Slide 1 Slide 2 Slide 3

CONFISSÕES DO DIVÃ







Os textos apresentados nesta seção buscarão ilustrar situações, angústias, problemas e experiências vivenciadas por alguns homens gays. Não existem experiências universais, comuns a todos os homens gays, cada um de nós é constituído e atravessado por diversas características que tornam a sua experiência única.  Nossa principal ideia aqui é pensar em possibilidades de enfrentamento para as questões aqui representadas, que em menor ou maior grau podem ser semelhantes com alguma das histórias vivenciadas por você. Essas histórias não são uma representação literal de histórias reais e sim textos fictícios.

O Dr. Alexandre é formado em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atua como psicólogo clínico no Espaço Recontar na região de São José / SC. Fundamenta seu trabalho pelos princípios da Psicologia Sistêmica. Compreender os fenômenos psicológicos sistemicamente significa, literalmente, “colocá-los” dentro de seu contexto, estabelecendo a natureza das suas relações.

Você pode fazer perguntas e sugerir temas que nosso psicólogo responderá com todo prazer.

Bem, vamos ao tema de hoje:


Tenho a fantasia de fazer sexo grupal! Mas não tenho coragem de propor...

Alexandre de Souza Amorim, Psicólogo
alexandresouza.psicologo@gmail.com


 


Eu namoro há cinco anos e esta tudo bem no meu relacionamento. No entanto eu tenho diversas fantasias sexuais que não realizei quando estava solteiro e agora tenho pensado muito sobre isso, pois durante todo esse tempo eu só transei com meu namorado e nunca fugimos muito do convencional. Minha maior fantasia é fazer sexo grupal, mas tenho medo de dividir isso com meu namorado. Não sei o que ele vai achar dessa idéia, se ele vai achar uma maluquice minha e também não sei se vou gostar da experiência. Penso, às vezes, que isso não é normal, pois tenho um relacionamento muito especial. Essas fantasias irão desaparecer com o tempo? É algo passageiro?
Luíz, 26 anos          


Não é simples dizer se suas fantasias são passageiras ou não. Mas posso afirmar que o ato de fantasiar é uma coisa que pode ser muito prazeroso e saudável para você e para a relação.      

O que é “anormal” ou “maluquice”? Entenda que vivemos em uma sociedade moralista e normativa onde nem sempre as fantasias, quaisquer que sejam, são vistas como normais, e isso é uma herança cultural de uma educação moral religiosa que ainda predomina na nossa sociedade. Isso não significa que suas fantasias necessariamente se tratam de maluquices (embora esse conceito também deva ser problematizado – o que é uma maluquice?).

As definições de “normal” ou de “anormal” não fazem sentido no âmbito da fantasia. Na fantasia você pode tudo, inclusive fugir dos padrões impostos socialmente, ou mesmo de padrões que você foi construindo ao longo da sua trajetória de vida.

Porém tornar uma fantasia em uma experiência real (física) é outra questão, por diversos motivos.            

            Entre eles podemos destacar que o grau de prazer ou de excitação na fantasia nem sempre corresponderá ao mesmo grau de prazer ou de excitação na hora H, pois entre o imaginar e o fazer existem muitas variáveis.

Na imaginação podemos controlar com facilidade todos os fatores que estão envolvidos, o que não acontece na experiência física. O sexo grupal pode ser muito bom ou muito ruim, pode ser lindo, excitante e até romântico na sua fantasia, corpos perfeitos, posições perfeitas e na prática pode ser muito incomodo, frustrante e até mesmo machucar profundamente a relação.

Para evitar essas variáveis ruins o primeiro passo seria conversar abertamente com seu companheiro. Conversem bastante e discutam seus sentimentos e expectativas sobre essa experiência.

Caso o parceiro não queira entrar na fantasia é melhor não insistir, pois ele pode sentir-se forçado e até ameaçado intimamente. Lembre que forçar a barra pode trazer danos à relação, que você já intitulou de especial e às vezes não tem jeito é preciso optar entre uma coisa ou outra. Isso não quer dizer que você não possa continuar vivendo sua fantasia em seus sonhos ou propor outras fantasias também estimulantes para seu parceiro.

As chances da fantasia ser proveitosa e positiva vai depender do  quanto os parceiros estão de comum acordo e se sentem minimamente confortáveis com a idéia de vivenciar essa experiência.

Como eu disse no início, não há nada de errado em fantasiar e vivenciar fantasias, isso faz parte do universo erótico e pode ser um excelente mecanismo de manutenção da relação para tirá-la um pouco da rotina. Use as fantasias para se excitar e despertar o prazer em você e em seu parceiro.        

            Uma ultima sugestão seria que você cuide para que, na prática, você não desrespeite seus limites ou do seu parceiro. No caso de optarem por vivenciar essa ou qualquer outra fantasia não esqueçam de que o uso da camisinha é fundamental!   




Poderá gostar também de:
Postado por Mac Del Rey | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...