Slide 1 Slide 2 Slide 3

CONTOS DO LEITOR



O Lobo me Comeu
(Parte III)

 Por Thi


 


Um sábado a tarde, fazendo um calor danado, eu recebo uma visita, era o lobo, ele estava na porta de bermuda vermelha e uma camiseta e óculos.
- Oi tudo bem.
- Sim.
- Desculpa tava passando aqui perto e resolvi te visitar.

Ele entrou em casa, e ficamos conversando de boa na cozinha, havíamos trocado ideias e falando da nossa vida, comentei com ele que com o calor ia tomar um banho de mangueira na varanda.
- Ta falando serio?
- Sim, só ta so eu em casa, e queria amenizar o calor.

Ele me olhou surpreso, acho que ele deve ter achado que era coisa de pobre, mas logo respondeu:
- Uai, eu posso ir junto também.
- Ah claro.

Nós caminhamos ate a varanda da frente, tranquei a porta, liguei a mangueira, já estava de bermuda, ele tirou a roupa e ficou de cueca branca, liguei a banheira e começamos a nos banhar. O sol estava muito quente, mas a água estava gelada, deu para refrescar bem neste dia, ficamos molhando um ao outro e ate fizemos guerra de água, tudo estava calmo até que o lobo me entrega a mangueira e depois tira a cueca, ele coloca do num dos galhos da arvore, depois pegou a mangueira e começou a jogar a água de cabeça, deixando cair no seu corpo. Reparei que ele já estava mais forte, tinha peitos e braços grandes e seu abdômen já estava ficando em forma, por baixo dos seus pelos lisos. Seu pau estava meio duro, mesmo assim aquilo me deu um tesão e fiquei parado olhando ele, com água na boca e meu pau ficando duro, ele olhou para mim e disse:
- O que foi?
- Eu... eu... eu to só admirando a paisagem.
- Então vem aqui experimentar a paisagem.

Ele me puxou pelo braço e começou a me beijar, fiquei louco de tesão, deixou a mangueira cair e me apertou e me beijando, seu pau começou a ficar mais duro e o meu já estava ainda mais depois que ele apertou a minha bunda.
- Vai deixar eu comer essa bunda de novo?
- Claro, ela e toda sua.


 

Continuamos a beijar, ate ele arrancar a minha bermuda, pediu para eu ajoelhar, fiz isso e chupei o seu pau, nesta hora o pau dele terminou de crescer na minha boca, ficou em pé e duro, sua cabeça estava pulsando de duro e eu adorava e continuava a chupar.
Chupei muito o pau do meu lobo, até ele me levantar e começar a me chupar também, a boca dele era macia e gostava quando a barba dele roçava nas minha bolas, aquilo me dava um tesão danado.
- Vira pra mim, me deixa chupar seu cu.



 

Virei de costa, e ele começou a morder a minha bunda, depois abaixei um pouco, segurando na arvore e deixei-o enfiar a sua língua. Primeiro ele começou a da uma lambida rápida no meu cu, depois ele tentou colocar a língua lá dentro e balança, às vezes ele enfiava o dedo, quando terminou ele foi subindo beijando as minhas costas ate morder a minha orelha, reparei que ele estava com o pau bem na portinha do meu rabo, eu já tava empinando a minha bunda pra entrar, até o lobo com sua barba mordeu a minha orelha, aquilo me fez empinar mais a minha bunda, foi a  hora que ele enfiou o seu pau todo dentro de mim.

Senti uma dor enorme quando o seu pau entrou, estava bastante duro, segurei o grito, por causa dos vizinhos, mas ele percebeu que foi forte e me falou:
- Esta tudo bem?
- Tá, só não enfia tudo desse jeito não.
- Tudo bem, posso continuar?
- Devagar sim.

Seu pau estava lá dentro, sentia ele piscando, o lobo começou devagarzinho a tirar e depois colocar, enquanto beijava meu pescoço. A dor no inicio começou a diminuir e comecei a sentir mais prazer com aquele entrem e sai dentro de mim, pedi pra ele ir mais rápido, e o meu lobo logo fez a minha vontade, foi aumentando a velocidade, até chegar o ponto que ele abaixou o meu tronco e meu com toda força, ferozmente, podíamos ouvir a batida do quadril na minha bunda, com tanta força que ele enfiava e era gostoso, adorava aqui. Ficamos ali naquela posição, eu meio de quatro e ele segurando na minha cintura me comendo com toda vontade e fome de um animal. Até ele parar e depois falar.
- Senta na minha pica.
- Oks.

Estávamos num lugar ruim, a varanda era de cimento, iríamos nos machucar, achei melhor pegar uma cadeira, coloquei no meio da varanda, ele sentou na cadeira, de uma forma que o seu pau estava tão duro e reto que ficou perto da barriga, eu só peguei ele, deixei um pouco levantando e depois sentei nele. Delicia foi sentar nele, gostava assim duro e forte, coloquei as minhas mãos no seus joelhos, e comecei a cavalgar na sua tora dura, enquanto meu pau batia no seu peito. Tentava fazer na mesmas velocidade que ele me metia de quatro e o lobo adorava.

Eu fechei o os olhos e fiquei cavalgando e sentido o seu pau, duro entrando e saindo de mim, fiquei sentindo aquilo ate sentir algo frio caindo encima de mim, abrir os olhos ele tinha pegado a mangueira e estava jogando água em nós dois. O frio da água não incomodava, mesmo porque estávamos debaixo do sol, ela vinha e refrescávamos mais e ajudava no tesão, que nesta hora estava forte. A água me deu mais estimulo para pular na vara dele, que as vezes beijava o meu pescoço. Aquilo ficou num fogo nós dois que nem a água gelada estava esfriando o tesão estava ficando demais, eu cavalgava no pau do lobo deliciosamente, até a hora que ele disse:
- Vou gozar cara?
- Quer gozar na minha boca?
- Não quero gozar aqui dentro mesmo.

O lobo falou dando algumas palmas na minha bunda, depois colou as mãos na cabeça e fez uma cara de safado, eu simplesmente continuei a cavalgar no pau dele e ficava vendo a sua cara de safado mordendo ate os próprios lábios até a hora que ele tombou a cabeça um pouco para trás, começou a enrijecer o corpo, os braços ficou de lado da cadeira e gemeu, como se fosse um lobo feroz e alta, depois disso pude sentir o seu gozo quente dentro do meu rabo, aquilo era gostoso, continuei a cavalgar, para tirar o resto da porra de dentro dele e deixa-la dentro de mim, quando ele levantou a cabeça eu parei.
- Quer gozar?
- Sim.


Ele pegou no meu pau e começou a bater pra mim, no seu peito, eu coloquei as mãos deles no meu pescoço, era gostoso ver o peito cabeludo e os braços forte me batendo, enquanto sua vara estava ainda dura dentro de mim. Gozei na hora, sem dó, soltei porra no peito dele todo e ainda caiu um pouco na sua barba. Eu lambi a porra que tava na barba dele e depois o beijei. Depois disso ele disse:
- Eita, o que uma bunda gostosa e capaz de fazer.
- Complementando com uma vara gostosa como a sua, e capaz de muito mais.
Eu dei mais alguns beijos e ia levantar, mas ele me segurou e falou:
- Perai, deixa ele mais um pouquinho ai dentro, deixa eu sentir um pouquinho mais.


 

O pau do lobo ainda continuava duro, meu cu estava dolorido, mas preferir continuar sentado ali, não trepamos de novo, ficamos nos beijando, debaixo do sol, enquanto molhávamos com a mangueira para refrescar e continua beijando.

FIM

Poderá gostar também de:
Postado por Mac Del Rey | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...