Slide 1 Slide 2 Slide 3

HOMOSSEXUALIDADE

Aprenda a ajudar as pessoas que sofrem com baixa autoestima.




Nesse mundo altamente insensível, muitas pessoas desenvolvem problemas de baixa autoestima. Elas podem se sentir incapazes, fracas e inadequadas para realizar algumas tarefas e isso vai destruindo suas vidas aos poucos.

Se você é um abençoado que lida bem com isso, que tal ajudar quem precisa? Estar próximo desses indíviduos certamente vai ajudá-los a superar qualquer dificuldade.

Como reconhecer os sintomas da baixa autoestima:

•Ele acredita que nada do que faz está bom ou aceitável;
•Acredita que suas escolhas são sempre erradas;
•Não se acha capaz de realizar tarefas que saiam de sua zona de conforto;
•Não reconhece seus próprios dons e talentos;
•Não toma iniciativa para realizar sonhos futuros;
Se você percebe essas atitudes na pessoa, já passou da hora de ajudá-lo a resolver esse problema que, se deixado de lado, pode prejudicá-lo ainda muito no futuro. Preste atenção!

1 – Elogie seus feitos.
Se ele não acredita que faz nada bem feito, você pode fazê-lo acreditar que faz. Ensine-o a resolver as questões e naturalmente passe a elogiá-lo quando alcançar o objetivo proposto.

2 – Incentive a realizar novas tarefas.
Seja uma coisa simples ou mais complexa, mostre que você acredita e torce por ele. Você pode até mesmo ajudá-lo, mas nunca fazer por ele. Ele deve se sentir responsável pelos resultados.

3 – Nunca aponte suas falhas em público.
De forma carinhosa e auxiliadora mostre aos poucos os pontos a serem aperfeiçoados. Nunca os deixe constrangidos devido à correção pública. Prefira uma conversa particular e carinhosa.

4 – Ajude-o a desenvolver seus dons e talentos.
Você pode sugerir que ele se matricule, por exemplo, em um curso de piano se ele gostar deste instrumento, ou para a prática de algum esporte, caso ele seja admirador de algum. O importante é seu incentivo e ação. Ele precisa sentir-se capaz de aprender algo que gosta e para isso precisa de seu apoio inicial.

5. Converse constantemente com ele.
Ele precisa sentir em você alguém que está disposto a lhe ajudar a melhorar. Frequentemente e de maneira informal questione quais são seus objetivos e lhe ajude a enxergar os caminhos que deve tomar para alcançá-los. Mostre que mesmo errando algumas vezes, é possível aprender alguma coisa, e que todos, sem exceção, erram.

6 – Busque auxílio médico
Se mesmo com todo apoio e ajuda você perceber que ele não consegue se sentir bem consigo mesmo, busque auxílio profissional. O especialista em psicologia poderá ajudá-lo a enxergar em si próprio alguns fatores que ele próprio, ou alguém muito próximo a ele, não conseguem.

PERGUNTAS & RESPOSTAS


Depressão e Homossexualidade: Ferrou!


Oi. Não sei bem se eu deveria estar fazendo isso, mas acho que eu preciso desabafar de alguma forma e isso foi o mais perto de um amigo que eu encontrei. Não sei nem como começar, mas to tentando. Eu tenho quase 20 anos e sou homossexual. (Como é desconfortável escrever isso) Acho que eu sempre soube que era, mas ignorei porque pensei que talvez com sorte e com tempo isso pudesse ir passando. Como uma pedra que a gente vai chutando ao logo do caminho, mas essa pedra tornou-se maior que eu.

Sou de uma família bastante católica, fui criado dentro da Igreja e pros meus pais seria O pesadelo um filho nessas condições. Apesar de ter sempre a impressão de que eles sabem. Eu os amo muito e sou muito grato por tudo que eles fazem/fizeram por mim. Sei que vou decepcioná-los e sofro muito por isso. Imagino que ao viver minha sexualidade, estaria escolhendo entre isso e eles. Tenho quase vinte anos, nunca beijei, nunca fiz nada. Nunca tive coragem de contar isso ninguém, só a minha terapeuta depois de quase quatro anos de enrolação. Me sinto muito só. Perdi o interesse na minha vida. Tudo me dói. Ver meus amigos levando as vidinhas deles tão simples, tão normais, com planos de vida. Até desativei meu Facebook porque todos me parecem tão bonitos, tão cheios de vida, perspectivas, histórias, experiências. E eu estou aqui morando no meu quarto e fingindo que não existo.

Não me sinto muito a vontade saindo de casa, me sinto muito feio, estranho. É um sacrifício diário que faço pra sair da cama e cumprir minhas atividades. Já reprovei disciplina por falta na faculdade. Acordava, me arrumava, me arrumava, me arrumava, mas me sentia horroroso e não queria ser visto por ninguém. Simplesmente não conseguia sair de casa.

As vezes, me interesso por alguém, passo dias pensando, fantasio, mas aí lembro que são coisas que só acontecerão na minha cabeça e volto à minha realidade, à minha casa, meus pais, minha feiura. E esses caras nem sabem que eu existo. É tudo muito triste. As vezes, rezo e peço a Deus pra que me leve logo daqui porque eu não aguento mais tanto sofrimento. Já que eu não tenho coragem pra acabar com minha vida. Por mais que eu precise! Mas acordo no outro dia e continuo fazendo minhas coisinhas mesmo sem ver nenhum sentido nisto.

Estou sem interesse em nada. A faculdade já não me importa, nem os amigos. Sinto que estou perdendo minha vida. Eu tento pensar que não é assim, me consolo, me dou força, mas essa sensação horrível não passa de jeito nenhum. As vezes, acho que estou reclamando demais, pois estou alimentado, com saúde, vestido, tenho um teto, mas não tenho jeito mesmo. Eu só queria nunca ter nascido. Estou perdendo minha vida. Eu vou morrer sem experimentar um beijo, sem conhecer nada da vida, sem saber a alegria que é ter um filho. Nenhuma das histórias que eu sei contar foram vividas por mim. Eu sou a pessoa mais sem graça que eu conheço. Justo a mim coube ser eu.

Eu tenho muito medo de como vai ser meu futuro. Quem vai cuidar de mim na velhice? Ninguém vai continuar o nome da minha família. Quanto mais penso nisso tudo, menos vejo saída. Ainda tenho que ouvir piadinhas dos amigos sobre fulaninho que é viado, esse tipo de coisa. Engulo seco, finjo que não é comigo, mas por dentro estou querendo morrer. EU TO ME SENTINDO TÃO SOZINHO. Tô num pedaço da minha vida que não sei mais o que fazer e já tem um tempo. TÁ TUDO ERRADO COMIGO, COM MINHA VIDA!

Já pedi a Deus, já li auto-ajuda, já procurei resposta na astrologia. já fiz terapia, musculação, já procurei me sentir útil num trabalho social, MAS ESSA PORRA TODA NÃO PASSA, NÃO PASSA. E agora, Faço o quê?

Ted, quase 20 anos – Recife/PE
-*~
Ted; vamos por partes:

Quando fingimos que não existem problemas em nossas vidas e deixamos que a represa que é nossa cabeça encha acontece exatamente isso, ela rompe e não conseguimos lidar direito com toda aquela água saindo. Há solução, basta ter um pouco de calma e resolver uma coisa de cada vez na sua vida.

Primeiramente acho melhor você resolver esse quadro de depressão, porque é basicamente isso que você tem. Converse com sua terapeuta, fale abertamente sobre essa falta de vontade de fazer as coisas, de apenas ficar em casa, de que tudo está errado na sua vida. Com certeza ela te receitará algum remédio para te ajudar a sair dessa. Depressão é coisa séria!

Religião é sempre complicada. Não costumo abordar tanto a minha opinião no blog sobre elas, mas vamos lá: Acredito em Deus, mas não um ser rancoroso, mau, vingativo e que pune as pessoas com o fogo do inferno. Para mim, Deus é amor. Como um pai que educa o filho, as vezes ele precisa nos dar um chacoalhão, é quando Ele nos manda os problemas para que aprendamos com eles alguma lição.

Não acredito em pecado, mas em consequências a nossas atitudes. Talvez toda essa forma como você se vê, sabendo que é gay, seja apenas um reflexo de como vê a Ira de Deus, do tal ‘pecado em ser gay‘… Já parou para pensar nisso? Pense se não é isso que fez com que sua auto estima fosse lá pra baixo. Não entre mais em depressão por causa disso!

Seus amigos também tem problemas, todos nós temos! Se eles parecem felizes nas fotos do Facebook é porque sabem esconder bem ou simplesmente sabem que com problemas ou sem problemas a vida precisa ser vivida da melhor forma possível. Se eles tem experiências, histórias de vida é porque não se trancam no quarto. Eles saem de casa e vão viver um pouco, deixando os problemas de lado pelo menos naquele momento. Não deixe a depressão te vencer, lute contra ela.

Você nunca beijou, nunca transou… Se ficar preso no quarto sentindo pena de si mesmo, deixando a depressão ganhar, aí sim que não terá essas experiências. Poxa, saia de casa um pouco, vá a alguma festa de amigos, vizinho, passeie no shopping, vá a praia… Tem um monte de homem por aí querido. Quem não chora não mama!

Acho que todos nós gays já tivemos medo de quem cuidará da gente no futuro, até eu. Saiba que nós mesmos nos cuidaremos no futuro! Mesmo que sejamos casados com um cara, tenhamos filhos, cachorro, papagaio e periquito, nós nos cuidaremos e ainda cuidaremos de todos eles.

Quanto a ‘Eu vou morrer sem experimentar um beijo, sem conhecer nada da vida, sem saber a alegria que é ter um filho‘: Querido, que planeta você vive? Acorda e saia desse quarto AGORA! Nós gays podemos ter filhos: adotando, barriga de aluguel… Como assim? Mesmo solteiro você pode adotar uma criança e ser pai.

Querido, corra para sua terapeuta e abra o jogo com ela de verdade! Acho que você não anda falando tudo para ela e por isso ela não sabe que o que você tem é depressão e isso precisa ser tratado!

Beijo e espero que se cuide e cuide dessa depressão! (O proximo tema em``HOMOSSEXUALIDADE``,sera sobre depressao.)

~*~

Dúvida Gay: Corro ou não atrás?



Bom, primeiro queria dizer que gosto muito do blog e que todo dia passo pra ver as postagens de leitor com alguma dúvida gay.

Eu tenho 14 anos e tem um menino na minha sala que até o ano passado parecia dar em cima de mim [no meu ponto de vista eu dava bola], o problema é que depois de um tempo ele arrumou uma namorada e agora parece que me da um gelo.

Não sei explicar, mas gosto dele e não sei se devo correr atrás ou esperar ele terminar com a namorada ou dar gelo nele até sentir minha falta. Ele já fez algumas coisas que deu a entender que gostava de mim, mas nunca me disse se era gay…

Thomas Henrique, 14 anos

~*~

Sou sincero, ainda mais com quem envia sua dúvida gay para o blog. Seguinte: Não corra atrás! Você deve se perguntar por que mas eu respondo… Ele tem namorada agora e sendo ou não gay ele preferiu ficar com ela.

Quando se tem a sua idade, muitas pessoas ainda tem dúvida sobre a própria sexualidade e isso não significa que sejam gays ou héteros, mas sim que ainda estão se conhecendo, sabendo o que gostam ou não. Por isso que as vezes o cara pode realmente dar em cima e depois sair fora, porque ele mesmo está com essa dúvida gay ou hétero.

Melhor mesmo é seguir em frente e conhecer um cara bacana. Tem tantos por aí, basta procurar um pouco que você acha alguém… E se for para ficar com esse cara, você ficará, pode ter certeza.

Acontece comigo as vezes. Olho para um cara X e penso: Ainda ficarei com ele. Pode passar um tempo, não importa o quanto, eu fico. Paciência é uma virtude.

Respondida sua dúvida gay?

Beijos.

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (1) Comente aqui!

Um comentário:

  1. Vou falar sobre o rapaz que parece estar com depressão (e não são só gays têm esse problema): a resposta do blog foi muito acertada. Tenho a acrescentar que o menino precisa se amar mais, levantar a cabeça e aprender a apreciar o que a vida lhe oferece de bom, além de lutar pra conquistar mais benefícios. Com o tempo outras coisas boas e más virão, querido! A gente precisa aprender a lidar com o que acontece, seja bom ou ruim. Isso é pra todos nós seres humanos. A vida é isso, e é muito maravilhoso estar vivo. Este blog aqui é um achado bem bacana, mas gostaria de indicar também o canal Poe na Roda, no Youtube. Esses dias eles postaram um vídeo sobre gays idosos. Você verá que o futuro pode ser bem melhor do que você está imaginando. Muita força e luz pra você, cara! Não desista. Ah! Você escreve tão bem que poderia ser escritor. Deve ser um rapaz com uma cabeça muito privilegiada.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...