Slide 1 Slide 2 Slide 3

HOMOSSEXUALIDADE

Sexo gay: Como fazer o parceiro ficar mais tempo no sexo oral?




Pergunta do novinho G.V. (Ele não autorizou a publicação do nome)

Olá. Me chamo G.V. (por favor não divulgue meu nome), tenho 23 anos e estou num relacionamento sério há mais ou menos uns oito meses. Com a gente na hora do sexo não tem segredo nem limitações, exceto uma que vou citar a seguir... Estou bem com meu parceiro, só está faltando uma coisinha..... Ele praticar um pouco mais de sexo oral. Já o alertei que seria bom, que me excita, que gosto, mas ele tem a desculpa de que a mandíbula dele dói durante o ato. Reconheço não tenho o brinquedinho pequeno, mas também não sou um Kid Bengala da vida, só tenho 19 cm e rodando a fita na glande 18... O que eu faço nesse caso?! Amo ele demais, procuro fazer garganta profunda nele jah que ele gosta.... Mas eu também queria um pouquinho de profundidade na coisa =\
Gente o que eu poderia fazer além de conversar? Porque falar eu já estou cansado....

Olá G.V., quando estamos em um relacionamento sério precisamos aprender a ceder aos desejos do parceiro, nos adaptarmos aos gostos e defeitos também, afinal é uma relação onde dois seres humanos que possuem tanto qualidades quanto defeitos se encontram e aceitam um ao outro. Que bom que em nenhum momento, ao que me parece, você teve a idéia de terminar o namoro por causa disso.

Pois bem, se um sexo oral rápido te incomoda o que deve ser feito? Conversar com o parceiro você já fez. O próximo passo agora é incentivar que ele pratique um sexo oral mais prolongado.  Ele gosta de doce? Se sim, está bem fácil resolver rsrs. Compre Nutella (não estão pagando nada pela divulgação rsrs), coloque no pênis quando ele “terminar” o sexo oral convencional (do mesmo jeito que ele faz atualmente), assim você surpreende ele e ainda dá para perguntar se ele quer um pouco de chocolate (rs). Se não der certo, você ainda pode tentar oferecer dinheiro pra ele ficar um pouco mais rsrsrsrs (pode parecer prostituição, mas minha tia propõe todos os anos, quando meu tio está perto de receber o 13º,  que ele pague 300,00 pra ela deixar ele fazer sexo anal. Ele paga e ainda fica feliz, mas toma cuidado apenas pra ele não se sentir ofendido, acredito que a intimidade de vocês já permite isso).

Espero que os incentivos com guloseimas funcionem. Mas se mesmo assim nada der certo não force a barra, assim como você se sente realizado quando vê que ele está sentindo prazer o seu parceiro também deseja isso. No momento que estiverem na relação sexual demonstre interesse e excitação na sua parte predileta, aos poucos ele vai se adaptando aos seus gostos, afinal vocês ainda tem pouco tempo juntos.

Espero ter ajudado. Abraços

10 dicas para gays passivos.




Esta semana vamos ver o que todo ativo gostaria de dizer para o passivo, além de dicas importantes na hora H. Foram inúmeros e-mails com a mesma dúvida: Como ser um bom passivo na cama?

Aos poucos fui descobrindo e percebi que já posso dar algumas dicas, afinal, experimentei as duas posições. Nessa semana vamos ver as dicas para passivos. Percebam que aqui nem sempre dizemos o que o passivo quer ler e sim o que os ativos gostariam que fosse feito rs.

1* Diálogo
O diálogo é vital em qualquer relacionamento e porque não falar sobre sexo? É essencial saber o que o parceiro mais gosta/ não gosta na hora H. O que gostaria de experimentar e também o que os dois pensam sobre tudo isso.

2* Faça a xuca SEMPRE!!
Certo, os ativos realmente onde estão se metendo (rs), porém dá pra gente ajudar muito na higiene da hora H para que fique confortável para os dois. Claro, é uma opção né, as pessoas escolhem fazer ou não a xuca mas como dito anteriormente, aqui a gente está dando dicas sobre "o que os ativos gostariam que fosse feito".

3* Sujou, disfarça!
Bom, se você por algum motivo não quiser ou não puder fazer a xuca, relaxe mas na hora H disfarça né, não fique repercutindo/ falando sobre o ocorrido.

4* ATENÇÃO
Receber atenção sempre é bom, mas dar também é importante (e quem é passivo bem sabe disso rs). Presentear, estar presente, surpreender é indispensável para que o relacionamento não caia na rotina.

5* Sem frescuras
Pra quê? Por quê? Não quero! Que vergonha!
Não é o momento de ficar com frescuras, todo ativo sempre quer um cara que não fique com medinho pra cá, com coisinha por aqui. Claro, tem horas que é preciso dizer não, mas tem muitos momentos que orgulhos e preconceitos acabam impedindo de fazer algumas coisas, se esse for o caso e você quiser fazer, faça!

6* Nós dois somos homens
Respondi alguns e-mails de ativos reclamando que o parceiro sempre se considera o lado mais sensível da relação, e que ás vezes acabam se equiparando às mulheres (esperando até o outro pagar a conta, enfim...rs). Não, ser passivo não é ser a mulher da relação, vocês dois são iguais em tudo (todo mundo tem um p---- né), e por isso são completamente iguais.

7* Ciumes tem limite
Nenhum ativo gosta de ser observado 24 horas por dia e ser incomodado com suposições sempre que uma mulher ou homem derem aquela olhadinha. Além de ser feio, acaba desgastando a relação. Essa dica serve tanto para ativos, quanto para os passivos tá...

8* Sexy, sem ser vulgar
Seja sexy, mas cuidado com os exageros. Voltamos à primeira dica né, é sempre bom ouvir do parceiro sobre o que ele gosta e não gosta, mas não esqueça de que ele gosta de você do jeito que você se comporta no dia-a-dia, então se for surpreender, planeje bastante antes.

9* Se coloque no lugar do outro SEMPRE!
Se você não gostaria que fizessem com você, não faça com o outro. #FicaADica rs

10* AME

Não faça sexo por fazer, ame, se não amar a pessoa , ame o sexo ... Enfim, ame.Ahhh, Sexo Seguro sempre galera. :)

Como descobrir se ele é ativo ou passivo?


Durante o encontro uma dúvida surge: ""Ele é ativo ou passivo?"


Sexóloga Fátima Protti responde a dúvida de leitor:

"Um bom sexo só acontece quando as pessoas vivem sua sexualidade livres de preceitos e de papéis definidos"

“Estou a fim de um cara e ele também está a fim de mim, mas não sei se ele é ativo ou passivo. Como descobrir?”

No processo psicoterapêutico, vejo que essa preocupação surge com certa frequência diante de uma transa. Que papel terei no sexo: passivo ou ativo?

Os incômodos e conflitos no que diz respeito a ser ativo ou passivo, geralmente são frutos de sentidos e significados atribuídos aos papéis de submissão e dominação. O papel passivo revela uma identificação com a fêmea, que durante o sexo é tomada e submetida à dominação do macho viril, “é comida”, no sentido brasileiro. Ela é a figura desvirilizada.

Da mesma maneira, no sexo homoerótico, manter o ânus intacto é ser o dominante e o macho viril na relação, ideia valorizada desde a Grécia Antiga.

Precisamos entender que os papéis de dominação e submissão fazem parte do jogo erótico e é um conjunto de atitudes para a obtenção do prazer sexual, tanto para homossexuais quanto para heterossexuais.

A apreensão, também pode vir do medo pelo desconhecido, quando é a primeira vez. Ou por não querer frustrar a expectativa do parceiro quando uma das práticas não é a sua praia.

Com liberdade, alguns gays que eram apenas o ativo na cama experimentaram, gostaram e entenderam a prática passiva como mais uma maneira de obter prazer.

Outros gays têm prazer como passivos, mas depois da transa ficam péssimos e juram nunca mais repetir. Tem aqueles que só se permitem ser ativos, apesar de desejar outra forma de prazer.

Um bom sexo só acontece quando as pessoas vivem sua sexualidade livres de preceitos e de papéis definidos que impeçam a plenitude do prazer. E, sempre, com respeito a si mesmo e ao outro.

Durante o sexo experimentamos dar, receber afeto e prazer sexual através dos toques, beijos, falas e práticas sexuais variadas. Pensar na transa e no prazer apenas pela prática de quem vai penetrar ou ser penetrado é diminuir as chances de ter um ótimo momento.

Caro leitor, não sei em qual situação você se encaixa e o grau da sua preocupação, a ponto de impedir seu encontro. Relaxe!

Você só tem duas formas de saber: conhecendo alguém que já transou com ele ou descobrir sozinho. Em minha opinião, a segunda opção pode ser a melhor, afinal você nem sempre contará com uma referência. Por outro lado, tem a chance de viver novas sensações.

Lembre-se que o respeito por seus limites é imprescindível, se aquele não for um bom momento para experimentar uma novidade, diga “não”.
Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...