Slide 1 Slide 2 Slide 3

CONFISSÕES DO DIVÃ






Os textos apresentados nesta seção buscam ilustrar situações, angustias, problemas e experiências vivenciadas por homens gays. Não são uma representação literal de histórias reais e sim textos fictícios que tem por finalidade apresentar possibilidades de enfrentamento para as questões representadas.

O Dr. Alexandre é formado em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atua como psicólogo clínico no Espaço Recontar na região de São José / SC. Fundamenta seu trabalho pelos princípios da Psicologia Sistêmica. Compreender os fenômenos psicológicos sistemicamente significa, literalmente, “colocá-los” dentro de seu contexto, estabelecendo a natureza das suas relações.

Você pode fazer perguntas e sugerir temas que nosso psicólogo responderá com todo prazer.
Bem, vamos ao tema de hoje:


Será que o telefone pode acabar com o meu namoro?

Alexandre de Souza Amorim, Psicólogo
alexandresouza.psicologo@gmail.com


 


Oi... Namoro a 3 anos e apesar de alguns conflitos (normal de toda relação) eu sempre foi muito feliz com meu relacionamento. Porém há alguns meses percebo que estamos brigando mais. Meu namorado vive reclamando que eu uso excessivamente o meu celular. Tento aliviar, mas é só eu pegar o aparelho na mão e as discussões começam. Como eu também me sinto prejudicado eu as vezes me afasto e deixo ele falando sozinho. Eu sinceramente não faço nada demais, eu fico apenas vendo meus e-mails e olhando as minhas redes sociais. Leio reportagens, vejo vídeos e pouco converso virtualmente com outras pessoas. De todo modo, ele tem livre acesso ao meu celular, eu não escondo nada dele e nem tenho o que esconder. Eu o amo muito. Mas começo a ficar preocupado com tantas brigas... Será que o telefone pode acabar com meu namoro?
Fábio, 27 anos

           
Oi Fábio. Os smartphones vieram para ficar e cada vez ocupam um lugar maior em nossa vidas. A maioria das pessoas já encontra-se completamente dependendo dessa tecnologia: Acesso as mídias virtuais em qualquer lugar, agenda, e-mail, Whatsapp, lembretes, listas de compras, fotografias e mais um número gigantesco de aplicativos que facilitam a vida diariamente.


No entanto, não é raro que esses aparelhos roubem a atenção daquilo que realmente é essencial.

Sejamos sinceros: Quantas vezes você já deixou de focar-se em uma conversa importante ao desviar a atenção para o aparelho? Quantas vezes você tentou só verificar os e-mails e ficou horas respondendo mensagens no Whatzapp, olhando o Facebook, o Instagram e o Snapchat? Quantas vezes deixou o seu namorado “pendurado” enquanto você estava “chapado” com o seu smartphone?

A queixa do seu namorado é um fenômeno que atinge muitos outros casais, associado a um sentimento de desprezo por parte do companheiro.

O telefone por muito tempo será uma ferramenta importante, mas não vale a pena ignorar o óbvio: O uso em excesso é prejudicial. Cuidado com a falsa segurança de que você tem tudo sobre controle, isso não é tão fácil quanto parece.

É preciso fazer escolhas conscientes e utilizar os aparelhos de maneira que não prejudiquem suas relações afetivas. Veja como você pode por isso em prática com alguns pequenos passos:

1) Planeje atividades sem o celular:

Você já experimentou o sentimento de ansiedade ao perceber que esqueceu o telefone em algum lugar? Isso só mostra o quanto seu namorado tem razão e que o aparelho tomou grande importância na sua vida. É sobre isso que estamos falando, torna-se prejudicial quando lhe impede de viver os momentos com mais intensidade. Experimente ler um livro, ver um filme, fazer uma caminhada com seu namorado livre de quaisquer notificações, mensagens ou telefonemas. Repare nas sensações que surgem nesses momentos.


2) Desconecte-se do aparelho pelo menos 30 minutos antes de deitar:

A maior parte das pessoas já está habituada a adormecer com os celulares na mão ou ao lado da cama. Usam a desculpa de que eles funcionam como despertador para camuflar a dificuldade de manter-se longe do aparelho. Já foi comprovado cientificamente que a luz emitida por esses aparelhos é prejudicial ao nosso sono. Além disso, o uso do aparelho antes de deitar, impede que você consiga relaxar progressivamente e ter uma noite de sono adequada.


3) Sempre que possível, desligue as notificações:

Torne um habito desligar o wi-fi, se possível os aparelhos, antes de deitar. Saiba o quanto é importante estar “mesmo” lá para as pessoas de quem gosta. Se o aparelho não apitar, é menos provável que se sinta tentado a interromper um momento de descontração para conectar-se ao mundo virtual e deixar novamente de lado o que realmente importa.




Poderá gostar também de:
Postado por Mac Del Rey | (4) Comente aqui!

4 comentários:

  1. Este conflito pode ser ciume excessivo ou doentio que tambem aparece nos casais heterossexuais. O problema, na questao, nao e o telefone e sim de seu parceiro. Muitas vezes, num relacionamento, o sentimento de `posse``do outro e falta de confiança do mesmo causam enormes transtornos. Atualmente, a utilizaçao de celulares e´constante e para variadas finalidades Recomendaria no caso, ajuda profissional para o parceiro com ciume excessivo ou partir pra outra.

    ResponderExcluir
  2. Com Certeza ele já percebeu o dragão que é vc.! Então deve estar procurando substituto bem gostoso e lindo..!

    ResponderExcluir
  3. Fábio, se seu namorado chegou ao ponto de ter ciume do celular, é porque ele acha que você não dá atenção suficiente a ele, pelo seu relato não deu a entender que era possessividade. As coisas que você relatou que não faz nada demais no celular (vendo seus e-mails, olhando as redes sociais, Ler reportagens, ver vídeos) muitas vezes tomam muito tempo. Apenas tente dar mais atenção a ele, namorar mais, aí talvez ele nem reclame mais do celular.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...