Slide 1 Slide 2 Slide 3

HOMOSSEXUALIDADE

Como se relacionar com alguém individualista e egocêntrico?




Individualismo e relacionamento, será que é possível combinar essas duas coisas? Tá na hora de falar sobre o conflito em torno de relações que possuem características individualistas e egocêntricas, que na psicanálise também podem ser ditas como narcísicas.

Segundo a psicologa Raquel Baldo Vidigal, em artigo publicado no site Minha Vida, é importante lembrar que desde nosso nascimento dependemos de outra pessoa para sobreviver, tanto fisicamente como emocionalmente, havendo uma necessidade de troca de experiências e reconhecimentos nas diferentes etapas da vida. Conforme a gente cresce, vamos ampliando e remanejando essas vivências para nossas relações, internas e externas. “É comum que sejam pessoas com falas arrogantes, frases cheias de razão, posturas prepotentes que costumam desmerecer ou criticar muito os outros ou aquilo que não é sua escolha ou que não lhes represente”, diz Raquel.

Para ela, pessoas com características individualistas vivem o ideal de perfeição de si mesmas. São pessoas que possuem dificuldade de se reconhecerem no meio, no outro ou até nelas mesmas. Às vezes acontece porque foram tão enaltecidas por seu meio, seus pais – bebês e crianças que aprenderam que são melhores que outras, que são mais inteligentes, mais desenvoltas, com muita opinião, tudo deles é o máximo etc. – que seu ego se torna cheio de si e entendem, assim, que por serem melhores que os demais não precisam do outro, às vezes nem mesmo de seus pais. Logo, por que precisaria de um(a) companheiro(a) um dia em sua vida?

Nãp podemos ignorar o caso inverso também, onde faltou um olhar/cuidado afetivo, amoroso, acolhedor e encorajador no meio que nasceu e viveu. Essa pessoa tenta compensar tal falta olhando intensamente para si mesma, para seu ego, numa tentativa fantasiosa de se acolher e de acreditar em si mesma. “Isso chega a tal ponto que não deixa espaço para o outro, ela mesma basta para se admirar”, acrescenta a especialista.

Em ambos os casos é comum que sejam pessoas com falas arrogantes, frases cheias de razão, posturas prepotentes que costumam desmerecer ou criticar muito os outros ou aquilo que não é sua escolha ou que não lhes represente. Todos ou tudo aquilo que não lhe interessa ou representa é sinal de risco, isto é, uma ameaça a sua posição de destaque, de ser o melhor ou o “mais-mais” e a tendência é que seja alvo ou seja afastado de sua vida.

Mas como se relacionar com alguém assim?

Na verdade, partimos do ponto que pessoas com ego tão inflado ou com personalidade narcísica intensa tendem a não se relacionar. “Ao menos não de acordo com o que entendemos por relacionamento adequado ou saudável, onde há um tipo de amor harmônico, parceiro e onde os sonhos são sonhados juntos e para ambos”, atenta Raquel.

Para um individualista isso não interessa, ele é uma pessoa de atitudes egoístas, usa como base somente sua satisfação, sua verdade e tende a ditar regras nas relações. Quando contrariado ou quando lhe apresentam outra possibilidade de pensar acaba entendendo como afronta. Assim, é uma relação quase impossível de se manter e normalmente é cercada de estresse, brigas, agressões ou criticas e desmerecimentos contínuos.

Porém, isso não significa que estas pessoas não se relacionem, pelo contrário. Existem alguns perfis que podem atrair, e muito, uma pessoa narcísica/individualista.

Buscam pessoas com mesmo perfil.

Neste caso, pode até parecer inicialmente afinidade de casal, o que seria bom, mas no caso de uma pessoa individualista se trata, na verdade, de enxergar a si mesmo no outro, como um espelho. Apaixonam-se por pessoas de personalidade muito próxima, às vezes são parecidos até fisicamente, possuem gostos e atos muito similares. Na verdade estão apaixonados por eles mesmos, se enxergam através do outro e não o outro e isso acontece com ambos. Logo, é uma relação egocêntrica e não de parceria.

Buscam pessoas que eles gostariam de ser ou um dia foram.

Aqui eles escolhem parceiros que alimentem suas fantasias ou ideais, que não conseguiram concretizar ou que os tenham perdido. Muitas vezes basta estar ao lado ou conviver no meio para acreditar que também é merecedor de destaque, sucesso e reconhecimento (que é do outro). Um exemplo disso são as pessoas mais velhas que se envolvem com outras muito mais novas; mãe que usa roupa da filha; esposa que acha que tem tanto sucesso quanto seu marido, que é ator de sucesso e ela nem atriz é; Pai que se julga inteligente através das notas do filho etc.

Buscam pessoa para lhe servir.

Nesta situação a pessoa individualista procura conviver e se envolver com outras que são seu oposto, mas com um objetivo claro, que a outra pessoa os sirva. Ela quer alguém com autoestima baixa, pois precisa de alguém que a admire constantemente e precise de alguém para admirar. Esta é uma relação que lhe enaltece muito, pois a pessoa tende a viver lhe parabenizando, mimando, servindo e atendendo seus desejos, garantindo sua fantasia.

A única atração de um individualista é ele mesmo.

Note que em todos os casos citados há o mesmo ponto em questão. A paixão sentida será dele por ele mesmo, e só irá se envolver com alguém se esta pessoa lhe representar e for seu espelho continuo. Estas relações geralmente são turbulentas, vazias e cheias de sintomas e disfarces, pois um ou ambos os lados possuem conflitos emocionais e são instáveis para se envolver com outra pessoa. Estes relacionamentos podem durar uma vida toda, ou poucos dias, tudo depende do casal e de quais as suas defesas para disfarçar e lidar com o egocentrismo.

Vale ressaltar que dificilmente pessoas assim buscam ajuda, pois não estão abertas a ouvir ou a descobrir suas falhas e pontos fracos. Logo, dificilmente vão reconhecer que precisam mudar ou melhorar algo na relação.

Aí você deve estar se perguntando o que podemos fazer para que seu companheiro(a) entenda isso, para que mude ou amenize o seu comportamento. Bom, Raquel diz que você estará tentando fazer o trabalho dele por ele e isso não funciona!

“Você só pode fazer por você, perceber seus sintomas, perceber porque entrou ou está nesta relação, o que ganha e perde com isso, além de analisar seu “eu” e o que fazer daqui por diante com você”, diz a psicologa.

É muito importante saber que a partir dessas suas elaborações sua relação venha mudar, pois inevitavelmente você não será mais tão atraente aos olhos do individualista, visto que vai deixar de refleti-lo!

Facebook lança recurso para fazer ex-namorados sumir da sua timeline.



Cada dia mais integrado à vida e relacionamento das pessoas, o Facebookse tornou parte significativa de qualquer casa. Namoros começam e terminam por causa dele, inclusive. Agora, quando esse relacionamento acaba, usar a rede social pode ser algo bastante doloroso, justamente por trazer recordações de como as coisas eram antes. Para tentar solucionar isso, o Facebook lançou uma nova ferramenta que vai te ajudar a superar isso.

Assim que o usuário marcar o fim de um relacionamento no Facebook, um novo kit de ferramentas vai pipocar. Ele é composto por três elementos principais: limitar o quanto você vai ver da outra pessoa no seu feed de notícias, limitar quanto o seu/sua ex vê de você no feed dele(a) e restringir a capacidade de outras pessoas verem as publicações em que vocês dois estão juntos.

“Este trabalho é parte de nosso esforço contínuo para desenvolver recursos para pessoas que possam estar passando por momentos difíceis em suas vidas”, diz o gerente de produto Kelly Winters no blog do Facebook.


Até agora, a única coisa que o usuário poderia fazer é deixar de seguir seu ex-parceiro, exclui-lo ou bloqueá-lo, mas ainda há vários outros vestígios do relacionamento. Isso inclui fotosantigas em que o casal está marcado, por exemplo, das quais a pessoa precisa se desmarcar. Sim, uma boa parte das novas medidas poderia ser tomada pelo próprio usuário, mas é importante ver que a empresa entendeu a demanda e começou a oferecer ativamente as ferramentas que facilitam o processo ao fim do namoro.

Inicialmente, o novo recurso está valendo para os Estados Unidos, mas o Facebook vai expandir as ferramentas, que são opcionais, para outros locais do globo. Bacana, né?

TV Indiana exibe seu primeiro beijo gay.



Na semana passada foi ao ar o primeiro beijo homossexual na televisão indiana. A cena merece destaque já que a homossexualidade é proibida por lei no país.

O beijo foi ao ar no sexto episódio do programa “The Big F”, da MTV, uma série de episódios independentes sobre fantasias proibidas.

No episódio, a jovem Sharmishta é cobrada pelos colegas para ser vista com algum garoto. Ela pede que um amigo a ajude a encontrar uma modelo para uma apresentação no baile de formatura. O rapaz lhe apresenta Madhurima, por quem ele tem uma queda.

Sharmista e Madhurima interessam-se uma pela outra e o beijo acontece em determinado momento. Nas redes sociais, a MTV recebeu elogios pela cena, considerada muito ousada para o país.

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...