco jovens gays de alto de edifício no Iraque.


Em foto de 14 de janeiro de 2015, militantes do Estado Islâmico jogam um homem acusado de ser gay de um edifício, na província de Hassakeh, na Síria.


O EI assassinou mais 120 pessoas, jogando-as do alto, após acusá-las de "praticar sodomia e de desvio sexual".

O EI (Estado Islâmico) assassinou nesta sexta-feira (9) cinco jovens acusados pelo grupo de serem homossexuais atirando-os do alto de um edifício no sul da cidade de Mosul, capital da província de Ninawa, no Iraque.

O presidente da comissão de direitos humanos da província, Gazuan Hamed, disse à Agência Efe que depois do assassinato os membros do EI jogaram pedras nos corpos.

Hamed denunciou que os jihadistas estão perpetrando crimes contra a humanidade em Mosul, onde segundo ele, "a brutalidade desta organização alcançou seus níveis mais altos".

O EI assassinou mais 120 pessoas, jogando-as do alto, após acusá-las de "praticar sodomia e de desvio sexual". O grupo terrorista degolou em março, em público, outros quatro jovens homossexuais em Mossul, onde esta organização aplica desde o ano passado a sharia, a interpretação radical da lei islâmica.

Em 10 de junho de 2014, o EI ocupou Mosul e amplas partes do norte do Iraque, o que forçou centenas de milhares de pessoas a abandonarem seus lares.

Pouco depois, proclamou um califado nos territórios sob seu controle no Iraque e na Síria.

Portugal: jornalista se refere a deputado homossexual no gênero feminino e choca o país.




Ele diz que não foi por querer mas o jornalista José Rodrigues dos Santos da rede de TV RTP, de Portugal, está sendo acusado de homofobia depois que em uma das reportagens do telejornal, exibido na última quarta-feira, ele se referiu ao deputado Alexandre Quintanilha da seguinte forma: "foi eleito, ou eleita, pelo PS", em matéria sobre os novos parlamentares portugueses.  Para a ILGA Portugal, maior grupo gay do país, a referência foi humilhante já que o deputado do Partido Socialista (PS), de 70 anos, cientista, é notoriamente homossexual e companheiro do escritor estadunidense Richard Zimler.

“A inveja é um fenômeno universal” se defendeu o jornalista que acusou os colegas de profissão e militantes de armarem um circo. Dos Santos afirma que se confundiu com a chamada da matéria pois mencionava uma deputada aposentada e ao tentar se corrigir, na gravação da matéria, incluiu o “eleita”. “Não sabia que Quintanilha era homossexual nem me interessa. Eu não quero saber da orientação sexual nem do partido político de ninguém. Para mim não é relevante”, disse o apresentador em sua defesa, depois de afirmar que raramente os vídeos são revistos antes de irem ao ar e que apenas leu o texto escrito por outro jornalista e tentou corrigi-lo, cometendo o erro.

Em nota a RTP, reafirmou a justificativa do jornalista e pediu desculpas pelo ocorrido: “Os erros são sempre de evitar mas, como qualquer pessoa que trabalha no jornalismo ou em qualquer outra profissão sabe, por vezes acontecem.”

Para a ILGA Portugal foi “evidente a intenção do apresentador de humilhar Alexandre Quintanilha em função da sua orientação sexual, recorrendo de resto ao género como forma de humilhação”. “Uma indignidade(...) chocante e absolutamente inadmissível”. Partidos políticos começaram a se manifestar sobre o incidente ao qual classificaram de “lamentável”. O PS afirmou que o ancora teve um comportamento “inaceitável” e exigiu um pedido formal de desculpas.

O novo deputado, o mais velho do Parlamento, não acredita que se tratou de um erro. "Se foi um equívoco acho que foi muito infeliz e grave. O telejornal foi visto por milhares de pessoas que ficaram muito surpreendidas, para não dizer chocadas, com o que viram e ouviram e que me transmitiram a sua perplexidade. Considero que é um insulto a um deputado que foi eleito para a Assembleia da República e por isso espero que todos os partidos políticos se pronunciem sobre este episódio. Sei que o Secretário Geral do Partido Socialista já se pronunciou. O pedido de desculpas deverá ser à AR, ao Partido Socialista, aos eleitores que votaram no PS porque confiam em mim e a todos os viram o Telejornal", afirmou Quintanilha.

A Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) do país irá abrir um processo contra a RTP e anunciou o motivo da investigação: “indícios de violação de direitos fundamentais dos cidadãos”.

 Malásia retira direito  de mulheres trans.


Corte máxima do país mostrou discriminação às pessoas trans


O Tribunal Federal da Malásia derrubou, na quinta-feira 08, uma decisão de um tribunal de primeira instância que permitia que mulheres transexuais pudessem usar roupas femininas.

A decisão de novembro de 2014 (da Corte de Putrajaya) havia sido um marco no país ao determinar que a proibição de mulheres transexuais muçulmanas usarem roupas femininas é inconstitucional.

Entretanto, a decisão desta quinta da mais alta corte malaia confirmou a proibição por razões processuais. “Esta decisão do Tribunal Federal é um grande revés para os direitos transexuais”, disse Neela Ghoshal da Human Rights Watch.

Mulheres trans no país têm sido presas com frequência por causa das roupas. “Ao rejeitar este caso, o tribunal empurrou as pessoas trans de volta a um limbo jurídico em que a sua própria existência pode ser considerada ilegal”, afirmou Neela.

Eslovênia: Igreja faz campanha para  referendo sobre união gay.


Casamento gay foi aprovado mas pode não vigorar no país


Um dos principais líderes católicos da Eslovênia começou uma campanha para realizar um referendo sobre casamento gay na Eslovênia.

Em março, o Parlamento do país aprovou uma lei que legaliza a união homo. Foi o primeiro a país da Europa Central a autorizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Entretanto, opositores da lei iniciaram um processo pedindo um referendo sobre o tema e querendo revogar a lei. O caso parou na Justiça.

O Tribunal Constitucional do país está analisando a questão já que a Constituição eslovena proíbe votos populares. Em declarações ao site Demokracija, Stanislav Zore, Arcebispo de Liubliana (a capital do país) disse que o povo esloveno deveria decidir a questão.

Zore disse a crença de que o casamento era apenas entre um homem e uma mulher foi uma das “verdades fundamentais de nossa fé”, e que as pessoas no país de maioria católica deve ser capaz de ter suas vozes ouvidas.

Atraso: Médicos chineses dão eletrochoque  para tentar curar gays.


Homossexualidade não é crime na China, mas médicos continuam tentando curar gays por lá


Um documentário exibido pelo Channel 4, da Inglaterra, denunciou médicos chineses tentando curar a homossexualidade com eletrochoque.

Imagens mostram um ativista LGBT disfarçado conversando com uma médica em um hospital na cidade de Tianjin. Ela pergunta: “Você pode aguentar esse tipo de dor? Por quanto tempo você pode suportá-la? Se você consegue aguentar de fato, você pode mudar”.

Segundo o jornal “O Globo”, a médica diz que o “tratamento” – bastante doloroso -, deve ser ministrado a cada vez que os pacientes sentirem “impulsos”.

“Seu reflexo condicionado quando vê alguém do mesmo sexo é de sentir amor. Agora, quero fazer com que você se sinta apavorado”, diz a médica no vídeo.

O documentário revela que mesmo com a legalização da homossexualidade em 1997, muitos hospitais continuam oferecendo “serviços de conversão”. De acordo com John Shen, ex-diretor de uma das maiores entidades LGBT da China, muitos pais ainda forçam seus filhos a se submeter a terapias como as retratadas no documentário.

Outro voluntário do filme, que também filma a consulta com uma câmera escondida, chega a ser submetido a uma sessão de eletrochoque. Durante a filmagem, ele grita de dor e afirma que parte de seu rosto está dormente. Pela sessão, a clínica cobra do voluntário cerca de R$ 2.100 e afirma que o paciente deverá retornar com frequência e pagar um valor semelhante a cada procedimento.

Em 2014, a Justiça chinesa condenou uma clínica de psicologia a pagar cerca de R$ 1.500 por tentar “converter” um paciente gay em hétero.

EUA: Polícia procura por  assassino de trans.


Keisha tinha apenas 22 anos e foi a 20ª trans assassinada este ano nos EUA

A polícia de Filadélfia, Estados Unidos, está à procura do assassino de uma mulher trans. Keisha Jenkins, de apenas 22 anos, foi vista saindo de um carro na manhã de terça-feira, 06, e logo depois abordada por cinco homens que a espancaram. Um dos homens disparou dois tiros em suas costas.

A moça foi levada ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos. A polícia diz que ainda é cedo para saber se ela foi atacada por ser trans ou se houve outro motivo relacionado a sua morte.

“Vamos falar com mais pessoas, e então chegaremos ao fundo da questão”, disse o chefe de polícia da cidade, capitão James Clark disse à CBS Filadélfia.
“Quando os resultados da autópsia chegarem, coisas diferentes, nós vamos juntar tudo e, em seguida, veremos se será classificado como um crime de ódio ou não.”

Keisha é a 20ª mulher trans assassinada nos Estados Unidos só neste ano – dezesseis delas eram da raça negra. Ativistas LGBT descrevem a situação como uma “epidemia de violência anti-trans”.

Após criticas, Thommy nega filiação a partido de Bolsonaro: 'Homofóbicos'.





Na quinta-feira (3), Thommy Miranda se envolveu em uma polêmica após publicar uma foto na qual aparece ao lado do deputado Delegado Olim. “Pedi para ter o novo PP Diversidade”, escreveu na legenda.

A imprensa especulou que Thommy teria se filiado ao partido de Bolsonaro, mas ele se explicou sobre a imagem e negou que tenha planos de entrar para a política, chamando o partido de homofóbico.

“Pessoal, só para deixar claro que ainda não me filiei a nada! Só me convidaram para presidir o núcleo de diversidade. E nós vamos analisar se podemos com isso levar nossa voz para um partido, vamos dizer, homofóbico”, disse.

Thommy ainda reafirmou que continuará com o foco na dramaturgia: “Minha profissão é atuar. Por enquanto, é o que eu sei fazer de melhor. Política, teria que aprender. Ah, da nossa causa, entendo também”.  

Jean Wyllys vence prêmio de melhor deputado federal de 2015.




Pela terceira vez o deputado Jean Wyllys (Psol-RJ) foi eleito o melhor do Congresso Nacional em eleição promovida pelo site Congresso em Foco com seus leitores.

Wyllys conquistou 19.809 votos e já vencido a eleição em 2012 e 2013. Este ano, ele ganhou também o prêmio na categoria Parlamentares de Futuro, destinado aos deputados e senadores com até 45 anos.

Ao receber a homenagem, Wyllys destacou que é muito significativo que a população ainda escolha parlamentares que lutam pelos direitos humanos e pelo combate à corrupção, mesmo em cenário político em que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), é “denunciado formalmente pelos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção”.

“A partir desses valores passamos uma mensagem positiva sobre a política. A vitória é nossa”, disse.

Rio capacita policiais para  combater a homofobia.


Ao todo, programa capacitará 18 mil policiais civis e militares


Seis mil policiais civis e militares de todo o Estado do Rio de Janeiro estão fazendo parte da 3ª Jornada Formativa de Segurança Pública e Cidadania LGBT, que pretende capacitá-los para combater a homofobia e melhorar o atendimento respeitoso à comunidade arco-íris. O programa vai até dezembro e terá mais duas edições, capacitando, ao todo, 18 mil policiais.

Nesta edição, a qualificação, que já foi realizada na capital, Região Metropolitana e Baixada Fluminense, será estendida para o interior e Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs). Para o subsecretário de Educação, Valorização e Prevenção da Secretaria de Segurança, Pehkx Jones da Silveira, a Jornada Formativa é uma forma de garantir direitos.

“Há oito anos, a agenda LGBT integra a da segurança pública e dos direitos humanos no Estado do Rio. Nada mais natural do que reforçá-la e ampliá-la, fazendo uma reflexão permanente com os policiais sobre os direitos e a valorização da cidadania LGBT, afirmou Pehkx.

Organizada pelo Programa Estadual Rio Sem Homofobia, a Jornada Formativa prevê 55 encontros com policiais militares e 40 com agentes civis. As capacitações terão duração de seis horas e abordarão questões específicas como policiamento preventivo e abordagem, para a PM, e investigação e registro de ocorrência, para as delegacias.

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...