Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Papa prega o amor mas rejeita o casamento gay novamente.




A exortação apostólica escrita pelo papa Francisco, Amoris laetitia ("Alegria do amor"), é um resumo dos debates do Sínodo Ordinário da Família, que aconteceu no final do ano passado e traz os temas e reflexões sobre eles. O pontífice mais uma vez afirmou a não aceitação da Igreja dos casais homossexuais mas reiterou o respeito e não discriminação a estes nas comunidades, a fim de que eles venham a “compreender e realizar plenamente a vontade de Deus em sua vida”.

As pessoas homossexuais devem “ser respeitadas em sua dignidade e acolhida com respeito, com o objetivo de evitar qualquer forma injusta discriminação e, particularmente, todas as formas de agressão e violência", diz o documento divulgado nesta sexta-feira, dia 8. 
 
O papa diz ainda que muitas famílias vivem a experiência de ter pessoas “com tendências homossexuais”, experiência que não é fácil nem para pais, nem para filhos. Mas, desejamos antes de tudo, afirmar que toda a pessoa, independentemente da própria orientação sexual, seja respeitada em sua dignidade", diz o documento que afirma ainda que o casamento gay não pode ser comparado ao santo matrimônio heterossexual: "É firmado com clareza que só a união exclusiva e indissolúvel entre um homem e uma mulher desenvolve uma função social plena, desenvolvendo um empenho estável e rendendo possível a fecundidade", escreveu Francisco.

  Discriminação: França desiste de nomear  embaixador gay para o Vaticano.


Vaticano demorou um ano para aprová-lo, até França desistir


A França desistiu definitivamente de indicar o homossexual assumido Laurent Stefanini como embaixador na Santa Sé, após o Vaticano ter se recusado a aceitar suas credenciais diplomáticas durante mais de um ano.

Com isso, Stefanini foi designado como embaixador de Paris na Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura). O diplomata havia sido escolhido em janeiro de 2015 pelo presidente François Hollande para representar a França na Santa Sé.

Segundo a Agência Ansa, Stefanini foi o “número dois” da Embaixada francesa perante o Vaticano, mas ainda assim suas credenciais não foram aceitas pela Igreja. Oficialmente, a Santa Sé nunca fechou as portas para o francês, mas a demora em dar uma aprovação foi considerada como uma recusa.

Para a imprensa de Paris, o motivo é justamente a homossexualidade declarada do embaixador. Por outro lado, especula-se que a resistência do Vaticano tenha se dado por conta da insistência do país europeu em impor uma candidatura sem levar em conta sua opinião.

Sendo assim, o posto de embaixador da França na Santa Sé continua vago, e agora Hollande deverá escolher outra pessoa. Em 2008, a Igreja já havia vetado Jean-Loup Kuhn Delforge, atual representante francês na Grécia, alegando que ele era abertamente homossexual.

Colômbia legaliza o casamento gay por meio de sua Suprema Corte.




Assim como aconteceu no Brasil em 2011, a Colômbia autorizou ontem(7) a união civil entre pessoas do mesmo sexo. Em 2011, a Suprema Corte havia decidido sobre a igualdade do direito do casamento e pediu uma legislação aprovada ao Legislativo mas dois anos passados, os casos ainda terminavam na Justiça, pois a lei não saiu da intenção já que o Senado do país barrou o projeto de lei que permitiria o casamento gay. No vácúo jurídico, conservadores criaram uma lei para proibir o casamento gay, que foi considerada inconstitucional nesta quinta-feira.
 
A Corte Suprema do país reanalisou o tema e decidiu que não dava mais para esperar o Parlamento entender a questão. Com seis votos a favor e três contra, a Suprema Corte decidiu pela inconstitucionalidade da proposta e pela igualdade de direitos dos casais homossexuais. No país a adoção gay estava proibida e os casais do mesmo sexo tinham apenas a opção de contratos de união estável já que por não haver legislação, os cartórios se negavam a realizar os casamentos. A decisão de autorizar o casamento gay tem apoio do presidente Juan Manuel Santos e agora o Supremo do país deve regulamentar as uniões e como serão feitas.

Atualmente, 23 países do mundo já reconhecem a união civil entre pessoas do mesmo sexo.

Argentina se junta a fundo  global pela igualdade.


País é o terceiro da América do Sul a se juntar ao fundo


A Argentina vai se juntar ao Global Equality Fund (Fundo de igualdade global) para ajudar a lutar pelos direitos de LGBT em várias partes do mundo.

O anúncio foi feito pelo governo norte-americano, que já havia anunciado Uruguai e Chile, dentre os países da América do Sul, para se juntar ao grupo.

O fundo foi lançado em 2011 e é liderado pelo Departamento de Estado dos EUA e une governo, empresas e ONGs com o objetivo de capacitar pessoas LGBT para viver livremente sem discriminação.

Pela Diversidade: A seleção mexicana de futebol deu um primeiro passo para acabar com o preconceito no esporte.




O mundo dos esportes é um tanto hostil com os gays. Quando falamos do futebol, então, a coisa toma outra dimensão. Mas uma iniciativa da seleção do México acaba de virar referência no combate ao preconceito dentro dos estádios.

A seleção lançou a campanha "Abrazados por el fútbol", que conta com um vídeo no qual os jogadores incentivam os torcedores a terem maior cuidado na hora de usarem palavras para xingar o time adversário.

Lançado na última semana, o vídeo pede que quem vá ao estádio não use palavras ofensivas e que degradem os gays. Lá no México, um dos principais xingamentos é puto, algo como bicha ou viado aqui no Brasil.

A campanha chega depois de punições que a Fifa deu à Federação de Futebol do país por conta do mau comportamento dos torcedores dentro dos estádios. A Federação tem de pagar 20 mil dólares pela conduta de seu público. A única pena é que o órgão ainda tenha recorrido, alegando que a palavra puto não é pejorativa, nem foi usada num contexto discriminatório.



Beijaço na Praça Osório agitou a semana em Curitiba.




Na tarde desta quarta-feira, dia 06, cerca de 30 pessoas participaram de um ato contra o preconceito em frente ao secular Bar Stuart, na Praça General Osório, no Centro de Curitiba. Convocado pela poetisa Alice Ruiz, 70, que na noite anterior foi ao bar e presenciou uma declaração de preconceito do dono do local que afirmou expulsar casais homossexuais do bar histórico. A própria Alice, nos anos 70, havia sido impedidade de entrar no local com seus três filhos, até que seu esposo chegasse.

A norma machista do passado reverbera no preconceito atual de impedir casais gays, e isso foi o suficiente para a notória escritora, que hoje mora em São Paulo, que estava acompanhada de uma equipe que filmava um documentário sobre sua vida, convidar amigos e parentes para o protesto. De forma organizada e discreta, os participantes se posicionaram em frente ao bar e por alguns minutos trocaram beijos e abraços entre si, chamando a atenção dos frequentadores do bar e transeuntes. A cena foi fotografada pela imprensa local e filmada para o documentário. Além de militantes, pessoas que aderiram à causa e até amigos dos netos da poetisa participaram do ato engajado que teve algumas bandeiras do movimento gay e muitos artistas apoiando.

Pastor exonerado no Rio apresenta projeto de cura gay na Câmara.




Pouco menos de dois meses após ser exonerado da Secretaria Estadual de Assistência Social e Direitos Humanos, por defender a “cura gay”, o pastor e novamente deputado Ezequiel Teixeira (PTN-RJ) apresentou projeto de lei esta semana tentando transformar em lei essa sua obsessão. A proposta prevê que um psicólogo ou um psiquiatra está autorizado a fazer tratamento para que um “paciente deixe de homossexual para ser heterossexual”.

O artigo primeiro do projeto diz que fica facultado ao profissional de saúde mental, atender e aplicar terapias e tratamentos científicos ao paciente diagnosticado com os transtornos psicológicos da orientação sexual (…), “visando auxiliar a mudança da orientação sexual, deixando o paciente de ser homossexual para ser heterossexual, desde que corresponda o seu desejo”.

Diz que o esse profissional não pode sofrer qualquer sanção por esse trabalho. “Essa proposta legislativa justifica-se pelo fato de existirem indivíduos em profundo sofrimento psíquico em decorrência desses transtornos, mas que enfrentam dificuldades intransponíveis para acessarem os dispositivos terapêuticos que poderiam assegurar-lhes uma melhoria significativa na qualidade de vida, uma vez que, diversos profissionais da saúde se sentem impedidos de realizar por força de uma resolução ilegal do órgão de classe” – justifica Ezequiel Teixeira no projeto.

O parlamentar diz ainda que há uma oposição ostensiva e beligerante de grupos de interesses com poder político e econômico que tem se mostrado irresistível na imposição de uma ideologia segundo a qual não se pode admitir que pessoas mudem de orientação sexual.

“Ora, é sabido que existem abordagens terapêuticas cuja eficácia na promoção da mudança de orientação sexual encontra-se cientificamente comprovada. Portanto, retirar dos profissionais capacitados a atuação e aplicação de tais terapias aos indivíduos que voluntariamente as procurem e queiram delas se beneficiar no sentido de ter a própria orientação sexual modificada é ferir de morte o princípio da dignidade da pessoa humana” – justificar Teixeira.

Ativistas LGBT apresenta projeto de lei no Senado que criminaliza LGBTfobia.


Ativistas LGBT seguram bandeira arco íris na frente do Congresso Nacional durante a primeira Marcha Contra a Homofobia


O objetivo do projeto é criminalizar a discriminação, equiparando ao crime de racismo.

Sem apoio político, ativistas LGBT recorreram ao Senado para propor um projeto de lei que criminalize a discriminação por orientação sexual e identidade de gênero, equiparando ao crime de racismo. Para que a ideia seja avaliada pela a Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa, e tramite formalmente na Casa, é preciso ter no mínimo 20 mil assinaturas de apoio. A proposta foi entregue em fevereiro.

De acordo com o presidente da ACLGBT (Associação Ceilandense de Lesbicas Gays, Bissexuais, travestis e Transexuais), Allysson Prata, um relatório de 2013 apontou que são feitas cinco denúncias por dia de crimes cometidos contra pessoas LGBT, e que, recentemente, houve um aumento de violência em 166% em relação aos últimos quatro anos. "Nós não temos nenhuma lei que criminalize a homofobia e a transfobia. O que queremos é dar um basta nessas agressões que, muitas vezes, resultam em mortes”, explica o presidente.

Em 2006, a deputada do Partido dos Trabalhadores (PT), Iara Bernardi, propôs na Câmara o Projeto de Lei 122, que criminaliza a homofobia, mas, sem avaliação, o projeto está arquivado. Se aprovado, alteraria a Lei do Racismo para incluir essas discriminações no conceito legal de racismo. Apesar de as duas propostas terem semelhanças, a última que foi elaborada depende primeiro do Senado, que permite a participação popular. Ou seja, qualquer cidadão pode contribuir com a função legislativa da Casa, desde que tenha um número suficiente de pessoas que estejam de acordo.

Se aprovada pelo o Senado, o projeto segue para a Câmara dos Deputados. “A Câmara tem uma bancada extremamente conservadora e por isso contamos com o movimento social para não perdemos as forças”, diz Allysson. “Nós temos um governo que tem intenção de colocar isso em prática, mas devido ao conservadorismo do poder legislativo, a situação fica estagnada”, completa.

O número de pessoas que apoiam a iniciativa já chega a mais de 16 mil, o que atende as expectativas dos idealizadores. “Fizemos várias publicações nas redes sociais e a repercussão está muito boa, estamos recebendo um grande apoio da sociedade. Precisamos de no mínimo 20 mil assinaturas até o dia 30 de junho e, certamente, iremos ultrapassar esse número."

Cuiabá: Empresa de ônibus terá de indenizar  estudante vítima de homofobia.


Empresa negou a discriminação, mas testemunhas confirmaram


A empresa de ônibus Pantanal Transportes terá de indenizar em R$ 50 mil um estudante que sofreu violência física e discriminação por causa da sua orientação sexual. A decisão foi dada pelo juiz Emerson Pereira Cajango, da 4ª Vara Cível de Cuiabá, em 30 de março, e cabe recurso.

Em 2012, o estudante, homossexual, estava em um ponto de ônibus da capital mato-grossense quando tentou entrar em um ônibus que estava lotado. O fiscal autorizou que o motorista fechasse a porta, mas ele pediu para embarcar. O fiscal disse: “A florzinha não vai entrar, não?” E depois de autorizar a subida, mais uma vez o profissional discriminou o jovem: “Vai, viadinho. Quer entrar, entra bichinha”.

A vítima também teve a perna presa no ônibus. A empresa negou que os fatos tenham corrido e disse que os funcionários são treinados para lidar com o público. Segundo o Diário de Cuiabá, o juiz afirmou que os depoimentos das testemunhas confirmaram a discriminação, além dos laudos do exame de corpo de delito.

“As atitudes do monitor de trânsito, ofendendo verbalmente o autor por conta de sua orientação sexual, e do motorista de ônibus, que fechou a porta com partes do autor para fora, são suficientemente traumáticas para que configure o dano moral, em patamar não inferior a R$ 50 mil”, disse o juiz.
Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (3) Comente aqui!

3 comentários:

  1. Gustavo : Foda-se o papa! O ku do meu cachorro e mais santo que ele!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gustavo :

      E depois destas coisas vi descer do céu outro anjo, que tinha grande poder, e a terra foi iluminada com a sua glória.
      E clamou fortemente com grande voz, dizendo: Caiu, caiu a grande Babilônia, e se tornou morada de demônios, e coito de todo espírito imundo, e coito de toda ave imunda e odiável.
      Porque todas as nações beberam do vinho da ira da sua fornicação, e os reis da terra fornicaram com ela; e os mercadores da terra se enriqueceram com a abundância de suas delícias.
      E ouvi outra voz do céu, que dizia: Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas.
      Porque já os seus pecados se acumularam até ao céu, e Deus se lembrou das iniqüidades dela.
      Tornai-lhe a dar como ela vos tem dado, e retribuí-lhe em dobro conforme as suas obras; no cálice em que vos deu de beber, dai-lhe a ela em dobro.
      Quanto ela se glorificou, e em delícias esteve, foi-lhe outro tanto de tormento e pranto; porque diz em seu coração: Estou assentada como rainha, e não sou viúva, e não verei o pranto.
      Portanto, num dia virão as suas pragas, a morte, e o pranto, e a fome; e será queimada no fogo; porque é forte o Senhor Deus que a julga.
      E os reis da terra, que fornicaram com ela, e viveram em delícias, a chorarão, e sobre ela prantearão, quando virem a fumaça do seu incêndio;
      Estando de longe pelo temor do seu tormento, dizendo: Ai! ai daquela grande cidade de Babilônia, aquela forte cidade! pois em uma hora veio o seu juízo.
      E sobre ela choram e lamentam os mercadores da terra; porque ninguém mais compra as suas mercadorias:
      Mercadorias de ouro, e de prata, e de pedras preciosas, e de pérolas, e de linho fino, e de púrpura, e de seda, e de escarlata; e toda a madeira odorífera, e todo o vaso de marfim, e todo o vaso de madeira preciosíssima, de bronze e de ferro, e de mármore;
      E canela, e perfume, e mirra, e incenso, e vinho, e azeite, e flor de farinha, e trigo, e gado, e ovelhas; e cavalos, e carros, e corpos e almas de homens.
      E o fruto do desejo da tua alma foi-se de ti; e todas as coisas gostosas e excelentes se foram de ti, e não mais as acharás.
      Os mercadores destas coisas, que dela se enriqueceram, estarão de longe, pelo temor do seu tormento, chorando e lamentando,
      E dizendo: Ai, ai daquela grande cidade! que estava vestida de linho fino, de púrpura, de escarlata; e adornada com ouro e pedras preciosas e pérolas! porque numa hora foram assoladas tantas riquezas.
      E todo piloto, e todo o que navega em naus, e todo marinheiro, e todos os que negociam no mar se puseram de longe;
      E, vendo a fumaça do seu incêndio, clamaram, dizendo: Que cidade é semelhante a esta grande cidade?
      E lançaram pó sobre as suas cabeças, e clamaram, chorando, e lamentando, e dizendo: Ai, ai daquela grande cidade! na qual todos os que tinham naus no mar se enriqueceram em razão da sua opulência; porque numa hora foi assolada.
      Alegra-te sobre ela, ó céu, e vós, santos apóstolos e profetas; porque já Deus julgou a vossa causa quanto a ela.
      E um forte anjo levantou uma pedra como uma grande mó, e lançou-a no mar, dizendo: Com igual ímpeto será lançada babilônia, aquela grande cidade, e não será jamais achada.
      E em ti não se ouvirá mais a voz de harpistas, e de músicos, e de flautistas, e de trombeteiros, e nenhum artífice de arte alguma se achará mais em ti; e ruído de mó em ti não se ouvirá mais;
      E luz de candeia não mais luzirá em ti, e voz de esposo e de esposa não mais em ti se ouvirá; porque os teus mercadores eram os grandes da terra; porque todas as nações foram enganadas pelas tuas feitiçarias.
      E nela se achou o sangue dos profetas, e dos santos, e de todos os que foram mortos na terra.
      Apocalipse 18:1-24

      Excluir
  2. https://www.youtube.com/watch?v=XBwOZkkZEbA

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...