Slide 1 Slide 2 Slide 3

CONFISSÕES DO DIVÃ






Os textos apresentados nesta seção buscarão ilustrar situações, angústias, problemas e experiências vivenciadas por alguns homens gays. Não existem experiências universais, comuns a todos os homens gays, cada um de nós é constituído e atravessado por diversas características que tornam a sua experiência única.  Nossa principal ideia aqui é pensar em possibilidades de enfrentamento para as questões aqui representadas, que em menor ou maior grau podem ser semelhantes com alguma das histórias vivenciadas por você. Essas histórias não são uma representação literal de histórias reais e sim textos fictícios.

O Dr. Alexandre é formado em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atua como psicólogo clínico no Espaço Recontar na região de São José / SC. Fundamenta seu trabalho pelos princípios da Psicologia Sistêmica. Compreender os fenômenos psicológicos sistemicamente significa, literalmente, “colocá-los” dentro de seu contexto, estabelecendo a natureza das suas relações.

Você pode fazer perguntas e sugerir temas que nosso psicólogo responderá com todo prazer.

Bem, vamos ao tema de hoje:


Todo mundo é feliz menos eu!
(Sites de relacionamento podem piorar um quadro de depressão?)

Alexandre de Souza Amorim, Psicólogo
alexandresouza.psicologo@gmail.com




Meu nome é José e tenho 24 anos. Tenho lidado com a depressão desde a adolescência, com melhoras em alguns períodos e grandes recaídas em outros. Voltei a fazer terapia recentemente e tem me ajudado bastante. Mas mesmo assim gostaria de compartilhar a minha situação. Uma das minhas grandes fontes de angústia diz respeito ao fato de eu ainda não ter conseguido estabelecer uma relação estável. Em outras palavras, eu nunca namorei. Nos últimos tempos perdi o interesse pela maior parte das atividades que, antes, davam-me algum prazer. Eu isolei-me dos meus amigos e tenho tido dificuldades em me concentrar no trabalho. Passo quase todo meu tempo livre no Facebook, teoricamente porque achava que isso me distraia. Porém é ali que encontro compartilhamentos de amigos  – reais e virtuais – que mostram a rotina de suas vidas. Eles namorando, ficando noivos, pensando em ter filhos ou fazendo viagens com o cara perfeito. Ao fim parece que “todo mundo é feliz menos eu”!
José, 24 anos

           
Olá José, os sites de relacionamentos fazem cada vez mais parte do dia-a-dia de milhões de internautas e a sua utilização é quase sempre impactante – em alguns casos de maneira positiva e em outros de maneira negativa. Há todo um espectro de vantagens e desvantagens que estão diretamente relacionados com a constituição individual de cada pessoa. Neste texto vou me ater apenas na minha experiência clínica.

Os sites de relacionamento enquanto meios de comunicação têm o incomparável poder de conectar você a pessoas de todo o mundo ou com pessoas que você não via há muito tempo - antigos colegas de escola, amigos que mudaram de cidade ou familiares espalhados pelo mundo. Com isso, a maior rede social virtual do mundo tem contribuído, para que algumas pessoas se sintam muito menos sós, menos desamparadas até.

Com esse principio, é, pelo menos teoricamente, um aliado contra o isolamento social e, portanto, contra a depressão. No entanto, essa vantagem pode dissipar-se se a pessoa já estiver deprimida. Uma das queixas que ouço com muita frequencia entre pacientes com depressão diz respeito ao fato de, aos seus olhos, esses ambientes virtuais representarem uma vitrine da felicidade dos outros. Uma vez que a maior parte de seus compartilhamentos lhes mostra muito mais felizes.

Uma das muitas consequências da depressão, além do pessimismo generalizado, é a constante comparação com os outros, baseada quase sempre em visões distorcidas e superficiais da realidade. Para o paciente deprimido é fácil olhar ao redor e chegar à conclusão de que os outros estão todos muito bem e que ele é a única pessoa deprimida. Isto atrai pensamentos negativos como “O que é que há de errado comigo?” ou “Porque é que estas coisas nunca acontecem comigo?” ou ainda “Porque todo mundo é feliz menos eu?”.

Quando vemos um casal passeando pelas ruas ou fazendo compras juntos em um supermercado é impossível conhecer as suas angústias ou preocupações. Aquilo que vemos pode parecer à imagem de um casal feliz, o que nem sempre corresponde à realidade. As redes de relacionamentos acabam por amplificar esta visão distorcida da vida das outras pessoas, já que é muito raro alguém colocar online as suas dificuldades de relacionamento.

Podemos concluir, que salvo raras exceções, quando visitamos os perfis dos nossos amigos, aquilo que encontramos são fragmentos de momentos felizes.

O que é compartilhado é apenas a uma pequena e “maquiada” parte da vida de cada um. E não a duvida, de que quando estamos deprimidos compreender isso fica mais difícil.

Senso assim, as redes sociais podem prejudicar sim, uma vez que uma pessoa deprimida, que não esteja sendo acompanhada por um profissional qualificado, pode acumular uma série de pensamentos negativos baseados em comparações constantes entre a sua vida e aquilo que é compartilhado nas redes sociais, consequentemente fazendo-a sentir-se progressivamente (ainda) mais para baixo.

Quer isto dizer que as redes sociais são uma ameaça para todas as pessoas com depressão? Com certeza, NÃO!

É apenas uma das muitas possibilidades, as redes sociais têm muitas vantagens também e algumas até mesmo para as pessoas que enfrentam um quadro de depressão. Mas é preciso ter consciência e refletir sobre os potenciais efeitos nocivos. Um profissional qualificado pode lhe ajudar a refletir e analisar sua situação.




Poderá gostar também de:
Postado por Mac Del Rey | (3) Comente aqui!

3 comentários:

  1. Uma das alternativas para acabar com a depressao, acredito eu, seja a atividade fisica. Exercicios de musculaçao, caminhadas, corridas, alem de ser otimo para a saude fisica, tambem o e´ para o mental. Atividade fisica libera o hormonio de bem estar, melhora a circulaçao, e eleva a auto estima. Para quem quer ver seu corpo saradinho, e´otimo.

    Mas, cautela !! Nao exagere e recomendavel e´ter acompanhamento medico, e se nao for possivel, exercicios moderados, e exercicios conforme a idade.

    Saliento isso porque os exercicios fisicos me trouxe auto estima, saude, bem estar ,A depressao sumiu e a alegria de viver e´grande, vendo tudo com otimismo.
    Alem de ver este corpicho mais forte, enxuto, e com musculos a vista...que todos podem se admirar..rsrsrs



    ResponderExcluir
  2. Tudo tem o seu tempo...
    Além disso, você está buscando namoro de que forma? Tem que fazer sua parte, pois muitos esperam um principe em casa...
    Ja me cobrei por não encontrar alguém, mas percebi que eu poderia me preciptar ou me iludir com qualquer um.
    Se apegue nas amizades e saia deste mundo virtual, pois eu vivi muitos anos iludido na net com admiradores virtuais que faziam bem ao meu ego, e que no fundo eu só perdia tempo.
    Boa sorte!

    ResponderExcluir
  3. Acho que no futuro viver conectado será tão ridículo como fumar...
    É um mesmo vicio tosco, praticado por gente escrota. E assim como fumar não trás nenhum beneficio, a vida virtual também não. Cuidar do corpo com exercícios até pode ajudar, mas acho que o melhor é cuidar do lado de dentro. De nada adianta "este corpicho mais forte, enxuto, e com músculos a vista" se você for podre por dentro. E só se dará conta disso depois que o tempo passar e você se tornar um daqueles quarentões escrotos sozinho e tendo que procurar alguém para te fuder em uma balada.
    Segue a vida, vivendo. Aproveitando o que esta a tua volta. Quer um excelente conselho? Vai viajar. Sai dessa realidade delimitada e vai ver como o mundo é grande, você vai se dar conta que a vida é muito maior do que isso.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...