Slide 1 Slide 2 Slide 3

CONFISSÕES DO DIVÃ









Os textos apresentados nesta seção buscarão ilustrar situações, angústias, problemas e experiências vivenciadas por alguns homens gays. Não existem experiências universais, comuns a todos os homens gays, cada um de nós é constituído e atravessado por diversas características que tornam a sua experiência única.  Nossa principal ideia aqui é pensar em possibilidades de enfrentamento para as questões aqui representadas, que em menor ou maior grau podem ser semelhantes com alguma das histórias vivenciadas por você. Essas histórias não são uma representação literal de histórias reais e sim textos fictícios.

O Dr. Alexandre é formado em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atua como psicólogo clínico no Espaço Recontar na região de São José / SC. Fundamenta seu trabalho pelos princípios da Psicologia Sistêmica. Compreender os fenômenos psicológicos sistemicamente significa, literalmente, “colocá-los” dentro de seu contexto, estabelecendo a natureza das suas relações.

Você pode fazer perguntas e sugerir temas que nosso psicólogo responderá com todo prazer.

Bem, vamos ao tema de hoje:


Dificuldade em manter as relações sexuais (diminuição do desejo sexual), o que fazer?

Alexandre de Souza Amorim, Psicólogo
alexandreamorim17@hotmail.com


 

Bom, tenho um relacionamento que vai completar 5 anos em outubro. Sempre tivemos uma relação maravilhosa, muita linda. Não tenho dúvidas que ele é pra mim a pessoa que eu quero me casar, ter uma família, ter filhos... Todos esses 4 anos foram incríveis, viajamos, conhecemos lugares, fizemos diversas coisas inesquecíveis. Criamos laços de afeto com todos da nossa família, meus pais aceitam ele, meus tios, avós, todos e da parte da família dele apenas o pai não aceitou mas não atrapalha também. Sempre fomos apaixonados um pelo outro, o fogo no olhar, o brilho nos olhos, todos nossos amigos sendo homo ou héteros dizem que somos exemplos de um relacionamento saudável e lindo. Fazíamos planos de casamento, de convidados, de filhos, de viagens. Porém ultimamente ele diz que não sente mais atração por mim, ele não fica excitado, ele diz que me ama, que quer me fazer feliz mas essas situações começaram a acontecer devagar e veio aumentando, e agora mal conseguimos fazer sexo. Ele fica triste com isso, eu fico confuso, fico magoado. Já chegamos a conversar sério, cheguei a pensar que ele estava me traindo, ou estava querendo conhecer novas pessoas mas ele garante que não. Ele também não sabe o porquê isso está acontecendo. Não temos muitas pessoas para conversar, trocar ideias ou pedir ajuda, é de certa forma frustrante. Queria do Dr. uma luz para conseguirmos fazer dar certo, queremos constituir uma família. Eu não considero sexo a base mais importante de um relacionamento mas sei que isso pode afetar nos escolhas futuramente e não quero que nada de ruim aconteça. Pode nos ajudar?
Lúcio, 26 anos

           
Olá Lúcio, tudo bem? O elemento mais importante para enfrentar o problema vocês parecem ter, que é a vontade de sair dessa situação.

Em outros relatos eu já destaquei, mas volto a lembrar, que a inibição do desejo sexual é um sintoma que nos diz que algo não está bem. Em geral esse sintoma é apenas a ponta do iceberg, ele não costuma surgir sozinho, se analisarmos a fundo possivelmente iremos encontrar outras questões que também precisam de atenção. Essas questões nem sempre dizem respeito ao casal ou ao parceiro (você), podem ser questões particulares da própria pessoa (no caso, seu namorado).

É absolutamente comum, que depois de alguns anos o desejo diminua, assim como a frequência das relações sexuais. Isso acontece com a maioria dos casais, não vou dizer todos apenas para não generalizar. É preciso, nesses momentos (por que isso pode voltar a acontecer novamente depois de mais alguns anos), encontrar maneiras de manter a chama "acesa".

O primeiro passo, é o diálogo. Conversem sobre como tem se sentido, tentem descobrir suas teorias sobre o que está acontecendo. É possível que depois de tanto tempo algumas coisas se perderam no caminho e que o seu companheiro, hoje, se sinta constrangido em compartilhar com você os seus sentimentos. Pode ser por medo de te magoar ou outra razão, mas o que é importa é que ele se mostre disponível para negociar estratégias de resolução do problema. O mais importante é “que ele também queira resolver as coisas”.  Essa é apenas 1 das possibilidades!

Uma outra possibilidade é que a rotina tenha ajudado a contribuir nesse processo. Então, o segundo passo é ser criativo. Conversem sobre suas fantasias, tentem fazer sexo de maneiras diferentes... E isso não exige tanto esforço quanto parece. Pode ser apenas fazer em um cômodo da casa diferente ou em um horário diferente. Não é funcional programar o tesão para funcionar sempre no mesmo local e na mesma hora. O desejo sexual está muito além da atração física, nos sentimos tesão as vezes pelo comportamento da outra pessoa, sua maneira de ser, de instigar, de passar segurança, da sua pegada, de ser surpreendente, enfim. Vale lembrar que apimentar a intimidade sexual não implica impor sacrifícios a nenhum dos membros do casal. Submeter-se a qualquer coisa que não lhe dá prazer não irá salvar a relação. Mas realizar algumas fantasias sexuais podem ajudar muito.

Essas seriam as soluções "fáceis". Porém, a diminuição do desejo sexual pode estar relacionadas a questões internas do seu parceiro. Podendo ser de ordem psicológicas (estresse; ansiedade; perda de autoestima; depressão; entre outros) ou de ordem fisiológicas (obesidade; disfunção erétil; baixos níveis de testosterona; doenças como diabetes, hipertensão e doenças cardiovasculares; uso de medicamentos, tais como antidepressivos, calmantes e os remédios que combatem a hipertensão, podem interferir na libido; entre outros).

Em muitas dessas situações é preciso de uma avaliação e de um acompanhamento especializado. Portanto, sugiro que se as "soluções fáceis" não ajudaram vocês procurem por um terapeuta sexual. Ele irá ajuda-los a investigar o que de fato está acontecendo e quais as participações de cada um dos dois nesse processo.

É importante ficarem atentos, pois os problemas relacionados a diminuição do desejo sexual são bastante desgastantes, uma vez que acabam afetando toda a motivação de vida de uma pessoa e também de seu cônjuge.





Poderá gostar também de:
Postado por Mac Del Rey | (2) Comente aqui!

2 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...