Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Obama fala sobre direitos  gays em viagem a Cuba.


Obama não esqueceu de mencionar LGBT em país que dá pouco importância a eles


Em viagem histórica do presidente norte-americano Barack Obama a Cuba, no começo desta semana, o líder dos Estados Unidos não esqueceu de mencionar os homossexuais em discurso sobre direitos humanos no país.

“Há ainda enormes problemas em nossa sociedade, mas a democracia é a maneira que nós resolvê-los”, disse Obama um discurso no Havana Alicia Alonso Grand Theater. “É assim que nós temos dado mais saúde para nosso povo. É assim que nós fizemos enormes ganhos de direitos das mulheres, em direitos dos homossexuais.”

Cuba já perseguiu LGBT durante décadas e ainda que a discriminação tenha ficado menos acentuada nos últimos anos, ainda há muitos direitos a serem conquistados por lá. Mariela Castro, filha do presidente Raul Castro, que dirige o Centro Nacional de Educação Sexual, e luta pelos direitos LGBT, mas as conquistas são pouco expressivas.

Disney e outros estúdios ameaçam boicotar a Geórgia se governador assinar lei anti-gay.




Um porta voz da Disney declarou ontem, 23, que a organização, junto da Marvel, são companhias inclusivas e condenam qualquer forma de discriminação contra raça, cor, gênero e orientação sexual. A fala veio acompanhada de um tom de ameaça ao estado da Geórgia, nos Estados Unidos, que está em processo de aprovação de um projeto de lei que permitirá que grupos religiosos adotem políticas discriminatórias baseadas na sexualidade das pessoas.

“Disney e Marvel são empresas inclusivas, e, apesar de termos tido ótimas experiências filmando na Geórgia, nós planejamos levar nossos negócios para qualquer outro lugar caso qualquer legislação que permita práticas discriminatórias seja aprovada”, afirmou o assessor. O estúdio gravou recentemente os longas Homem-Formiga e Capitão América: Guerra Civil e está em processo de gravação de Guardiões da Galáxia 2.
 
O Governador Nathan Deal tem até o dia 3 de Maio para assinar ou não o projeto aprovado. Além da Disney, a rede de TV AMC Networks, que também opera no estado, gravando o seriado The Walking Dead, também se posicionou. “Como uma companhia, nós acreditamos que discriminação de qualquer tipo é um ato repreensível”, afirmou um porta voz na última quarta-feira. Entretanto, eles foram mais otimistas e afirmaram que confiam no discernimento do governador em barrar esse projeto.
 
O “Ato de Proteção ao Livre Exercício” passou pela aprovação da Assembleia do estado na semana passada e visa, em parte, garantir que oficiais religiosos não sejam solicitados para realizar casamentos homoafetivos de acordo com as doutrinas da sua religião. O Governador já afirmou que vai revisar o PL em Abril e que tem uma decisão difícil a se fazer pela frente.

 Fifa punirá gritos homofóbicos  nas eliminatórias da Copa.


México tem uma das torcidas mais homofóbicas


A homofobia pode começar a se tornar um problema para os intolerantes no futebol. Aos menos, nas eliminatórias da Copa da Rússia-2018 na América do Sul.

Segundo a Folha de S.Paulo, há fiscais colocados pela Fifa (entidade máxima do esporte) que punirão as seleções cujos torcedores se mostrarem homofóbicos com as equipes rivais.

Um hábito preconceituoso nascido no México há 10 anos se espalhou por países da região. Países como Argentina, Chile, Peru e Uruguai já foram multados e advertidos pela entidade pelo grito de “puto” (viado) de seus torcedores quando o goleiro rival vai cobrar o tiro de meta. O México, na Concacaf (confederação das Américas do Norte e Central), também já foi punido por essa razão.

No México, pelo menos desde 2004, quando o arqueiro do time contrário se prepara para repor a bola em jogo, os torcedores iniciam o canto com um longo “eeeeeeeeeeeeh” e finalizam com o “puto” quando o tiro de meta é batido.

Nos últimos anos, com clubes do México na Libertadores – e depois de a torcida do país usar a provocação em partidas de sua seleção na Copa–, os brasileiros passaram a fazer o mesmo, trocando o “puto” por “bicha”.

Em 2014, o Corinthians divulgou um manifesto pedindo a seus torcedores que não usassem o grito pois temia ser punido pela Justiça Desportiva. Naquele ano, porém, o Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo considerou que o grito de “bicha” de corintianos para o ex-goleiro Rogério Ceni, do São Paulo, não era atitude homofóbica. A seleção brasileira, até o momento, não foi punida.

Deputada Jandira Feghali defende Jean Wyllys e reclama do retrocesso da Câmara.


A deputada Jandira Feghali, do PCdoB do Rio de Janeiro, em plenário da Câmara


A deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) discursou na tribuna em defesa do colega de Estado Jean Wyllys (PSOL-RJ) na última quarta-feira, 28, na sessão plenária.

Tudo começou quando João Rodrigues usava a tribuna da Câmara para criticar parlamentares que eram contra a flexibilização do Estatuto do Desarmamento, aprovada na terça-feira, 27, por uma comissão especial da Casa.

O deputado de Santa Catarina sugeriu que parlamentares que são contra a flexibilização, como Jean Wyllys, "se postam como que se fossem verdadeiros defensores de bandido".

Em resposta, Jean Wyllys acusou Rodrigues de roubar dinheiro público. "Homens decentes não assistem vídeos pornôs durante a sessão plenária. Homens decentes não são condenados por improbidade administrativa, por roubar dinheiro público, como o deputado foi", disparou.

O deputado do PSOL se referia ao flagra feito pela imprensa, em maio deste ano. Durante uma votação de propostas da reforma política na Casa, Rodrigues foi flagrado assistindo vídeo e vendo fotos pornôs. Na época, o parlamentar afirmou que tinha apenas aberto um vídeo enviado em grupo do aplicativo WhatsApp.

Jandira repudiou as agressões sofridas por Wyllys feita pelo o deputado João Rodrigues. Comentou do momento de retrocesso que vive a Câmara e falou em favor dos direitos LGBT. "Orientação sexual é um direito humano. Cada uma faz o que a vida lhe dá como felicidade" concluiu a deputado.

Traição pode virar crime no Brasil, com direito à indenização para o cônjuge.




Seu marido é daqueles que fica pulando de cama em cama, em busca de alguém que preencha seu vazio existencial?

Calma, caro leitor. Eu sei que traição é algo bastante doloroso, mas não se culpe pelas falhas do outro. Acredite: no fundo, no fundo, você está se livrando de um peso que pode acabar com sua vida. É hora de superar isso!

Apresentado em julho do ano passado na Câmara dos Deputados, um projeto de lei prevê o pagamento de indenização em caso de traição no casamento. De autoria do deputado Pastor Franklin (PTB-MG), o projeto de lei (PL 2387/2015) considera qualquer violação aos deveres do casamento, estabelecidos no Código de Processo Civil, como dano moral, e, portanto, passível de indenização.

De acordo com o código, os deveres do casamento são: fidelidade recíproca, vida em comum no domicílio conjugal, mútua assistência, sustento, guarda e educação dos filhos e respeito e consideração mútuos.

O autor da proposta explica que a motivação do projeto foi minimizar os traumas de um fim de casamento. “Já existe a lei que estabelece os deveres do matrimônio e prevê que eles podem se quebrar, mas não há penalidade para isso. Há os que terminam na Justiça, mas [o fim do casamento por traição] gera uma sequela e a pessoa não tem nenhum tipo de reparação. Percebemos que fica uma mágoa.”

Após nove meses de tramitação, o projeto aguarda parecer na Comissão de Constituição e Justiça, que analisa a sua constitucionalidade. Se for considerado constitucional, segue para apreciação em outras comissões. Em caso de aprovação, é enviado para análise no Senado.

O projeto de lei não estabelece o valor das indenizações, que, caso seja aprovado, ficam a critério do juiz que analisa o caso. Mas como a indenização é por dano moral, os valores não costumam ser elevados.

Na Bahia, homem atira em travesti após se incomodar com brincadeira.


Vítima foi socorrida pelo Samu e encaminhada para o HGE


Vítima permanece internada no HGE em estado grave.

A transfobia fez mais uma vítima em Salvador. Uma travesti foi baleada no bairro do Caminho de Areia, na Cidade Baixa. Segundo a polícia, Xayna foi alvejada depois de brincar com um rapaz, que não foi identificado.

O homem não teria gostado da brincadeira e efetuou alguns disparos contra Xayna. A vítima foi socorrida pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e encaminhada para o HGE (Hospital Geral do Estado), onde permanece internada em estado grave.

Testemunhas informaram que o homem ficou incomodado com a brincadeira de Xayna e disparou contra a vítima. O crime ocorreu na noite de sábado (5), mas o caso só foram divulgadas esta semana.

Moradores da região deram apoio à vítima e registraram os momentos de agonia até a chegada de uma ambulância do Samu. Em um vídeo feito com um celular, a vítima aparece deitada no chão, bastante ferida, enquanto espera pelo socorro.


Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (1) Comente aqui!

Um comentário:

  1. O crime de adultério não mais existe no Código Penal brasileiro. Além disso, como caracterizar o adultério? Um abraço afetuoso? Um beijo caloroso? Um sexo animal? Um/uma amante? Na minha singela opinião, qualquer coisa que atente contra a liberdade de uma pessoa é crime. Então, a punição para o adultério seria um crime. E não o ato da "pulada de cerca" em si. Indo ainda mais longe: e os casais que estimulam o sexo e a procura de parceiros fora do casamento? Serão considerados criminosos? Pois crime não se constitui apenas pelo fato de ser denunciado pelo delito e também pelo ato de praticá-lo. Caso contrário, os assassinos não seriam punidos se não houvesse testemunhas.
    Deixando a discussão filosófica de lado, vamos atentar para o autor do projeto de lei. Óbvio que é um deputado evangélico, que na falta do que fazer, quer se intrometer na vida sexual alheia. A prerrogativa de uma lei absurda abre porta para uma série de outras: proibição de casamento gay, ensino obrigatório de religião evangélica nas escolas, entre outras aberrações da doutrina evangélica.
    Se alguém está preocupado com adultério, que converse com seu cônjuge e não procure amparo legal. Absurdo total!!!!!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...