Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Obama diz que liberdade  religiosa não dá direito  de ir contra a Constituição.


Para Obama, políticos usam discurso pró-religião para arrecadar votos


Em evento para arrecadar fundos para o Partido Democrático, o presidente norte-americano Barack Obama deixou claro que para ele a liberdade religiosa termina onde ela interfere em direitos garantidos pelo Estado.

“Afirmamos que nós prezamos nossa liberdade religiosa e somos profundamente respeitosos das tradições religiosas. Mas também temos de dizer claramente que a nossa liberdade religiosa não nos concede a liberdade de negar a nossos colegas americanos seus direitos constitucionais”, disse.

“E assim como nós somos respeitosos e genuinamente preocupados com os interesses religiosos, rejeitamos os políticos que apoiam novas formas de discriminação, como forma de amealhar votos. Isso não é como nós nos movemos a América para a frente. ”

Desde agosto a funcionário de um cartório no Estado de Kentucky Kim Davis tem dividido opiniões. Ela se recusou a casar homossexuais alegando liberdade de religião e chegou a ser presa por alguns dias.

Selvagens: Nove homens que torturaram  gays na Rússia são presos.


Criminosos torturavam e humilhavam jovens e depois postavam os vídeos na internet


A polícia da região de Ural, na Rússia, prendeu nove homens que participaram de agressão homofóbica a jovens gays no país. Seis dos criminosos integravam um grupo chamado Ocupação Pedofilia.

O objetivo do grupo era sempre o mesmo. Eles atraíam gays como se fossem a um encontro normal e os torturavam em frente a câmeras. Os vídeos depois eram postados na internet.

Eles diziam que tentavam “identificar os pedófilos”, como se pedofilia e homossexualidade fossem a mesma coisa. No tribunal, eles foram acusados de ao menos 19 ataques a gays.

Os homens foram considerados culpados de ameaças de morte, tortura e de terem causado danos moderados à saúde. Seis deles receberam penas de três a seis anos de prisão.

França reconhece gênero  neutro pela 1ª vez.


Intersexual passou 64 anos como do sexo masculino, mas não se reconhecia nele


Pela primeira vez, a França reconheceu uma pessoa como do gênero neutro. A decisão, do tribunal de primeira instância de Tours (centro do país), foi proferida em 20 de agosto mas só agora revelada.

A pessoa foi identificada no processo como “ile” – algo entre “ele” e “ela” em francês. “O sexo que o foi atribuído no nascimento aparece como pura ficção (…) imposta durante toda a sua existência, sem que ele fosse capaz de expressar seus mais profundos sentimentos”, escreveu o juiz em sua sentença, à qual o jornal “20 Minutes” teve acesso.

Nascida, segundo o médico responsável, com uma “vagina rudimentar” e um “micropênis”, mas sem testículos, a pessoa sofre por ter sido enquadrada no sexo masculino desde o nascimento, segundo o jornal. “Na adolescência, entendi que não era um rapaz. Não tinha barba, meus músculos não ficavam mais fortes”, contou a pessoa, hoje com 64 anos, que pediu anonimato.

“Não se trata de reconhecer a existência de um ‘terceiro gênero’, mas de reconhecer a impossibilidade de atribuir determinado gênero à pessoa”, explicou o magistrado em sua decisão.

Padre gay diz que Cristo entende  os homossexuais como eles são.


Religioso foi demitido do Vaticano após se declarar gay


O padre polonês Krzysztof Charamsa, que foi desligado de suas funções no Vaticano após se declarar gay e apresentar o companheiro à imprensa, disse que Jesus Cristo entende os homossexuais e concordaria com seu modo de vida.

À BBC, o religioso afirmou que Jesus diria que os gays “devem amar e [viver], devem ter relacionamentos de acordo com sua natureza”.

Questionado sobre como ele acredita que Cristo veria a homossexualidade, Charamsa disse: “Eu acho que a mensagem de Jesus Cristo é de chamar para a igreja, para nós, para cada pessoa que acredita em um Deus cristão, é a de aceitar e entender que a pessoa homossexual deve amar e deve ter relação na concordância com a sua natureza.”

Assassinato de ativista trans causa comoção na Argentina: é a terceira mulher trans morta em um mês.




Famosa ativista dos direitos gays foi encontrada morta nesta terça. Argentina permite mudança de gênero em documentos oficiais.

Uma famosa ativista argentina dos direitos de lésbicas, gays, bissexuais e transgênero (LGBT) foi encontrada morta em seu apartamento em Buenos Aires nesta terça-feira (13), sendo a terceira mulher transgênero a ser encontrada morta violentamente no último mês no país.

A Anistia Internacional disse nesta quarta-feira que o corpo de Diana Sacayan possuía sinais de violência. A presidente Cristina Kirchner, que em 2012 entregou pessoalmente a Sacayan o cartão de identidade que a reconhecia como mulher, também pediu por justiça.



Peço aos serviços de segurança nacional e à polícia metropolitana que solucionem este crime horrível”, disse Cristina durante um pronunciamento.

A Argentina é um dos poucos países a permitirem que seus cidadãos mudem de gênero em documentos oficiais de identificação. Os países latino-americanos possuem algumas das maiores taxas de assassinato de pessoas transgênero, de acordo com grupos ativistas.

A morte de Sacayan ocorre em seguida aos assassinatos de Marcela Chocobar e Coty Olmos, duas mulheres transgênero cujos corpos foram encontrados ao longo do último mês nas províncias de Santa Fé e Santa Cruz.

Artista plástico é agredido em banheiro de shopping de Porto Alegre.




O artista plástico Rogério Nazari, 64, foi brutamente agredido no rosto por um funcionário de uma loja do shopping Boulevard Strip Center, no Jardim Lindóia, em Porto Alegre, no final da tarde desta quarta-feira. Enquanto usava o mictório, um homem entrou no local proferindo ofensas de cunho homofóbico e Nazari respondeu a elas enquanto se dirigia para lavar as mãos na pia do local. O homem se interpôs entre a pia e o artista que o empurrou levemente para chegar ao lavatório mas foi quando o homem passou a dar chutes e pontapés em Nazari.

O amigo do artista o socorreu e o agressor deixou o local e voltou para a loja em que trabalha. Com sangramento na cabeça, o artista foi levado para fora do shopping onde aguardou socorro médico que demorou quase uma hora para chegar ao local. Segundo ele, a administração do local não prestou o devido atendimento depois do ocorrido. Uma amiga da vítima que é advogada compareceu ao shopping e ele foi encaminhado ao Hospital Cristo Redentor onde foi atendido e constatado que não houve lesão profunda.

“Sou frequentador do Shopping e já havia presenciado em outros momentos xingamentos de caráter homofóbico por parte desse cidadão. São atitudes reincidentes. Ele não gosta de gays, é um direito dele, mas respeito é fundamental. Sou um cidadão livre com 64 anos de vida e exijo respeito e vou lutar por uma causa que acredito. MAIS AMOR POR FAVOR”, declarou a vítima em uma rede social com a foto de seu rosto escoriado e olho direito roxo. Segundo Nazari, ele irá processar tanto o agressor quanto o shopping.

Casal envolvido em homofobia é indiciado por tentativa de homicídio.




Se condenada, dupla pode pegar até 30 anos de prisão em Juiz de Fora. Adolescente que participou de agressão terá acautelamento pedido.

O delegado Rodolfo Rolli concluiu na tarde desta sexta-feira (16) o inquérito sobre a agressão a um adolescente gay em Juiz de Fora, no último dia 5. Um homem e a companheira dele, uma jovem de 18 anos, foram indiciados por tentativa de homicídio duplamente qualificada. O inquértio deve ser encaminhado à Justiça na próxima segunda-feira, quando o autor indiciado também será ouvido.

Segundo o delegado, o crime foi praticado por motivo fútil e os autores usaram meios que dificultaram a defesa da vítima para agredi-la. Se condenados, os dois podem cumprir pena que varia de 12 a 30 anos de prisão.

O delegado informou que irá encaminhar à Vara da Infância e Juventude o pedido de acautelamento provisório da adolescente de 16 anos que também participou da agressão. A mãe dela não será indiciada, ainda segundo Rolli.

Relembre o caso

O pai do adolescente registrou a ocorrência de agressão por homofobia no dia 6 de outubro. O rapaz voltava para casa no Bairro Nova Benfica, por volta das 21h, quando o grupo começou a xingá-lo quando passava próximo a um bar. Ao responder, ele foi agredido com pedaços de paus.

Rodolfo Rolli pode pedir a prisão dos suspeitos da agressão
No dia, a vítima disse ao G1 que não havia sido a primeira vez que tinha sido alvo do mesmo grupo. O pai do garoto defendeu o filho e classificou como covarde as agressões.

Após a briga, o adolescente foi socorrido por um primo e levado para a Unidade de Pronto Atendimento da região Norte (UPA Norte), onde foram detectadas diversas lesões no rosto, cortes na cabeça e edemas nas costas provenientes de golpes de madeira.

Um dia após o registro, uma adolescente de 16 anos, uma jovem de 18 e uma mulher que não teve a idade revelada, prestaram depoimentos e alegaram que apenas a jovem brigava com o adolescente. As outras duas, que são mãe e filha, teriam tentado separar a briga.

Na última quinta-feira (15), foram ouvidos o dono do bar e a filha dele que disseram que viram a briga, mas que não têm conhecimento dos motivos e deram o nome de outras duas pessoas que estavam no local quando o crime aconteceu. Além disso, afirmaram que o rapaz que segurou a vítima enquanto ela apanhava é namorado da agressora. “As testemunhas disseram que eles tinham um relacionamento e um filho com uma das autoras que confessou ter agredido o adolescente, o que ela não tinha dito anteriormente”, acrescentou Rodolfo Rolli.

Na manhã desta sexta-feira (16), duas novas testemunhas foram ouvidas e novas informações deram base ao delegado para alterar a tipificação do crime. "Essas novas testemunhas relataram que, se não fosse a intervenção de populares, nós teríamos um homicídio. Por este motivo, trato o fato agora como tentativa de homicídio duplamente qualificada, por motivo fútil por conta do opção sexual do adolescente e por uso de meio cruel que dificultou a reação e a defesa da vítima. A tendência é que solicite o pedido de prisão preventiva dos suspeitos, para que eles sejam julgados presos”, disse Rodolfo Rolli.

Silas Malafaia e Band devem responder por incitação a homofobia diz TRF.



O pastor Silas Malafaia e a rede Bandeirantes devem responder por ofensas exibidas no programa Vitória em Cristo em 2011, decidiu a turma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região esta semana, que retomou a ação antes arquivada, depois de pedido de recondução da ação pelo Ministério Público Federal. Para a Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão, que recorreu da decisão anterior, o pastor e a emissora devem se retratar pela incitação à violência contra homossexuais.

Malafaia mandou igreja 'baixa porrete' nos homossexuais

Depois da Parada Gay de São Paulo daquele ano, na qual imagens de santos seminus ilustravam uma campanha na Av. Paulista pelo uso da camisinha, o pastor Malafaia declarou em seu programa na emissora citada: “Os caras na Parada Gay ridicularizaram símbolos da Igreja Católica e ninguém fala nada. É pra Igreja Católica entrar de pau em cima desses caras, sabe? Baixar o porrete em cima pra esses caras aprender . É uma vergonha.”
 
“As gírias 'entrar de pau' e 'baixar o porrete' têm claro conteúdo homofóbico, por incitar a violência em relação aos homossexuais, desrespeitando seus direitos fundamentais baseados na dignidade da pessoa humana”, “Mais do que expressar uma opinião, as palavras do réu em programa veiculado em rede nacional configuram um discurso de ódio, não condizente com as funções constitucionais da Comunicação Social”, afirmou o procurador da República Jefferson Aparecido Dias, que recorreu da decisão de primeira instância que chegou a arquivar o processo sem julgamento de mérito.  “Como líder religioso, o réu Silas Lima Malafaia é formador de opiniões e moderador de costumes. Ainda que sua crença não coadune com a prática homossexual, incitar a violência ou o desrespeito a homossexuais extrapola seus direitos de livre expressão, constituindo prática violadora dos direitos fundamentais à dignidade, à honra e mesmo à segurança desses cidadãos. Por isso a importância da retratação de seus comentários homofóbicos diante de seus telespectadores”, argumentou o procurador.
 
O pedido faz ainda a obrigatoriedade de mensagem de retratação por parte da emissora e maior fiscalização do conteúdo do programa do pastor para evitar reincidências. A ação protocolada em outubro de 2011 foi denunciada pela Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais Travestis e Transexuais (ABGLT).

 



 

 






 


 






 

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...