Slide 1 Slide 2 Slide 3

CONFISSÕES DO DIVÃ









Os textos apresentados nesta seção buscam ilustrar situações, angustias, problemas e experiências vivenciadas por homens gays. Não são uma representação literal de histórias reais e sim textos fictícios que tem por finalidade apresentar possibilidades de enfrentamento para as questões representadas.

O Dr. Alexandre é formado em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atua como psicólogo clínico no Espaço Recontar na região de São José / SC. Fundamenta seu trabalho pelos princípios da Psicologia Sistêmica. Compreender os fenômenos psicológicos sistemicamente significa, literalmente, “colocá-los” dentro de seu contexto, estabelecendo a natureza das suas relações.

Você pode fazer perguntas e sugerir temas que nosso psicólogo responderá com todo prazer.
Bem, vamos ao tema de hoje:


Sofro Bullying no trabalho por causa da minha homossexualidade!   

Alexandre de Souza Amorim, Psicólogo
alexandresouza.psicologo@gmail.com





Sou representante de vendas em uma loja de aparelhos eletrônicos e há algum tempo venho sofrendo com algumas brincadeiras de um colega de trabalho. Embora eu nunca tenha assumido a minha homossexualidade no trabalho, nunca fiz muita questão de escondê-la. Porém esse colega vive fazendo insinuações para me constranger na frente de outros colegas e de nossos clientes. Ele fala coisas do tipo “O Ricky Martin ali pode te ajudar” ou “Chegou o Félix” – fazendo referências as personalidades Gays da realidade e da ficção. O maior constrangimento sempre acontece quando ele vem perguntar se eu tenho namorada, quando foi a ultima vez que transei com uma mulher e como eu costumava ‘fazer’ na hora. Sempre trocando olhares com as pessoas a nossa volta e fazendo esse tipo de pergunta com ar de deboche. Acho que estou ficando deprimido, não tenho vontade de ir trabalhar. O que posso fazer?         
                                                                                              
Leonardo, 37 anos 


O que Leonardo descreve ocorre com muitos homens gays no ambiente de trabalho, não é um fenômeno novo e tem nome: Assédio Moral.  É a exposição dos trabalhadores e trabalhadoras a situações de humilhação e/ou constrangimento, que costumam ser repetitivas e prolongadas durante a jornada de trabalho e no exercício de suas funções. Embora alguns pesquisadores apontem que ela seja mais comum em relações hierárquicas autoritárias e assimétricas, em geral de um ou mais chefes dirigida a um ou mais subordinado(s), ela também ocorre entre colegas de trabalho. As conseqüências são graves e constituem um risco invisível que costumam desestabilizar a relação da vítima com o ambiente de trabalho e a organização, forçando-o a desistir do emprego.           
 
É uma violência. E agir o quanto antes pode ajudar a evitar os efeitos nocivos que certamente recairá sobre a vida profissional e até pessoal da vitima. O primeiro caminho pode ser tentar conversar com o seu colega e relatar como você se sente e pedir para ele parar com as ‘brincadeira’.         

Caso a conversa não tenha efeito, um segundo caminho pode ser falar com o seu chefe e contar a situação. Se ainda assim nenhuma dessas atitudes foi suficiente para solucionar o problema, você pode optar por um terceiro caminho: abrir um processo judicial por assédio moral. É uma medida bastante extrema que pode ter conseqüências para ambas as partes.

O mais importante é você não permitir que a situação se prolongue. Em caso de dificuldades maiores ou no desenvolvimento de um quadro de depressão, procure por ajuda profissional.


.          


Poderá gostar também de:
Postado por Mac Del Rey | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...