Slide 1 Slide 2 Slide 3

MINHA VIDA GAY

Vídeo de decorador parando o trânsito para pedir namorado em casamento viraliza.


Fabricio e Hernane estão juntos há 6 meses e se conheceram por meio de um aplicativo


Vídeo compartilhado na internet acumula 300 mil visualizações. Noivos de Franca, SP, planejam cerimônia para agosto de 2017.

Um pedido de casamento de parar o trânsito é o que deseja muita gente apaixonada. Em Franca (SP), o decorador de eventos Fabricio Roque não só parou a rua com o clima de romance, como conseguiu fazer da data o dia mais especial da vida dele e do namorado, Hernane Amaral. “Foi emoção total”, diz o vendedor.

Publicado na internet, o vídeo com o pedido de casamento no meio da rua já acumula 300 mil visualizações.

O plano para o pedido
Fabricio e Hernane começaram a namorar em agosto do ano passado, após saírem de relacionamentos de longa data. A vontade de estar junto e de oficializar a união era tanta que, em dezembro, Fabricio tomou a decisão que mudaria a vida dos dois: resolveu pedir Hernane em casamento.

Foi em 6 de dezembro, dia em que Hernane celebrou o aniversário de 30 anos. Os preparativos começaram três dias antes. Como queria algo especial, Fabricio reuniu amigos e colegas de profissão para criar placas simulando telas de celular. Nelas estavam mensagens trocadas por celular de quando o romance começou.

"A gente já tinha conversado sobre casar, mas o pedido oficial ainda não tinha sido feito. Foi uma correria, mas facilitou por que eu já conhecia a equipe para fazer todo o material", diz Fabrício.

A ideia era parar o carro em que Hernane estava no meio da rua e surpreendê-lo com o pedido. No dia marcado, Fabrício fingiu ter esquecido o aniversário do namorado. “Achei estranho ele marcar uma reunião de trabalho no dia do meu aniversário, fiquei chateado”, diz Hernane ao lembrar que Fabricio não fez sequer menção de comemorar a data.
Amigos do casal param o trânsito e exibem mensagens trocadas por celular durante o namoro

A surpresa no meio da rua
Mais tarde, Fabricio telefonou para o namorado e disse para que ele se arrumasse e que iria buscá-lo. “Pensei que fosse me levar para almoçar. Entrei no carro e vi a câmera lá dentro, eu estranhei completamente. Ele me disse que eu teria um aniversário que eu nunca mais ia esquecer”, conta Hernane.

Ao pararem em um semáforo, um mágico surgiu na frente do carro e tirou fitas coloridas de dentro da cartola. Ele entregou um cupcake a Hernane, desviando a atenção. Enquanto isso, 11 amigos do casal se posicionaram lado a lado na faixa de pedestres, segurando cartazes com reproduções da história dos dois.

No momento em que Fabrício se uniu ao grupo, os amigos viraram os cartazes um a um até que foi formado o pedido: “quer casar comigo?”.

Hernane diz que quando viu o mágico, pensou que fosse apenas uma brincadeira, mas o coração bateu mais forte ao ver as placas com o pedido. "Compensou toda a tristeza da suposta reunião, de ele não ter me falado nada quando deu meia-noite. Valeu muito à pena.”

O pedido de casamento de parar o trânsito recebeu sim como resposta. O vendedor não esconde a felicidade de estar noivo. “Foi uma surpresa que eu não imaginava mesmo, não desconfiava jamais. Foi emoção total. Eu fiquei sem palavras. Eu imaginava qualquer coisa, mas isso foi demais”, afirma.

A cerimônia do casamento vai precisar esperar, mas já têm data marcada com festa e cartório para agosto do próximo ano, quando completarão dois anos juntos. “Tudo aconteceu rápido, mas a gente tinha certeza do que queria. Tivemos uma ligação muito forte e tudo foi muito intenso”, diz Fabricio.

Manifestantes chegaram a protestar contra participante de reality show que assumiu homossexualidade.


A violência doméstica também é um dos problemas sofridos

A Albânia é considerada um dos países mais homofóbicos da Europa e até a década de 90, quem era homossexual era preso. E o país é o palco do documentário "A luta de ser gay na Albânia", produzido pela "Vice Grécia".

A produção mostra a realidade e depoimentos surpreendentes de ativistas do movimento LGBT e de pessoas que são contra esses direitos. No vídeo, por exemplo, há declarações de pessoas que acreditam que gays não deveriam ter liberdade de expressão.

“Por isso que essas pessoas exigem direitos. Em grande parte é porque essas pessoas não são perseguidas, presas ou demitidas”, disse Murat Basha, membro de um partido nacionalista monarquista, o PLL. A opinião dele, segundo o documentário, é a mesma da maior parte do país.

Em uma das histórias, um participante do reality show assumiu sua homossexualidade publicamente em 2010. Após a exposição, moradores da cidade do rapaz protestaram pedindo sua expulsão do programa. “Ele não é albanês, não tem sangue albanês”, diz um dos manifestantes.


A Albânia é considerada um dos países mais homofóbicos da Europa

A violência doméstica também é um dos problemas sofridos por gays na Albânia. Segundo a produção, homossexuais são negligenciados por sua orientação sexual.

Por outro lado, o documentário “A luta de ser gay na Albânia” também mostra casos considerados como raros, onde há aceitação dessas pessoas na família.

É o caso de Kristi Pinderi, que chegou a morar com o filho e seu namorado. "A mãe protege o filho mesmo quando ele é criminoso, quando ele mata. Por que isso é ruim? Por que ele é gay?", diz Kristi.

Ela revela ainda que no começo brigava pois o filho saía constantemente. "Acima de tudo, tenho orgulho pelo o que ele é, porque ele não vive uma mentira", completa.

Veterano obtém dispensa honrosa seis décadas depois de ser expulso do Exército por ser gay.


Donald Hallman

Um veterano de Ohio obteve uma dispensa honrosa seis décadas após ter sido dispensado do Exército por ser gay

Com a ajuda da Stonewall Columbus, uma organização que luta pelos direitos das pessoas LGBTs e do senador Sherrod Brown, membro do Partido Democrata, Donald Hallman, agora com 82 anos, recorreu ao Conselho de Revisão do Exército para mudar seu status de dispensa em junho passado.

Filho de um minerador de carvão que cantava no coro da igreja na área rural do Alabama, Hallman contou que, após a dispensa, nunca mais mencionou o serviço militar. Ele se casou com uma mulher que conheceu no trabalho, teve filhos e, aparentemente, levava uma vida normal.

“Eu me escondi dele (serviço militar) porque ele havia arruinado minha vida”, disse Hallman em uma entrevista em sua casa.

“Eu cheguei num ponto em minha vida onde ninguém mais pode me machucar. Eu não me importo mais se as pessoas vão saber ou não, eu quero apenas mostrar que eu era uma pessoa honrada.”

Na sexta-feira, 29, a Stonewall Columbus escreveu no Facebook: “Estamos muito orgulhosos de anunciar que o veterano Donald Hallman recebeu sua dispensa honrosa após ter sido dispensado com status de “indesejável” e ser expulso do Exército em 1955.”

A Associated Press também informou, na sexta-feira, que Hallman havia recebido a dispensa honrosa. Ele serviu de 1953 a 1955, noticiou a AP.

O Presidente Barack Obama revogou a regra que proibia os militares de revelarem sua orientação sexual (Don’t Ask Don’t Tell), em 2010, no entanto, antes da alteração ser feita, estima-se que cerca de 100.000 membros do serviço militar foram expulsos do Exército por serem gays. E, como se já não fosse o bastante, além da dispensa desonrosa, há também a perda de benefícios.

“Aqueles que serviram ao país, mesmo quando ele não os apoia, merecem o nosso maior respeito e honra, e nós devemos isso a eles, fazer a atualização do seu estado de dispensa é tão eficiente quanto possível”, disse o Senador Brown em um comunicado no mês passado.

Em um vídeo postado por Stonewall Columbus em novembro, Hallman disse que estava ansioso pela possibilidade de ter o seu status de dispensa mudado para “honroso”.

“Eu vou ficar muito feliz quando a conclusão chegar ao fim e eu receber minha dispensa honrosa”, disse Hallman no vídeo. “E eu espero que isto aconteça com todas as outras pessoas que foram maltratadas.”

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (1) Comente aqui!

Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...