Slide 1 Slide 2 Slide 3

HOMOSSEXUALIDADE

Por que héteros tem tanto medo de ver dois homens se beijando?




Assim que o pai do atirador que matou 50 pessoas em uma balada gay em Orlando no início do mês de junho afirmou que o que pode ter motivado a ira assassina do filho foi a visão de um casal gay se beijando, uma avalanche de compartilhamento fotografias de casais homossexuais se beijando rodaram nas redes sociais.

Foi uma das maneiras que nossa comunidade encontrou para que a troca de carinho entre qualquer tipo de casal seja naturalizada no mundo ocidental. Segundo um estudo conduzido pela Comissão Australiana de Direitos Humanos no ano de 2012 mostra que 25% dos homossexuais já foram abusados verbalmente, enquanto 47% dos homens trans e 37% das mulheres trans também enfrentaram essa agressão.

Por isso, muitos dessas pessoas preferem esconder sua identidade em público, mantendo atenção constante sobre o próprio comportamento. Esse estado de atenção permanente é desastroso para a saúde mental desses indíviduos. Esta invisibilidade é reforçada pela violência a qualquer identidade ou preferência sexual além da heterossexual.

Pesquisando um pouco mais, descobri outro estudo feito pela Universidade de Indiana (EUA) com mil pessoas, que mostrou que 97% delas não se importavam em ver casais heterossexuais segurando as mãos, mas apenas 62% aprovava o mesmo comportamento entre homens gays. 95% aceitavam ver casais héteros se beijando, mas o número cai para 55% quando o casal é composto por dois homens. Quando se fala em beijo de língua em locais públicos, então, esses números caem para 50% para casais hétero e apenas 22% para casais homossexuais.

Os números para casais lésbicos foi de 75%, 72% e 26%, respectivamente. Apesar de a troca de carinho entre duas mulheres ser mais aceita que entre dois homens, ainda há mais intolerância quando comparado a um casal heterossexual.

Uma possível explicação para tamanho desconforto ao presenciar essas cenas pode estar relacionada à insegurança da própria identidade. Um terceiro estudo publicado pela Sociedade Americana de Psicologia mostrou que pessoas homofóbicas têm maior chance de serem gays.

PERGUNTAS & RESPOSTAS


Não consigo me relacionar com caras afeminados.



Eu realmente não tenho problema nenhum em ser gay, sou assumido inclusive para a minha família e todos os meus amigos, que por sinal, nunca me trataram com desrespeito e sempre me aceitaram como sou. O problema é que eu realmente não consigo me relacionar com caras afeminados. Tenho amigos afeminados e não tenho o menor problema com isso, só quando se trata de relacionamentos mesmo. Quero saber se é algo ruim e pejorativo, de certa forma, não gostar e até evitar me relacionar com caras assim.

A parte chata é que eu realmente não tenho sorte com relacionamentos, às vezes temo que eu seja seletivo demais com essa história de não querer ficar com caras afeminados. É difícil encontrar um cara que goste de esportes, rock, e programas mais “héteros”.
Só quero deixar bem claro que não tenho preconceitos, é só uma questão de gosto mesmo… sei lá, como quando alguém prefere loiros à morenos.

Muito obrigado pela atenção.

Matheus, de Florianópolis

~*~

Oi, Matheus, tudo bem?

Vamos lá, iniciar os trabalhos:

1º – sua preferência é um preconceito sim. Mas não deixa de ser um direito seu querer ou não sair com afeminados. Talvez você seja menos preconceituoso do que muitos outros gays, pois não se priva de uma amizade com uma pintosa, apenas não quer um relacionamento amoroso com elas. Mas é preconceito, porque você imagina que uma pintosa em CRISTO não tem os requisitos pra te fazer feliz num relacionamento sexual e amoroso.

E isso é ruim? É errado?

Sei lá. Pode ser ruim para você e para as pintosas, mas, para mim, não faz nem bem nem mal. Então, é indiferente.

2º- não tá fácil pra ninguém, nem para as pintosas, nem para as parrudas, nem para as masculinas. Todas sofrem, todas querem o cara perfeito, rico, inteligente, gostoso, engraçado, fiel, pintudo e bundudo e bom, querer não é poder/encontrar.

3º – o fato da sua família não te destratar é lindo. Arrasou! Teve mais sorte do que muita gay por aí mundo afora (pensa nos russos!)

Para terminar, só tenho a dizer que te entendo. E bom, se está sentido algum tipo de “remorso” em não dar a chance para um afeminado te fazer feliz, então é hora de tentar se relacionar amorosamente com um. Só sabemos quando algo não é bom para a gente quando experimentamos.

Beijas, arrasa!

~*~

Quero transar com um príncipe loiro de olhos azuis.



“Eu sou gay desde que eu tinha (pasme) 11 anos!
Sou MUITO tímido (tenho só 2 melhores amigas. E me sinto muito sozinho por não ter um amigo gay ou uma amiga lésbica com quem possa conversar abertamente…). Nunca tive relação sexual com outro cara eu sei que curto dominação e afins na hora H…

Lendo seu blog (muito bom por sinal ;)) acabei descobrindo que sou ninfomaniaco (sério, eu penso em sexo o dia inteiro!)

Tudo que eu mais quero nessa vida é encontrar um cara legal e viver ao lado dele pra sempre…
Ai tá o problema… Como tenho várias fantasias, me apaixono por todo cara loiro de olho azul…
E como eu quero (MUITO) fazer sexo com outro cara (sou passivo) tenho medo de que quando eu fizer 18 anos e for morar fora eu (desculpe o termo) dê o c** pro primeiro cara loiro de olho azul que eu ver na rua…

Bem, é isso ai. Foi só mais um desabafo e queria pedir um conselho se possível. Obrigado !

G, 17 anos, de SP.

~*~
Ai, tanto para comentar e tão pouco espaço!

0 – eu sou gay desde que nasci. Pasme você!

1 – Não há problema em ser tímido. Amigos você conquista com o tempo, e eles não precisam ser homossexuais para você poder falar abertamente. Amigas hétero também servem, homens costumam ficar mais retraídos para falar com um amigo gay sobre paqueras/desejos dele, mas isso não é regra.

Enfim, quanto a amizade, não procure amigos gays/lésbicas apenas porque precisa falar sobre seus sentimentos, afinal, sentimentos e desejos são iguais, não importa a sexualidade de quem os sente. Não escolha seus amigos pela orientação sexual deles.

2 – ninfomaníaco é quem faz sexo todo o tempo. O fato de você pensar muito em sexo significa apenas que você tem 17 anos e seu corpo está cheio de hormônios que te fazem sentir assim.. sexual… É normal.

3 – você curte dominação porque viu um pornô e achou legal? BEWARE: na vida real é bem diferente. Acho melhor testar essa prática com alguém que confie antes de sair falando “ai, sô dominatrix” ou “gosto de ser dominado na cama”. Você é passivo? Mas nunca foi passivo… Algo estranho aê. Mesma coisa, experimente ser ativo, além de passivo, para não fechar o leque de opções…

4 – cuidado com suas fantasias. Loiros de olhos azuis são bonitos. mas não são imaculados. Todo o ser humano é imperfeito. Não endeuse ninguém, não se iluda, assim você não se magoa.

5 – querer namorar alguém para sempre é bacana. Mas nada dura para sempre, então, seja mais realista. Queira namorar alguém sério. Ter um relacionamento sério.

E, para terminar, qual o problema em dar para o primeiro loiro de olhos azuis que passar na rua, caso vá morar fora? Se você quer dar e ele quer comer, não vejo problema algum. Apenas: USEM CAMISINHA.

É isso, espero ter ajudado. Você pediu um conselho e eu dei seis. E aqui fica mais um: não paute sua vida baseado em achismos. A única maneira para sabermos se gostamos ou não de algo. Se um relacionamento vale ou não a pena, é experimentando.

Boa sorte!

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (2) Comente aqui!

2 comentários:

  1. Sei lá, acho que dizer que não se sente atraído porque não experimentou é o mesmo que dizer que não se atrai por mulher porque não experimentou. Isso é polêmico. Há os que se sentem atraídos por muito afeminados, por aqueles que são só um pouquinho afeminados e por aqueles que são viris. Ah, perguntem a uma lésbica, a uma mulher trans ou a uma travesti se ela gosta de ser chamada de "ele" ou com o artigo masculino "o", segundo os idiomas de origem latina. Provavelmente a resposta é "não". Por que homens gays, mesmo os afeminados, devem ser chamados de "ela"? Sinceramente, isso dói nos ouvidos, porque é erro de Português, além de não trazer empoderamento nenhum para a causa deles. E até dificulta a saída do armário de muitos, por terem que passar por isso. Assim como é um desrespeito às trans e lésbicas chamá-las de "ele".

    ResponderExcluir
  2. Anonimo, no caso de quem for realmente gay, nao sentira atraçao por mulheres. O sexo pode ser realizado com mulher e tem gays que tem filhos,mas nao satisfaz emocionalmente. Sao o caso dos gays casados com mulheres e tem filhos, mas dao aquela escapulida de suas esposas. Nao e´um prazer total e que satisfaça o seu intimo, pois nao envolve somente o ato sexual.

    Em relaçao as lesbicas, elas sao mulheres, assim como os gays masculinos. Um casal gay masculino, nenhum dos dois chamamo-los pelo pronome ``ela`` a algum deles.

    No caso das transsexuais, o caso fica diferente. Se a mulher for transsexual, evidente que gostaria que usasse o termo èle``, pois condiz com o que sente por dentro (de ser masculino) ou tambem o oposto se o homem tem tendencia de ser feminino.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...