Slide 1 Slide 2 Slide 3

SEXO

Dor no ânus após fazer muito sexo com força? Saiba o que é!




Daí que você e seu boy resolveram carregar um pouquinho na hora do sexo e alargar as sensações de prazer. No dia seguinte, o passivo ficou reclamando de uma intensa dor no ânus, bem mais forte do que aquela que rola em dias “normais”. Isso pode ser uma fissura anal (ou retal), meu caro!

A fissura retal é um dos efeitos colaterais que podem acontecer durante a penetração pelo ânus, principalmente quando é empregado muita força e intensidade excessivas no sexo anal. Para evitá-lo, basta tomar alguns cuidados, como usar bastante gel lubrificante e praticar exercícios para fortalecer a musculatura anal.

Causas da fissura anal

A causa especifica de uma fissura anal durante a penetração não é bem clara para os médicos. Mas acredita-se que ela esteja na pressão sofrida pelo esfíncter interno, que, diferentemente do esfíncter externo (sim! você tem dois), não pode ser controlado conscientemente pelo sujeito.

Durante a penetração do ânus, por exemplo, este músculo fica em constante pressão e, quando atinge um certo parâmetro, que é diferente de uma pessoa para a outra, pode haver espasmos e redução do fluxo sanguíneo na região, provocando a fissura.

Uma fissura também pode acontecer quando há a introdução de um objeto no ânus, como aquele brinquedo erótico que você comprou na internet, sabe? A causa do machucado é explicada pelas mesmas questões de quando é provocado pela penetração do pênis. Quem faz dupla penetração ou fisting fucking também entra na lista.

Sintomas da fissura anal

O principal sintoma da fissura retal é a dor. E dói pra caralho, viu?! Ela é constante, forte e aguda, sendo praticamente impossível evacuar quando há esse tipo de lesão. Sangue vermelho e intenso, irritação ao redor do ânus, além de pequeno nódulo perto da fissura também são sintomas comumente observados.

Quando crônica, a fissura pode causar hipertrofia da pele em volta do ânus e até onde termina a ferida – a isso os médicos chamam de plicoma. A plicoma muitas vezes pode ser confundida com hemorroidas, mas não há relação entre as duas condições.

Tratamento da fissura retal

Calma! Se isso está acontecendo com você agora, relaxa! Geralmente, a fissura retal é curada espontaneamente, após quatro a seis semanas. O que impede a cicatrização mais rápida são os ácidos que são expelidos junto com as fezes – por isso, fazer uma limpeza anal pode ajudar a acelerar a cura das feridas.

Quando não a cura espontânea não acontece, é preciso buscar ajuda de um profissional, que pode ser um gastroenterologista ou um proctologista, para iniciar um tratamento adequado.

Se você teve a infelicidade de não conseguir a cura espontânea da fissura retal, poderá ser tentado um tratamento clínico. Caso ele também não surta efeito, é possível que o médico indique uma cirurgia para promover a cicatrização do local.

Tratamento alternativo.

Se você já teve o diagnóstico de fissura no ânus e inclusive já iniciou o tratamento com o auxilio de um especialista, mesmo assim deve prestar atenção em algumas situações que podem prejudicar a cicatrização:

•Mantenha seu trato intestinal o mais regulado possível. Para isso, coma fibras, alimentos que incentivem a evacuação e beba bastante água. Constipação prejudica a cura da fissura, uma vez que a pessoa precisa fazer força para evacuar.

•Crie o hábito de fazer banhos de assento com água morna. Essa técnica a amenizar a dor no local da fissura retal e ainda age com um anti-inflamatório.

•Use os medicamentos recomendados pelo médico de maneira correta e sem interrupção. Quanto mais eficaz for o tratamento clínico mais você se distanciará de um procedimento cirúrgico.

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...