Slide 1 Slide 2 Slide 3

MINHA VIDA GAY

“Nunca quis usar rosa” diz modelo trans que será capa da Men’s Health Alemanha.




Benjamin Melzes é um modelo fitness alemão de 27 anos que está chamando a atenção de todos por ter vencido o concurso para ser capa da edição de Abril da Men’s Health da Alemanha, o primeiro do país. Nascido Yvonne, ele começou a transição física aos 23 anos e conta que a oportunidade de ter sua história contada na revista representa uma chance para ajudar pessoas que também vivem a complexidade de ser transgênero em qualquer lugar do mundo.
 
Quando criança, ainda Yvonne, sabia que odiava rosa, um dos símbolos supremos sobre ser menina. Ele sabia que havia algo de muito errado. “Nunca fui uma menina normal. Assim que pude começar a pensar, não queria saber de rosa", conta. Ao passo que crescia, as dúvidas aumentavam em sua cabeça em um turbilhão de perguntas sem respostas. Não ter com quem conversar foi um dos maiores desafios enfrentados pelo transexual. “Quando eu estava naquela situação, eu não tinha pessoas com quem conversar, ou para quem perguntar sobre todas as minhas dúvidas. É esse alguém que quero ser. Quero ser uma cara para a comunidade, quero lutar e responder essas perguntas para as pessoas. Se tiver ao menos uma pessoa a quem eu possa ajudar, terei me realizado”, desabafa.
 
O modelo começou a passar pelo processo de readequação física aos 23 anos, com hormônio, mastectomia e cirurgia de adequação sexual. Ele revela que por causa desse processo complexo, demorado e doloroso, teve que abrir mão do seu lado fitness e esportista. Apenas 3 anos depois, com a idade de 26, conseguiu voltar a se dedicar ao seu treinamento e dieta, atingindo o sucesso que gostaria.
 
O seu próximo passo foi participar do concurso da Men’s Health. Ele se inspirou no ícone trans Aydian Dowling, que foi o primeiro modelo transexual a ser capa de uma Men’s Health do mundo, essa saiu nos Estados Unidos em outubro, e o modelo fitness trans dividiu a capa com outros quatro concorrentes do concurso ao qual ele foi o mais votado. “Eu falei com ele, e ele me incentivou a me inscrever na competição”, conta.

 Professor gay faz vaquinha depois de ter vídeo erótico vazado e perder emprego.




Um professor do ensino médio de uma escola de Little Rock, no Arkansas, EUA, teve um vídeo íntimo, onde praticava sexo consensual com outro homem, postado no site da escola para que todos os alunos, profissionais e pais pudessem acessar. Aos 29 anos, Brian Cody Bray perdeu o seu emprego na Maumelle Charter High School depois que um hacker conseguiu acesso aos seus arquivos do Drop Box, e-mail e outras redes.

Ele estava em casa quando um membro do quadro administrativo da escola o telefonou informando sobre o vazamento do vídeo. O professou conta que lembra de ter passado mal logo depois de desligar o telefone. O primeiro pensamento foi: “Isso é algo que vai ter um impacto direto em toda a minha carreira e minha vida. O que eu vou fazer agora?”. Ele revela que tentou explicar o crime para a diretoria da escola, inclusive provando que o nome da pasta do DropBox onde o vídeo estava hospedado fora mudado de Private para FagTeacherBray - Fag é uma palavra comumente usada nos Estados Unidos para depreciar homossexuais.

Brian concorda com a sua demissão, uma vez que havia perdido a autoridade sobre os alunos, mas discorda da iniciativa da escola em não pagar os seguros desemprego e afirmar para toda a comunidade que o vazamento era culpa dele. Depois de vencer uma tentativa da escola em revogar o seu diploma profissional e licença, Bray contou com a ajuda de uma campanha de financiamento coletivo, no site GoFundMe, para se sustentar e pagar suas dívidas. Ele arrecadou mais de 14 mil dólares de internautas solidários.
Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...