Slide 1 Slide 2 Slide 3

CONFISSÕES DO DIVÃ






Os textos apresentados nesta seção buscarão ilustrar situações, angústias, problemas e experiências vivenciadas por alguns homens gays. Não existem experiências universais, comuns a todos os homens gays, cada um de nós é constituído e atravessado por diversas características que tornam a sua experiência única.  Nossa principal ideia aqui é pensar em possibilidades de enfrentamento para as questões aqui representadas, que em menor ou maior grau podem ser semelhantes com alguma das histórias vivenciadas por você. Essas histórias não são uma representação literal de histórias reais e sim textos fictícios.

O Dr. Alexandre é formado em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atua como psicólogo clínico no Espaço Recontar na região de São José / SC. Fundamenta seu trabalho pelos princípios da Psicologia Sistêmica. Compreender os fenômenos psicológicos sistemicamente significa, literalmente, “colocá-los” dentro de seu contexto, estabelecendo a natureza das suas relações.

Você pode fazer perguntas e sugerir temas que nosso psicólogo responderá com todo prazer.

Bem, vamos ao tema de hoje:


Trampling: A fantasia do meu namorado é ser pisoteado!

Alexandre de Souza Amorim, Psicólogo
alexandreamorim17@hotmail.com


 

Conheci ele e foi logo uma paixão avassaladora. Em três meses já estávamos namorando e fazendo planos para o futuro. Estamos juntos somente há sete meses e eu estou completamente apaixonado. Nos divertimos muito juntos, temos os objetivos de vida parecidos e gostamos das mesmas coisas... Quer dizer quase. Em um certo dia ele perguntou quais minhas fantasias sexuais. Até aí tudo bem, já tive essa conversa com outras pessoas. Ele disse que queria realizar todas as minhas fantasias e que eu realizasse as dele, coisa de casal de namorados recente, eu sei disso. Porém, lá pelas tantas ele disse que sua fantasia era que eu pisasse nele. No começo foi uma brincadeira, rimos bastante e foi divertido para os dois. Mas o problema é que agora ele sempre quer que façamos isso, diz que precisa disso para ficar realmente excitado e ter prazer. Não é nenhum grande sacrifício para mim, mas eu queria entender que tipo de prazer é esse, se é que tem um nome para isso e se tem algum tipo de risco.
Lorenzo, 24 anos

           
Olá Lorenzo. Existe um nome sim: Trampling. Esse é um fetiche sexual que consiste na prática de pisotear um parceiro submisso. Pode ser realizada por duas ou mais pessoas com o objetivo de alcançar tanto o prazer quanto a dor.

Esse é um fetiche comum em relacionamentos de casais adeptos a BDSM (sigla para Bondage, Disciplina, Dominação, Submissão, Sadismo e Masoquismo).

Falar sobre fantasias sexuais ainda é um grande tabu por que muitas pessoas ainda têm medo ou vergonha de falar sobre suas fantasias, principalmente por pensarem que elas são incomuns ou “bizarras”.

O trampling em geral não aparece sozinho, ele aparece junto com outras práticas de dominação e espancamento, relacionados a obtenção de prazer em técnicas de dominação.

Envolve uma complexidade grande de intensos sentimentos de controle por parte do dominador e de humilhação e assujeitamento por parte do parceiro submisso. Os “mecanismos” (vamos chamar assim para facilitar) associados ao prazer nessas práticas não são facilmente compreensíveis por muitas pessoas, o que levam muitos a esconder esses desejos.

Essa prática pode estar associada também a podolatria, que é o desejo sexual e obtenção de prazer por pés.  Podemos pensar como um jogo sexual onde uma pessoa é capaz de alcançar a excitação máxima ao sentir que seu parceiro descalço ou não caminha por cima de seu corpo.

A complexidade de práticas que permitem machucar o outro de alguma maneira relacionam-se com a excitação em decorrência da dor e do desconforto geral que envolve diversos atos. E nesses atos é possível que o trampling esteja incluído.

É preciso lembrar que para qualquer fantasia sexual ser realmente prazerosa, ambos os envolvidos tem que se sentir satisfeitos e realizados. Não esqueça que a sua satisfação também é importante.

Você também perguntou se há riscos. Sim. Como ocorre em qualquer outra prática de BDSM, sempre há riscos de machucar o outro. São práticas que produzem dor e, portanto, são necessárias medicas de segurança. Procure estabelecer com o parceiro uma palavra ou gesto de alerta entre dominador e escravo, especialmente se o trampling incluir pisar em regiões sensíveis como no pescoço.




Poderá gostar também de:
Postado por Mac Del Rey | (1) Comente aqui!

Um comentário:

  1. Acho incrivel como existem um grande numero de fantasia inimagináveis. Você pode pensar que se ele abriu esse "segredo" para você é por que considera você muito. Por outro lado não é legal quando somente um sente prazer e é realmente desgastante sempre ter que fazer a mesma coisa. Tira um pouco da imprevisibilidade, da surpresa, da chance de fazer algo inovador. Pensa bem se há futuro para vocês.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...