Slide 1 Slide 2 Slide 3

HOMOSSEXUALIDADE

7 erros comuns em relacionamentos gays.




1. Relacionamentos Abertos



Enquanto quisermos ter vidas “interessantes e com muitas experiências”, o maior erro que um casal gay pode ter é um relacionamento aberto. Você deve aceitar que o que tem é suficiente para fazer as coisas funcionarem. Se achar que precisa de mais, melhor nem começar. Você e seu parceiro correm o risco de se apaixonar por outra pessoa, por haver mais química que com você. Embora três pessoas possa parecer ter mais opções, relacionamentos abertos estão sempre fadados ao fracasso uma vez que quando houver problemas entre os dois, eles serão resolvidos com uma terceira pessoa. Não recicle algo que você não irá usar novamente usando “aberto” como desculpa.

2. Carência


Outro erro comum: se apegar muito em pouco tempo. Até gêmeos, que nascem juntos, tomam caminhos diferentes na vida. Não é culpa do seu parceiro que você tenha problemas amorosos do passado ou familiares e também não é papel dele organizar os pedaços. Não há nada errado em amar demais, mas não esqueça sua voz, sua identidade, sua vida. Se você mostrar-se muito grudento, corre o risco de afastar seu parceiro.

3. Argumentação



Pessoas são diferentes e argumentamos e discordamos de muitas coisas todo tempo. Cedo ou tarde, o casal percebe isso. Mas argumentar demais pode ser bem tóxico. Não use desculpas sobre quão “forte, independente e cheio de personalidade” você é para vencer uma discussão. Respeite limites, respeite o outro, seu espaço e opiniões. Mesmo que ele não diga tudo que você queira ouvir, aprenda a ouvir e entender. Afinal, você o escolheu, certo? Não diga nada do qual você irá se arrepender depois. Palavras machucam mais que paus e pedras e dizer as coisas no calor do momento podem resultar na perda de alguém que você realmente ama. Se não for importante, deixe passar. Se for algo que você não tem controle, aprenda externalizar suas preocupações e manter o foco, sem exageros. Se vocês vivem em conflito, reavalie se ele é a pessoa certa pra você. Mas nunca destrua seu relacionamento com argumentações. nucna destrua seu relacionamento com palavras.

4. Ficar com alguém por conveniência (dinheiro, favores, apartamentos)



Não há nada de errado em morar com o namorado ou compartilhar conta bancária ou dinheiro. Mas há uma fina linha entre compartilhar e pegar mais do que você pode dar. Não entre em um relacionamento porque você precisa de estabilidade onde ele seja seu porto seguro. Aprenda a trabalhar por si mesmo, ganhar seu dinheiro e ter suas próprias coisas. Não há nada pior que terminar um relacionamento e ir pra rua sem nada porque tudo pertencia a ele. Homens podem parecer incríveis a primeira vista, mas com o tempo dá pra ver quem está com você por você ou pelo que você tem. Fique com alguém porque você ama, não porque pode te dar coisas de luxo.

5. Ir pra balada juntos



A maioria pode discordar, mas esse é o erro mais comum de todos. Balada não é e nunca foi o mellhor lugar para passar tempo com seu namorado. Pode parecer inocente e divertido, mas inclui também bebidas e MUITA gente gata e gostosa e disponível (dependendo de onde vocês vão, claro). Você pode dizer que seus olhos são só pra ele e ele dizer o mesmo pra você, mas há muita distração e muita gente pronta pra flertar sem medos com ambos individualmente. Algumas pessoas vão pra balada pra encontrar alguém pra transar. Se você não está lá pra conhecer gente, não finja que é pela música. Infelizmente, na comunidade gay há pessoa que não respeitam o relacionamento alheio e, ainda que tudo seja uma questão de confiança, não parece legal ver seu namorado ter alguém se esfregando nele na sua frente. Bares, cinemas, teatros: tem tanto lugar diferente e mais conveniente. Nesses lugares você pode ir ao banheiro tranquilo. E seu namorado também ficará tranquilo onde estiver.

6. Colocar status de relacionamento no Facebook.



Parceiro, saiba: colocar status de relacionamento no Facebook dá mais dor de cabeça que solução. Por que? Porque você e seu namorado verão suas solicitações de amizade crescendo apenas pela curiosidade alheia de saber quem está com você (e com ele). Algumas pessoas até tem prazer em flertar com gente envolvida com outra pessoa. Não me pergunte porque elas fazem isso, mas é um fato. E você pode ficar realmente chateado com essa galera comentando e curtindo e dando mole pro seu namorado online na sua cara. Como no caso da balada, tem gente que realmente tá nem aí. Algumas pessoas sentem maior atração por coisas que não podem ter e farão de tudo para te-las. Pre-pa-ra! É melhor ficar quieitinho sem mudar o status de relacionamento e confiar no seu parceiro. Depende de você.

7. Não deixar seu parceiro sair com outros amigos



Ele é seu namorado, não sua propriedade. Controlar o namorado é um dos maiores erros na história dos relacionamentos. Enquanto uns não se importam em ter uma coleira, tem gente que realmente precisa de espaço. É nesse momento que começa a confiança. Se você não confia em deixar seu namorado sozinho com amigos, desculpa, mas ele não é pra você. Um bom namorado deve te fazer sentir seguro, saber que você está ali pra ele mesmo quando não estiver por perto. Mesma coisa com senhas e emails. Ele tem a vida dele, você a sua. Algumas coisas você fazem juntos, outras separados.

Fonte: Revolutionary Gay Magazine

Nova camisinha feita com hidrogel aumenta o prazer e combate o vírus HIV.



Um preservativo desenvolvido no Centro de Ciências da Saúde da Universidade do Texas, nos EUA, por pesquisadores norte-americanos e indianos promete aumentar o prazer e ao mesmo tempo ajudar no combate ao vírus HIV. Financiado pela Fundação Bill Gates, o produto quer aumentar a adesão ao uso das camisinhas, fundamental na prevenção de DSTs e prevenção da gravidez.
 
O preservativo não leva látex, é feito de um polímero de hidrogel - material usado em lentes de contato - e traz cápsulas com antioxidantes vegetais que ao contato com a pele e mucosa aumentam a sensibilidade das terminações nervosas e ainda agem como bloqueadores do HIV, e ainda tem poder de combater germes e bactérias, em caso de rompimento da camisinha. O protótipo já está em teste e deve chegar no mercado no prazo de um ano. O projeto recebeu US$100 mil da Fundação Bill Gates, ao vencer com outros 9 projetos um desafio proposto pelo instituto com objetivo de produzir um preservativo barato e capaz de driblar o mito de que o preservativo tira o prazer e ainda os tabus culturais que fazem com que jovens não usem a camisinha em todas as suas relações sexuais.

Justiça da Turquia define sexo oral, anal e entre homossexuais como antinatural.



Segundo a imprensa internacional, a Suprema Corte da Turquia fez uma definição jurídica de “sexo natural”, dentro de uma ação aberta em 2014, que assinala que as relações homossexuais e o sexo oral são condutas antinaturais.

“O comportamento sexual natural dos seres humanos é a relação sexual de um homem com uma mulher por meio da união de seus órgãos sexuais”, assinalou o veredicto, publicado pelo jornal “Cumhuriyet”.

Como contraposição, o alto tribunal indicou que condutas não naturais são “o sexo em grupo, as relações homossexuais, o sexo com animais e todo tipo de comportamento sexual anal e oral”.

O Supremo pediu uma pena maior para um homem que foi flagrado em seu escritório com vídeos de conteúdos transexual, lésbico e anal, o que seria uma “amostra de relações sexuais contra natura”. Embora o tribunal não tenha indicado a pena imposta nesse caso, se sabe que ele foi julgado por um artigo que pune armazenar material pornográfico “anormal”.

O jornal criticou a Corte por igualar as relações homossexuais, orais e anais com a zoofilia, o que transgride decisões anteriores do próprio Supremo.

Selcuk Candansayar, professor da Faculdade de Medicina da Universidade Ghazi de Ancara, também criticou a decisão. Ele disse à Efe que o problema é o tribunal reivindicar para si a definição do que é natural e do que não é.

“O Supremo considera toda forma de relação sexual que não sirva para a reprodução como antinatural e a criminaliza”, indicou Candansayar.

“Cumhuriyet” classificou a decisão de escandalosa e lembrou que é contrária outra da autoridade estatal islâmica da Turquia, a Diyanet, que despertou uma grande controvérsia no país.

Ao responder uma consulta pública divulgada em seu site , a Diyanet indicou que os desejos sexuais de um pai por sua filha poderiam não ser pecaminosos, embora não haja unanimidade sobre isso entre as diferentes escolas do islã.

“Para alguns, que um pai beije sua filha com luxúria ou a acaricie com desejo não tem nenhum efeito sobre o casamento do homem”, indicou a instituição.

Após uma forte onda de críticas, a Diyanet, que equivale a um Ministério da Religião, retirou essa resposta de seu site e disse que sua explicação tinha sido tirada de contexto.

A oposição laica e várias organizações civis criticam seguidamente o governo islamita que dirige o país desde 2002 e que impõe suas visões religiosas, invadindo o espaço privado dos cidadãos.

Monge exemplar



O templo budista Shunkoin, em Hanazono, Kyoto, passou a realizar casamentos gays desde o ano passado, apesar do Japão ainda não legalizar o casamento gay, embora alguns distritos de Tóquio já o reconheçam. A iniciativa é do monge Taka Zenryu Kawakami, responsável pelo templo, que se descreve como uma pessoa que tinha preconceito quando jovem mas que hoje entende a comunidade LGBT. Depois de viver por oito anos nos EUA e estudar Psicologia e Estudos Religiosos na Universidade do Arizona, o reverendo passou a compreender a homossexualidade como natural.

Estima-se que 8% da população japonesa seja LGBT. Segundo o religioso, os textos sagrados do Budismo Mahayana não contradizem o casamento gay e a homofobia é um conceito Ocidental pois no Oriente todos são iguais, e assim era até a Era Meiji.

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...