Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Hillary Clinton elogia  parada gay de Tel-Aviv.


Hillary é a favorita para concorrer à presidência dos EUA pelo Partido Democrata


Hillary Clinton chamou a Parada do Orgulho LGBT de Tel-Aviv, em Israel, de “bastião da liberdade”, durante discurso em prol do país do Oriente Médio.

“Somos duas nações construídas por imigrantes e exilados que procurando viver e cultuar a liberdade, nações construídas a princípios de igualdade, tolerância e pluralismo”, disse.

“Pelo nosso melhor, tanto Israel e os EUA são vistos como uma luz para as nações por causa de tais valores”, disse Hillary, que é pré-candidata pelo Partido Democrata às eleições presidenciais dos Estados Unidos neste ano.

A parada LGBT de Tel-Aviv é a maior do Oriente Médio.

Por que todos estão apaixonados pelo primeiro ministro canadense Justin Trudeau?




Justin Pierre James Trudeau nasceu em Ottawa em 1971 e, aos 44 anos, se tornou este ano o Primeiro Ministro do Canadá. Ele tem atraído a atenção do mundo todo com o seu posicionamento benevolente e sua forma evoluída de encarar o mundo. Ele representa o Partido Liberal canadense e não dá motivos para questionarem sua habilidade de liderança, além de ter se transformado um galã bastante admirado, aparecendo em programas de dança e falando que se sua vida fosse representada em um filme, ele gostaria de ser interpretado por Maryl Streep.

Além de ser um dos poucos líderes mundiais com uma tatuagem no corpo, seu espírito jovial é visível toda vez que aparece publicamente. Ao que tudo indica, um dos seus hobbies favoritos em festas é segurar bebês em pé com apenas a palma das mãos. Tirar a camisa parece ser, também, um hábito bem comum para Trudeau. Mas não é só por isso que chama a atenção. Apesar de ter nascido em berço de ouro, seu pai é ex-primeiro ministro do Canadá, ele defende políticas que vão desde a legalização da maconha até a aproximação com os povos indígenas.

No início do seu mandato, colocou o país a disposição para receber refugiados sírios e foi recebê-los pessoalmente no aeroporto. Metade dos seus ministérios são chefiados por mulheres, cumprindo a sua promessa de oferecer representatividade feminina no poder, além de respeitar a diversidade - ele já participou da Parada LGBT de Toronto. Outro feito foi um strip tease beneficiente, onde tirou a gravata, paletó e camisa social e deixou as meninas suspirando.

A sua história é cheia de curiosidades. Já beijou um apresentador de TV Dany Turcotte, em 2012, e atuou na série The Great War no papel do general Talbot Papineau, um dos herois canadenses na Primeira Guerra Mundial. Precisa de mais para se apaixonar por Justin Trudeau? Então olha só essas fotos:

 


Vitória: Casal gay consegue adoção  de filho na Itália.


Legislação não foi aprovada, mas Justiça autorizou mesmo assim adoção gay


Um casal gay ganhou na Justiça italiana direito definitivo de adoção do filho biológico de um deles.

A decisão, anunciada na segunda-feira, 21, pode ser comemorada também porque recentemente o Parlamento do país aprovou a união civil gay, mas retirou do mesmo projeto o direito à adoção por casais do mesmo sexo.

Tomada pelo tribunal de menores de Roma, esta decisão diz respeito a uma criança de seis anos nascida no Canadá por meio de barriga de aluguel.
Na ausência de recurso no tempo permitido pela lei, a validação é final, algo inédito na Itália, segundo a Agência France-Presse.

Escândalo na Guarda Real: soldados foram obrigados a praticar sexo por colegas.




Dois jovens soldados da Guarda da Rainha da Inglaterra foram vítimas de veteranos e obrigados a praticar sexo oral entre eles. Os dois foram filmados por celulares e depois os vídeos foram espalhados pelos colegas que agora respondem pela indisciplina. Os guardas envolvidos estão sofrendo medidas disciplinares depois que o vídeo entre os dois jovens, de 23 e 29 anos, da Divisão de guardas de Welsh, chegou aos superiores.
 
O incidente aconteceu em Setembro do ano passado no centro de treinamento de Surrey. Depois de uma partida de rugby, os jogadores beberam além da conta e de volta aos dormitórios obrigaram os rapazes a tirar a roupa e a se tocarem, como forma de um ritual de iniciação, e depois os obrigaram a praticar sexo. As imagens foram feitas em uma sala de TV do prédio da unidade de treinamento.

O Exército do Reino Unido confirmou o incidente disciplinar e a punição a cinco soldados e a um superior, mas negou que tenha havido qualquer crime. “Confirmamos que um incidente ocorreu e que os detalhes foram notificados à Polícia Real Militar para uma investigação. Não há alegações feitas de comportamento criminal ou coercivo... Todavia este comportamento é inaceitável e medidas administrativas foram tomadas contra os envolvidos, com medida disciplinar tomada contra um indivíduo”, declarou o porta voz das Forças Armadas.

Homem que jogou água escaldante em casal gay pode ser enquadrado na lei federal de crimes de ódio.




Um caso brutal de homofobia chocou os Estados Unidos. Martin Luther Blackwell, 48, jogou água fervendo no filho da sua namorada e no namorado do enteado. Segundo Blackwell, o motivo foi ele não tolerar que dois homens durmam na mesma cama juntos. O crime aconteceu no estado da Geórgia, nos Estados Unidos, onde não há leis anti-homofobia e nem que penalizem crimes de ódio. Dessa forma, ele responderia apenas por lesão corporal grave, mas o FBI já iniciou uma investigação para enquadrá-lo nas leis federais de crime de ódio.

O caso
Anthony Gooden, 23, e Marquez Tolbert, 21, trabalhavam juntos em um armazém e mantinham um relacionamento homoafetivo. No dia 12 de fevereiro, os dois rapazes dormiram juntos na casa da mãe de Gooden. Perto das 7 horas da manhã, enquanto todos ainda dormiam, o namorado da dona da casa chegou e se deparou com os garotos dormindo na mesma cama. Ele diz que não podia tolerar que aquilo acontecesse na sua frente, então pegou a água que estava fervendo e derramou nos dois rapazes.
 
Eles acordaram com a água corroendo suas peles, começaram a gritar descontroladamente e, quando se deram conta do que estava acontecendo, correram para a rua e pediram ajuda para os vizinhos. Mesmo com a dor penetrante, chamaram a polícia e foram socorridos no hospital mais próximo. Tolbert ficou no hospital por cerca de 10 dias, enquanto Gooden só ganhou alta cinco semanas depois.
 
A dor
A dor de não ser aceito, aqui, não se compara a nada pela dor física que os dois jovens sentiram. O jovem de 23 anos conta que a dor era intensa durante as 24 horas do dia e não havia medicamento que aliviasse. Por conta disse, ele afirma que conseguiu dormir, no máximo, 10 horas ao longo da semana toda, menos de duas horas por dia. Uma vaquinha eletrônica na plataforma GoFundMe está sendo realizada para ajudar os jovens com a medicação para dor. Cerca de $70 mil dólares já foram arrecadados.
 
O crime
No estado da Geórgia não há nenhuma lei específica que criminalize a homofobia, portanto, Blackwell não está sendo acusado por nenhum agravante de ódio. Pela legislação de lá, ele está apenas sendo processado por lesão corporal grave, o que não condiz com a tentativa de assassinato e nem a motivação do crime. Entretanto, o FBI anunciou nesta semana que abriu um inquérito federal para investigar o incidente. Dessa forma, a instituição vai analisar se o estatuto de crime de ódio federal se aplica nesse caso e se ele pode ser processado em instância maior pela lei Matthew Sheppard.

A exemplo da Geórgia, o Brasil não conta com uma lei para crimes de ódio por homofobia e crimes como este - com requintes de crueldade - são comuns por aqui. No ano passado, em Curitiba, uma transexual foi atacada e incendiada viva. Rebecca morreu depois de dois meses no hospital.

 Partido da República destitui membros que barraram filiação de homossexual no MS.




Tudo começou com uma denúncia da Deputada Estadual Grazielle Machado (PR). Ela tinha viajado para a cidade de Amambaí, no Mato Grosso do Sul, para efetuar a filiação do vereador Prof. Ailton ao partido, forte concorrente para a prefeitura do município, quando se deparou com a resposta negativa do presidente municipal e da comissão do partido. Segundo ela, a filiação foi negada por conta da orientação sexual do vereador.

Na última sexta-feira-, 18, a deputada postou uma mensagem de indignação no seu perfil do Facebook: “Repartindo a minha dor: ‘Ontem, fui filiar o vereador Ailton, no PR, para concorrer com força, como prefeito. E, o presidente do partido de Amambai, Dirceu Lanzarine, junto uma comitiva de vereadores como Fisher, etc... Não me deixaram filiar’. Sabe porque? Porque, Ailton é gay. O Partido da República, em Amambai, não me representa”.

Ailton chegou a se posicionar dizendo que não tomaria providências porque seu trabalho, seus projetos e ideia continuariam em outro partido e que não desistiria da sua carreira por conta da ignorância de outras pessoas. Entretanto, Grazielle Machado não se contentou com o desfecho da história e comunicou ao presidente estadual da legenda, Londres Machado, que não concordou com o posicionamento do PR de Amambaí.

Já na segunda-feira, 21, o partido tomou providências e destituiu o presidente municipal e os membros da comissão envolvidos com a decisão arbitrária. Além disso, o Prof. Ailton foi aceito no partido e é cotado como um dos principais nomes na cidade. A deputada fez um desabafo sobre a vitória em suas redes sociais: “Valeu dar a cara a ‘tapa’. Gritei e os meus amigos da fanpage, imprensa, galera de todo lado e a gente boa de Amambai, me ajudaram a tornar a minha voz mais forte! Quem barrou o nome do Ailton, por ser gay, foi destituído do partido, saíram pela porta dos fundos. Agora sim, o Partido da República em Amambai, me representa. O RESPEITO, VENCEU O PRECONCEITO!”

A deputada aliás tem feito um belo trabalho de respeito às minorias com uma campanha que diz que não importa a cor da pele ou origem, o que define as pessoas é o caráter.

 Travesti de 16 anos é assassinada a pauladas no interior do Mato Grosso.




O jovem M.M.C, de 16 anos, que se montava de travesti foi assassinado no município de Sinop, que fica a 503km de Cuiabá, no Mato Grosso. O corpo foi encontrado atrás de um prédio em construção na Avenida André Maggi na manhã de domingo, 20, quando operários chegaram para vistoriar a obra. A mãe, que preferiu não se identificar, conta que o filho saiu para uma danceteria junto com um amigo, que é procurado pela polícia para ajudar a investigar o caso.

Na cena do crime, o corpo do jovem estava estirado no chão, próximo a uma bolsa, com uma peruca dentro, um sapato com salto, roupas femininas, um celular e uma rosa. Acredita-se que o jovem, que era homossexual, foi atacado quando voltava da boate. O Corpo de Bombeiro chegou ao local às 7 horas da manhã, mas ele já não dava mais sinais de vida. Na perícia, constatou-se que ele foi atingido com um objeto contundente, uma vez que parte da sua cabeça estava afundada.
 
O delegado que cuida do caso, Carlos Muniz dos Santos, afirmou ao Portal G1 que há indícios de que o jovem fazia programa. Apesar de se saber como M.M.C morreu, a polícia ainda não tem suspeitos. O crime será investigado pela Divisão de Homicídios da Cidade e pretende conversar com os amigos que estiveram com ele naquela noite para descobrir o que pode ter acontecido.

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...