Slide 1 Slide 2 Slide 3

HOMOSSEXUALIDADE

Estudo americano diz que sexo entre amigos faz bem e fortalece a amizade.

“Amizade colorida” faz ainda mais parte do nosso dia a dia


Pesquisadora da Universidade Estadual de Boise, em Idaho, entrevistou 300 pessoas sobre o tema “sexo entre amigos”.


Você tem aquele seu amigo ou aquela sua amiga e, num belo dia, os dois acabam “passando dos limites” do que seria considerada apenas uma amizade. No dia seguinte, fica aquela dúvida: será que as coisas vão mudar? Será que foi um erro? A boa notícia é que, de acordo com uma pesquisa realizada nos EUA, o sexo entre amigos pode ser uma boa coisa. E não estamos falando apenas do momento.


A pesquisadora Heidi Reeder, da Universidade Estadual de Boise, em Idaho, entrevistou 300 pessoas sobre o tema “sexo entre amigos”. Dos entrevistados, 20% afirmaram já ter feito sexo com um amigo em algum momento da amizade.


Uma coisa é verdade: a prática de sexo sem comprometimento amoroso está cada vez mais comum e, consequentemente, aquele conceito de “amizade colorida” faz ainda mais parte do nosso dia a dia.


Amigos com benefícios 
A pesquisa de Reeder concluiu ainda que 76% das pessoas que tiveram relações sexuais com algum amigo perceberam também que a amizade ficou ainda melhor. Entre as pessoas que fizeram sexo com amigos, 50% começaram a namorar – e até o momento da pesquisa, ainda estavam na relação.


O fato é que os padrões de comportamentos sexuais já não são os mesmos – inclusive, talvez nem haja mais algum padrão. Se antes se tinha a certeza de que fazer sexo casual era garantia de sofrimento sentimental, hoje a questão é vista com olhos de experiência, apenas, sem muita preocupação.


Alguns especialistas têm recomendações, inclusive, quando o assunto é ter relações sexuais com algum amigo, sendo que entre elas estão: conhecer bem um ao outro; deixar claro quais são suas intenções e expectativas; ter sempre em mente que a relação não é formal e que ela não durará para sempre; e, claro, não esquecer as proteções básicas que envolvem o sexo seguro. E aí, você concorda com esse estudo todo ou acha que é preciso ter mais limites? 

8 frases que você nunca deve dizer em discussões na frente dos filhos.




Quem sou eu pra falar o que é melhor na criação dos seus filhos. Mas é fato que casais que brigam na frente das crianças ou adolescentes, transmitem a eles não apenas um profundo sentimento de insegurança e mágoa, mas também um exemplo de conduta inadequado.


Tenha em mente que os conflitos só geram algum tipo de aprendizado para os pequenos quando os pais conseguem manter o respeito, mesmo que não partilhem do mesmo ponto de vista. “É possível discordar sem ofender. Quando está difícil segurar as emoções negativas, o melhor é se afastar e deixar a discussão para depois, quando os filhos não estiverem por perto”, afirma a pedagoga Taís Bento, especialista em aprendizagem pela Universidade de San Diego.


É nessas horas que é preciso evitar reações desmedidas e frases de efeito, muitas vezes ditas sem pensar. Além de magoar o outro, elas podem ferir (e muito) as crianças, que não têm a ver com a situação que vocês dois criaram.


Que tal repensar suas escolhas? A seguir, veja o que não dizer nem mesmo sob forte emoção, se quiser poupá-las.


1 “Foi você quem quis ter filhos”
“Então, eu não fui desejado pelos meus pais?” É isso o que pensa uma criança ou adolescente ao ouvir essa frase, segundo a psicóloga Cintia Liana Reis de Silva, uma das fundadoras do Grupo de Trabalho de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente do Conselho Regional de Psicologia da Bahia e do Sergipe. “Nesse momento, o filho poderá se considerar um erro e sentirá que não merece ser amado”, afirma. Como consequência, a criança pode até desenvolver um complexo de inferioridade por conta da rejeição.


2 “Se continuar assim, vamos ter de nos separar”
A insegurança que se instala em crianças ou adolescentes que escutam essa frase pode afetá-los futuramente. “Da adolescência para a vida adulta, o sentimento pode desencadear o medo de se relacionar”, declara o psicanalista Paulo Miguel Velasco, professor do Instituto Brasileiro de Psicanálise Clínica, Ciências Humanas e Sociais.


3 “Só não me separo de você por causa das crianças”
Dizer isso na frente dos filhos é jogar uma enorme responsabilidade nas costas de quem não têm nada a ver com a relação do casal. “O filho pode passar a ter um comportamento que visa apenas o bem-estar dos pais. Mais tarde, se o casal decidir pela separação, o peso da culpa e o sentimento de fracasso poderão perdurar na criança até a vida adulta”, afirma Taís.


4 “Se você não mudar, vou embora e não volto nunca mais”
A criança pode levar a frase ao pé da letra e, ao considerar que um dos pais se ausentará, o risco de desenvolver um quadro de ansiedade aumenta. “Nessa situação, a cada separação do pai ou da mãe, o medo de que a pessoa não volte dominará a criança”, diz Taís. Em casos mais graves, o filho pode resistir a sair de casa por ter medo de que, ao retornar, não encontrará mais o responsável pela ameaça. “Há crianças que desenvolvem medo de ir à escola e até de passear na casa de familiares e amigos por conta desse tipo de experiência”, afirma a pedagoga.


5 “Você não está nem aí para as crianças”
Quando escuta essa frase, a autoestima do filho vai lá para baixo. Ele conclui que não é importante o suficiente para o pai ou a mãe. “Geralmente, depois das brigas, o casal que se ama contorna a situação e fica tudo bem. Já a criança pode ficar fragilizada e assustada por vários dias”, diz Velasco.


6 “Nosso filho puxou a preguiça de você”
Nada de positivo pode ser tirado de comparações negativas como essa. O filho pode tomar como verdade absoluta o rótulo criado pelos pais –de preguiçoso, esfomeado ou desleixado, por exemplo– e persistir no comportamento criticado. Outro risco é a criança entender que o pai ou a mãe não servem como exemplo e, portanto, devem ser rejeitados.


7 “Não fala mais comigo, quero distância de você”
Ainda que a frase faça menção ao par, a criança pode sentir medo de que o sentimento seja transferido para ela. “A rejeição é um prato cheio para o desenvolvimento do isolamento e da depressão”, diz o psicanalista.


8 “Nunca vou perdoar você por isso”
A palavra “nunca” tem um impacto forte demais para a criança. “Por não ter maturidade para lidar com conflitos, ela passa a viver em constante estado de alerta, já que fica ansiosa para saber como será o próximo momento em família”, afirma a pedagoga.

Mc Café: Garoto conta para o pai que é gay em comercial do McDonald s de Taiwan.




Para divulgar o McCafé em Taiwan, a rede de fast food McDonald's criou um comercial que significa muito para os homossexuais. Quem já se descobriu com uma sexualidade divergente da normativa sabe o peso que isso pode representar na hora de compartilhar com os pais. No comercial, um jovem escreve no seu café: “eu gosto de garotos”. O seu pai sai da mesa frustrado, mas volta depois de um tempo, respira fundo, pega o café do filho e escreve: “eu aceito quem você é”.



A campanha está no ar desde 4 de março e já atraiu a atenção das classes conservadoras que são contra a homossexualidade. Em nome dessas pessoas, a Aliança de Grupos Religiosos de Taiwan se mobilizou contra o comercial, propondo um boicote aos produtos da marca. Entretanto, o esforço não surtiu efeito e não preocupa a empresa, uma vez que 60% da população, segundo o Ministério da Justiça de lá, é a favor do casamento gay.


Essa não é a primeira vez que a orientação sexual é o fio condutor de uma propaganda da marca. Em 2010, a rede na França traz a história de um menino que namora um garoto da sua classe. Enquanto o pai espera os lanches, o jovem conversa ao telefone com o namorado enquanto olha a foto da sua classe. Diferente do tocante vídeo de Taiwan, aqui ele não conta sobre sua orientação sexual ao pai.

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (1) Comente aqui!

Um comentário:

  1. "Sexo entre amigos"

    E' evidente que a pergunta no final do texto são para aqueles que tiveram sexo com algum amigo. Tivemos um relato nessa situação no último final de semana. E , espero que o autor do relato (Yuri) , entre na porcentagem dos que se deram bem.

    Abraços, Yuri.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...