Slide 1 Slide 2 Slide 3

MINHA VIDA GAY

Pioneirismo mundial: Time de futebol americano abre espaço para jogador transexual na Espanha.

 
Oscar será o primeiro transexual no futebol americano
 
 
A Federação Espanhola de Futebol Americano (Fefa) deu um passo largo na luta contra a transfobia no mundo esportivo. A entidade autorizou durante a semana a inscrição de Oscar, um transexual de 21 anos, na equipe masculina do Zaragoga Hurricanes, da terceira divisão. O rapaz, que há um ano deu início à transição social (quando uma pessoa trans adota o nome e a identidade pública com a qual se sente identificada), passou as últimas três temporadas defendendo o time feminino.

"Quando recebi a notícia foi uma alegria enorme. Gosto muito de futebol americano e não ter podido jogar foi uma porrada muito dura. Recorri aos tribunais para conseguir", comemorou o atleta.

Oscar nasceu mulher, mas jamais se identificou com o gênero designado em seu nascimento. Por isso, no início do ano, adotou o nome masculino e passou a tomar hormônios para que seu corpo tomasse a forma desejada. Ele comunicou a situação aos treinadores desde o início, e o clube demonstrou muito apoio durante a transição.

Agora, o Zaragoga Hurricanes entra para a história como a primeira equipe esportiva a abrigar um trans em seu plantel. E abre caminho para clubes de diversas modalidades seguirem o exemplo, promoverem a igualdade e incentivarem a carreira esportiva de jogadores na mesma situação.

De acordo com as leis espanholas, contudo, Oscar só poderá mudar seu nome no documento dois anos após o início do tratamento, o que não permita que atue nas competições oficiais até o fim de 2016. Ele pretende continuar estudando e praticando o esporte durante o período de limbo.

Embora não seja imediata, a medida da Fefa garante inúmeros benefícios a Oscar, como o seguro atleta, fundamental em um esporte de contato como o futebol americano. Isso só é possível graças à "autorização" da entidade, que respondeu afirmativamente ao pedido de Oscar para jogar na equipe masculina, ainda mais porque a equipe feminina havia sido dissolvida por falta de patrocínio e o jovem estava sem contrato.

"Não queria renunciar à minha identidade e nem ao esporte. Estou muito agradecido a meu clube, que me apoiou em todo momento", afirmou Oscar, refutando a existência de qualquer preconceito dos cerca de 30 companheiros de equipe. "Me sinto um a mais no vestiário. Meus companheiros me conhecem, não há diferenças. Sou um garoto, ainda que meu RG diga o contrário", finalizou.
 

Casal gay é espancado ao sair de boate e posta mensagem aos agressores.

 
Um casal de Montpelier, na França, foi agredido por homofóbicos enquanto saiam de uma boate gay na última terça-feira (10).
 
 
Clément Grobotek usou seu Facebook no dia seguinte para comunicar o ocorrido. Sua foto espancado virou um viral na internet dias depois. Ele e seu namorado Aaron – que permanece incapaz de falar devido seus ferimentos – ficaram muito feridos deixando os dois precisando de auxilio hospitalar.
 
“Não há palavras para descrever o pânico que você sente vendo seu namorado deitado no chão coberto de sangue e inconsciente”.

Clément ainda escreveu uma pequena poderosa mensagem aos homofóbicos que os agrediu:

“Obviamente, além de ser intolerante, vocês são covardes! Mas quer saber? Vocês sempre são impotentes! Você pode me bater e bater novamente, mas nunca irão conseguir tirar o sorriso do meu rosto e jamais conseguirão me fazer parar de amar o meu namorado mais do que qualquer um!”

Laith Ashley: o novo modelo trans que está dando o que falar.

 
 
 
Laith Ashley está ganhando espaço no mundo da moda, depois de ser a cara de uma campanha americana, fruto do seu agenciamento com Pêche Di, uma das primeiras agências para modelos trans.

De origem dominicana, Laith nasceu em Harlem, Nova Iorque, e ficou na boca do mundo quando publicou uma foto de roupa interior mostrando todos os seus atributos. Com o objectivo de “se tornar uma versão melhor e mais verdadeira“ de si próprio o modelo faz críticas à indústria da moda por se focar “em indivíduos com aparência cis”, afirmando que “precisamos de incluir pessoas com outro tipo de corpos.”

Aos 26 anos, Laith Ashley é licenciado em psicologia e, para além da visibilidade que traz pelos seus trabalhos como modelo, trabalha num centro comunitário fazendo acompanhamento a jovens trans sem-abrigo, lutando pelo seu acesso a cuidados de saúde.

Foi a sua experiência no contacto com jovens LGBT que o ajudou a iniciar o processo de transição em Janeiro de 2014, processo que confessa ser “muito stressante”. O seu maior sonho na área da moda é posar numa campanha da Calvin Klein e Tom Ford, mas Laith não esconde ser um sonhador e que luta por “um mundo onde as pessoas sejam mais bondosas e compreensivas, um mundo onde as pessoas não se aproveitem umas das outras”.
 
 
 
Laith Ashley não é o primeiro modelo, nem a primeira modelo trans que tem trazido visibilidade às pessoas trans no mundo da moda. Laith segue os passos da modelo brasileira Lea T, de Aydian Dowling que foi capa da Men’s Health, do polaco Oliwer Mastalerz e de Andrej Pejic.
 

Gay ganha na loteria e pais homofóbicos querem embolsar parte do dinheiro.

 
 
 
Um homem gay que ganhou na loteria a bolada de 15 milhões de dólares usou o site Reddit para perguntar quanto ele deveria dar de dinheiro para os seus país homofóbicos. Um usuário chamado “EuNaoQueroDesistir” disse que ele poderia doar parte deste dinheiro para a caridade e investir o restante. Ele também disse que no começou pensou em pagar a hipoteca dos seus pais mesmo depois de ser deserdado. “Eu sou um homem de 29 anos e eu ganhei na loteria. E isso é o bastante para eu não ter que trabalhar nunca mais se eu não quiser” ele escreveu.

O problema que os pais do cara querem 1/4 do valor depois que descobriram o total que o filho havia ganhado. Ele saiu do armário com 15 anos e isso fez com que seus pais ficassem 5 anos sem falar com ele.

“Eu não quero estragar a nossa relação, mas eu sinto que o estrago já está feito. Eu sinto que um monte de gente vai falar: fodam-se eles!”. Muitos que responderam a pergunta do ganhador, disseram que ele deveria doar o dinheiro para a caridade ao invés de dar para os pais.



Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...