Slide 1 Slide 2 Slide 3

CONFISSÕES DO DIVÃ




POSTAGEM 100

É como muita alegria que hoje estamos postado o texto Nº 100 dessa seção. Somos muito gratos ao Dr. Alexandre Amorim por nos trazer relatos e análises tão substanciosas e esclarecedoras, que tem sido ajuda para muito de nossos leitores. Obrigado, Dr. Alexandre. Que venham mais 100!!!



Os textos apresentados nesta seção buscarão ilustrar situações, angústias, problemas e experiências vivenciadas por alguns homens gays. Não existem experiências universais, comuns a todos os homens gays, cada um de nós é constituído e atravessado por diversas características que tornam a sua experiência única. 

Nossa principal ideia aqui é pensar em possibilidades de enfrentamento para as questões aqui representadas, que em menor ou maior grau podem ser semelhantes com alguma das histórias vivenciadas por você. Essas histórias não são uma representação literal de histórias reais e sim textos fictícios.

O Dr. Alexandre é formado em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atua como psicólogo clínico no Espaço Recontar na região de São José / SC. Fundamenta seu trabalho pelos princípios da Psicologia Sistêmica. Compreender os fenômenos psicológicos sistemicamente significa, literalmente, “colocá-los” dentro de seu contexto, estabelecendo a natureza das suas relações.

Você pode fazer perguntas e sugerir temas que nosso psicólogo responderá com todo prazer.
Bem, vamos ao tema de hoje:


Meu namorado não tem pegada... Tem solução?

Alexandre de Souza Amorim, Psicólogo
alexandresouza.psicologo@gmail.com


 

Doutor, não estou muito satisfeito com meu relacionamento. Pode parecer coisa pequena mas eu gostaria que meu namorado falasse frases bagaceiras e tivesse mais atitude na hora do sexo. Eu queria que ele tivesse a famosa "pegada"!!! Quero que ele fale fantasias, que fizesse coisas diferentes e inesperadas, que fôssemos um pouco além do nosso tradicional sexo anal, etc. Namoramos há pouco tempo e não sei como abordar o assunto com ele. Acho que ele não teve muitas experiências sexuais, sou seu primeiro namorado. Ele é 3 anos mais novo que eu. Às vezes para mudar de posição ele me pergunta: você quer ficar por cima agora? Nossa! Para mim esse é o fim, perco todo o tesão! Eu já tentei falar na hora do sexo: não precisa perguntar, você manda agora... faça o que quiser... o que estiver mais afim de fazer comigo e nada acontece! Mesmo assim ele não se solta. Será que é insegurança por eu ser um pouco mais velho e mais experiente? Essa falta de pegada tem solução? Como abro este canal de diálogo com ele? Obrigado.

Marcelo, 26 anos

           
Olá Marcelo.

Começo destacando que é muito bom que você esteja procurando meios para melhorar a sua relação ou mesmo para se satisfazer. Esse é um ponto fundamental que ajuda a manter o bem estar na relação.

O que você chama de “famosa pegada”, sabemos que é algo que vai muito além da pegada física firme. É um conjunto de atitudes, de comportamentos.

São comportamentos que transmitem segurança para o parceiro, é a forma de pensar, de conduzir a relação, é fazer o parceiro sentir firmeza a ponto dele se entregar e saber se estará em boas mãos.

Algumas pessoas, também associam a pegada um certo ar de dominador na hora do sexo. Para essas pessoas é muito bom ouvir do parceiro na hora do ato sexual palavras e frases picantes, que as excitem, que as faça se sentirem “dominadas”. Isso excita. Isso é também uma ótima “pegada”.

No entanto, ninguém nasce sabendo ter essa tal “pegada”, mas sim, precisamos desenvolvê-la. Isso em geral ocorre por meio das próprias experiências e vivências. Mas, como nem todo processo de aprendizagem é fácil e nem todas as pessoas conseguem desenvolver essa “habilidade” (vamos chamar assim). Esse parece ser esse o caso do seu namorado.

Pode parecer muito estranho para você e/ou para ele que alguns homens precisem de um “empurrãozinho” para aprenderem a ter a “pegada”. Para os dois lados fica estranho. Mas, se é uma relação e vocês pretendem continuar juntos, e se isso é algo muito importante para você, o que fazer, se não ajudá-lo a entender como você gosta?

Mas lembre-se que todos temos limites, e pode ser que isso não é o que excita seu parceiro. Isso precisa ser investigado. A qualidade e a liberdade do diálogo vão se estabelecendo aos poucos. Você precisa tomar a iniciativa e conversar com ele o quanto antes. Não permita que alguns assuntos se tornem um tabu entre vocês. A maneira mais fácil é ir direto ao ponto com palavras simples e disponível para ouvir o que o outro tem a dizer.

 


Poderá gostar também de:
Postado por Mac Del Rey | (1) Comente aqui!

Um comentário:

  1. Aos poucos vocês vão aprimorando e as coisas vão se encaixando...
    Pode ser que ele tenha algun bloqueio ou é inexperiente.
    Ele não tem bola de cristal para adivinhar o que vc quer, e/ou espera do ato sexual.
    Diálogo é fundamental.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...