Slide 1 Slide 2 Slide 3

CONFISSÕES DO DIVÃ






Os textos apresentados nesta seção buscarão ilustrar situações, angústias, problemas e experiências vivenciadas por alguns homens gays. Não existem experiências universais, comuns a todos os homens gays, cada um de nós é constituído e atravessado por diversas características que tornam a sua experiência única.  Nossa principal ideia aqui é pensar em possibilidades de enfrentamento para as questões aqui representadas, que em menor ou maior grau podem ser semelhantes com alguma das histórias vivenciadas por você. Essas histórias não são uma representação literal de histórias reais e sim textos fictícios.

O Dr. Alexandre é formado em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atua como psicólogo clínico no Espaço Recontar na região de São José / SC. Fundamenta seu trabalho pelos princípios da Psicologia Sistêmica. Compreender os fenômenos psicológicos sistemicamente significa, literalmente, “colocá-los” dentro de seu contexto, estabelecendo a natureza das suas relações.

Você pode fazer perguntas e sugerir temas que nosso psicólogo responderá com todo prazer.

Bem, vamos ao tema de hoje:

Alzheimer: Alguns sinais e como prevenir

Alexandre de Souza Amorim, Psicólogo
alexandresouza.psicologo@gmail.com

 

Quero dizer que acho muito bonito quando alguém divide, mesmo que apenas um pouco, o conhecimento que tem para ajudar outras pessoas. Parabéns ao psicólogo e ao blog. Sou um leitor um pouco mais maduro, tenho um relacionamento de mais de 25 anos. Ele é 11 anos mais venho do que eu, muito carinhoso e atencioso. Na família materna dele a mãe e o avô tiveram a doença de Alzheimer. Nos últimos meses ele tem apresentado pequenos lapsos de memória e apesar da história familiar ele acha que foram apenas eventos corriqueiros, que não devemos nos preocupar com isso. Mas eu me preocupo todos os dias. Gostaria de saber quais os primeiros sinais da doença e como podemos prevenir? Deixo um forte abraço e os meus sinceros agradecimentos.
Orácio, 52 anos

           
Olá Orácio, obrigado pelos elogios. O mal de Alzheimer se desenvolve lentamente e, por isso, muitas famílias acabam não sabendo se o problema de “esquecimento” é resultado da doença ou é apenas a velhice.

No meio clínico há uma historinha simples que usamos para tentar mostrar a diferença: “Uma pessoa bastante idosa pode esquecer frequentemente onde deixou as chaves. Mas alguém que sofre com Alzheimer, quando encontra o que está perdido, não faz ideia do que se trata”.

Bom, mas vamos esclareça melhor. Aponto a seguir 10 sinais de alerta, possíveis sintomas que são indícios da doença de Alzheimer:

1. Perda de memória: esquecer ocasionalmente nomes é natural com o avanço da idade, mas quem tem Alzheimer esquece um número maior de coisas ao longo do tempo.

2. Apresenta “comportamentos estranhos”, como sair de casa com roupas íntimas.

3. Problemas com a linguagem: o vocabulário fica cada vez mais curto e difícil de compreender.

4. É comum descrever sensações de que está perdido e sozinho, mesmo em meio à família.

5. Tem dificuldade em realizar tarefas do cotidiano que fazia naturalmente, como trocar de roupa, encontrar objetos que estão sempre no mesmo lugar, etc.

6. Visivelmente triste.

7. Problemas de raciocínio, não consegue mais executar tarefas simples que faziam anteriormente como colocar o número certo de pratos a mesa, discar número de telefone, preencher cheque, etc.

8. Começa não só a esquecer onde colocou as coisas, mas a coloca-las em lugares inapropriados, como colocar as chaves do carro no congelador.

9. Mudança repentina de humor, indo da calma à fúria sem nenhum motivo.

10. Quem sofre de Alzheimer tende a esquecer as coisas que gostava de fazer e acaba ficando muito tempo sentado em frente à televisão.

Ainda não se conhece maneiras especificas para se prevenir esse mal. O que sabemos é que estimular a mente pode ajudar a não desenvolve-lo. É importante destacar, uma vez que muitas pessoas não sabem, que há uma estreita relação entre o cérebro e a saúde do coração. Sendo assim, à medida que se aumenta o risco de doenças cardiovasculares, também se aumenta o risco de Alzheimer.

Logo, existe uma associação em que tudo o que diminui o risco de problemas cardíacos, também previne a doença de Alzheimer.

A melhor maneira de prevenir é evitar os itens da lista abaixo para tentar ficar mais protegido:

1. Fumo: os fumantes têm o dobro de chances de desenvolver Alzheimer.

2. Colesterol ruim alto, que dificulta a circulação em todo o corpo.

3. Pressão arterial elevada.

4. Obesidade.

5. Diabetes.

6. Gordura de origem animal em excesso.

7. Bebida alcoólica em excesso.

Ainda há algumas práticas que podem reforçar a proteção contra a doença:

– Exercício físico

– Mudar a rotina, por exemplo: passar por ruas diferentes, modificar o relógio de pulso, são pequenos gestos que ajudam o cérebro a trabalhar de maneira diferente.

– Dieta baseada em frutas e legumes

– Consumo adequado de antioxidantes como ômega 3 e vitaminas C e E.

Espero ter ajudado. Mas a informação não substitui o acompanhamento médico. Se você acha que há indícios, procure por um profissional para realizar os exames e acompanhamentos necessários para ter certeza.





Poderá gostar também de:
Postado por Mac Del Rey | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...